Ministro Paulo Bernardo pode ser processado por Requião

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que está no primeiro escalão desde 2005, no governo Lula

Em janeiro, Paulo Bernardo perde o foro privilegiado

Carlos Newton

Reportagem de Lucas Vettorazzo, da Folha, mostra que, perto de completar dez anos como ministro do governo do PT, Paulo Bernardo (Comunicações) disse que, seguindo a lógica da renovação proposta pela presidente Dilma Rousseff, ele certamente está “na mira”.

O ministro participou nesta segunda-feira da abertura de um seminário de telecomunicações, no Rio, e lembrou que em março completaria dez anos como ministro. Ele foi ministro do Planejamento nos dois governos de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e ainda está à frente das Comunicações.

Ainda que tenha dito, em tom de brincadeira, que está “na mira” da renovação e “na linha de tiro” para possíveis mudanças, Bernardo ressaltou que não ter a menor informação nesse sentido. “Acho natural e desejável que haja mudança e renovação, e aí não estou falando somente no Ministério das Comunicações. Eu sou ministro há quase dez anos”, disse a Lucas Vettorazzo.

CRIME DE RESPONSABILIDADE

Paulo Bernardo que se prepare. Está acabando o prazo de 15 dias que o senador Roberto Requião (PMDB-PR) lhe deu para explicar o estranhíssimo caso da concessão da TV Globo de São Paulo, que foi outorgada ilegalmente a Roberto Marinho durante o regime militar.

A Mesa do Senado enviou ao ministro Paulo Bernardo um Requerimento de Informações a respeito do assunto. Ele respondeu com evasivas, anexando um processo administrativo incompleto e sem a documentação exigida. Se não responder desta vez, estará incurso em crime de responsabilidade e o parlamentar do PMDB já avisou que vai mover processo contra ele. E como Paulo Bernardo não será mais ministro, perderá o foro privilegiado no Supremo, e será julgado pela Justiça Federal.

One thought on “Ministro Paulo Bernardo pode ser processado por Requião

Deixe uma resposta para CELSO Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *