Ministro Weintraub visita o passado e cria clima igual ao de 29 de outubro de 1945

Abraham Weintraub e o Enem

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Pedro do Coutto

Ao ofender os onze ministros do Supremo Tribunal Federal, inclusive pedindo a prisão de todos eles, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, visitou o passado e tornou impossível sua permanência no cargo, colocando o governo em uma situação terrível, caso não o demita hoje mesmo.

Eu digo que o ministro que visitou o passado, porque me lembrei da queda de Getúlio Vargas, em 29 de outubro de 1945. Menos de uma semana antes do fim da ditadura, que começou em novembro de 1937 e terminou a 29 de outubro de 45, num de seus últimos atos, Vargas nomeou seu irmão Benjamin Vargas para chefe de Polícia do então Distrito Federal.

PÉSSIMA REPERCUSSÃO – Tal nomeação foi recebida pessimamente na opinião pública. Era o fim de 15 anos de poder, primeiro como presidente revolucionário a partir de 1930, depois eleito indiretamente em 1934, em seguida como ditador de 1937 até 1945.

Foi longo seu período de poder, que começou com a revolução de 30 e terminou 15 anos depois. De 1930 a 34, ele também foi ditador. Agora a sensação registrada em outubro de 45 repete-se hoje com o ministro Weintraub. Não é possível que o ministro da Educação se transforme em líder da deseducação e ofenda todos os integrantes da Corte Suprema. Mas Weintraub não está sozinho nessa viagem no tempo. Encontra-se acompanhado pela ministra Damares Alves, que pediu a Bolsonaro a prisão dos governadores e prefeitos que se opuseram ao fim do isolamento social.

DOIS GRANDES ABSURDOS – Reportagem de Bela Megali e Aguirre Talento, O Globo desta quarta-feira, destaca os dois rematados absurdos. Prender os governadores e prefeitos, como se o governo tivesse capacidade para jogar no lixo a Constituição e as leis, é prova da sua incapacidade absoluta para o cargo que exerce.

Da mesma forma, Weintraub, que mais uma vez estarrece o país. O ministro da Educação tem por hábito usar as redes sociais para dirigir ataques variados às pessoas que ele julga exercerem atividades negativas. Desta vez, ele deve ser responsabilizado judicialmente também pelos ministros do STF.

Na minha opinião, se depois disso, principalmente a ofensa aos titulares da Corte Suprema, ele não for demitido, vai contribuir para o fim do governo que o escalou para a Pasta que infelizmente ocupa.

3 thoughts on “Ministro Weintraub visita o passado e cria clima igual ao de 29 de outubro de 1945

  1. Essa galera de crentes que ladeiam o loucão, tem uma queda por um neo Nazismo. Rapaz, que que é issuuu??
    Essa mosca morta da Damares deve ser uma das piores.
    Credo! Onde fomos nos meter.
    Ou extirpamos o boquirroto do poder, ou estaremos em maus lençóis.
    Em tempo: não contemos com os generais, trocaram o verde oliva pelo pijaminha dos ursinhos carinhosos.
    Simples assim.
    Atenciosamente.

  2. Weintraub, Damares, Salles, Regina Duarte, todo o governo, incluindo seus generais, e, claro, Bolsonaro’s 00, 01, 02, 03… todos em comum nazifascistas – alguns declarados outros enrustidos.

  3. Não tive ciência da íntegra da já “histórica” reunião, porém, em razão do que temos presenciado com relação ao comportamento de diversos ministros do STF nos últimos anos, o o ministro da Educação, Abraham Weintraub, ao qualificá-los, não cometeu crime algum; no máximo, pleonasmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *