Mobilização pró-Lula em Curitiba pode começar antes, no Dia do Trabalho

Resultado de imagem para Rui Costa Pimenta

Rui Pimenta, do PCO, é o organizador do protesto

Fábio Schaffner
Zero Hora

Recepcionado no aeroporto por uma multidão barulhenta, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é conduzido pelas ruas de Curitiba até o prédio da Justiça Federal, onde pela primeira vez ficará frente a frente com o juiz Sergio Moro. Do lado de fora, 50 mil militantes aguardam o fim da audiência entoando palavras de apoio ao petista e contra a Lava-Jato. Nos últimos dias, esse cenário vem sendo idealizado por dirigentes do PT, de partidos aliados e movimentos sociais.

A ação, batizada de Ocupa Curitiba, é planejada para 3 de maio, quando Lula for interrogado no processo em que é acusado de ser o “comandante máximo” do esquema de corrupção da Petrobras, no qual teria recebido R$ 3,7 milhões em propina da OAS. Das cinco ações penais nas quais Lula é réu, este é o processo mais avançado.

FRENTE BRASIL POPULAR – A recepção a Lula em Curitiba está sendo liderada pela Frente Brasil Popular, movimento que abriga 68 organizações de esquerda. O autor da iniciativa é um militante que foi expurgado pelo PT. Presidente do Partido da Causa Operária (PCO), Rui Costa Pimenta foi expulso da legenda em 1995 e, desde então, tornou-se crítico feroz dos ex-colegas. Agora, surge como um dos mais aguerridos defensores de Lula, diante do avanço da Lava-Jato. Em vídeo publicado na internet, Pimenta chama Moro de vigarista e diz que a eventual prisão do petista seria a “largada para um ataque generalizado ao movimento operário popular e de esquerda”.

“Nossa palavra de ordem: organizar caravanas de todo o país, um ato monstro em Curitiba. As pessoas devem cercar o Lula, ele deve ter 50, 60, cem mil guarda-costas e ninguém pode chegar perto dele. A palavra de ordem tem de ser: “não vai prender!” — diz Pimenta no vídeo.

NO DIA 1º – No PT, cresce a ideia de realizar uma série de mobilizações em Curitiba. Alguns dirigentes querem que Lula chegue à cidade em 1º de maio, para um grande ato pelo Dia do Trabalho. No dia seguinte, ele participaria de encontro com juristas críticos à Lava-Jato e de vigília na Praça Santos Andrade, a quatro quilômetros da Justiça Federal.

A meta é reunir sindicalistas, operários, sem-terra e demais ativistas de esquerda numa demonstração de força em apoio ao ex-presidente.

“É uma ação de um conjunto de movimentos sociais do país todo, inclusive entidades que não são do campo do PT, mas que entendem que a Lava-Jato se tornou ferramenta de perseguição política. Não é um ato de candidatura, nem tem relação com a eleição de 2018, mas sim contra os abusos da Lava-Jato” — afirma Guilherme Boulos, coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

OBSTRUÇÃO JUDICIAL – Segundo a presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Paraná, Regina Cruz, quase todos os dias a entidade recebe telefonemas de pessoas querendo informações de como será a mobilização. Regina procura um local para montar um acampamento, mas é contra a ida de militantes para a frente do prédio da Justiça Federal. Além do risco de confronto com apoiadores de Moro, Regina alerta para eventuais acusações de obstrução judicial:

“Creio que o melhor é todo mundo ficar esperando o Lula na Praça Santos Andrade. Ele depõe acompanhado dos advogados e depois vem até nós para falar ao povo”, sugere.

A Polícia Militar do Paraná estuda a adoção de esquema especial de segurança para o depoimento.

27 thoughts on “Mobilização pró-Lula em Curitiba pode começar antes, no Dia do Trabalho

  1. Eles que aproveitem o evento e também peçam a libertação do Cunha, do Palocci, Do Cabral, do Vaccari e tantos outros encarcerados “injustamente” e perseguidos pela “injusta” lava jato.
    Eles que temem cuidado. Se a dose do remédio for excessiva, pode acabar matando o doente.

  2. Vão tentar bater o recorde em número de apoiadores de um bandido que lidera a quadrilha recordista mundial em corrupção.

    Será triste ver tantas pessoas fazendo tal escolha. Mas neste país democrático elas têm esse direito. Desde que não desrespeitem o Estado Democrático de Direito, no mais amplo sentido, perante a cidade de Curitiba e a Justiça Federal.

  3. Um bando de idiotas, comedores de mortadela e financiados com dinheiro público que foi roubado por aqueles a quem eles defendem. O Moro, que de burro não tem nada, vai prender o Lulla bem depois. O importante em manter o Lulla solto é que as delações estão saindo e cada vez mais, os bandidos estão sendo pegos. Preso o Lulla, acaba a mobilização, e muito bandido vai continuar solto. É como comer sopa quente, sempre pelas bordas.

  4. EITA MULHER PORRETA, BRIOSA, VALENTE, SÓ NÃO SERÁ A MINHA VICE EM 2018 SE NÃO QUISER. Que bom ver esse novo despertar político da Luciana, reconhecendo a podridão do $istema político exaurido, e batendo de frente contra o dito cujo que urge pegarmos pelos chifres e espatifá-lo ao chão. Aliás, a bem da verdade, o ideal é que o Lula, enquanto representante máximo do velho que já morreu, se atreva mesmo a ser candidato em 2018, como já está lançado há décadas, para que desta feita seja pego de calças curtas e leve uma surra exemplar, histórica, retumbante, na sua própria praia eleitoral catimbeira, não de outros delinquentes do continuísmo da mesmice do $istema político podre, 171, dissimulado, camaleônico, que possivelmente virão fantasiados de novo, turbinados pelo capital velhaco e o establishment bandido como de costume, mas que Lula se depare desta feita, isto sim, com o novo de verdade que já nasceu e urge se estabelecer para o bem de todos e a felicidade geral da nação, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, há 30 anos, sob a égide da Democracia Direta, com Meritocracia Eleitoral, ou seja, que Lula se depare desta feita com o projeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, o contraponto ideal ao velho continuísmo da mesmice, ou seja, a kriptonita do bem, contra a supremacia dos super-cueca$, mão$ suja$, do maligno $istema político podre, do velho que já morreu, com prazo de validade vencido há muito tempo, e seus tentáculo$ endemoniado$ que à moda Herode$ não deixam o novo crescer. A hora do basta chegou, tb nas urnas, com certeza. Chega dos me$mo$. Fora todo$. Evoluir é preciso. E se o velho $istema político podre que já morreu vencer outra vez, ai não haverá mais o que fazer senão o país se tornar 100% corrupto e cada um montar a sua própria quadrilha equipada com mídia, banqueiros, empresários bandidos, Odebrechts, línguas e canetas mercenárias, de aluguel, e tb tentar se locupletar, como, aliás, sugeriu Sérgio Porto, o inolvidável Stanislaw Pontepreta, há mais de 50 anos, com a frase lapidar: ” ou restauremos a moralidade pública neste país, ou nos locupletemos todos “. http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/291730/Luciana-Genro-diz-que-Moro-n%C3%A3o-%C3%A9-santo-mas-defende-Lava-Jato.htm

  5. Não existe hipótese de um Brasil tranquilo nas próximas décadas, pois chegamos a um ponto de radicalização em que os dois candidatos à Presidência que forem para o segundo turno em 2018 vão polarizar aos extremos suas posições políticas e ideológicas para vencerem as eleições. Como o país estará irremediavelmente dividido – não haverá por exemplo aquele consenso em torno de FHC em 1994 ou Lula em 2002 – o candidato que vencer o fará por margem pequena percentualmente sobre o que for derrotado. Quem vencer terá que ter força e determinação para impor sua agenda e principalmente ter a maioria do Congresso Nacional para aprovar medidas durante todo o seu governo. De qualquer forma, não vejo como o Brasil escapar de um governo ditatorial em 2019 – não é um desejo, simplesmente uma realidade – porque o eleito terá uma oposição implacável e permanente. Aguardo comentários sobre esse assunto.

    • Como diria o Chaves, não o venezuelano cabeça de bagre, o mexicano: ” você não está contando com a minha astúcia”, que, na verdade, no caso, não vem de mim, mas, isto sim, Daquele a quem pedi luz e ajuda e que me fortalece, para que possamos fazer deste país um bom exemplo político-econômico-social a ser seguido pelo mundo todo civilizado, que já pois a serviço da nossa causa uma legião de anjos do bem. Por outro lado, no fundo, não está mais sendo possível ao velho $istema político podre continuar enganando até mesmo os mais tapados, e muito menos continuar tapando o sol com a peneira. A próxima eleição tem tudo para ser o confronto esperado há décadas e quiçá século, de Deus contra o Sanatá$, ou seja, do Sistema novo de verdade que já nasceu e precisa se estabelecer contra o o velho $istema político podre que já morreu há muito tempo e que precisa ser enterrado, após ser definitivamente liquidado em 2018, caso não se renda antes ao Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação.

      • Em tempo, todos os interessados, inclusive os contendores do partidarismo-eleitoral e do golpismo-ditatorial, acabarão chegando à conclusão de que é inútil continuar evitando uma grande ideia cujo tempo chegou, que tornou-se inadiável e que vale a pena experimentarmos a Terceira Via de Verdade, tal seja, a Democracia Direta com Meritocracia Eleitoral, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, e que o melhor que temos a fazer é todos juntos remarmos em prol do sucesso da nova nau, rumo ao futuro, sobre mares nunca dantes navegados.

    • Concordo, integralmente com o seu comentário, pois é esse o provável futuro do país. Aduziria, ainda, que, se for um governo de direita, será praticamente impossível desaparelhar o país sem que haja reações sabotadoras. Nesse caso, o governo terá que ser forte… Estamos sendo alvo de um processo de metástase que não será fácil curar… Se a esquerda lograr êxito, a ditadura já conhecida pelos fatos históricos estará implantada entre nós.

      • O comentário do Luís Hipólito é realmente pertinente. Aliás, a composição do congresso nacional, sempre com maioria fisiológica, que chantageia, extorqui, pressiona …, sempre em benefício próprio, é sintomática, é um indicativo de que algo vai mal com o voto tb, há muito tempo, é como se a famigerada ditadura militar ainda não tivesse acabado, e que só vão às urnas os inocentes úteis, os ignorantes, os desinformados e os coniventes com o $istema político podre que perfazem a maioria, representados pela maioria dos congressistas, igualmente podres. Daí, a necessidade imperiosa de uma possível Terceira Via de verdade, aberta à concorrência de todos, como é o caso da Democracia Direta, com meritocracia eleitoral, que ainda não sei se tem eleitores suficientes, mas que tenho certeza de que tem condições de tirar o país do velho trilho do velho $istema político podre, bitolado pelo partidarismo-eleitoral e pelo golpismo-ditatorial, velhaco$, dos quais, no Brasil, temos sido todos vítimas e reféns há 127 anos, e tem poder de persuasão para convencer pelo menos a maioria de que vale a pena experimentarmos o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. Ademais, ” o futuro a Deus pertence”.

  6. Vão precisar de muito detergente para desinfetar as ruas após à demonstração. Que Curitiba se prepare para o pior caso: a mortadela estar estragada.

  7. Borges,

    Recentemente respondi um comentário que fizeste, onde eu afirmava que, se Lula vencer as eleições, ele não assumia!

    Replicaste dizendo que se trataria de um golpe, ser eleito e não receber a faixa, enquanto eu trepliquei explicando que seria um contragolpe!

    Pois agora colocas a mesma situação de outra forma, mas fácil de ser debatida:
    O país dividido, se Lula vencer ou um de seus adversários políticos ligados aos tucanos, teremos sérios problemas pela frente, diante de a metade do Brasil não concordar com um ou outro no Planalto!

    Concordo plenamente.

    Justamente por isso que venho pregando o fim desse modo de, ou Lula ou o seu adversário vencer a eleição, a continuidade desse processo político de acordos espúrios com o Congresso e que nos têm levado à falência ética, moral e econômica!

    Lula vencendo ou Dória ou Ciro ou Marina, nada muda. E, se um desses possíveis vencedores pretender governar de forma tirânica, a guerra civil está instalada no dia seguinte!

    A solução é fechar o Congresso por um ano;
    Proibir as reeleições;
    Mandato de quatro anos para todos os níveis do Legislativo, incluindo senadores;
    Diminuir o número de deputados pela metade;
    O mesmo com senadores;
    Extinguir as indenizações pessoais;
    limitar o número de assessores por três para cada parlamentar;
    Os candidatos à presidência não podem ter exercido cargos legislativos e no executivo anteriormente, muito menos terem sido ex-presidentes;
    Extinção dos partidos políticos envolvidos no Petrolão e Mensalão;
    O país terá cinco partidos políticos, que representarão a Sociedade, o Trabalho, o Estado, a Oposição e a Situação;
    Não mais existirão partidos representando religiões;
    Proibidas as ligações partidárias nas eleições;
    Fim do Fundo Partidário;
    Tempo nas rádios e TV iguais para todos os candidatos dos cinco partidos;
    Cidades com menos de trinta mil habitantes não terão mais vereadores;
    As verbas destinadas ao Legislativo serão mediante a arrecadação dos municípios estados e União, e caso forem inferiores à necessidade de a Folha de Pagamento dos Servidores ser maior que o arrecadado, o montante será dividido perfeitamente entre os Três Poderes;
    Não haverá candidato acusado de crime, mesmo que não tenha sido julgado;
    Proibida a transferência de parlamentares para outras siglas partidárias. Perderá o mandato, pois não poderá concorrer pela nova em face de a reeleição ter sido extinta;
    O voto não mais será obrigatório;
    Extinção das urnas eletrônicas pela possibilidade de adulterações.

    Portanto, Borges, depois de implantadas essas medidas, poderemos pensar em desenvolvimento e democracia, menos havendo esta sequência de escândalos, desmandos e descalabros que jamais terão fim com este processo malfadado e antidemocrático que temos.

    Um abraço.
    Saúde e paz.

    • Tudo bem Francisco?

      Agradeço o seu comentário e respeito as suas posições, mas acho que estão completamente fora da realidade. Nenhum político desse país quer perder privilégios, rendimentos e benesses de toda natureza, seja na esfera municipal, estadual ou federal. Já existem na Justiça Eleitoral o pedido de criação de mais de 50 partidos políticos para se beneficiarem do fundo partidário. No Brasil temos 5.570 municípios com prefeitos e vice, vereadores e secretários. Pergunte a algum deles, por mais miserável que seja o município, se renunciam aos seus rendimentos? Essa é a questão. A sua lista de soluções só pode ser implementado por uma força maior como em 1964, ano que nasci. Não existe outro caminho. Um abraço!

      • Dos depoimentos dos executivos e ex executivos da Odebrecht a Lava-Jato, podemos deduzir que Marcelo Odebrecht tinha um plano agressivo de crescimento da empresa (nacional e internacional), baseado por exemplo, na premiação dos executivos que superfaturavam as obras para ganhar bônus da empresa!! Executivos que tinham um salário mensal de R$ 330 mil!! E que ganhavam R$ 624 mil ao deixarem a empresa!! E tudo isso apenas na Odebrecht. E como deve ser nas outras grandes empreiteiras? E nos outros setores privados da economia, como por exemplo, saúde, mídia, publicidade, automóveis, carne, etc? A raiz da corrupção não esta no setor público, mas a fonte da corrupção, estamos vendo, com toda a clareza, esta no setor privado, que corrompe agentes públicos (como políticos, fiscais, juízes, etc), para enriquecer pela via do estado, se apropriando de recursos públicos de maneira desenfreada. Podem fazer reforma política, derrubar e refundar a república, quantas vezes quiserem, mas enquanto não existir um estado democrático forte com instituições transparentes ao público para colocar freios no setor privado, ficaremos nesta roda vida eterna de escândalos sem fim. E por fim, podemos nos perguntar: onde estavam o setor de justiça brasileiro nas últimas três décadas, que não viu nada disso e deixou a serpente colocar tantos ovos? Ou a justiça brasileira é a virgem no prostíbulo?

    • Vou entrar na conversa para dizer que as sugestões são ótimas, mas encontra um problema sério: quem vai colocar o sino no pescoço do gato?

  8. AUTOCRÍTICA NECESSÁRIA – O pensamento do frei Leonardo Boff reforça o que há anos venho afirmando, como repito em seguida, sobre o deprimente papel de Lula: “Se embebedou com o poder. Arvorou-se da defesa dos pobres como álibi para deixar tudo correr solto e deixou-se cegar. Martelou o discurso de ricos contra pobres, mas tinha seu bilionário de estimação. Nada contra essa amizade. Mas com que moral vai falar com seus eleitores?” (íntegra do texto de Boff no link) http://diarioconquistense.com.br/2017/04/22/lula-feriu-de-golpe-a-esquerda-no-brasil-afirma-leonardo-boff/

    MEU POST DE ALGUNS DIAS: A separação que tenho feito encontra amparo aí: As cúpulas que controlam o PT (apegadas ao poder) devem ser analisadas à parte da legenda petista em sentido mais amplo (base social). Outro detalhe que chamo atenção, quando Rui Pimenta fala no vídeo-link abaixo de um encontro da Frente Brasil Popular (movimento que vem desde os anos 1980 se contrapondo ao PDT de Leonel Brizola), num debate sobre o que fazer, se chega à questão das Diretas Já e ele recorda que Lula mesmo ameaçado de prisão foi bem recebido na posse da ministra Cármen Lúcia na Presidência do STF. Assim não vai mesmo, aquele era momento de centrar todas as forças sobre o Supremo exigindo a anulação do ‘golpeachment’ ainda pendente de julgamento. Eu sinto que boa parte da esquerda não faça autocrítica das décadas perdidas, entre 1982 e 2002, em que abriu mão do enfrentamento para escalar o poder desembocando na edição de governos neoliberais e adoção de políticas compensatórias, consentidas pelo sistema financeiro para no fundo amenizar problemas que de alguma forma ajudou a aprofundar travando avanços em 20 anos de fala mansa com a direita, que ganhou corpo e avançou pra fazer o que está fazendo. http://www.youtube.com/watch?v=ipkPVroSO18&feature=share

    • O fato de Boff compartilhar o artigo de Carla Jiménez não significa dizer que ele endosse todos argumentos colocados. Pode-se concluir com segurança que Boff vai apoiar qualquer um que defenda a “causa dos empobrecidos”. E sendo assim, o artigo de Boff serve de alerta: seja quem for que adotar a opção pelos pobres contra a pobreza e pela justiça social terá o apoio de Boff. E neste momento político que o Brasil esta vivendo, o PMDB e PSDB estão longe de ter o apoio de Boff.

  9. Por que os sem terra continuam apoiando o PT, mesmo após continuarem sem terra depois de treze anos desse partido no poder? Só sendo muito trouxa para acreditar nessa picaretagem disfarçada de movimento social.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *