Modelo britânico de educação ainda é um sonho inviável para os brasileiros

Resultado de imagem para eduçação charges

Charge do Amâncio (Arquivo Google)

André Cardoso

Educar custa caro. Lula assumiu em janeiro de 2003. Seis meses depois, troquei meu carro por passagens, pegamos nossos filhos (de 5 e 2 anos) e viemos para a Inglaterra em busca de boa educação para eles. Se permanecesse no Brasil, teria que dobrar meu rendimento para mantê-los em boas escolas quando a pequena começasse a estudar.

O governo britânico e a Igreja bancaram a pré-escola e a escola primaria integralmente, em todos os sentidos. Meus gastos: uniforme e R$ 5,00 (1 Libra) para o fundo estudantil, no início do ano. Se enviasse duas libras, devolviam o dinheiro extra.

HORÁRIO INTEGRAL – Aulas das 9:00 as 15:00, e como os pais trabalham até mais tarde, a escola se vira com cursos extra-curriculares para ficar com os alunos até as 17:00. Nunca faltou nada na escola, muito pelo contrário. Nunca houve greve de professores.

Sim, pagamos imposto para tanto, mas se formos avaliar a qualidade de vida, segurança e, principalmente educação, fica de graça!…

Por que digo que educar custa caro, se foi de graça? Porque custou ‘aos pais’, até agora, mais de uma década de vida no exílio, longe de família e dos amigos, sem convivência social, sem as raízes; e não pense que é pouco, sem saber… “E ai? Valeu?”

EDUCAÇÃO – Tenho em mente que a única coisa de real importância que podemos deixar para nossos filhos chama-se Educação, o resto são outros 500. Poder contemplar os filhos estudando nas principais (top) universidades do mundo é algo que eu, assim como 95% da população brasileira, não podia nem imaginar.

Este sonho aqui está disponível para todos os estudantes que se esforçam, sem elitismo, até mesmo para entrar em Oxford e Cambridge (Cambridge, um tanto menos), ranqueadas primeira e segunda melhores universidades do planeta em 2018.

BOLSAS DE ESTUDO – Anos antes, conheci alguns brasileiros, em Londres, no fim da década de 80, que chegavam com essas bolsas de estudo Capes, a maioria filho de pai rico ou influente.

Ficavam todos bebendo e fumando maconha. Não tinham o preparo necessário para entrar nos melhores cursos universitários.

Na verdade, no Brasil, nunca em tempo algum, em qualquer governo, houve o intento de formar os melhores, os mais bem preparados, exceções à parte para os conhecidos gênios brasileiros, de cátedra, que expandiram o conhecimento mais alto na docência, e os gênios brasileiros desconhecidos que estão fora do país, de quem nem ouvimos falar.

ENSINO PAGO – Educar custa caro. Meu filho terminou o segundo ano de universidade na Inglaterra, que diferente do primeiro e segundo grau, é paga. Como não têm bolsa nem direito a financiamento governamental, ele paga sua mensalidade de R$ 4.400,00 trabalhando 16 horas por semana.

Nestas férias que antecedem o terceiro ano, realiza projetos num centro de pesquisa, líder mundial, que se concentra na ciência agrícola estratégica para o benefício dos produtores e da sociedade em todo o mundo, recebendo R$ 2.300.00 por semana, por 8 semanas, até voltar para a universidade, em setembro.

Um centro de pesquisa de mais 170 anos evoluindo e mantendo-se líder, com alta tecnologia, pagando para jovens estudarem, fazendo parcerias com inúmeras instituições de pesquisa e universidades em mais de 50 países, incluindo o Brasil.

QUESITO EDUCAÇÃO – Custo: a passagem de trem, ida e volta. Não é o mesmo que 170 anos e indo para as cucuias, como somos acostumados a ver no Brasil…

Sabe quando veremos oportunidades como essas disponíveis a todos os brasileiros que têm realmente intenção de estudar?

O quesito Educação já seria o suficiente para mandar todos os candidatos a presidência para o ralo nessas eleições, inclusive a eleição em si, junto.

22 thoughts on “Modelo britânico de educação ainda é um sonho inviável para os brasileiros

  1. Tenho pensado com os meus botões a respeito de o Brasil não ter esta preocupação com uma escola adequada, em consequência, com o seu futuro como nação e para o seu povo.

    Existe uma cultura poderosa entre nós, que nossas atenções apenas são dirigidas para o presente.
    Isso, somos mesmo imediatistas.

    O lema é:
    “Hoje a gente vive, amanhã Deus pensa”.
    Quando não é a frase detestável de que, “Deus quis assim”!
    Um conformismo que anula toda e qualquer luta no sentido de se mudar a realidade para melhorar ou de suportável, pelo menos.

    Logo, comparar o Ensino nacional com países desenvolvidos e milenares é pura perda de tempo, além de nos deixar frustrados pela enorme diferença tanta na qualidade do conteúdo administrado, quanto à preocupação com o aluno se sentir bem no ambiente escolar!

    Então assistimos vídeos sobre a limpeza das salas de aula, os computadores à disposição, armários individuais, mapas nas paredes, as refeições são estupendas e saudáveis, os recreios muito bem feitos com jogos e demais atividades, psicólogos estão presentes, assim como médico e dentista!

    Resultado:
    Progresso, excepcional qualidade de mão de obra, cientistas, pesquisadores, desenvolvimentos constante de novas tecnologias e a Ciência ultramoderna!

    O país é HONESTAMENTE administrado, estradas formidáveis, infraestrutura exemplar, água e energia elétrica total, saúde pública exemplar, segurança quase que absoluta!

    Nesse modo que temos de levar a vida, quanto tempo precisaremos para nos aproximar desse nível mencionado no artigo?!

    Mais:
    Quando que teremos governantes que se dedicarão a oferecer um Ensino de qualidade para as nossas crianças?!
    Quando que teremos professores felizes com a profissão porque bem pagos e valorizados?!
    Quando que o lar e a escola irão se unir no Ensino e Educação para que filhos e alunos se desenvolvam bem, mediante interesse pelos estudos e acompanhamento constante?!
    Quando que teremos candidatos onde nas suas plataformas de governo a Educação e Ensino serão as primeiras medidas a ser providenciadas?!
    Se, o candidato pelo PDT, partido que idealizou e realizou os CIEPS, que revolucionariam a escola brasileira, sequer toca neste assunto, de instituir o Ensino Integral, decididamente este tema para os brasileiros seguirá ainda tratado como corriqueiro, e não de fundamental importância para todos nós!

  2. Prezado Correa,

    Concordo contigo, mas eu diria o seguinte:
    O Ensino antes do PT já era ruim.
    Quando essa quadrilha ascendeu ao poder, esperava-se que esta área importantíssima teria a atenção devida por parte do governo, ainda mais o Fundamental e Médio.

    Não foi o que aconteceu porque a faixa etária nessas duas etapas não redundaria em votos.

    Então, demagogicamente, criaram-se espaços nas Universidades, onde a quota racial foi uma decisão altamente polêmica, pois não ajudaria o negro como deveria, pelo contrário, estampava com todas as letras que se não fosse o governo ele dificilmente cursaria uma faculdade!

    No lugar de enaltecer as duas primeiras fases do Ensino, que se revestem como alicerces para um curso superior bem feito, o PT entendia que a construção de uma casa deveria iniciar pelo … telhado!

    Se o Fundamental e Médio já vinham claudicando, com esta ideia petista absurda, ficaram relegados para um terceiro plano, desprezados, abandonados.

    Portanto, dos partidos que já estiveram no Planalto, NENHUM DELES tratou a Educação e Ensino com a devida importância, pelo contrário, sempre se mostraram insensíveis neste sentido.

    Claro, então a tua afirmação se torna verdadeira, incontestável, haja vista que, mesmo com a esquerda no poder, a ignorância continuou sendo preservada e mantida, pois é inegável que um povo nessas condições é muito mais fácil de ser manipulado, conduzido, se tornar massa de manobra.

    Abraço.

    • Como o PSOL deseja: Vamos discutir cotas transgêneras, cotas raciais, cotas de diversidade e cotas e cotas. Um dia alguém me perguntou: Quando as universidades vão dar cotas para quem estuda?

    • Ué, mas não é a esquerda que luta pela doutrinação ideológica nas escolas?!

      Que não admite a Escola sem Partido?!

      Inadmissível que se tente ensinar crianças e adolescentes mediantes práticas ideológicas para mentes ainda em formação, que levarão para as faculdades informações tendenciosas e deturpadas, e que encontrarão um ambiente adequado à continuação de movimentos comunistas e socialistas!

      Os Ensinos Fundamental e Médio deveriam se manter absolutamente isentos desse tipo de aprendizado.

      Que fosse proibido lecionar qualquer matéria alusiva à política, ainda mais administrada por professores reconhecidamente pertencentes a partidos de esquerda.

      • Só isso? Que maravilha. Quantos assassinatos ocorrem nestas escolas militares? E roubos? Estupros? Rapaz, é o paraíso. Minha filha estudou o ultimo ano numa escola dessas. Precisa ver o silêncio. e depois foi aprovada numa universidade federal. Vide logo abaixo.

      • Não comentei em nenhum momento sobre as escolas com orientação dos militares, apesar da disciplina que incutem aos alunos, que lhes servirá para a vida adulta e profissional, indiscutivelmente!

        Logo, tergiversaste a respeito.

        Falo em uma escola como existia no passado, isenta, imparcial, sem o ranço ideológico ainda mais arcaico, retrógrado, ultrapassado e genocida!

    • Prezado Bendl! Penso ser inútil a discussão sobre a Educação com base no entendimento localizado que abrigamos. A questão é mais complexa por estarmos diante de um processo que, através da esquerda internacional, globalista, vem imprimindo a ideologia desde a Universidade, formando multiplicadores que agem nas demais instâncias educacionais. Um dos objetivos é a desconstrução da cultura judaico-cristã e um segundo, a eliminação da Classe Média para a criação do que chamam de Sociedade Dual. Não vou me estender por ser assunto longo. No entanto, para quem quiser ter aprofundamento sugiro a leitura do livro de Pascal Bernardin, “Maquiavel Pedagogo” para ver como funciona a UNESCO, como impulsora da desconstrução da Educação para a implantação dos conceitos da Nova Ordem. Um outro livro bastante significativo é “A Verdadeira História do Clube de Bilderberg”, de Daniel Estulin.

  3. Aqui tem apoio pra educação sim, principalmente se for maconheiro. Improvisaram uma barraca na porta do dce que é vizinho de uma copiadora. Sou alérgico ao cigarro e provavelmente à maconha também, pois sempre que vou lá tenho uma crise forte de faringite. a quantidade de tocos de cigarros e aquela fumaça me sufocam. como não pode deixar de ser, esses alunos tem o direito dquirido de fumar à vontade. Sou a favor de se exigir do estudante que estude. Que o professor lecione e não faça política . Que os políticos não roubem. Me empolguei.

  4. Conheço uma professora que pensa que é homem, o qual em sala de aula ensina beijo Cultura.

    Que bosta de momento que presenciou e tudo isso com a tal liberdade do FDP Paulo Freire.

  5. É impensável comparar a escola D. Pedro II ou institutos federais com essas escolas de periferia. Tem um vídeo que mostra um assassinato de uma estudante por outra e todo mundo gritando por mais violência. A periferia sofre com a ausência de policiamento. Se existirem nas escolas está ótimo.

  6. Tem niguim que deve ter dado muito o c pro cachorro e gosta de lamber as bolas dos canhotos, pra ficar se gabando de merdas na educação, se morasse na bera da favela iria compreender que tipo de educação esta sendo dada para a população carente de nosso pais, e sim com essa educação precisaremos mesmo é de muito presidio e vai sobrar vaga em faculdade, faculdade que gasta mais de 40% do orçamento de educação do pais,
    O PAIS DEVERIA SER OBRIGADO A DAR EDUCAÇÃO E SAÚDE A SEUS JOVENS ATÉ FIM DO SEGUNDO GRAU E POR OBRIGAÇÃO QUE SEJA TÉCNICO PARA O ALUNO JÁ SAIR CAPACITADO A UM EMPREGO E NÃO SUB EMPREGO, OU AJUDANTE DO AJUDANTE.
    Gente que defende o estado atual da educação é mau caráter desfiando um rosário sem fim pra enganar os trouxas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *