Moreira Franco já tem carta de demissão pronta, mas Padilha não está nem aí…

Resultado de imagem para moreira franco

Moreira agiu acertadamente, ao se preparar para sair

Geraldo Doca
O Globo

Um dos principais conselheiros do presidente Michel Temer, o secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimentos, Moreira Franco, tem pronta uma carta de demissão, como revelou o colunista Ricardo Noblat. Responsável pelo programa de concessões do governo federal, o ex-governador do Rio passou os últimos dias mais focado na preparação de sua defesa das acusações emergidas dos primeiros documentos da delação da Odebrecht.

Segundo pessoas próximas, Moreira tem se mostrado triste e abatido e decidiu escrever a carta para deixar o presidente à vontade e evitar maiores desgastes ao Planalto. Na proposta de acordo de delação premiada, o ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, o acusou de ter recebido propina para beneficiar a empreiteira quando era ministro da Aviação Civil do governo da presidente Dilma Rousseff.

CAIXA DOIS – A proposta de delação de Cláudio Mello revela denúncias de pagamento de recursos de caixa dois para campanhas eleitorais de diversos políticos do PMDB e integrantes do primeiro escalão do governo federal, como o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, além do presidente do Senado, Renan Calheiros. O próprio presidente Michel Temer é citado. O ex-executivo da empreiteira disse que Temer procurou Marcelo Odebrecht com pedido de R$ 10 milhões. O dinheiro teria sido entregue em espécie no escritório do advogado José Yunes, amigo e assessor especial do presidente Temer, durante a campanha eleitoral de 2014.

Políticos de diferentes partidos, como PT e DEM, como o ex-governador da Bahia e ex-ministro de Lula e Dilma, Jaques Wagner, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, também são citados. A delação ainda depende de homologação do Supremo Tribunal Federal (STF).

COMPROMISSOS – Em nota, Moreira Franco disse estar comprometido com os compromissos do governo:

“Estou dedicado a colaborar no lançamento das medidas microeconômicas e no fortalecimento do programa de concessões. Não abandono lutas quando acredito nelas”, afirmou.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Moreira Franco fez o que nenhum outro ministro acusado se dispôs a fazer. Pelo contrário, todos eles se apegaram ao cargo de uma forma obsessiva, somente se demitiram quando não havia mais jeito de continuarem. Vejam o exemplo de Eliseu Padilha – completamente desmoralizado, faz cara de paisagem e finge que não tem nada a ver com o peixe, como se dizia antigamente. Seu comportamento é patético e constrangedor, e Temer não pode demiti-lo, pois todos sabem como o presidente preza os amigos. Observação final: nem se pode provar que Moreira tenha cometido crime, porque apenas pediu apoio financeiro. Quem acertou o pagamento em dinheiro vivo, no caixa 2, foi Padilha, o intocável.  (C.N.)

19 thoughts on “Moreira Franco já tem carta de demissão pronta, mas Padilha não está nem aí…

  1. “Estou dedicado a colaborar no lançamento das medidas microeconômicas e no fortalecimento do programa de concessões. Não abandono lutas, quando acredito nelas.” (moreira franco).

    Estão pensando que esse caras largam o osso fácil assim.

  2. Está atrasado já que não deveria sequer ter entrado… Trata-se de figura carimbada, por demais conhecida, tóxica para a vida pública e que já deveria ter se aposentada de há muito Vade retro, gato angorá …!

  3. A quadrilha continua e o mês de Junho está distante. Como Temer vai demitir alguém se está com rabo preso com seu assessores que estão caindo de um-a-um – até chegar nele – será Temeridade? Deveriam colocar todos dentro de contêineres e mandar para o lixão.

  4. O parentesco entre o desembargador Hermes Pinottti, 4º vice-presidente do Tribunal de Justiça (TJ), e o médico José Aristodemo Pinotti (PSB), que deve R$ 200 mil ao empresário Jorge Yunes, causou mal-estar no Ministério Público Estadual (MPE). O desembargador foi quem suspendeu domingo a liminar que afastava Celso Pitta da Prefeitura. O prefeito foi afastado do cargo pelo juiz Olavo Sá Pereira da Silva, da 13ª Vara da Fazenda Pública, por causa do empréstimo de R$ 800 mil que recebeu de Yunes.
    Na opiniao de promotores e procuradores, o desembargador deveria ter se declarado “impedido” para apreciar o mandado de segurança de Pitta. Integrantes do MPE falam ainda que o episódio criou uma “situaçao delicada” entre a instituiçao e o Poder Judiciário. Os mais antigos, no entanto, nao aconselham nenhuma açao contra o desembargador para evitar um “desgaste desnecessário”.

  5. Este senhor ferrou com o Rio de Janeiro quando governador,deveria ter vergonha e pedir para sair já, incompetente, largou maior batata nas mãos de Brizola quando foi eleito e Brizola mostrou o que é saber governar, ninguém ficou sem salário, construiu os cieps, sambódromo para acabar com as mordomias de arquibancadas, mas infelizmente o projeto do sambódromo é só para caciques, não houve democracia e hoje sabemos que os caciques tem lugares privilegiados, o povão fica na chuva, isto é o nosso país, sempre discriminando a classe pobre.

  6. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    “Temer não pode demiti-lo, pois todos sabem como
    o presidente preza os amigos.”

    Tradução simultânea: “Padilha é ladrão, Padilha é corrupto. Mas como é amigo de Temer, o presidente não o demite”…..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *