Moro assina com empresário de Roberto Carlos, escreve um livro e prepara ‘turnê’ pelo país

Ex- ministro da Justiça Sergio Moro Foto: Agência O Globo/Pablo Jacob

Sérgio Moro fará, pelo menos, dez palestras corporativas

João Paulo Saconi
O Globo

Na primeira noite de dezembro do ano passado, quando aglomerações ainda não eram um risco para a saúde pública, cerca de mil pessoas lotaram a Ópera de Arame, palco mais conhecido de Curitiba. Elas estavam no local para a gravação do especial de fim de ano do cantor Roberto Carlos, tradição responsável por lembrar aos brasileiros que é hora de olhar adiante.

Foi nesse contexto que Sergio Moro, então ministro da Justiça, ganhou uma salva de palmas oferecida pelo “Rei” e conheceu o empresário Dody Sirena, responsável pela carreira do músico há 27 anos e, agora, figura determinante para os próximos passos do ex-juiz da Operação Lava-Jato.

CONTRATO FECHADO – Conforme adiantou o colunista Lauro Jardim, do GLOBO, Moro fechou um contrato para que a empresa Delos Cultural administre sua imagem e a carreira como palestrante corporativo. A Delos é um braço voltado à área do conhecimento dentro da DC Set, que tem Sirena como sócio -fundador e já atuou junto a uma constelação nacional e internacional, que inclui desde Michael Jackson a Fafá de Belém, passando, é claro, por Roberto Carlos.

Cinco meses após o empresário e o ministro terem sido apresentados, Moro deixou o governo de Jair Bolsonaro e passou a ser cotado como presidenciável para as eleições de 2022. Além do presidente como um adversário político, Moro ganhou, naquele fim de abril, tempo livre na agenda antes ocupada pelas atribulações de seu “superministério”, onde cuidava também da Segurança Pública. Foi então que a DC Set o procurou.

— Já admirávamos Moro pela liderança que sempre exerceu no combate à corrupção — afirma Rodrigo Mathias, CEO da DC Set, descrevendo a personalidade do ex-ministro, para além da seriedade: — A relação pessoal mostrou um lado humano, sensível e descontraído do ex-ministro, que não imaginávamos. Foi uma grata surpresa.

PALESTRAS E LIVRO – Entre os projetos previstos pela empresa e por Moro para os próximos meses, estão uma sequência de ao menos dez palestras corporativas e o lançamento de um livro pela editora Sextante, previsto para abril. A obra, que ainda está sendo escrita, abordará temas de corrupção e compliance, amplamente tratados por Moro enquanto palestrante.

— A passagem pelo ministério agrega-se à experiência na magistratura e na Lava-Jato. A mensagem principal é fazer a coisa certa, não importam as circunstâncias. Pode-se perder o cargo, mas não a alma — afirmou Moro, em entrevista ao Globo.

O lançamento do livro, conforme explica Rodrigo Mathias, envolverá uma turnê de lançamento em capitais brasileiras e no exterior.

E A CANDIDATURA? – Ainda que o CEO da DC Set afirme que “não existe qualquer pretensão política” na parceria com Moro, é provável que a peregrinação funcione como um termômetro para a eleição presidencial do ano seguinte. É o que avaliam aliados do ex-juiz, embora o próprio afaste a relação entre a nova parceria e uma candidatura ao Planalto.

— Quando se lança um livro, é natural promover o lançamento. Uma das formas de divulgação é a realização de palestras que poderão ser virtuais ou presenciais. Não é e nem será uma campanha política. Há vida fora da política — pontua o ex-ministro, que se encontrou recentemente com o apresentador Luciano Huck, despertando rumores de que ambos formariam uma chapa na disputa pelo Planalto.

EVENTOS VIRTUAIS – A possibilidade de que os eventos sejam virtuais considera a indefinição sobre a vacinação contra a Covid-19 no país. Moro defende que a pandemia seja tratada “com responsabilidade” e se prepara para discursar descontraidamente, ainda antes do lançamento do livro, porque considera que o ambiente digital pode ser cansativo.

Antes de Moro,a mulher dele, Rosangela Wolff Moro, chega às prateleiras das livrarias este mês com a obra “Os dias mais intensos — Uma história pessoal de Sergio Moro”, da editora Planeta. Nela, os bastidores da vida pública do ex-ministro são relatados sob o ponto de vista da advogada, com quem ele vive há 21 anos.

25 thoughts on “Moro assina com empresário de Roberto Carlos, escreve um livro e prepara ‘turnê’ pelo país

  1. Isso é que o caipira chama de OPORTUNISMO URUBULINO!
    Ao redor de uma carniça se acampam dezenas de urubus, esperando uma distração dos animais que estão no controle do cadáver putrefato; só assim os xengos podem investir o rapto.

  2. Para muitos o Moro deveria não fazer mais nada vida.

    O que ele fizer vai ser considerado, pela raia miúda, como oportunismo.

    Mas já sabemos como se comporta o ser humano invejoso ou tendencioso.

    Ao invés de criticarem os atos criminosos do clã Bolsonaro, vêm aqui e defendem a bandiagem em família.

    Como o próprio Moro disse: “… o ambiente digital pode ser cansativo.”

    E eu complemento: desleal.

  3. Moro, Huck e CIA, não aprenderam nada com os Bolsonaro, não aprenderam nem sequer que mentira tem perna curta, e que oportunismo e má-fé dão castigos. Há 42 anos, assim que conclui o meu curso de Direito, renuncie tudo, dinheiro fácil, vantagens e até o grande amor da minha vida, e optei por ser um Paladino da Justiça, voltei para São Paulo, Capital, meu berço natal, fui aprovado pela gloriosa OAB, ao lado de advogados tarimbados, mestres, comecei a minha epopeia de Paladino da Justiça, e junto com Eles vi de tudo dentro daquilo que se convencionou chamar Justiça, vi até vaca voar, como saudoso Dr. Ulisses disse que viu na política deste país. E ali, com eles e depois carreira solo, enfrentamos de tudo, desde pequenas arbitrariedades até erros crassos gigantescos, no sei do poder judiciário, que, com o passar dos anos foram reforçando a minha convicção de que de fato estava tudo podre, e a política era a única maneira de passarmos a república a limpo, e daí fui para a política, sem perder aquela vontade jovial de mudar o mundo para melhor, e na seara política comecei a esculpir aquilo que poderia ser a mega-solução do país, capaz de resolver grande parte de todas as suas mazelas, tal seja o projeto novo e alternativo de política e de nação, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, com Democracia Direta e Meritocracia, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, que anos depois, para não deixar a ideia morrer, a condensei num “livreco”, sob o título O Mapa da Mina, do bem comum do povo brasileiro, livro, aliás, sabotado numa gráfica tucana. Daí, talvez, para me ajudar, Deus iluminou o cérebro de alguém ou de alguns, a Internet foi inventada, até que surgiu essa ferramenta divina chama de Facebook, face ao qual pude expor com mais desenvoltura as minhas ideias para o Brasil e o mundo. Daí, devagar, devagarinho, como canta Martinho da Vila, fomos fazendo cabeças até chegarmos às Jornadas de Junho de 2013, quanto senti que já não estava mais sozinho, tinha uma legião anjos comigo, de bermudas, de calças e de saias, quando optamos por não fazermos a Revolução redentora, da política, do país e da população de forma abrupta, violenta, mas respeitando as regras do jogo, impostas pelo sistema apodrecido, quando então, em 2014 e 2018 batemos nas portas do PSOL, então um exemplo de ética política, mas o PSOL, infelizmente, nos bateu a porta na cara, por duas vezes consecutivas, optando pela condição de puxadinho do PT e linha auxiliar do lulopetismo, deixando-nos ao relento, sem ter como colocar a revolução redentora da política, do país e da população na cena eleitoral, na condição de Terceira Via de Verdade, para bater de frente contra a polarização entre a centro-direita e a centro-esquerda. E deu no que deu, Dilma em 2014, Temer em 2016 e o Bolsonaro 2018, o que havia de pior, tanto no militarismo quanto no partidarismo, quiçá imposto por Deus, mas como castigo. E eu, por via de consequência, que a vida inteira pugnei pela boa-fé, a verdade e a justiça, agora já no meu inverno existencial, continuo me sentindo o cara mais injustiçado do meu país, na seara política, vendo o idealismo, patrocinado pelo establishment bandido, dando força total ao oportunismo em detrimento da boa-fé, da verdade e da justiça e, pior de tudo, da possível mega-solução libertadora, da política, do país e da população, tal seja a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. Enfim, se vocês querem teimar peitando os desígnios de Deus, assim como o fez o General Vilas Boas, pois então prossigam na senda do oportunismo e da má-fé, façam bom proveito, o que é de gosto regalo da vida, e seja lá o que Deus quiser.

    • Loriaga Leão!

      Desculpe,mas pretender mudar o Brasil com o PSOL,é piada do ano,como diz o nosso editor Carlos Newton.

      PS-PSOL,um exemplo de ética política?

      PS2-Onde você tirou isso?

      • Leia de novo o artigo, antes de atirar pedras. Mudar o Brasil, de lugar é impossível posto que muito pesado, porém mudar para melhor a política e o estado só será possível com projeto novo e alternativo de política e de nação, com Deus e o Povo na Causa, e, no caso, não importa o tamanho, a ideologia e nem a cor do partido, o importante é ele servir de hospedeiro para o gato que caça os ratos, seja de direita, de esquerda ou de centro.

        • Luiz Felipe (?)!

          O prezado leitor-comentarista Loriaga Leão lhe deu procuração?

          PS-Luiz,você não pode se aliar a quem sempre impediu a realização de um verdadeiro projeto de nação.

          PS2-Tem partido pior que o PT,o PSOL.Um bando de esquerdistas-comunistas.

          • Qual projeto de nação ? O defeito deles talvez seja outro, como, p.ex., o possível apego ao sistema podre, a exemplo da esquerda como um todo e tb da direita, do militarismo e dos operadores do sistema apodrecido como um todo. Nesse sentido, estão todos sendo testados, direita, esquerda e centro, desde Junho de 2013, e já sabemos quem é quem, só está faltando os mesmos passarem os respectivos recibos, o que poderá acontecer em 2022.Quanto ao exercício do mandato, vc não pode negar que o pessoal do PSOL tem procedido com honestidade, não tem nenhum delas ou delas envolvido em corrupção.

          • Qual partido, na sua opinião, está em condições de ser o Hospedeiro do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, se todos tem os seus donos com os seus interesse$ pessoais egoístas, sem nenhum desprendimento ? Aponte um sigla partidária, desprendida, seja de esquerda, direita ou centro, que topa ser a Hospedeira do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação ?

    • O seu idealismo é louvável, mas reforçando o comentário do Sr. Carlo, foi bater na porta do PSOL para mudar alguma coisa pra melhor????

      • Caro Luiz Clemente!

        Foi o que eu disse no comentário de 22/11-16:33.

        PS-Continue firme nessa convicção.
        Você está no caminho certo.

  4. A manchete já é maldosa e manipuladora. “Empresário de Roberto Carlos”…….
    No corpo de texto sente-se a necessidade de misturar atividades das mais diversas ( e que naturalmente exigem muito trabalho e pouco estudo) jogabdo o dr.Moro na vala comum da mediocridade.
    Lamentável. Um dos poucos destaques do país no conhecimento e atuação contra a corrupção.
    Este pais é uma vergonha!!!!!!

  5. Moro está precisando assinar é um pacto consigo mesmo.

    Moro,pelo que sei,tem amplo domínio da área jurídica,nos 22 anos de profissão.

    Mas,Moro,precisa com urgência.aplicar atenção especial as várias demandas complexas do país (economia, finanças, segurança pública, desemprego, saúde, ideologia política conservadora,…,enfim ter o perfil de um verdadeiro Estadista, apresentando um verdadeiro projeto de nação).

    Moro,tem grave limitação na área da comunicação.Com o som de um “pato”,voa sobre tudo,sem qualquer caráter afirmativo do que diz e defende.A sua fala tímida não demonstra confiabilidade.

    Moro ao abandonar a carreira judiciária,quando estava no topo,para se aliar ao instável e oportunista Bolsonaro Zero Zero,mostrou que não é um bom estrategista.

    PS-E o mais preocupante são “as costas quentes” por trás de Mouro: O Grande Oriente Maçônico de Sucupira e mundial.

    PS2-O seu namoro com o farsante Luciano Huck,demonstra isso.

  6. Começou mal com essa coisa de marqueteiro. Vai ser a próxima decepção do povo brasileiro que vai pagar a conta, se ele ganhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *