Moro vence a parada e Bolsonaro desiste de desmembrar o ministério da Segurança

Resultado de imagem para bolsonaro na india

Na Índia, Bolsonaro enfim cai na real e desiste do novo ministério

Nilson Klava
TV Globo — Nova Déli

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (24) que está descartada a possibilidade de desmembrar o Ministério da Justiça, comandado por Sergio Moro. Na quinta-feira (23), Bolsonaro havia dito que o governo estava estudando recriar a pasta da Segurança Pública, que atualmente está sob o comando de Moro. Com a mudança, Moro ficaria na Justiça e um outro ministro comandaria a área da segurança.

Bolsonaro chegou a afirmar que era “lógico” que o ministro não estava gostando do debate. Nesta sexta, ao chegar a Nova Déli, na Índia, para uma viagem oficial, o presidente voltou ao tema. Desta vez, disse que a chance de recriar a pasta da Segurança Pública é “zero”.

CAMINHO CERTO – “O Brasil está indo muito bem, na segurança pública os números demonstram que estamos no caminho certo. É minha máxima, né, em time que está ganhando não se mexe”, afirmou.

Em seguida, ele foi questionado por jornalistas se a mudança estava descartada. “Lógico que está descartado. Nem precisava responder”, declarou o presidente.

“A chance no momento é zero. Tá bom ou não? Tá bom, né? né? Não sei amanhã. Na política, tudo muda, mas não há essa intenção de dividir [o Ministério da Justiça]. Não há essa intenção”, completou Bolsonaro.

SEM DESGASTE COM MORO – O movimento de recriação do Ministério da Segurança Pública ganhou força após uma reunião, na quarta-feira (22), em Brasília, entre Bolsonaro e secretários estaduais de Segurança, que pediram ao presidente uma pasta específica para a área. Bolsonaro disse que alguns secretários “podem querer enfraquecer o governo” e ressaltou que não há desgaste entre ele e Moro.

“Essa questão de novo, dos secretários, alguns, não são todos, querendo a divisão. Alguns podem estar bem intencionados e outros podem querer enfraquecer o governo. Não existe qualquer atrito entre eu e Moro, eu e [Paulo] Guedes [ministro da Economia], e qualquer outro ministro”, disse Bolsonaro.

Na quinta, quando afirmou que a recriação da Segurança Pública estava em análise, Bolsonaro disse que, na época em que convidou Moro para o governo, ficou acertado entre os dois que a pasta a ser comandada pelo então juiz federal seria a da Justiça.

CONTRADIÇÃO –  “Se for criado [o Ministério da Segurança], daí ele [Moro] fica na Justiça. O que era inicialmente. Tanto é que, quando ele foi convidado, não existia ainda essa modulação de fundir com o Ministério da Segurança”, disse o presidente na quinta-feira, após a reunião com os secretários.

A declaração contrariou o que o próprio Bolsonaro afirmou na época: “A questão da segurança ir para a Justiça, nós já tínhamos decidido”, disse ele no Twitter em novembro de 2018. Agora, voltou tudo a ser como antes.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Bela vitória do ministro Moro, que reagiu com firmeza, mas mantendo a calma e a serenidade, como é sua característica. A entrevista no Roda Viva foi um choque para Bolsonaro, que tem Moro como seu principal adversário na reeleição. Agora, dizer que não há desgaste com Moro, merece ser a Piada do Ano. (C.N.)

14 thoughts on “Moro vence a parada e Bolsonaro desiste de desmembrar o ministério da Segurança

  1. Seria o presidente o Nunes da política? rsrs

    “Fiz que fui, não fui, e acabei fondo!” Nunes (ex-atacante do Flamengo).

    É sempre a mesma história, rsrs…

    bolsonunes nunca mais!

    Sergio Moro, Presidente da República em 2022!!

    Atenciosamente.

    • É por isso que o pombo enxadrista finge que não vê os seus elogios. Você é mais simplório que ele (o Bendel). Você acha que o Moro (juiz de primeira qualidade) negará o seu destino, de ser conhecido pela eternidade, como o moralizador do STF (e consequentemente da justiça brasileira).

  2. Globo lixo, impressa marrom, e vários pasquins, tentando fazer intriga.
    Esquecem que o Presidente tem no General Heleno seu principal interlocutor e orientador.
    Não adianta, a imprensa mancomunada com os crápulas, Rodrigo Maia e Alcolumbre, etc.

    • Senhor Fernando,

      Caberia ao presidente, numa entrevista com a imprensa, esclarecer esses pontos controversos, clarificar suas intenções e reafirmar seu programa de governo. Esse é o papel dele como líder político.
      Sempre haverá oposição e por muito tempo haverá corruptos com a intenção de reverter o quadro e trazer de volta os ladrões filhos de puta que desgraçaram a nossa terra durante as duas últimas décadas.
      O que se vê, segundo a visão que tenho dele, é um presidente inexperiente, cheio de autoafimação e vaidade. Convenhamos, não sei o que ele tem para se convencer de que é o escolhido pelo Holy Ghost. Diria ainda que umas gotas de self-deprecation todo dia faria muito bem á sua imagem como lider. Humildade deve sempre ser bem-vinda. Oremos, pois está na moda!

  3. KKK a cada nova mancada como esta o boçal fica mais e mais refém do Moro, agora sim o cara forte do governo. Só estou esperando as reações destemperadas dos Zeros que, a esta hora devem estar “revoltados” com o recuo do papai. Será que agora o País entra nos eixos?

    • Não, o trem já da vaidade já descarrilhou faz tempo.
      Só espero que estes três sofridos anos que temos pela frente com o terrivelmente, passem o mais rápido possível. O cara é insuportável!!

      Moro para Presidente da República em 2022!!

      Atenciosamente.

  4. Retirar a segurança da alçada de Moro seria a desmoralização final do atual governo, que ficaria sem qualquer crédito junto à população, e permaneceria apenas como um porta-voz dos interesses de Rodrigo Maia e do resto da “zelite” política, que o toleraria enquanto não arranjasse alguma figura mais “respeitável” com boa imagem na mídia, para cumprir suas ordens.

  5. GENTE! Bolsonaro vê Moro como possível adversário político na eleição de 2022, se ele sair do Governo. A alternativa é indicar Moro para o STF em novembro desse ano no lugar do ministro Celso de Mello, convite feito do Bolsonaro para o Moro largar a magistratura.

  6. As candinhas comuno-petralhas dos mé®dia aproveitam os deslizes verbais para destilar rancor e intriga. O PR precisa manter-se fiel às suas promessas de campanha, prestigiando colaboradores que entregam resultados compatíveis com as propostas que o elegeu. Quem vive a lhe susurrar idéias que batem de frente com esta realidade tenta deliberadamente sabotar o seu governo e, portanto, são aliados da bandidocracia (Botafogo, o lacaio da OAS; Giumá Mendaz, a rapariga dos corruptos; Totófi, o viralata petista, entre outros canalhas). Afaste-se dessa gente, Bolsonaro!

  7. A declaração de Bolsonaro é para refletir, ele disse:

    Chance de tirar pasta da Segurança Pública de Moro ‘no momento é zero’, diz Bolsonaro.

    Ou seja, quando não mais se sentir ameaçado, ele dá um pé na bunda de Moro.

  8. “A entrevista no Roda Viva foi um choque para Bolsonaro, que tem Moro como seu principal adversário na reeleição”

    O Brasil esta evoluindo, teremos um segundo turno entre Bolsonaro x Moro.

    Muito bom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *