Mourão Filho, na ditadura de 1937 e na de 1964

Heitor Santos Aquino
“Helio, a respeito das tuas recordações sobre o Estado Novo de Vargas, é preciso lembrar: Mourão Filho participou das duas, em 1937 com o Plano Cohen, que movimentou todo mundo”.

Comentário de Helio Fernandes
Perfeito, Aquino, o Plano Cohen, foi uma farsa monumental, que Vargas aproveitou muito bem. Em 1964, Mourão Filho, sem querer ia prestando um serviço à coletividade, saindo apressadamente com as tropas golpistas de Minas. Por isso foi repudiado, como compensação feito Ministro do STM, (que agora está nas manchetes de jornais e televisões).

Meu único e curioso contato com Mourão. Logo que Juscelino tomou posse, passei para a oposição. E fui fazer comentários na TV Rio, a televisão estava começando. (9 anos antes da TV Globo).

Ele era presidente da CTB. (Comissão Técnica de Rádio, a televisão, desconhecida e sem órgão de controle). Um dia recebo um telefonema dele, que me diz: “Helio, preciso falar com você oficialmente”. Fui, naturalmente.

Era uma salinha pequena, levantou, me abraçou, e sem perder tempo, falou: “Helio, teu programa é imperdível, não sei como é que você pode saber tanta coisa e ter tanta coragem de contar”. Deu uma ligeira parada e concluiu: “Mas você não vai falar mais”. Me levou até a porta, não falei mesmo e a restrição não se limitou àqueles tempos.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *