Na Câmara, general Heleno defendeu punição a militar que participa de ato político

Militares falam em "guerra civil", apoiam Heleno e atacam STF - CartaCapital

Militar da ativa não pode se manifestar, diz Heleno

Lauriberto Pompeu
Estadão

Quatro dias antes de o general Eduardo Pazuello participar de um ato ao lado do presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, defendeu punição para integrantes das Forças Armadas que forem a manifestações políticas.

Em audiência na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados, Heleno afirmou que não vê problema em militares da reserva participarem de atos políticos. No entanto, no caso de integrantes da ativa – como é o caso de Pazuello -, defendeu punições.

DISSE O MINISTRO – “Presença de militares nas manifestações. É preciso entender qual é essa participação. Os militares da reserva podem participar de manifestações políticas. Militares da ativa não podem e serão devidamente punidos se aparecerem em manifestações políticas, não tenho dúvida disso, isso é muito claro”, declarou Heleno na quarta-feira, 19.

O ministro do GSI havia sido convocado à comissão para prestar esclarecimentos sobre a disseminação de notícias falsas a respeito da pandemia por Bolsonaro. O requerimento da convocação era de autoria do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP).

“Participar sendo militar da reserva, pode participar de qualquer lado, é uma democracia, pode participar de qualquer lado, não tem restrição nenhuma, isso não deve ser considerado”, comentou Heleno.

MOURÃO É TAXATIVO – O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, fez críticas nesta segunda-feira, 24, ao comportamento do general Eduardo Pazuello, que participou de ato bolsonarista ontem. Segundo o vice, o ex-ministro da Saúde “entendeu que cometeu um erro”.

É provável que seja [punido], é uma questão interna do Exército. Ele também pode pedir transferência para a reserva e aí atenuar o problema”, disse Mourão a jornalistas ao chegar pela manhã à Vice-Presidência da República, no anexo do Palácio do Planalto.

3 thoughts on “Na Câmara, general Heleno defendeu punição a militar que participa de ato político

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *