Na Conferência dos Povos Índigenas, a ser realizada pela ONU, tribos brasileiras vão pressionar o governo e exigir independência territorial, política e econômica

Carlos Newton

Aproxima-se a hora da verdade. Dias 22 e 23 de setembro será realizada na ONU a Conferência Mundial dos Povos Índigenas, para discutir a situação da chamada “população nativa” dos mais diversos países, em conformidade com a Declaração Universal dos Direitos dos Povos Indígenas, aprovada pelas Nações Unidas em 2007 com apoio do Brasil

Conforme temos alertado aqui no blog da Tribuna da Internet, esta Declaração da ONU concede às chamadas nações indígenas o direito de se emanciparem, tornando-se independentes em termos territoriais, políticos e econômicos, inclusive com fronteiras fechadas.

O Brasil assinou discretamente essa Declaração em setembro de 2007, no primeiro governo Lula, mas até agora o governo não enviou o documento para ratificação pelo Congresso Nacional.

Na conferência internacional que se realizará em setembro na sede da ONU em Nova York, as tribos indígenas brasileiras vão aumentar a pressão para que o governo confirme que concederá independência às mais de 200 “nações indígenas” situadas no país, que já controlam cerca de 15% do território nacional e ainda há muitas reservas ainda a serem demarcadas. Acredita-se que o total das terras indígenas vá ultrapassar 20% do pa.ís

13 thoughts on “Na Conferência dos Povos Índigenas, a ser realizada pela ONU, tribos brasileiras vão pressionar o governo e exigir independência territorial, política e econômica

  1. DESDE O IMPERADOR DOM PEDRO II O PAÍS VEM MANTENDO SUA INTEGRIDADE TERRITORIAL E AGORA ESSES IMBECIS PÕEM EM RISCO NOSSA SOBERANIA COM ESSES ACORDOS ABSURDOS.
    TAL COMO O ESCANDALO DA REFINARIA COMPRADA A PESO DE OURO NOS EUA É O CASO DE SABER SE ESSES PETISTAS SÃO REALMENTE TÃO IMBECIS OU OU MAIS PROVÁVEL, ESTÃO NOS BOLSOS DE INTERESSES ESTRANGEIROS. CAMBADA DE BANDIDOS VENDILHÕES DA PÁTRIA! CADEIA NELES!!! VAGABUNDOS!!

  2. Não existe essa possibilidade de independência, vocês só podem estar de má-fé por postarem outro artigo com essa acusação absurda e infundada, tragam para o artigo onde se sustenta essa afirmação, qual artigo de qual lei, declaração, convenção, ou seja la o que for, que corrobore esta afirmação

  3. Em Novembro de 1980 o governo brasileiro (à frente Mario Andreazza) impediu que o cacique Xavante Mário Juruna viajasse à Holanda para participar do Tribunal Bertrand Russel, que iniciou seus trabalhos deixando vaga a cadeira reservada a Juruna. Foi quando decidi, por conta própria, ir a Brasília e impetrar junto ao extinto Tribunal Federal de Recursos uma ordem de Habeas-Corpus para o cacique. Na confecção da petição do HC tive a inestimável colaboração de minha esposa, doutora em História e do então Juiz de Direito Antonio Sebastião de Lima, naquela ocasião titular da 38a. Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Juntos, trabalhamos três dias. Em seguida, datilografada a petição do HC, peguei um avião e fui até o TFR e deu entrada na Ordem.
    Defendi que o Estado Brasileiro, então tutor dos indígenas, tinha a obrigação-dever de empregar todos os meios e esforços para o aprimoramento de seus tutelados. E um desses aprimoramentos era o de permitir a ida do cacique àquele Tribunal para discutir, com indígenas de todas as partes do Mundo, os problemas que enfrentavam e apresentar suas pretensões.
    Defendi, ainda, que os territórios indígenas nada mais eram do que territórios autônomos, situados dentro do território brasileiro e que, por isso, desfrutavam de autonomia. E mais: a exemplo do Direito Privado (Código Civil), o proprietário de prédio encravado tinha o absoluto e indiscutível direito de atravessar as terras alheias que o cercavamm até atingir a seu destino desejado. Logo, Juruna tinha o direito de deixar seu território indígena, atravessar o território brasileiro, comprar passagem de avião e embargar para onde bem entendesse.
    A Sessão Plenária foi demoradíssima. Fizemos as sustentações orais e por fim, por 33 votos a Zero, o Tribunal mandou expedir a ordem de Habeas-Corpus e, no fim da noite daquele mesmo dia, Juruna viajou para a Holanda e chegou a tempo de participar do Tribunal Russel.Somente no aeroporto é que nos conhecemos e nos abraçamos. Cheguei a ser convidado a acompanhar Juruna, naquela mesma noite. Agradeci e não fui.
    Agora, quase 30 anos depois, como se lê do artigo do combativo Carlos Newton, o Brasil subscreveu a Declaração de Setembro de 2007 da ONU que reconhece a emancipação dos indígenas e declara seus territórios independentes, política e economicamente. É a ratificação do que ficou decidido por unanimidade, em Novembro de 1980, pelo plenário do extinto Tribunal Federal de Recursos.
    Jorge Béja

  4. Pelo visto vão tomar cerca de 20% das terras brasileiras para os indígenas. Daí não virá boa coisa e quem conhece aquela área sabe muito bem. Digo quem conhece e não quem vive de imaginação e de histórias. Eu não conheço. Daqui alguns anos da forma como estão indo as coisas no Brasil, haverá terras Cubanas, Angolanas, etc.

  5. Sr. Jorge Beja ….

    Confesso que sua “idéia” de que os nativos ..são parte autonoma do nosso território…é digna de um
    TRAIDOR…de nossa pátria…nem vou dizer que o Sr. merece meus RESPEITOS…transcrevo abaixo
    suas próprias palavras ..dignas de quem que pode até ser advogado ..MAS um tremendo idiota em
    questões GEOGRÁFICAS, HISTÓRICAS E GEOPOLITICAS ..e acrescento: Posições dignas de TRAIDOR
    do nosso amado BRASIL ..Segue suas palavras.. :

    ” Defendi, ainda, que os territórios indígenas nada mais eram do que territórios autônomos, situados dentro do território brasileiro e que, por isso, desfrutavam de autonomia. ”

    Eu como ex. militar da Arma de Infantaria…fico estarrecido por tamanha idiotice em querer dar aos
    nativos prerrogativas que nossoa CARTA MAGNA nunca lhes deu : autonomia territorial. Creio que sua posição é digna de um TRAIRA DA PÁTRIA E SUA INTEGRALIDADE…

    Eu não gosto de TRAIDOR…quem coaduna com TRAIRA ….merece repulsa… seja que este for…

    Nações como EUA..CANADA..AUSTRÁLIA…etc.. nem querem saber que seus nativos ..tenham “autonomia” lugar deles é dentro da nação onde estão..e fim de papo… só nós é
    que estamos dando “conversa mole de advogado” para que nossos nativos agoram se acham no direito de esfacelar nosso TERRITÓRIO..tudo por que são parte “autonoma”….só mesmo uma nação
    com idiotas e tolos…aceita que meia duzia de nativos ..põe em risco a integralidade territorial.

    Portanto creio que seu ato..sua “ardorosa” defesa dos nativos e sua aterradora opinião descrita acima
    passa pelo crivo de TRAIDOR DA PÁTRIA… ATO INDIGNO E NEFASTO.

    Sr. Jorge ..o que se passou no trf..foi um ato de TRAIÇÃO Á PATRIA…digna de ser repudiada….33 votos
    de degenerados “ministros” que segundo seu “discurso” deixa transparecer o “inicio” desta baderna
    de meia duzia de nativos traidores e ingratos.

    E que ninguém aqui me venha dizer que estou sendo isso estou sendo aquilo..com relação ao que este
    Sr. escreveu…Estou no meu direito de expor minha opinião fruto de minhas convicções como Nacionalista e ex-militar da Arma de Infantaria..onde aprendi amar meu BRASIL .

    NOSSO BRASIL JAMAIS VAI SER REPARTIDO..SEJA POR INDIO TRAIDOR OU
    POR POLITICO TRAIDOR…. SE TENTAR OU INSISTIR ENTÃO …QUE SEGURE AS
    CONSEQUÊNCIAS…
    PS-1

    Como se já não nos bastassem nosso atraso social agora somos ou temos que “aceitar’ que meia duzia de nativos idiotas e traidores vão na maldita da “onu de merda” reclamar que estão sendo maltratados..espoliados…etc..etc…. É POR ISSO E OUTRAS COUSAS que devamos pensar por que acontece certas cousas..notemos o caso dos NATIVOS dos EUA…lá o governo desta nação “passou à fio da espada ” tribos inteiras…removeu o que tinha para remover..baniu que tinha que ser banido…TOMOU..o que tinha que ser tomado…CONSTRUIU a onde tinha que ser construido..e etc..etc
    o que vemos nos dias de HOJE NOS EUA…com relação aos seu NATIVOS ?

    TODOS SE SENTEM AMERICANOS..TODOS ESTÃO EM SUAS RESERVAS CALADINHOS…
    TODOS ESTÃO LÁ EM SUAS RESERVAS…VIVENDO ..TRABALHANDO E COLHENDO…
    E NÃO HÁ LÁ UM “MALUCO” SEQUER PROCURANDO ..SE SEPARAR OU TORNAR SUA
    “TRIBO AUTONOMA”… DAQUILO QUE É OS EUA..EM SUA TOTALIDADE.

    Sabem por que ? Por lá se usou a RAZÃO A LÓGICA ..de que é melhor cortar logo o mal pela RAIZ
    por que se não este MAL ..vai crescer e prejudicar a NAÇÃO INTEIRA.

    PS-2 – Prezados não concordo em nada com o que foi feito com os nativos dos EUA… eu faria de
    um modo diferente se eu fosse um lider deste País. Mas..aconteceu os fatos já firam feitos
    mas fica levantada a questão: E se não fosse feito o que foi feito ..como hoje ESTARIA a nação
    dos EUA…?

    PS-3 Nossos nativos não sofreram nem 1% do que sofreram os Nativos dos EUA…creio que estão
    sendo INJUSTOS e traidores da nossa PÁTRIA.

    YAWHE SEJA LOUVADO…SEMPRE..

    Carlos de Jesus -Salvador -Bahia

  6. Se querem ser independentes por mim tudo bem. Só não venham depois querer direitos da nossa saúde, educação, etc e etc. Índio que é índio vive de caça e pesca e claro, vive seminu.
    Não sei se já perceberam, mas todos ou quase todos nós somos descendentes de índios e, portanto, também temos direitos sobre esta terra, herança de nossos ancestrais.

  7. Transcrevendo do Dr. Beja o parágrafo final:
    “Agora, quase 30 anos depois, como se lê do artigo do combativo Carlos Newton, o Brasil subscreveu a Declaração de Setembro de 2007 da ONU que reconhece a emancipação dos indígenas e declara seus territórios independentes, política e economicamente. É a ratificação do que ficou decidido por unanimidade, em Novembro de 1980, pelo plenário do extinto Tribunal Federal de Recursos.”
    Olhem o tamanho da encrenca… Dividir.? Renunciar ?.. essa terra é dos índios, tanto quanto é nossa, de todos os brasileiros…
    Só mesmo o jeito de fazer política do PT… discretamente, firmando anuência do país, “fazendo sua média”…
    Daqui para frente, até setembro, só o Congresso para desmanchar tal encrenca. “.
    É nesse tipo de situação que concordo com o jornalista Carlos Chagas quando ele insiste na unidade nacional. Não estou pensando em terras cubanas, angolanas e de outros cantões.
    Em épocas passadas já aconteceram cisões de estados , rebeliões em confronto com a República, na tentativa de um espaço dentro da imensidão continental do Brasil. Estamos retrocedendo?

  8. Só posso aplaudir e aprovar o Sr. Carlos de Jesus e repudiar toda e qualquer tentativa de divisão, somos BRASILEIROS. A nossa desgraça se chama advogados, quase todos deputados e senadores o são, por isto as leis de interesse da população não são nem colocadas em discussão.(vide maioridade, que o desleal senador no qual votei REQUIÃO)

  9. Dr. Béja

    Tudo tem limites nesta nossa vida; e na vida dos outros; e na vida das coletividades e na vida das nações. As suas afirmações sobre a liberdade dos silvícolas, advogando que devem estabelecer enclaves independentes dentro do território nacional, francamente, deixam-me atônito, sem palavras, em face do respeito que lhe dedico pela leitura, até agora, de seus escritos neste espaço. Não é possível que seus conhecimentos de antropologia, de sociologia, de história e de direito, para ficar nessa base universal, tenham-lhe induzido, após tantos anos, a essa conclusão inusitada. Uma coisa foi franquear ao falecido Juruna (a quem conheci pessoalmente) uma viagem lúdica ao exterior, através de uma tese jurídica de livre trânsito, pelo remédio heroico, num tribunal superior, e vê-la vitoriosa, sentindo o correspondente “gaudium advocatorum”; outra, bem diferente, é concluir, a partir desse fato, referendado por um colegiado avoengo, que os silvícolas possam, por direito, apoderar-se de uma parte do território nacional, que logo ficará à mercê da tocaia estrangeira. Essas cantilenas ianomâmis e congêneres são velhas armadilhas, prezado doutor, e destinam-se a surripiar, pela via do engodo diplomático, o território nacional, que tantas e tantas vidas custou a nossas irmãos antecessores, que nele se sacrificaram, literalmente, para legá-lo aos pósteros. Não, ilustre doutor, por mais respeito que lhe tenha, não concordo e jamais concordarei com suas sugestões separatistas, pois o solo brasileiro é sagrado na sua inteireza, máxime pelo fato de nãos existir mais a cultura selvática autóctone, que, quando do descobrimento, estava na idade da pedra lascada e foi, felizmente, já, há muito, absorvida pela contemporaneidade e pelos atuais costumes centrados na tecnologia, que encanta os nossos irmãos indígenas, hoje falando inglês. Não creio que um advogado de seu porte possa perfilar-se ao lado dos que pretendem detonar o nosso país, franqueando-o à atalaia sangrenta de quem ronda as nossas riquezas naturais. Data vênia, caro doutor, nesse campo não somos parceiros. Abraços fraternos

  10. Parabéns Sr. Bordignon, creio que era o que os anteriores e eu queríamos dizer, só que não temos (tenho) a delicadeza, refinamento e conhecimento. Acho que ainda podemos manter o nosso Pais coeso com pessoas como o Sr. (Obs: Meu nome é este mesmo)

  11. A todos que comentaram acima, os maiores traidores da Pátria, que celebraram estes acordos espúrios, foram o FHC e o Lula, todos enquadrados em CRIMES MILITARES pelo artigo 142 e artigo 357 do CÓDIGO PENAL MILITAR -Art. 142 do Código Penal Militar – Decreto Lei 1001/69
    CPM – Decreto Lei nº 1.001 de 21 de Outubro de 1969
    Art. 142. Tentar:
    I – submeter o território nacional, ou parte dêle, à soberania de país estrangeiro;
    II – desmembrar, por meio de movimento armado ou tumultos planejados, o território nacional, desde que o fato atente contra a segurança externa do Brasil ou a sua soberania;
    III – internacionalizar, por qualquer meio, região ou parte do território nacional:
    Pena – reclusão, de quinze a trinta anos, para os cabeças; de dez a vinte anos, para os demais agentes.
    Consecução de notícia, informação ou documento para fim de espionagem
    E 357 -Art. 357 do Código Penal Militar – Decreto Lei 1001/69
    CPM – Decreto Lei nº 1.001 de 21 de Outubro de 1969
    Art. 357. Praticar o nacional o crime definido no art. 142:
    Pena – morte, grau máximo; reclusão, de vinte anos, grau mínimo.
    Coação a comandante

    BRASIL ACIMA DE TUDO!!!!!!!

Deixe uma resposta para renan Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *