Na corrida ao Planalto, Ciro Gomes tenta se posicionar como a terceira via

Evaristo Sá

Ciro Gomes está jogando sua última cartada

Bernardo Mello Franco
O Globo

Ciro Gomes é brasileiro e não desiste nunca. Pela terceira vez, ele se lança candidato a presidente. Pela terceira vez, tenta emplacar como alternativa ao duelo entre petismo e antipetismo.

Nas campanhas passadas, não deu certo. Em 1998, Ciro ficou em terceiro lugar, bem atrás de FH e Lula. Em 2002, chegou a ameaçar o favoritismo do petista. Tropeçou na própria língua e acabou na quarta posição, atrás de José Serra e Anthony Garotinho.

NA PRAIA… – O Ibope de terça-feira indicou que ele voltaria a morrer na praia. Jair Bolsonaro manteve a ponta, e Fernando Haddad assumiu a vice-liderança isolada. Quinta-feira o Datafolha voltou a posicionar Ciro no jogo. Ele não cresceu, mas apareceu em empate técnico com o petista na disputa pela vaga no segundo turno. Nas simulações de confronto direto, foi o único a vencer Bolsonaro fora da margem de erro: 45% a 39%.

É preciso esperar as próximas pesquisas para saber se o candidato do PDT ressuscitou ou recebeu a “visita da saúde”. O Datafolha lhe deu uma boa notícia: ele é o mais citado pelos eleitores que admitem mudar de candidato até o dia 7. Por outro lado, a pesquisa mostrou que seu público é menos convicto do que o de Bolsonaro e Haddad. Nada menos que 57% dos ciristas ainda pensam em mudar o voto.

VERDE E AMARELO – Com o petista avançando pela esquerda, Ciro tenta piscar para o centro e a direita não autoritária. Sua campanha já mudou a programação visual, trocando o vermelho pelo verde e amarelo. Agora ele deve voltar as baterias contra Haddad. “O Brasil não suporta mais um presidente fraco, sem autoridade, que tem que consultar o seu mentor”, atacou, na CBN.

Para viabilizar sua terceira via, Ciro precisa atrair o voto útil de quem teme uma vitória do bolsonarismo ou do petismo. Quinta e sexta-feira, Fernando Henrique Cardoso fez apelos por união contra as duas correntes. O ex-presidente propôs uma aliança em torno de quem tiver “melhores condições de êxito eleitoral”. Ele evitou citar nomes na carta, mas esclarece que não se referia ao pedetista. “Para mim, o Ciro também está nos extremos”, disse à coluna.

11 thoughts on “Na corrida ao Planalto, Ciro Gomes tenta se posicionar como a terceira via

  1. Ciro terceira via, então tá. Só se for mais uma terceira via de mentirinha, 171, a exemplo de marina, alckmin, meirelles, álvaro dias…, até porque sob a égide do sistema podre que ai está há 128 anos, só existem duas vias, a saber: o golpismo ditatorial e o partidarismo eleitoral, ambas maniveladas por seus tentáculos, velhaco$, face aos quais existe apenas uma Terceira Via de Verdade, tal seja a RPL-PNBC-DD-ME, com Democracia Direta e Meritocracia Eleitoral, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, cuja pretensão é mandar por inteiro, tipo porteira fechada, o velho $istema político apodrecido, com prazo de validade vencido há muito tempo, pra tonga da mironga do kabuletê, exequível pelas urnas ou pelas ruas, pela redenção da política, da nação e da população.

  2. O militante de sobrenome aristocrático diz que que existe uma direita “não autoritária”. Então presume-se que também existe uma direita autoritária. Ou que a direita é sempre autoritária e existe exceção. Ou então existe apenas a direita que é, por definição, autoritária.

    Por outro lado, a esquerda nunca é autoritária embora seu passado seja uma enorme poça de sangue, pretenda criar o “controle social da mídia”, tenha editado o “decreto dos sovietes”, seus líderes digam que odeiam quem a ela se opõe, minta constante e descaradamente e apoie todo tipo de ditadura mundo afora.

  3. Desde 2017 os sábios da mídia tentam inventar essa terceira via, fantasiaram candidaturas inviáveis, e deram com os burros n’água. Não perceberam que o problema é o descrédito total do sistema político-partidário, que fez uma parte do eleitorado se voltar para o Bolsonaro, enquanto o PT se beneficia do saudosismo de outra parte. Não há espaço para uma terceira via. Além, do mais, em que Ciro se diferencia de seus concorrentes? Seu lema bem poderia ser “Para que escolher entre Bolsonaro e Haddad, quando você pode ter os dois num só?” Ciro ao mesmo tempo em que se pretende esquerdista assume tons tão ou mais autoritários que Bolsonaro. Só ele é o durão, o machão que vai dar jeito em tudo e enquadrar todo mundo.

  4. É o escrevedor tem de ganhar a mortadela no final do mês e sonhar com o caviar caso o malabarismo da sua pena de certo.
    Mas como os magnânimos analistas politicos não entenderam nada até agora só resta encher linguiça pra justificar a mortadela.

  5. Quando o TSE vai se pronunciar sobre o nível de nossas eleições. Esse senhor de nome Ciro está se excedendo sem controle e ofendendo os seu pares de tal modo que pode até influenciar o nível de agressões e crimes no país. Recentemente se referiu a Bolsonaro desse modo: “Vou derrotar esse vagabundo fascista”. Vagabundo fascista?
    Isso deprime, repercurte sobre a imagem do país no exterior, e acima de tudo é mal exemplo para nossos filhos.

  6. O vídeo que falar de Bolsonaro sobre milícias é ridículo desumano ,perverso em toda sua essência,não adianta o Bolsonaro ganhará sim falta duas semanas,o que Jesus determinar o diabo não poder destruir,porque só Salvador o senhor do exército tem poder sobre o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *