Na crise da Fifa, há também os interesses ocultos dos EUA

John Shulman, que estudou direito em Harvard, fala sobre o escândalo na Fifa

Shulman diz que os EUA não estão fazendo isso pelo bem do futebol

Daniel Lisboa
Do UOL

“Eu estou chocado, você não está?”, diz John Shulman ao atender a reportagem do UOL. Ele tem uma opinião diferente sobre o envolvimento dos Estados Unidos no escândalo da FIFA. Professor convidado da Fundação Dom Cabral, especialista em mediação de negociações, cofundador do Centro para a Negociação e a Justiça dos EUA, e formado em direito pela Universidade de Harvard, ele acredita que a intervenção “não teve cunho legal, mas geopolítico”.

“Com essa ação, os EUA enviam dois recados. Para o mundo, o de que o nosso sistema legal pode te pegar se você estiver fazendo algo errado. Internamente, mostramos que tomamos a iniciativa de resolver a corrupção dos outros”, diz o professor.

E John entende tanto de geopolítica quanto de futebol. Seu currículo de mediador inclui diversos trabalhos ao redor do mundo, incluindo no Oriente Médio, na Índia e em Ruanda. Sobre o “soccer”, uma curiosidade: o hoje professor já jogou profissionalmente na Índia, onde, segundo ele, foi o primeiro jogador ocidental por aquelas bandas.

PRIMEIRA PÁGINA

“Os Estados Unidos nunca deram a menor bola para o futebol. De repente, pela primeira vez na história, o The New York Times vem com a primeira página inteira falando do assunto. Aí eu me pergunto: por quê?”, questiona John. Para o professor, há vários pontos obscuros no envolvimento americano. “A logística de uma operação internacional deste porte simplesmente não vale a pena. Até porque não há um número de vítimas nos EUA que justifiquem tamanha mobilização”, argumenta ele. “Há empresas nos EUA muito mais corruptas do que a FIFA, pode ter certeza”, crava o especialista.

“Para mim, trata-se claramente do seguinte: são os EUA mobilizando seu aparato legal interno em prol de questões geopolíticas. No caso, para colocar pressão na Rússia (sede da Copa de 2018), com quem o país tem tido problemas recentemente, e no Qatar (sede da Copa de 2022), onde também existem questões geopolíticas”.

FORA DO ALCANCE

John cita ainda a chance para os EUA desestruturarem uma organização que, corrupta ou não, tem tentáculos de poder que fogem ao seu alcance. “A ONU está presente em vários países, mas os EUA têm poder sobre ela. Isso não acontece com a FIFA, o que causa uma ruptura da hegemonia americana.”

Quer dizer, se você está feliz que alguém finalmente tomou a iniciativa de enquadrar a FIFA, comemore com moderação. “É claro que a FIFA é corrupta. Todo mundo sabe disso. Mas os EUA não estão fazendo isso pelo bem do futebol”, completa John.

23 thoughts on “Na crise da Fifa, há também os interesses ocultos dos EUA

      • Attuch foi chamado pela direção da Editora Três para apresentar a matéria que tinha produzido. A matéria não foi veiculada. Mas
        Attuch se cacifou perante Daniel Dantas, tornando-se seu homem de confiança na Imprensa.
        A partir daí foram várias as matérias publicadas na Isto É Dinheiro, “confeccionadas” por Attuch. Daniel Dantas fez uma compra de
        R$ 15 milhões em livros da Editora Três. E Attuch ficava visivelmente satisfeito com os negócios entre a BR Telecom e a Editora
        Três.
        Humberto Braz, “o mala”, era responsável mensalmente pela felicidade de Attuch. A imprensa , na época da Operação Sathiagaha,
        denunciou Attuch de receber propinas e presentes de Daniel Dantas, como por exemplo uma confortável casa no bairro classe A,
        de São Paulo, o Alphaville.
        A quadrilha de Daniel Dantas até hoje sustenta o “jornalista”. Montaram um site http://www.brasil247.com, onde Attuch atua sem se
        identificar, a serviço não só da quadrilha de Dantas, como também cuidando dos interesses de empresários como José Batista
        Junior, da Friboi, que se filiou ao PSB em Goiás para disputar o governo com Marconi Perillo (PSDB), e empresas como a Odebrech,
        apadrinhada pelo deputado cassado e personagem central no Mensalão do PT José Dirceu e o Banco BVA.
        O site de Attuch ataca os políticos de Goiás preparando o terreno para as eleições de 2014, quando o dono do Frigorífico Friboi
        sairá candidato ao Governo do Estado. Attuch também abocanha verba na Secretaria de Comunicação do governador do Distrito
        Federal, o petista Agnelo Queiroz. Parte desses contratos Attuch não pode receber pelo site, porque são propinas pagas através de
        Caixa 2.

  1. Sempre aparece quem veja teorias de conspirações em tudo. Com esse escândalo na FIFA não seria portanto diferente!

    E vejam a desfaçatez desse cara acima, ao dizer: – “Há empresas nos EUA muito mais corruptas do que a FIFA, pode ter certeza”.

    Ah… é mesmo?! Então por causa disso investigação americana sobre corrupção bilionária na FIFA perde legitimidade, ou mesmo moralidade???

    Faça-me o favor, Sr. Daniel Lisboa!

  2. Já que o país de origem não prende, outro país tem peito para mandar prender, este negócio que os EUA tem interesse em prejudicar a Rússia pode até ser, mas quanto as maracutaias da FIFA e confederações de futebol, deveria deixar de apurar com competência e mandar prender?

  3. Surge mais um babão no pedaço.
    Com Carlos Nuzman ninguém mexe. É um “dos nossos”, dirão. Deve ter sofrido muito na Polônia, daí a piedade.

  4. Dilminha eu quero/ Dilminha eu quero/
    Dilminha eu quero mamar/
    Me dá uma teta/ me dá uma teta/
    Me dá uma teta prum petista se arrumar/
    Tome mavinho do meu coração/
    Um carguinho na EBC e sem licitação/
    O cargo dá status e um salário bem bacana/
    E você vai defender a Dilminha/
    Sete dias por semana….

  5. O futebol é uma das maiores lavanderias de dinheiro do planeta.
    Dinheiro do tráfico de drogas, armas e terrorismo.
    A Rússia e alguns árabes são donos de times de futebol e participam ativamente desta lavagem.
    Aqui no Brasil o Corinthians teve o apoio da máfia russa através da MSI. Inclusive o Kia Joorabchian não podia voltar ao país pois seria preso. Mas como aqui tudo acaba em pizza esta decisão foi revogada.
    Portanto é óbvio que o interesse americano não está no futebol.
    Se a FIFA está aparelhada pelos cumpanheros russos por que os EUA não teriam o direito de interferir?
    Guerra é guerra.
    It’s the economy, stupid!

    • Quem está na Operação Perestroyka, livrando a cara do mafioso russo é o cartola petista Vicente Cândido, que por mero acaso foi o relator da Lei Geral da Copa, que criou o Regime Diferenciado de Contratações, copiado do da Petrobras. Isso permitiu que os nossos estádios custassem, em média, 3 vezes mais do que os europeus. Hoje o cartola petista é sócio do escritório de advocacia do Marco Polo del Nero…

  6. “Os EUA não estão fazendo isso pelo bem do futebol”

    Mas que revelação bombástica! Estou surpreso com tanta perspicácia de John Schulman!

  7. -Interesses dos Estados Unidos?
    -Ótimo! Que se unam o útil ao agradável!
    Neste planeta, o único país que não defende os seus interesses é o Brasil. Aliás, o BRASIL não tem planejamento a médio e longo prazos e, consequentemente, NÃO TEM INTERESSES…
    Interessados, aqui, só os governantes!

  8. Torço para que essa investigação sobre a gigantesca roubalheira no futebol vá até o fim. E certamente a cúpula petralha tem envolvimento nisso também!

  9. Padrao FIFA. Padrao PTSMDB. Padrao mafia. Padrao USA. Nao ha mocinhos, so bandidos e bandidos. Mas e bonito ver Marin e companhia em cana. O jogo real e enriquecer, o resto e jogo de cena. A copa do Brasil foi um grande golpe e as olimpiadas e a despoluiçao de lagoas e baias tambem. O que mais me impressiona e como a Russia nos jogos de inverno conseguiu superar os gastos oficiais brasileiros com os engodos da copa e das olimpiadas.

  10. Caro Guilherme,
    Nessa polêmica do 11/09, chama a atenção a quantidade de destroços do avião derrubado na Ucrânia e a falta destes no edifício do pentágono, supostamente atingido por um outro, conforme mostrado nas fotos dos dois locais…

  11. Ricardo Teixeira vem tentando vender sua mansão milionária em Miami há cerca de 8 meses.

    Por que será? Cansou de curtir seu paraíso particular na ensolarada cidade americana?

    Claro que não! Certamente ele sabe que logo não poderá sequer pisar naquele país, pois irá imediatamente para a cadeia! Afinal a justiça de lá realmente funciona.

    Segue a reportagem: http://veja.abril.com.br/noticia/esporte/ricardo-teixeira-coloca-a-venda-sua-mansao-em-miami/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *