Na despedida do poeta, a lembrança dos sentimentos da infância

Resultado de imagem para augusto frederico schmidt frases

Schmidt, em sua foto mais conhecida

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

O empresário e poeta carioca Augusto Frederico Schmidt (1906-1965), no poema “Despedida”, aborda sentimentos guardados desde a infância e que nem todas as pessoas podem entender.

DESPEDIDA
Augusto Frederico Schmidt

Os que seguem os trens onde viajam moças muito doentes com os olhos chorando
Os que se lembram da terra perdida, acordados pelos apitos dos navios
Os que encontram a infância distante numa criança que brinca
Estes entenderão o desespero da minha despedida.
Porque este amor que vai viajar para a última estação da memória
Foi a infância distante, foi a pátria perdida, e a moça que não volta

3 thoughts on “Na despedida do poeta, a lembrança dos sentimentos da infância

  1. Há palavras que me atraem, como lembranças, recordações, amizade, ingratidão e Despedidas.
    E conforme dizia Artur da Távola, a gente nunca sabe onde está uma despedida. Até um até já, pode significar um adeus.
    “Foi a infância distante, foi a pátria perdida, e a moça que não volta”. É uma dor que se carrega para sempre. Quem nunca deixou um amigo de escola para trás? amigos de trabalho, que a gente jurava perpétuo? “A moça” que não volta! O namorado que se perdeu por outros caminhos da vida! Fico sempre emocionada quando vejo pessoas se abraçando nos embarques.
    Tantos bons dias ouvimos outrora que não se repetem mais pelas mesmas pessoas.

    Gostei muito do poema do Poeta, empresário, viveu no cenário politico nacional, sendo amigo de JK foi seu ” ghost-writer”

  2. Peço permissão ao Paulo Peres duas notas:

    1) Hoje, 29 de maio de 2017 transcorre o 150 anos de nascimento do polêmico escritor cearense Adolfo Ferreira dos Santos Caminha, conhecido por Adolfo Caminha.Era da Escola Naturalista, escreveu a Normalista, o Bom-Crioulo, No País dos Ianques e Cartas Literárias.
    Adolfo Caminha morreu muito cedo, antes de completar 30 anos;

    2) Ontem, o Theatro José de Alencar, homenageou o eterno rapaz latino-americano.Foi lindo e emocionante.

    Obrigado.

  3. Esquecer os calhordas. É o que acontece no Brasil. Esse cara esteve envolvido no roubo das areias monaziticas do Espirito Santo. Em 1958 o roubo, foi avaliado em 200 bilhoes de dolares, se não me falha a memoria

    O livro que trata do assunto tinha o titulo de O INQUERITO QUE ABALOU O BRASIL, do deputado Dagoberto Sales

    Augusto Frederico Schmid tinha o poético apelido de O GORDINHO SINISTRO.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *