Na disputa eleitoral , as vantagens de quem ocupa o poder

Pedro do Coutto

Em artigo muito bom, publicado na Folha de São Paulo, edição de 5 de junho, Eliane Cantanhêde critica as entrevistas da presidente Dilma Rousseff programadas pelo Planalto junto a algumas emissoras, nas quais a chefe do executivo fala confortavelmente a respeito de assuntos relacionados com a Copa do Mundo e a Seleção Brasileira. Em seguida faz uma lista de perguntas que deveriam ser formuladas e respondidas pela candidata que busca a reeleição nas urnas de outubro.

Eliane Cantanhêde está certa: falta exatamente esse ponto na campanha eleitoral. Mas como ela apresenta a lista das indagações, esta parte do texto pode democraticamente funcionar como roteiro para que Dilma Rousseff vá ao encontro e focalize o conteúdo das respostas que possa fornecer.

Não seria nada demais. Apenas um lance destacando o caráter democrático da disputa pelo voto. Não vejo, pessoalmente, nenhum motivo lógico convincente para que a presidente evite um diálogo mais amplo a respeito da atuação de seu governo na economia e na administração do país. Inclusive os temas serão inevitavelmente colocados nos debates a serem promovidos pelas redes de televisão, pelos grandes jornais, e também através da internet. Não adianta, portanto, o Planalto, com sua estratégia de marketing, tentar ocultar essa face do confronto político na busca dos votos.

SÃO MUITAS VANTAGENS

O confronto surgirá naturalmente. Impossível evitá-lo, faz parte do processo político, da luta pela conquista do poder. Dilma Rousseff, aliás, já participou de cotejo semelhante nas eleições de 2010, há quatro anos passados. Não há motivo, portanto, para não expor seus pensamentos, seus novos projetos, seus resultados, sua plataforma. As vantagens de que dispõem os ocupantes do poder já por si muito grandes. Coisas da legislação brasileira.

Por exemplo: o presidente, o governador, o prefeito que se candidatam à reeleição não precisam deixar o cargo seis meses antes do pleito, o prazo legal para desincompatibilização. Podem nos postos permanecer atuando com o maior desembaraço, incluindo obviamente o uso, mesmo que nos limites da lei, a utilização da caneta mágica. Mas se um ministro desejar, por hipótese, candidatar-se a governador ou senador, tem que deixar a pasta até abril, seis meses antes do voto.

São dois pesos e duas medidas que expõem a legislação brasileira às críticas mais simples. Uma contradição total. Pois se para, vejamos outro exemplo, um diretor de empresa estatal for disputar uma cadeira de deputado tem que se afastar até 180 dias antes do voto, por qual motivo o presidente da República, o governador e o prefeito são exceções à regra? Esta já é, por si, uma vantagem enorme de quem ocupa o poder, desnecessariamente serão outras que venham a se adicionar a esta.

ENTREVISTAS PROGRAMADAS

Não há assim sentido na realização de entrevistas programadas, sobretudo porque elas não são convincentes. Nada acrescentam. Pelo contrário. Os espectadores sentem os cenários armados previamente, a falta de liberdade tolhendo os entrevistadores. Ao invés de somar, reduzem. Porque o problema principal da comunicação política está na liberdade das indagações e o grau de convencimento das respostas. Fora daí, os reflexos serão sempre negativos. Eliane Cantanhêde colocou claramente a questão essencial, na estrada dos votos no rumo das urnas.

 

12 thoughts on “Na disputa eleitoral , as vantagens de quem ocupa o poder

  1. Caro Pedro, o pior de tudo é que essa jabuticaba da reeleição foi inventada pelo PSDEMB-agregados, nas pessoas de FHC, Aécio e CIA, em causa própria, que, infelizmente, no poder, neste aspecto, conseguiram ser mais desavergonhados do que todos os seus antecessores, tornando muito pior o que em si já era ruim e decadente. E pensando só naquilo, produziram todas essas incoerências e aberrações legais, e injustiças eleitorais constitucionais (pasmem). Nesse sentido, por tudo isso, Dona Cantanhêde, tucana dos pés às cabeças, conforme tem confessado tácitamente em seus escritos, que transpiram tucanismo até pelas vírgulas, não é, certamente, a melhor referência para abordar um tema tão importante.

  2. Caríssimo Pedro Couto,
    Nos comentários acima só resta dizer que o feitiço virou contra o feiticeiro. Fernando fez para ele mas serve também para outro.
    Quanto a propaganda, Senhor Virgílio, são resultados dos ataques. Uma no cravo outra na ferradura. Os ataques quase sempre ou sempre geram gastos.
    A propaganda não é enganosa, realmente a Petrobras cresce satisfatoriamente, veja:
    BOLSA DE VALORES:
    Petrobras valia U$ 15,4 bilhões em 2003. Hoje vale R$ 214 bilhões … plantaobrasil.com.br/news.asp?nID=748002 jan. 2014 … Apesar da perda de valor, empresa cresceu 300% de 2003 até 2013. Manchetes não mostraram crescimento.Este governo comprou, comprou e comprou, enquanto o outro vendeu, vendeu e vendeu. Onde foi aplicada a verba? Mais quatro de Dilma e oito do Lula, o Brasil vai comprar mais 3 Países e ainda vai sobrar dinheiro. A Petrobras deve recorrer a uma corretora de imóveis nos EUA, para verificar o valor do terreno ocupado pela Passadena. Acredito que o terreno vale uma boa fortuna.Todos os negócios que os Senhores fizeram foram bons ou tiveram alguns negativos.
    Partidários da oposição vê de forma diferente.

  3. Um esperto inventou a reeleição. atingiu seus objetivos. Na época, quem estava fora do poder (PT) erra VISCIRALMENTE CONTRA. Bastou assumir o poder e, mesmo com maioria esmagadora, deixou para também se aproveitar. E já foi para a reeleição da reeleição.
    Quem é o mais sem caráter?
    Diziam que isto iria mudar. Lulla era contra muitas coisas. Hoje ele e seu partido são a favor de tudo que eram contra.
    Antes os partidos eram “quadrilhas”. O PT veio para mudar a forma de fazer política. Alguém pode dizer o que mudaram?
    usar a máquina em campanhas, quem não o fez?
    Parece que a política tem o dom de “eliminar” o caráter das pessoas. A não ser que tenham mentido para chegar ao poder. O que acham?
    Quem mentiu/mente mais: quem fez ou quem disse que faria diferente?

      • Voto nulo é votar em quem está na frente, não serve de nada, só para retirar uma “pseudoculpa” do eleitor, para depois dizer “eu não votei nisso que está aí”, mas também não fez nada para mudar. “Os lugares mais quentes do inferno estão reservados àqueles que num período de crise moral se mantiveram neutros. Num determinado momento, o silêncio se converte em traição”.

  4. Concordo com o Senhor Caio Efrom, em mudar, mas para melhor. Um governo que vem dando certo e o Senhor muda para um incógnito. Governar um Pais imenso não é beber cerveja no botequim, nem cheirar. Quem é partidário da privataria não vê nosso maravilhoso Brasil crescendo sem parar.

  5. Concordo integralmente com o comentário do senhor Antônio Fallavena.
    Parabéns. Eu não faria um melhor.
    Assim, data vênia, permita-me o autor e o Moderador, a sua transcrição para que seja novamente objeto de leitura dos participantes do Blog :

    Um esperto inventou a reeleição. atingiu seus objetivos. Na época, quem estava fora do poder (PT) era VISCIRALMENTE CONTRA. Bastou assumir o poder e, mesmo com maioria esmagadora, deixou para também se aproveitar. E já foi para a reeleição da reeleição.
    Quem é o mais sem caráter?
    Diziam que isto iria mudar. Lulla era contra muitas coisas. Hoje ele e seu partido são a favor de tudo que eram contra.
    ” Antes os partidos eram “quadrilhas”. O PT veio para mudar a forma de fazer política. Alguém pode dizer o que mudaram?
    Usar a máquina em campanhas, quem não o fez?
    Parece que a política tem o dom de “eliminar” o caráter das pessoas. A não ser que tenham mentido para chegar ao poder. O que acham?
    Quem mentiu/mente mais: quem fez ou quem disse que faria diferente?”

  6. A IMBECIL DA PRESIDANTA NÃO VAI SUPORTAR NEM 5 MINUTOS DE UM DEBATE CONTRA QUALQUER OPONENTE. NÃO TEM RESPOSTAS PARA TODOS OS MALFEITOS DO SEU GOVERNO.
    PRECISA DE UM TELEPROMPTER PAR SE DIRIGIR AO PÚBLICO.
    DIFERENTEMENTE DO LULA EM 2006 QUE PERDEU O DEBATE MAS GANHOU A ELEIÇÃO, EXATAMENTE PORQUE MOSTROU UM PERFIL DE COITADINHO QUE NÃO SABIA DE NADA, ESSE TIPO DE REPRESENTAÇÃO A PRESIDANTA NÃO SABERÁ FAZER, ALIÁS ELA É UMA PÉSSIMA ATRIZ. SE O AÉCIO OU O EDUARDO APONTAR O DEDO NA CARA DELA ELA VAI QUERER SAIR NO BRAÇO, E AÍ A NÃO SER NA HIPÓTESE DE QUE O POVO BRASILEIRO PASSE A ADMIRAR A MULHER SAPATONA DAQUELAS QUE COSPEM NO CHÃO E DÁ PORRADA, ELA VAI MESMO É LEVAR UMA LAVADA NAS URNAS DO 2º TURNO.

  7. O candidato imbecil do PSDB usou até a TV JUSTIÇA para fazer sua campanha eleitoral. Vem fazendo campanha há muito tempo. Ataca o Governo de todos os meios. Gera até direito de resposta do Governo. Mas deve ainda responder pelo aeroporto construido nas terras do Tio. Uma obra que somente serve a família do candidato, segundo informação do Blog Saraiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *