Na Índia, Eduardo Bolsonaro defende fabricantes estrangeiros para aumentar acesso a armas no Brasil

Eduardo quer quebrar ”monopólio branco” de empresas locais

Assis Moreira
O Globo

O deputado federal Eduardo Bolsonaro diz que vai se empenhar no acesso de armas para a população a partir da agora, ao mesmo tempo em que pretende continuar ativo na área internacional com suas conexões com líderes de direita.

Eduardo acompanha seu pai, o presidente Bolsonaro, na visita à Índia. E em conversa com os jornalistas, disse que seu plano depois de deixar o comando da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados é concentrar no tema de armamentos.

O deputado quer abrir o mercado brasileiro, atrair companhias estrangeiras para produzir armas no Brasil e quebrar o que chama de ”monopólio branco” de empresas locais como a Taurus, fabricante de armas de pequeno porte.

“FACILIDADE “ – Exemplificou que cartuchos e outro material de armamento custa cinco vezes mais no Brasil do que nos EUA, por exemplo. Assim, a competição no mercado, com mais empresas produzindo, facilitará o acesso de cidadãos a armas para se protegerem.

”Isso vai permitir mais acesso da população a armas, devido ao preço de armas. Hoje em dia esse mercado (no Brasil) é elitista”, afirmou. O parlamentar disse também que quem votou em Bolsonaro sabe dessa bandeira do presidente, e que ele foi o único a favor ”de legitima defesa através de armas de fogo”.

O deputado relatou que já conversou com a fabricante americana de armas Sig Sauer, que é fornecedora do Exército dos Estados Unidos, e com a italiana Beretta. Disse esperar que a Sig não abandone o projeto de produzir no Brasil.

DIVISÃO – Comentando a desistência da companhia suíça Huag de produzir armas no Brasil, alegando que isso afetaria sua imagem, Eduardo Bolsonaro mostrou sua estranheza que isso tenha ocorrido sete anos depois de a empresa fazer planos no Brasil. Para ele, o que pode ter ocorrido é uma divisão de mercado com outros fabricantes.

Perguntado se mais acesso a armas não aumentaria a violência no país, Eduardo respondeu que ”o que mata não é a arma, é o ser humano”. Ao seu ver, quando o governo anuncia que vai dar mais acesso ao cidadão a armas de fogo, ”a bandidagem começa a pensar duas vezes e isso tem um impacto”. Ele acha que essa é uma das razões da baixa de 22% no número de homicídios no país.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG 
Independentemente do posicionamento favorável ou não sobre o referido “acesso” , é evidente que o País tem outras prioridades fazendo fila na agenda governamental. O cidadão-eleitor não tem saúde, educação, transporte e inúmeros outros direitos respeitados, mas o “nobre” parlamentar insiste em marcar presença diante de um eleitorado mais radical, porém cada vez mais limitado, que acredita que armas serão a solução para mudanças. Grande parte da sociedade mal tem recurso para chegar até o fim do mês, mas o deputado acredita que esse mesmo cidadão-eleitor terá como comprar arma e munição para se defender. Fora isso, pensa (?) que a bandidagem ficará com medo e refletirá antes de assaltar. Se os criminosos não temem nem as polícias, que dirá o despreparado “cidadão de bem”. Pelo contrário, fará desse alvo fácil para conseguir mais armamento. Eduardo sabe que o discurso é cansativo e até desrespeitoso com tanto trabalho a ser feito. Mas é insistente. (Marcelo Copelli)

23 thoughts on “Na Índia, Eduardo Bolsonaro defende fabricantes estrangeiros para aumentar acesso a armas no Brasil

  1. Insistente também são as teses não comprovadas de que o cidadão armado em sua casa não faz o assaltante pensar duas vezes em invadir o domicílio.
    Insistente é a tese mentirosa de que bandidos obtém armas através do armamento legalizado. Fuzis são legalizados? Glocks? Granadas?
    Saudades do CN que lucidamente, e por experiência própria, apoia a POSSE de armas em casa.

  2. É um boçal igual ao pai. Fala que o mercado de armas é elitista, tudo bem. E vai continuar. O Salário do povão mal da pra sobreviver, quanto mais pra comprar armas.Educação, saúde, segurança… Ah, não aborrece.

  3. ENQUANTO EM BRASÍLIA: O governo Bolsonaro/Guedes incluiu a Empresa de Tecnologias e Informações da Previdência Social (Dataprev) e o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), responsáveis por gerir a infraestrutura de tecnologia do país, em seu programa de desestatização. A presidenta do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados, Informática e Tecnologia da Informação do Estado de Pernambuco (Sindpd-PE), Sheyla Lima explica o que essas privatizações significam para o país. https://www.redebrasilatual.com.br/economia/2020/01/por-que-empresas-como-amazon-e-google-estao-interessadas-em-comprar-o-serpro/

    • Significa que quando o banco do Brasil a receita federa a caixa e ou outro órgão do governo queira algum trabalho ou produto na área de TI vai poder ir direto a fonte sem passar pelo pedágio do serpro, que triplica o preço de qualquer coisa, e quem duvidar que faça sua pesquisa, um ponto de rede via serpro $ 2500,00 um ponto de rede na iniciativa privada não chega a $500,00 sem falar que o serpro não faz tudo terceiriza 80% de tudo.
      Só mantem os altos salários dos mama tetas.

  4. O editor 0-2 mistura alhos com bugalhos. Ou seja , sofisma com a falsa moral de que se tem outras prioridades, como salvar os pobres, essas coisas da esquerdinha de apartamento, que se fala só da boca pra fora e que se pensar na segurança pessoal vá anular outros projetos de governos em outras a´reas.

    Na verdade 0-2 quer mesmo é prejudicar a população honesta e trabalhadora no seu direito de ter uma chance de se defender.

  5. A indústria de armamentos mobiliza recursos financeiros impressionantes. O orçamento dos EUA para materiais bélicos é uma fábula. Certamente que a intenção não é a de vender .38 pra quem nunca viu uma arma e irá amputar o dedão do pé no primeiro disparo.

  6. Ontem, na praia do Lami, em Porto Alegre, às margens do lago Guaíba, uma discussão simples de trânsito ocasionou a morte do pai, mãe e filho, por conta do motorista que se sentiu prejudicado com o choque entre os dois veículos!

    https://gauchazh.clicrbs.com.br/seguranca/noticia/2020/01/justica-decreta-prisao-de-homem-que-matou-tres-pessoas-apos-discussao-de-transito-no-bairro-lami-ck5wit63n0dpx01qdwxgm3bxc.html

    O conserto de ambos não custaria 600,00 mas, a raiva, o poder de uma arma na mão, “resolveram” a peleia.

    Afirmo categoricamente que, o brasileiro não tem estrutura psicológica para portar armas, tampouco se contém quando necessário.

    Armas podem ser adquiridas, sim, pois um direito do cidadão à sua defesa, no entanto PROIBIDO deveria ser o seu porte, E PARA QUALQUER CIDADÃO, incluindo militares e policiais fora de serviço!!!

    Inúmeras são as tragédias que aconteceram porque alguém portava uma arma indevidamente:
    Festas, trânsito, bailes, bares … registram ocorrências neste sentido.

    Liberar a compra de armas, porém NÃO CONCEDER o porte seria a medida ideal, menos liberar a aquisição do “pau de fogo” e, junto com a arma, o porte, concessão indevida, mal pensada, e advinda de mente doentia, psicopata!

    É o que penso a respeito sobre a pessoa ter uma arma para se defender, mas em CASA ou no seu local de trabalho, normalmente um prédio comercial (armazém, farmácia, mercado de bairro, fruteira …).

    Quanto à ladainha de sempre por parte de quem só enxerga o seu umbigo, e pouco lhe importam os pobres e miseráveis, governo algum por mais poder que tenha NÃO OS SALVARIA.

    A questão social demanda tempo, organização, planejamento, controle, condições que jamais nossos governantes tiveram com o Brasil, quanto mais com seres humanos.
    A obrigação do Planalto seria diminuir a miséria, a pobreza e o analfabetismo; melhorar e muito a saúde pública, segurança e o saneamento básico.

    Então, gradativamente, o povo sairia da sua condição de necessidade e carência permanentes.
    Agora, como as autoridades e governantes são movidos pelo egoísmo, vaidade, poder, privilégios cada vez maiores, e salários incompatíveis com a realidade nacional, os pobres e miseráveis aumentam, crescem, ocasionando o país jamais sair da sua condição de “emergente, pelo contrário, continuará sempre submerso na corrupção, desonestidade, incompetência, irresponsabilidade, e nomeando o trabalhador, o contribuinte, a população, como inimigos!

    • Casos assim acontecem até nos países desenvolvidos.
      São exceções.
      Não se pode sacrificar a maioria por causa de exceções.
      No caso acima que vc descreveu, o criminoso será punido. Hoje ele já deve estar chorando lágrimas de sangue pelo que fez, pois a vida dele agora será um inferno.
      É isto que se tem que divulgar , para infundir na cabeça das pessoas como deve-se portar diante de uma contrariedade e não usar esse trágico evento para
      punir o resto da população, como vc quer, tirando dela o direito de ter alguma chance defesa da própria vida e da família.
      Evite generalizações.

  7. KKK o deputado parte do pressuposto que todo mundo ganha como ele, o mês termina ms o salário não. Como faz muito tempo que não sabe o que é ganhar pouco, ter que fazer malabarismos com o salário acredita que, baixando o preços das pistolas, revólveres e munição o povo vai deixar de pagar as contas para se “defender” da agressão dos marginais. Deveria se preocupar mais com as filas na porta do PS, UPA e nos hospitais públicos.

  8. Típico de petista:
    -Não gosta de macarrão, quer proibir macarrão para todos, ao invés de apenas ele deixar de comprar.

    Ora, compra quem quer é quem comprar terá que assumir as consequencias pelos seus atos!

    “Fora isso, pensa (?) que a bandidagem ficará com medo e refletirá antes de assaltar. Se os criminosos não temem nem as polícias, que dirá o despreparado “cidadão de bem”. Pelo contrário, fará desse alvo fácil para conseguir mais armamento. ”
    -Os petistas tiveram trinta anos para mudarem alguma coisa e desarmarem os bandidos. E o que aconteceu?

    “Taxa de homicídios cresce 124% nos últimos 30 anos no Brasil”
    Fonte: Último Segundo – iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/taxa-de-homicidios-cresceu-124-nos-ultimos-30-anos-no-brasil/n1597408258382.html

  9. “O cidadão-eleitor não tem saúde, educação, transporte e inúmeros outros direitos respeitados…”

    -ENTENDO…
    -Eu e você só poderemos defender a nossa vida e a nossa família depois que todos os brasileiros tiverem saúde, educação, salário de quatro mil reais e transporte digno, não é mesmo? –Portanto, enquanto isso não acontece, poderemos ter a nossa moradia e a nossa família vilipendiadas.
    -O curioso é que até mesmo uma galinha choca arrisca a própria vida para defender a ninhada a bicadas, mostrando que os brasileiros, ao delegarem a defesa do lar para terceiros, se acovardaram e se tornaram piores do que uma galinha ou um javali!

  10. Aqui também, pelo cabimento: Que as munições para essas armas venham tecnologicamente adaptadas para facilitar a identificação do responsável por uma “bala perdida” ou de crimes até aqui, tidos como insolúveis, conforme:
    ” José guilherme Schossland @ 2009-07-14 15:38

    Diante do que segue, minha sugestão se resume a elaboração de um Decreto Presidencial ou Projeto de Lei, concedendo prazo determinado para que Fabricantes de Armas e Munições em Território Nacional ou suas filiais em outros Países, se adaptem a Tecnologia abaixo transcrita. Esse modelo deverá ser seguido concomitantemente por outras Nações, para fechar o ciclo com êxito total. Será o Brasil, com esse “Coringa”, a expor mundialmente suas consequentes “Cartas na Mesa”.
    A ânsia é tamanha de “identificar= marcar” o ser humano que esquecem de “chipar” um mero projetil, fato esse alcançado que viria a resolver a questão de armas até no tocante à balas perdidas em tiroteios a êsmo e irresponsavéis. Ao buscar e implementar a injeção de um micro-chip em projetil, cuja munição seria fabricada sob encomenda com todos os dados correlatos (do fabricante, do vendedor e do comprador), tanto seu portador como os demais estariam identificados perante os Orgãos Fiscalizadores, pois qualquer arma ou munição portada sem essas características denotaria infringência à Lei então estabelecida. Esse projetil “identificador e responsabilizador” transportaria a atual prova de balística à Idade da Pedra. A uns 10 anos venho insistindo com essa simples mas objetiva idéia e obtenho como resposta o mutismo ou uma alegada perda de lucratividade pelo fabricantes, pois essa medida viria a extirpar o comércio ilegal de armas e munições em qualquer parte do Mundo.
    Há que se buscar essa “proteção dos dados=chip” inserido no projetil e por cujas polaridades “adentraram” todos os dados correlatos, como soe acontecer com as seguras caixas-pretas posteriormente “dissecadas=lidas”. O chip poderá encontrar no próprio projetil como invólucro, sua resistente caixa-preta. No mais, como “auxílio e incentivo” aos Fabricantes e Governos há que se convocar “Pardais” e “Lampadinhas”, e o resto é moleza digo, dificuldades para toda espécie de ilegalidade que até aqui envolve e resulta da questão “Armas”.”
    Extraído, de: https://pelalegitimadefesa.org.br/nblog/?p=287

  11. Adendos, em: “A Hitachi anunciou o desenvolvimento do menor chip RFID do mundo. Medindo apenas 0.15 x 0.15 x 0.0075 mm, a etiqueta eletrônica é menor que o ponto final em um texto impresso. O chip contém uma ROM de 128 Bits, que pode armazenar uma sequência de até 38 caracteres, que serve como “número de série” do item no qual o chip foi colocado. Ele não precisa de uma fonte de energia, nem de nenhum componente adicional: a energia elétrica necessária para o seu funcionamento vem das ondas de rádio emitidas pelo aparelho usado para ler o número gravado.

    Etiquetas RFID são populares como alternativas ao código de barras em sistemas de controle de estoque: podem armazenar o mesmo tipo de informação (um identificador numérico), mas não necessitam de contato direto com o leitor e são muito menores. Alguns países, como os EUA, estão adicionando chips RFID aos passaportes, para armazenamento digital de informações sobre o passageiro, e até mesmo às notas de dinheiro, como medida contra falsificação.”
    https://olhardigital.com.br/noticia/hitachi-desenvolve-o-menor-chip-rfid-do-mundo/3874

  12. Quer uma arma?
    Tire toda a documentação necessária.
    Se fizer MERDA, arque com as pesadíssimas consequências.

    A tese correta é: Se o ladrão imaginar que a vítima pode estar armado ou alguém perto do assalto pode estar armado, sem dúvida nenhuma o covarde pensará mil vezes antes de atacar.

    Se não somos civilizados, e somos despreparados pra portar uma arma, PRA LEGÍTIMA DEFESA, é bom que o otário nervosinho saiba que irá em cana e acabará com a sua vida, pois estará entrando pela porta do inferno no pior dos mundos.

    Ou temos responsabilidade e maturidade de forma natural ou a cadeia ensinará o valentão.
    É o que penso…
    Atenciosamente.

    • -Exato! Cada um que assuma as próprias responsabilidades. Chega do Estado dizer o que eu devo fazer ou ler.

      -Quer se drogar?
      Se drogue e vá para o inferno.

      -Quer usar arma? Quer dirigir bêbado?
      -Assuma o risco, mate um inocente e vá para um inferno pior ainda: os nossos presídios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *