Na tragédia do Museu Nacional, o suicídio de um país que não se preserva

Incêndio destrói o Museu Nacional

É como se fosse a própria imagem do país sendo destruída

Bernardo Mello Franco
O Globo

A destruição do Museu Nacional é uma tragédia para a cultura, a ciência e a história do Brasil. Infelizmente, uma tragédia anunciada. A instituição científica mais antiga do país foi vítima de décadas de descaso. De 2014 para cá, os cortes passaram a afetar até a verba de manutenção. O museu chegou a fechar as portas por falta de pagamento aos funcionários de limpeza e vigilância.

Em junho, a instituição completou 200 anos sem motivo para comemorar. Muitas salas de exposição estavam fechadas. Uma vaquinha virtual pedia doações para reabrir uma delas, que abrigava um enorme fóssil de baleia. A estrutura de madeira estava consumida por cupins.

SEM CONSERVAÇÃO – Apesar do esforço dos servidores da UFRJ, os visitantes podiam notar o péssimo estado de conservação do palácio na Quinta da Boa Vista. O prédio agonizava: reboco caindo, paredes descascadas, fios elétricos expostos. A causa do incêndio ainda não foi divulgada, mas não era preciso ser bombeiro para ver que os riscos estavam lá.

O edifício consumido pelas chamas era tão valioso quanto seu acervo de 20 milhões de peças, que incluía fósseis de dinossauros, múmias egípcias e o crânio mais antigo das Américas. O Palácio de São Cristóvão foi a residência da família real no Brasil. Depois sediou a primeira Assembleia Constituinte da República, que editou a Carta de 1891.

SEM MEMÓRIA – No livro “1808”, que narra a chegada da Corte portuguesa, Laurentino Gomes descreveu o local como “um prédio descuidado e sem memória”. “É como se nesse local a história tivesse sido apagada de propósito”, resumiu. O texto foi publicado há quatro anos. De lá para cá, a situação só piorou.

Segundo funcionários, o último presidente a pisar no museu foi Juscelino Kubitschek, que deixou o poder há 58 anos. Na festa do bicentenário, nenhum ministro apareceu por lá. Agora todos vão dar declarações de pesar e prometer as verbas que sonegaram em nome do ajuste fiscal.

Um país morre um pouco quando destrói a sua própria história. A tragédia deste domingo é uma espécie de suicídio nacional. Um crime contra o nosso passado e contra as gerações futuras.

86 thoughts on “Na tragédia do Museu Nacional, o suicídio de um país que não se preserva

  1. Depois de 200 anos de funcionamento descobriram que o Museu Nacional era feito de madeira. Agora a culpa é do governo, mas o que fizeram os diretores nestes 200 anos???

  2. Concordo com o texto abaixo
    “Não me surpreenderia se esse incêndio for criminoso. Aliás, como um museu pode existir sem uma bela brigada de incêndio, isso em si já é um crime.
    Para alguns grupos ideológicos, o motivo é de festa, já que destruir a memória e a lembrança dos feitos históricos de um povo é dever do partido
    Vejam esse recorte de um comentário do Facebook:
    Lembrando que o Museu Nacional é vinculado à UFRJ.
    E que o reitor da UFRJ, Roberto Leher, é filiado ao PSOL(e detalhe: responde à uma representação da PGR por improbidade administrativa ao ter usado estrutura universidade para promover atos políticos).
    Não bastasse isso quem administra o orçamento de 420 milhões de reais (além do déficit na casa dos 120 milhões) é o pró-reitor de planejamento e finanças Roberto Moreira filiado ao PCdoB.
    Aliás quase todos os pró-reitores são filiados ao PSOL (veja nos comentários).
    O que esperar de um país cujos centros de excelência são dominados por comunistas? É um escárnio. Por João Franchini” – segunda tentativa.

    • O reitor da UFRJ, ocupa tal posição não por sua filiação partidária, mas por sua competência acadêmica reconhecida pelos seus pares. O PSOL está corretíssimo, filiando pessoas qualificadas. Os outros partidos deviam seguir o exemplo e procurar melhores quadros. Agora a culpa decotadas.

  3. “A tragédia no Museu Nacional revela que o brasileiro só dá valor à história, memória, tradição, patrimônio, cultura, ciências e artes quando os perde e é tarde demais.”
    (Flavio Morgenstein)

  4. Pediram empréstimo ao BNDES e outros Bancos estatais, e nada, há 13 anos tentam recuperar e manter o Museu, mas, nada. Durante esses 13 anos BNDES e Bancos Estatais brasileiros “doaram, já que não receberam o que chamaram de empréstimo”, dinheiro do povo brasileiro para os Narcoditadores da América Latina sob ordem expressa dos Presidentes da epoca, o STF não fez nada, o TCU, não fez nada, ninguém fez nada levaram nosso dinheiro a fundo perdido. Nesses mesmos “governos” (já que ninguém pode dizer aqui que Lula e Dilma são partes nessa engrenagem de imoralidades desses 13 anos sob pena de ser taxado de agressivo e reacionário) doaram, também uma Refinaria da Petrobrás na Bolívia (silêncio total do STF contra esse Crime Explicito contra o Brasil e a Petrobrás e assumidos por Lula e Dilma , chamam isso de democracia), silêncio total. Já o Museu Nacional foi abandonado quando os BNDES jogou pelo ralo Bilhões de Reais para sustentar os “Narcoditadores Corruptos da América Latina ! Depois não querem criticar Lula e Dilma como “Pais da Destruição do Brasil” com o grande “Legado desse Mar de Lama” que tão bem ontem foi firmado pela destruição sob abandonos dos governantes do Museu Nacional no Rio de Janeiro. Garanto de que 10% do que foram doados para obras nos países satélites de Narcoditadores Corruptos da América Latina, daria nesses 13 anos de incúria para evitar aquele crime contra o Brasil de ontem à noite no Rio de Janeiro. Silêncio total, Lula e Dilma não sabiam que existia o Museu Nacional precisando de verbas ???? Violência e agressividade é vivermos sequestrados por bandidos e ver as Riquezas nacionais sendo destruídas por bandidos e assaltantes de dinheiro público que se dizem analfabetos e que não sabem de nada e ainda são protegidos e apoiados por seus iguais de todos os poderes e de um povo ignorante que chama ser agressivo quem tenta tirar o país da lama que essa gente colocou uma Nação inteira e seu Povo ! Agressivo e Imoral é termos Lula e Dilma como governantes desse país ! Quando é que o STF vai pedir aos dois para devolverem a Refinaria que o NarcoPresidente da Bolívia roubou da Petrobrás sob anuência e apoio dessas lástimas de maus brasileiros ????? Isso não é crime de Lesa-Pátria desses governantes, hem Gilmar ???

  5. Texto irretocável, do qual comungo:
    “Não me surpreenderia se esse incêndio for criminoso. Aliás, como um museu pode existir sem uma bela brigada de incêndio, isso em si já é um crime.
    Para alguns grupos ideológicos, o motivo é de festa, já que destruir a memória e a lembrança dos feitos históricos de um povo é dever do partido
    Vejam esse recorte de um comentário do Facebook::
    Lembrando que o Museu Nacional é vinculado à UFRJ.
    E que o reitor da UFRJ, Roberto Leher, é filiado ao PSOL(e detalhe: responde à uma representação da PGR por improbidade administrativa ao ter usado estrutura universidade para promover atos políticos).
    Não bastasse isso quem administra o orçamento de 420 milhões de reais (além do déficit na casa dos 120 milhões) é o pró-reitor de planejamento e finanças Roberto Moreira filiado ao PCdoB.
    Aliás quase todos os pró-reitores são filiados ao PSOL (veja nos comentários).
    O que esperar de um país cujos centros de excelência são dominados por comunistas? É um escárnio. Por João Franchini”

    “Esse é o preço que toda a nação DEVE pagar por entregar sua História e sua Cultura aos cuidados de um Ministério aparelhado por pederastas, ladrões, alcoólatras, sindicalistas e maconheiros do PT, PSOL e PCdoB.”

    Não me admira se a “generosa” fundação Globo “doar” milhões para reconstruí-lo e, de posse dele, seu objetivo, transformá – lo em um museu GAY ou outro tipo para doutrinação comunista. Escrevam o que estou dizendo…

    • O desprezível “museu” gay, Queermuseu recebeu R$800 mil pela repugnante Lei Rouanet, enquanto o Museu Nacional, esse sim sério e importante para a nossa história, R$300 mil, enquanto que necessitava de mais de R$500mil/mês para somente a sua manutenção. Vergonhoso um país que gasta todo seu dinheiro para patrocinar “arte” duvidosa e seus “artistas e intelectuais” duvidosos. Lei Rouanet para patrocinar “peças” como “macaquinhos”, na qual fazem uma roda todos pelados e um cheirando a bunda do outro, aí a torneira de dinheiro está aberta… “Esse é o preço que toda a nação DEVE pagar por entregar sua História e sua Cultura aos cuidados de um Ministério aparelhado por pederastas, ladrões, alcoólatras, sindicalistas e maconheiros do PT, PSOL e PCdoB.”

  6. Repassando conforme recebido – Texto de Mariza Flórido César..

    “Esse é nosso retrato. Somos nós que morremos aqui. Sentimento de fim de país, de fim de mundo, de fim de humanidade. Bem-vinda barbárie sem mais nenhum documento de cultura (desnecessário mantê-los). Sem ciência sem cultura, sem história, sem pesquisa, sem universidades públicas.
    Os bancos passam bem, obrigada!”

  7. R$1.200.000.000.00
    Um BILHAO de Reais
    Pra esse tipo de cultura:

    ♪♫♪♫
    “Adivinha quem voltou?!
    Fui eu!! Eu enganei voces!!
    Que sabe porque eu voltei??
    Tiririca e federal!
    Porque os outros, tá tudo preso!
    Eu não!! Eu to solto!! Eu to livre!
    É nóis meninos!”
    ♪♫♪♫

    Equipamentos audiovisuais moderníssimos
    Não dão curto circuito em sala nenhuma
    Fortunas, Monicas , Santanas, Tiriricas,
    E somos obrigados a pagar por tudo isso…

    QUANDO ESSA MERDA TODA VAI PARAR NUM MUSEU PRA GENTE QUEIMAR??

  8. Perda incalculável para o Brasil. Especializado em história natural, é o maior museu dessa área na América Latina e o mais antigo centro de ciência do país. Foi inaugurado em junho de 1818. Em 2015 ficou um tempão fechado para visitantes, por falta de verba para pagar serviços de limpeza.
    Muito descaso!
    Desculpe-me se não entendo, mas fico me perguntando se a Lei Rouanet não poderia ter ajudado o Museu?

    • Não.
      A Lei Rouanet foi criada para sustentar a malandragem da tal MPB que se sabe, com seus hinos ideológicos, encaixa-se com o bom e velho pensamente da nossa esquerdinha.

      Evidentemente que se sobrasse um troquinho dessa tal Lei espúria para pagar alguns seguranças, essa tragédia poderia ser evitada

  9. “O preço da nossa alienação: é só olhar o fogo consumindo a prova material de nossas raízes. Ele fala para nossas consciências . Elegemos gente que não se importa com o Brasil. E na Semana da Pátria. Que aviso a 35 dias de decisões!”

    Alexandre Garcia

  10. Esta catástrofe é retrato fiel do estado brasileiro, que o povo adora com seu sentimentalismo piegas, que a criminalidade política explora com o bom e velho populismo de esquerda.
    Sem nenhuma racionalidade fundamentada em fatos.
    Com isso, onde se devia empregar o dinheiro público com a saúde, educação, cultura e segurança, não acontece pelo desperdício e a corrupção.
    Um exemplo disso é o nosso ensino básico e técnico, está formando analfabetos. Em contra partida as nossas péssimas universidades, que deveriam ser privatizadas, recebem uma fortuna por render votos e que deveria ser direcionada para o ensino fundamental.

  11. Me pergunto porquê tão histórico prédio tem que ser mantido pelo poder público como muitos outros no país. O museu imperial de petropolis, na região serrana do RJ é mantido com a venda de ingressos e dotação pertencente a um dos ramos da família imperial que reside na região. Encontra-se sempre impecável para receber milhares de turistas anualmente.

      • Elá já o é acessível somente aos ricos, os pobres, pela péssima formação nas péssimas escolas publicas são tão desinformados que vão ficar chocados quando o projac incendiar, pois é o que se conhecem são obrigados a conviver com os pseudos programas culturais das emissoras grátis.
        Mas o que impede de existir uma carteira para quem desejar, um passe ou o que seja para tais eventos, poderia sim todo aluno matriculado em escola publica passe livre, e quem tem dinheiro ajuda a sustentar a cultura mesmo que compulsoriamente, ou quem tem dinheiro pra tais gastos vai se evadir por questão de uma merreca. Não estou a defender uma classe nem outra estou a defender que a coisa exista e persista, sustentavelmente, visto que realmente preservação cultural não é mais importante que saúde educação segurança entre outras prioridade, e sim isso sim é cidadania cooperar para que o bem comum prospere, mesmo que compulsoriamente.
        Ou alguns dos ilustres entrou grátis em todos os museus em suas viagens mundo afora.

  12. Um País que gasta bilhões para manter a câmara e o senado,

    http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/politica/pernambuco/noticia/2018/04/29/a-camara-dos-deputados-e-o-senado-custam-r-28-milhoes-por-dia-337332.php

    um País que gasta bilhões para manter um poder judiciário ineficiente e lerdo.

    https://congressoemfoco.uol.com.br/especial/noticias/poder-judiciario-custou-mais-de-r-84-bilhoes-ao-pais-em-2016/

    Um País que os primeiros cortes de verbas são direcionados para saúde, educação e cultura. Podemos esperar o quê?

    O nosso povo ainda continua votando nestas merdas sejam de esquerda o direita. Uma grande parcela de nosso povo merece comer merda e ainda almber o beiço.

  13. Quero saber quando foi a ultima vistoria feita no prédio do Museu Nacional pelo CBMRJ exigências e prioridades?
    Quero saber quando foi feita a autovistoria, lei do Município do Rio de Janeiro devendo ser executada a cada cinco anos, pendências e seus de prazos de solução?
    Quero saber qual é o Plano de Conservação e Manutenção Predial do Museu Nacional, segundo reportagem responsabilidade é da UFRJ? Se é que existe.
    Estado e Município vão alegar que a responsabilidade é da UFRJ, governo federal. Como sempre, nestes casos para desculpar a incompetência, existe o jogo do empurra, empurra, e quem sai perdendo é o povo.
    Agora só falta acontecer o mesmo com a Biblioteca Nacional e o Museu de Belas Artes.
    Isto é uma vergonha!

  14. O Museu Nacional segue, neste momento, cumprindo a sua função: a de nos mostrar que é preciso conhecer o que fomos e refletir sobre onde nos leva a trajetória humana, especialmente a brasileira.

    Olhar para suas ruínas é olhar para um país que está se consumindo pelo descaso com o que é seu, uma terra na qual os cupins do “corta, corta” destroem tudo para alimentar a fogueira financeira onde somos queimados e que ontem lançou suas labaredas sobre o museu, seus guardados e suas pesquisas que, teimosamente, insistiam em continuar.

    Afinal de contas, para quê, se destas pesquisas não saem softwares, gadgets, tecnologias para startups?

    Conhecimento que não gera dinheiro rápido é uma bobagem, não é? “Eu só quero saber do que pode dar certo, não tenho tempo a perder”, canta o hino dos tempos neoliberais.

    Afinal, herança que interessa são fazendas, apartamentos, investimentos que se acumulam, para produzir gerações de inúteis que deles vivam, além de uma camada de executivos que disso cuidem e façam render.

    Não faltará logo quem proponha uma “parceria-público-privada”, para cuidar da velharia em troca dos ingressos, dos royalties de marcas e de souvenirs para, quem sabe, rebatizar o que sairá daquelas cinzas como “Palácio Itaú de História”.

    Não sei se, no mundo dos fatos, o fogo veio de uma emenda de fios desencapada, de uma lâmpada em curto, de um acidente, fortuito, que o descaso fez virar tragédia.

    Cá comigo acho que, no mundo dos símbolos, que usam os fatos como matéria-prima, o velho prédio imolou-se, resolveu arder em chamas contra a burrice, contra o obscurantismo, contra a estupidez dos cupins cortadores que, a esta altura, devem estar achando que aquilo ocorreu porque era um prédio antigo, ultrapassado, inútil.

    Como é ultrapassada e inútil a História.

    Tal e qual um budista, impávido, o velho prédio imolou-se para que todos vissem arder de súbito, em chamas e calor, a destruição fria e indiferente em que o queimamos durante décadas.

    Exatamente como fazemos com o Brasil.

    https://goo.gl/mG1Hsr

    • Deverias clarificar porque o teu partido, o PT abandou a cultura e passou a cultuar os malandros, ordinários que só sabem sugar o dinheiro público. O PT é o lixo da cultura brasileira e, quem apóia o PT é lixo também Devias ter vergonha de dar a cara aqui na Tribuna.

      • Hipocrisia é votar em um boçal que diz que vai extinguir o Ministério da Cultura e vir aqui com o rosto encharcado de lágrimas de crocodilo.
        Belo texto Sr. Alex, engrandece esse blogue que contrariando alguns energúmenos, ainda está “sob o signo da liberdade”.

        • Quem votou no boçal Temer, que se propôs a extinguir o MC e não o fez e continuou dando dinheiro para a camarilha de sempre, foram os petistas. Ministério da Cultura para promover livrinho de putaria, realmente não é necessário.

          • ‘Craro’ que não! Acabamos com essa porra de Ministerio da Cultura!
            Sobra o que?
            O livrinho!….

            Oferecimento:

            Instituto Universal Brasileiro

            Cursos profissionalizantes, técnicos e supletivos médio e fundamental. Cursos online e apostilados com certificado.
            Tradição em BOLSONALDOS desde 1941.

  15. Os políticos eleitos não costumam se preocupar com questões históricas, até porque a corrupção tende a torná-los vilões nos futuros relatos dos livros de história.

    O que aconteceu pode aumentar a força de possíveis privatizações de museus. Afinal, o museu tinha potencial de lucro e sustentabilidade administrativa, mas não foi levado em conta pelos gestores públicos.

  16. O autor esqueceu de dizer que é um entusiasta e defensor dos petistas e psolistas que têm grande responsabilidade sobre o que aconteceu.
    A cara de pau é outra marca dessa esquerda nefasta que vem levando cada vez mais o Brasil para o buraco!

  17. No paraíso dos “Bandidos Lulopetralhas Fanáticos dos 3 Podresres” só pode dar nisso, quem não gosta de Leitura e Escrever , se diz preguiçoso, e só sabe roubar tomando conta de uma Nação só beneficia seus iguais !!! Onde estão as Altas Cortes do Brasil para perderem dinheiro e dias soltando criminosos e traidores do Brasil que são os grandes responsáveis por esse descaso e desprezo para com nossa Cultura, nossa História e a Vida Nacional ??? Ninguém vai citar a ONU para salvar o Brasil dizendo que é culpa de nossa Constituição ??? Tristes Trópicos !!!!

  18. Enquanto o Estado Islâmico destruía o acervo e história mundial, o poder no Brasil ajudava a destruir um outro acervo também de interesse mundial. Se quisermos conhecer a história deste país precisaremos visitar museus de fora do Brasil. Desde 2014, a instituição não vinha recebendo a verba de R$ 520 mil anuais que bancavam sua manutenção. Evidentemente seu acervo e isso inclui telas de pintores famosos, tem um valor incalculável, foram destruídos, ou pior, podem aparecer algumas em mãos de particulares.

  19. Por mais que faltasse verba e tudo mais, temos ainda que adicionar isto a incompetência administrativa do museu, que no minimo calada ficou, para não perder a boquinha.
    Por esse e outros motivos tais postos de responsabilidade, não devem ter cunho politico e sim profissional, permitindo responsabilização dos atos praticados para o bem ou para o mal.
    Como sempre quem vai levar a culpa é a falta de verbas, e fica o dito pelo não dito. Sem a devida responsabilização e as devidas punições, nunca, nunca seremos capazes de ter gestões competentes das coisas publica, seja de que nível for.

    • Estive neste museu, diversas vezes. A última, com meu filho. O descuido era evidente. Muitos como eu notaram. Também me sinto culpado. Todos os que notaram o descaso com o museu tinham o dever cívico de protestar. Talvez não mudasse coisa alguma, mas era nossa obrigação.

      • Franco, o maior sinal de civilidade que presenciei em minha vida foi em meados da década de 90 em uma escola publica de periferia.
        Era uma escola de periferia barra pesada, um diretor negro, com uma população de nível escolar baixo.
        A escola funcionava de segunda a segunda, de 7 as 23 hs, não tinha um vidro quebrado, um muro pichado, sua estrutura toda conservada, elétrica, hidráulica, pintura, mobiliário, já contava um uma sala de informatica e a adm era informatizada, exemplarmente conservados e mantidos pelo comprometimento de toda a comunidade, usuária do espaço, a responsabilidade do gestor em implementar uma gestão eficiente e colaborativa surtiu então efeito onde trouce cidadania e dignidade a todos os envolvidos em inúmeros aspectos não só na escola, mas nos indivíduos da comunidade.
        O envolvimento bissexto da sociedade não resolve nada, temos de acabar com ele e transformar em um envolvimento colaborativo continuo tal qual descrevi rapidamente, esse sim faz sentido promove a cidadania, civilidade, e aculturamento do povo.

  20. Uma tragédia total. Absolutamente revoltante.
    Conseqüência não só do descaso e da irresponsabilidade dos nossos governantes preocupados apenas com ostentações tolas e enriquecimento pessoal, mas também do lamentável desinteresse de grande parte da população brasileira por questões culturais, artísticas e científicas. Infelizmente, para muitos brasileiros dinheiro é a única coisa que importa. Pra que se importar com museus, bibliotecas, pinacotecas? isso não dá dinheiro…
    O descaso brasileiro por assuntos intelectuais rivaliza com o dos americanos, notórios cultuadores da burrice. Para muitos brasileiros, universidades são apenas lugares onde se tira um diploma de “dotô” para se obter um emprego de “dotô”, e daí em diante nunca mais pegar num livro, e passar a vida assistindo novelas e programas de auditório na TV. Pessoas com uma mentalidade dessa nunca vão se importar com a falta de dinheiro para a preservação de nossa cultura e história.

  21. Um dos dias mais tristes da história do Brasil. Perdemos um pedaço importante de nossa história. O descaso é total.

    A República nunca deu ceeto no Brasil. É fracasso em cima de fracasso.

  22. O auxilio moradia e todas as mordomias dos nossos ilustres ministros, parlamentares e administradores vai bem também. Nada de corte de orçamento desses beneficios De acordo com o Reitor da UFRJ havia dificuldades grandes por corte do orçamento para a manutenção do Museu.

  23. A reitoria da UFRJ não tem competência para cuidar de seu patrimônio. O hospital do Fundo desabou por falta de conservação. Outro hospital no Centro da cidade nunca termina sua reforma. Diversos prédios sem manutenção. Falta de segurança nos seus campi etc. Os ministério da cultura e da educação, durante o reinado da organização criminosa dos corruPTos foram uma sucessão de desastres. Serviram apenas para drenarem recursos para pseudos intelectuais darem seus espetáculos deprimentes nos palcos e em exposições ordinárias!

  24. Bilhões e bilhões são queimados anualmente pela corrupção endêmica e disseminada neste país. E muitos nada falam, ou até justificam a corrupção de formas mais absurdas.

    Mas quando um museu mal conservado sofre um incêndio, também resultado da corrupção que queima verbas, todos saem a gritar pelas redes sociais.

    Ora, ora…

      • Isso é fruto da leniencia dos mal feitos, da impunidade, se o gerente responsável pelo local fosse ser punido por ocorrências desastrosas em sua gestão com toda certeza o camarada visto arcaria com o ônus de mazelas passadas botaria a boca no trombone a denunciar e reclamar o descaso, ou até mesmo fecharia o museu.
        Escrever e-mail pros superiores é só pra salvar o rabo dele.

        • Não vai acontecer nada. Num país em que uma tragédia que resulta em mais de 200 mortos, como a da boate Kiss, não dá em nada, quem vai ser punido pelo incêndio de um museu, ainda que um seja um museu da importância do Museu Nacional?

          O desapego e a ignorância do brasileiro pela própria cultura e história já é proverbial.

  25. Não se pode descartar esse evento como um atentado terrorista da esquerda, já que ela não aceita a história como ela é e precisa criar mentiras no seu lugar para construir o tal “maravilhoso” futuro socialista.

    Lembremos das invasões e destruições promovidas pelo MST, Black Blocs,etc;

    • Lembremos que a esquerda não se cansa de prometer pegar em armas conforme declarações de seus líderes aqui no Brasil.
      É de sua praxe a pregação do ódio que a acaba levanda àa vias de fato..

      “Eu odeio a classe média” Marilene Chaui

  26. Deplorável. Sem palavras.
    Os maiores e melhores governantes do Brasil, viveram e trabalharam nesta construção que foi sede do Poder Imperial.
    Um país que expulsou seu Defensor Perpétuo – o Imperador – é amaldiçoado.
    O que assistimos foi uma destruição civilizacional. Irrecuperável.

  27. Só o que a Dilma e, agora o Lula recebem indevidamente seria o suficiente para ter mantido o Museu fora da zona de perigo. Quantos bilhões estamos gastando com a eleição deste ano e quantos bilhões o PT jogou no lixo com a Copa e as Olimpíadas? O incêndio do Museu Nacional é mais um 7×1 no brasileiro honesto.

  28. Mesmo a distancia, sem maiores informações detalhadas e isentas sobre o assunto, acho que devemos considerar:

    Pela primeira matéria da globo em que vi o incêndio, deduzi imediatamente que deveria ser criminoso.

    Como um prédio em U com uma patio no meio, se consome em fogo quase que totalmente ao mesmo tempo?

    O fogo correu pelos corredores?
    Atravessou o jardim?
    Como os bombeiros não tiveram noção da tragédia e deslocarm todo efetivo possivel e optaram por começar o combate com hidrantes meia boca?

    Para que servem os bombeiros se num grande incêndio, numa área acessível (não são prédios altos) de localização próxima, não conseguem responder com a urgência e capacidade necessárias ?? So para tragedinhas?

    Por que consideramos e aceitamos a grita da esquerda festiva sobre a necessidade da lei Roanet, para peças de teatro, declamações e poesias, livros de qualidade duvidosas e não desviamos estes recursos para o museu por exemplo?

    Então não e uma tragedia, é uam opção deliberada

    A quem interessa é a questao

  29. Mas para arte questionável, menos importante, de mau gosto e desprezível sempre tem não?

    “O Museu precisava de 600 mil ao ano para sobreviver. O governo federal e a classe artística brasileira tinham outros planos.
    Vamos lembrar pra onde vai o dinheiro da cultura no Brasil.

    Documentário que contará a história e a vida de José Dirceu – R$ 1.526.536,35

    DVD de MC Guimê – R$ 516 mil

    O Mundo Precisa de Poesia – Maria Bethânia – R$ 1,3 milhão

    Turnê Luan Santana: Nosso Tempo é Hoje Parte II – R$ 4,1 milhões

    Turnê Detonautas – R$ 1 milhão

    Shows Cláudia Leitte – R$ 5,8 milhões

    Filme Brizola, Tempos de Luta e exposição Um brasileiro chamado Brizola – R$ 1,9 milhão

    Peppa Pig – R$ 1,7 milhão

    Painel Artístico Club A São Paulo – R$ 5,7 milhões

    Shrek, O Musical e Turnê – R$ 17,8 milhões

    Cirque Du Soleil – R$ 9,4 milhões

    Queermuseu – R$ 800 mil

    Livro com fotos de Chico Buarque – R$ 414 mil

    Museu Lula – 7,9 milhões”

    • O marxismo e governos prepotentes e homicidas, permitem a destruição da história, para que nos esqueçamos quem nos somos, criando coisas novas, progressistas, para destruir nossa memória.

      • Daniela
        Me permita entrar nos dados que também buscava na internet.

        Dinheiro existe e é liberado, mas as prioridades é que são mal escolhidas.

        Pergunto: quanto foi DESVIADO na e para a Lei Rouanet durante os últimos 10, 15 anos?

        A maioria acha que o valor destinado a “cultura”, muito bem relacionada no teu texto (e outras dezenas, centenas de iguais e/ou piores), saiu da chuva! É dinheiro sacado do IRPJ. Todos se beneficiam, mas a cultura real é a menor beneficiada.

        O triste é são as avaliações desairosas e fora da casinha;; as comparações idiotas e a tentativa de atacar ou defender aqueles que são os responsáveis.
        Entendo que, também neste caso, a sociedade também uma grande cota de responsabilidade.

        A lamentar que semana que vem, este assunto estará soterrado por outros tantos.

        Abraço e cumprimentos pela assertiva de seu texto.
        Fallavena

        • Sim
          Veja:
          Reitoria da UFRJ responsável pela manutenção e suporte ao Museu Nacional:

          Reitor: ROBERTO LEHER – filiado ao PSOL;
          Vice-reitora: DENISE FERNANDES LOPEZ – filiada ao PSOL;
          Pró-reitor de graduação: EDUARDO GONCALVES – filiado ao PCB;
          Pró-Reitor de Planejamento, Desenvolvimento e Finanças: ROBERTO ANTONIO GAMBINE MOREIRA – filiado ao PC DO B;
          Pró-Reitora de Extensão: MARIA MELLO DE MALTA – filiada ao PSOL;
          Pró-Reitor de Pessoal: AGNALDO FERNANDES – filiado ao PSOL;
          Decano do CCJE: VITOR MARIO IORIO – filiado ao PSOL

    • Ou seja, o dinheiro da Lei Rouanet vai principalmente para eventos facilmente vendáveis que não precisariam de incentivos públicos. Peppa Pig, Shrek?Altamente relevantes para a cultura, naturalmente…
      Existe um Museu Lula?

    • █17█ PSL – R$ 101.000.000,00

      Cento e um milhões em ‘cash’ para o Bozónaldio fazer papel de palhaço segurando tripé do áudio como se fosse um fuzil, gritando e pregando a toda população o ‘seu livro’ dizendo o que cada um deve fazer com seu pinto…

      Um Zé Chumbinho, um complexado….

      https://www.gazetadopovo.com.br/eleicoes/2018/quanto-cada-partido-vai-ganhar-do-contribuinte-brasileiro-para-fazer-campanha-em-2018-ec8uzqrey96bmoqi3dhjgtvt3

  30. A Julia Duailibi (que, cuja feição, dá uma substituta de Múmia PERFEITA pro museu! é só calar a boca dela e já tá pronta pro acervo!), há pouco, na GloboNEWS, mostrou quantas vezes os temas CULTURA e MUSEU aparecem nos programas dos principais candidatos a Presidência….

    Apenas um programa menciona orçamento, do Ciro Gomes, que tem duas páginas sobre Cultura .
    O outro lado da moeda e o guardinha 17 biruta que menciona extinguir o Ministério da Cultura….

    E a Groubo lançou a nota certa, finalmente “Como ter pais do futuro se nao cuidamos do passado”

    Não duvido dessaessa possibilidade nine-eleven’ica por tras disso… A corja do Temer libera o dinheiro para obras em Junho 2018 mas incendeia o prédio em Setembro…
    Fim de feira, o rapa pra garantir mais frutily continua…
    Se a coisa (a Quinta) entornar para a o lado da iniciativa privada estará desmascarando que foi isso mesmo.
    O pior foi ver a impossibilidade de todos em conter o fogo…

  31. Outra coisa que ninguém faz nada:

    BLAIRO MAGGI o HITLER MUSSOLINI DOS INFERNOS, destrói o equivalente a uns 5 Museus Nacionais por DIA, fazendo essa política do Agronegócio ASSASSINA e MORTAL, que extermina as chances de um futuro para gerações que ainda nem chegaram… E tá lá o FDP, cargo de ministro, só no Häagen-Dazs.
    Lastimável, fim do mundo…

    O Mercado, o picolé, a violência, a destruição, as escolhas brasileiras….

  32. Impossível não lamentar o incêndio no Museu Nacional no Rio de Janeiro. Além do valor cultural, se constituia também num programa de família, o museu e a Quinta da boa Vista, nas tardes de domingo. Fui ali diversas vezes. Mas… a ruína que restou do museu é apenas um retrato em cinzas de como está o Brasil. Os últimos governantes propiciaram esta tragédia. Não foi o bem comum que eles vislumbraram, mas o ideológico. Por conta disso, deixaram em cinzas a moral da nação; deixaram em cinzas o dever em cumprir as leis; deixaram em cinzas os bons costumes e os bons princípios; deixaram em cinzas as relações internacionais com os outros países, exceto o que com eles professam o mesmo infausto perfil ideológico; deixaram em cinzas a segurança do povo; deixaram em cinzas o erário público; deixaram em cinzas a educação escolar, do tenro até o mais alto nível; deixaram em cinzas os três poderes; deixaram em cinzas o emprego do trabalhador; deixaram em cinzas…. Esta foi e será a intenção desta ideologia: apagar da memória do povo suas raízes e estampar a face do retrógado e mal fadado ideal que chamam de “revolucionário” e “progressista”. Nada é mais retrógado do que desacreditar em Deus e nos princípios que preceituam sua poderosa Palavra. Contudo, não deixarão em cinzas a memória viva do brasileiro que jamais esquecerá a desgraça que torneou o país nestes últimos anos.

  33. Agora irão dizer que faltava plano de segurança contra incêndio!
    Depois das perdas, as reclamações. Certamente pessoas farão comparações com prioridades. Se falta hospital, remédio, emprego e tantas coisas mais, por que teria de gastar-se com “coisas velhas”?
    Alguns encontrarão melhor uso para a área.
    Num país em que, na era da informática a moral e a ética andam a cavalo, cultura é coisa da burguesia.
    Estou feliz de ter tido a oportunidade de conhecer o Museu Nacional (Rio de Janeiro). Lá estive por duas vezes. Já meu neto poderá conhece-lo por filmagens e fotos.
    Tal qual se diz quando desencarna um brasileiro que produziu coisas boas e positivas para o país e seu povo, hoje é um dia triste. Nosso país está um pouco mais pobre culturalmente.

    Não precisava ser mágico ou ter bola de cristal. As acusações e nenhuma responsabilização foram as primeiras desculpas.
    Agora virão as manifestações, as soluções dos incompetentes.
    E alguém será responsabilizado? O que dirá a UFRJ? O MEC, já disse! Interessante. Ninguém, pelo menos não encontrei, alguém que denunciou os riscos que corria o prédio e o acervo histórico, patrimônio brasileiro e da humanidade.
    Enfim, é mais uma prova/mostra da falta de qualidade de nossas autoridades e dos reais responsáveis pela guarda diária de tais acervos e de tantos outros que ainda encontram-se “vivos”.
    As primeiras justificativas passam pela “falta de verbas”. Alguma novidade?
    Do outro lado, a falta de cultura do povo brasileiro. Desta, é preciso falar-se com mais tempo e mais profundidade.
    Fallavena

  34. Não podemos esquecer que a esquerda anda prometendo reações violentas pelas suas perdas de poder político no país.
    Lembremos também que faz parte dessa ideologia nefasta a animosidade contra a História do país.
    Enfim, para mim esse incêndio foi criminoso.
    Pelas imagens do alto vê-se que o incêndio não deu mostras de ter começado numa área. Atingiu por igual todos os departamentos, o que demonstra que foi provocado em cada um deles separadamente.

  35. Fico imaginando o que se está dizendo lá no Exterior, aquilo que podemos antecipar, que vivemos em uma terra de selvagens, de bárbaros, de gente que perde mais tempo com diversão do que com a tão falada “educação”. Quem é que se preocupa com museus neste País? Só quando eles ardem em chamas, aí começamos a procurar culpados para culpar, é a tal Síndrome da Porta Arrombada. Quem é o culpado por mais esta tragédia brasileira?

  36. Ou mudamos esta forma de governar este ano ou teremos um país em chamas em não muito tempo. O governo Temer para mostrar, agora a todo planeta, falta de grana, barrou o reajuste do funcionalismo federal. Vamos ver, nas mãos de quem este abacaxi para parar quando parar a música.

  37. Se não me falha a memória, a Reitoria da UFRJ é responsável pela manutenção e suporte a serem conferidos ao Museu Nacional, ontem, destruído pelo fogo que o arruinou.
    Também se não me falha a memória, o Reitor da UFRJ é filiado ao PSOL e algumas vice-reitorias também estão com membros do próprio PSOL e do PCdoB.
    O que nós brasileiros podemos esperar de um país cujos centros acadêmicos são dominados por essa dessa desclassificada classe política?
    TUDO hoje no Brasil é um ESCÁRNIO!
    A propósito, desse incêndio que ontem destruiu o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, que destruiu o passado, abaixo transcrevo o excelente artigo sobre essa tragédia brasileira.

    O Dia Em Que o Passado Morreu

    Por José Roitberg

    O fogo é a vida.

    O fogo é a comida.

    O fogo é a indústria.

    O fogo é a morte, a desagregação catastrófica final das moléculas, cujos átomos básicos voltam a ser o que sempre foram: poeira estrelar.

    O passado do Brasil morreu hoje.

    Não foi assassinado, espero eu.

    Tivesse sido, qual poderia ser a pena ao assassino?

    Um dia de cadeia por cada peça destruída do acervo?

    Vinte milhões de dias numa cela de 4 metros quadrados olhando para a parede?

    Talvez fosse uma pena pequena, apenas uma compensação material por assassinato de vinte milhões de bens imateriais, pertencentes a toda a humanidade, e sob guarda de bosta logo da UFRJ, logo da minha universidade.

    A UFRJ não consegue manter nem o traseiro do reitor.

    Não consegue manter sequer seu hospital como um hospital de excelência.

    A UFRJ se recusa a permitir a PM (estadual) em seus domínios feudais ideológicos de esquerda política federal.

    A UFRJ teve, há poucos anos atrás o incêndio provocado por imperícia durante uma obra que destruiu a área historicamente mais importante do Campus da Praia Vermelha (28/mar/2011), a capela do século XIX.

    A UFRJ sofreu vários incêndios em seus prédios na Ilha do Fundão: (5/out/2016), incêndio do Prédio da Reitoria; (1/mar/2017), incêndio do último andar do prédio da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo; (21/fev/2018), incêndio no Prédio do Alojamento dos Alunos; (23/mai/2018), princípio de incêndio no Hospital do Fundão.

    Se continuarmos a lista o leitor poderá até imaginar que incêndios são atividades normais nos prédios mal-geridos pela UFRJ.

    Você vai se arriscar a perguntar se havia sistema obrigatório anti-incêndio nos prédios controlados pela UFRJ?

    E dentro desta estupidez gerencial, hoje a UFRJ e seu reitor, perderam o sexto maior museu de antropologia do mundo, perderam a história da fauna pré-histórica no Brasil, perderam o último palácio imperial e a penúltima sala do trono existente nas Américas (pois nos restou a do Palácio de Verão de Petrópolis), perderam a maior coleção de insetos da humanidade, perderam um sem número de insetos, animais vertebrados e invertebrados extintos, perderam múmias valiosíssimas, perderam cerâmicas indígenas de mais de 3.000 anos, perderam o corpo do ser humano mais antigo encontrado nas Américas, a Luzia, mas o reitor, que nem sei quem é, não vai perder o cargo.

    As peças da história do Primeiro Reinado, anteriores e posteriores não existem mais.

    Neste momento não sabemos se a coleção de milhares de fotografias adquiridas ao longo dos anos por D. Pedro II estavam lá na Quinta ou em outro lugar.

    Trata-se do maior acervo mundial dos primórdios da fotografia em peças únicas e originais.

    Fosse na Europa ou EUA, o reitor já teria renunciado envolto pela vergonha.

    Fosse no Japão, seria encontrado morto em sua casa com o estômago aberto, a única forma de demonstrar a vergonha pela culpa.

    Falo em culpa, pois é culpa deste reitor, do anterior, do anterior, do anterior e de todos antes deles, a PÉSSIMA situação física do Palácio Imperial da Quinta da Boa Vista, prédio com exatos 200 anos.

    Qualquer visitante lá poderia constatar fiações expostas e gambiarras elétricas.

    É muito provável que uma delas tenha sido a causadora da devastação total.

    É culpa do reitor não ter dinheiro para manter o Museu?

    Não.

    É culpa do GOVERNO FEDERAL, e do Ministério da Educação, pois a UFRJ é universidade federal.

    É culpa do reitor o Museu estar nas condições fatais constatadas hoje?

    É.

    É o mesmo tipo de culpa que eu conheci desde a minha entrada na UFRJ, com uma fila de super-doutores de esquerda procurando as benesses da reitoria mas não o fardo da reitoria.

    Reitores e Decanos que NÃO ACEITAVAM DOAÇÕES DE EMPRESAS, alegando não aceitarem dinheiro de burgueses capitalistas.

    Reitores que preferem as instalações miseráveis beneplácitas de um governo falido, a terem acordos de patrocínios com empresas, como em todo o mundo.

    Reitores e sindicatos estúpidos de funcionários que mantém o Canecão em ruínas, talvez esperando que alguém taque fogo lá.

    O Museu da Quinta da Boa Vista ser gerido por uma UFRJ incapaz de manter seus próprios banheiros sem mijo e fezes no chão sempre foi uma luta de poder político e uma situação anormal para nossa cultura.

    Nenhum governo do mundo permitiria um descaso com um acervo DA HUMANIDADE como cada um dos governos brasileiros permitiu.

    É claro que o Museu da Quinta da Boa Vista deveria ter virado fundação ou ONG há muito tempo.

    Muitos pretenderam isto, mas sindicatos controlados pelo PSTU sempre determinaram o Não.

    A imolação de todo o acervo neste dia 2 de setembro de 2018, aniversário a assinatura da Independência do Brasil pela Princesa Leopoldina, tem o caráter poético do suicídio de uma nação.

    Como se o acervo único estivesse cansado de ser tratado como lixo, como se não estivesse mais disposto a encantar os poucos visitantes que ainda se importavam com o passado.

    É como se o acervo, composto em sua maioria por cadáveres ou peças que pertenceram a cadáveres, cometesse um suicídio final a prova de falhas.

    Como se os milhões de cadáveres de insetos, animais e algumas pessoas, tivesse decidido descansar em paz e não mais ficar às vistas de curiosos.

    Nós, gente, povo, historiadores, pesquisadores, estamos arrasados.

    E eles, reitores, diretores, ministros, presidentes?

    Como estão?

    A reserva técnica virou cinzas também.

    As fichas dos 20 milhões de itens, suas notas, as pesquisas sobre cada um deles, provavelmente não existem mais.

    Eu ficaria muito surpreso se houvesse um disco de computador, fora do prédio destruído, que armazenasse algumas dezenas de milhões de fotos englobando todas as peças no acervo, de vários ângulos.

    Isso permitiria remontar o museu virtualmente, mas acho improvável a existência deste arquivo.

    O acervo físico nunca poderá ser refeito.

    A quase totalidade dos 220 milhões de brasileiros não sabem o que foi perdido e não darão pela falta.

    E é claro, para nós, judeus, existia lá uma pequena parte de nossa história, uma única peça entre as 20 milhões e nem podemos chorar apenas por ela: era o rolo de Torá em couro que D. Pedro II comprou em Jerusalém quando lá esteve.

    Por vezes saia de lá para alguma pesquisa.

    Será que sobreviveu?

    A imagem neste post é a foto oficial do ex-Museu Nacional.

    E como falamos dos átomos quebrados pelo fogo que voltaram às estrelas, em alguns dias teremos a notícia de que o meteorito do Bendegó, o maior encontrado nas Américas, no ano de 1784, resistiu e será a peça emblemática de um futuro memorial ao passado do Brasil que morreu neste dia. (na foto deste post do blog Malas Prontas).

    Pesadíssimo, nunca passou do hall de entrada do Palácio, onde estava exposto desde o ano de 1888.

    Eu só espero, mas preciso levantar esta possibilidade, que o incêndio não tenha sido apenas um crime para encobrir o roubo de algumas peças muito caras e muito importantes.

    Ah, um detalhe.

    Era proibido tirar fotos lá dentro, como se a história fosse um segredo.

    Então, pouco há que mostrar.

    Se eu disser a você que o site oficial http://www.museunacional.ufrj.br está fora do ar, pois provavelmente o servidor ficava lá no museu queimado você acredita, né.

    • Um artigo realmente excelente. Deveria figurar com destaque aqui na TI.
      Impressiona o descaso absoluto com as instalações do Museu e da UFRJ, por parte do governo e da própria reitoria da universidade.
      A propósito, porque o Museu Nacional era um órgão subordinado à UFRJ, como se fosse algum serviço burocrático da universidade? Uma instituição tão importante não deveria ser vinculada diretamente ao Ministério da Cultura? Só isso já dá uma idéia do desinteresse do governo brasileiro pela nossa cultura e história.

    • Certamente que o Museu Nacional deveria ter sido transformado em fundação ou ONG. Mesmo se tivesse virado um Museu do Itaú, como sugerido no comentário Alex Cardoso, teria sido preferível à tragédia que presenciamos.
      Os dirigentes da UFRJ não se bons marxistas, em sua recusa obstinada de dinheiro privado. Poderiam aceita-lo no interesse da universidade e do museu, como Lenin aceitou ajuda material dos alemães para fazer a revolução bolchevique, que no entanto não se prendeu aos interesses alemães;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *