Na União Europeia, surgiu uma dura crítica a Bolsonaro, mas foi logo corrigida

Pierre Moscovici, European Commissioner for Economic and Financial Affairs, Taxation and Customs

Moscovici perdeu uma boa oportunidade de ficar calado

Jamil Chade
Estadão

Em declarações nesta manhã, o comissário para Assuntos Econômicos da União Europeia, o francês Pierre Moscovici, abriu a primeira saia justa para Bruxelas em relação ao Brasil. Não somente criticou a eleição de Jair Bolsonaro para Presidente como também pediu que as lideranças no mundo “acordem”.

 “Bolsonaro é evidentemente um populista de extrema direita”, disse o ex-ministro francês em diferentes governos socialistas em declarações à TV do Senado francês. “Atrás dele, vemos a sombra dos militares que estiveram por um longo tempo no poder no Brasil, constituindo uma ditadura terrível”, declarou.

É UM SINAL – “Ele mesmo é um ex-militar e seu vice-presidente é um militar”, destacou o comissário. “É claro que é um sinal”, insistiu o francês, um dos homens de maior influência hoje dentro do bloco europeu. Bolsonaro é o terceiro militar eleito pelo voto direto no País.

Moscovici ainda destacou que a vitória de Bolsonaro parece ser uma “tendência mundial” e que há uma perda de espaço democrático, inclusive na Europa. “Esse é um fenômeno que está ligado talvez a uma fadiga democrática sobre a qual aqueles que tem a democracia no coração deveriam refletir e organizar um contra-ataque”, alertou.

DEMOCRACIA – “Temos que refletir o que é a democracia e a liberdade”, pediu. “Ela protege as minorias e impede a xenofobia”, disse, dizendo que “teme” pelos brasileiros. Para ele, as primeiras “vítimas” no Brasil serão a imprensa, as minorias e independência da Justiça. “Quando eu vejo isso, eu me pergunto: democrata? sinceramente comprometido com as liberdades?”, disse.

Para o comissário, dirigentes em todo o mundo devem “acordar”. “Existe uma forma de fadiga com relação à crise que durou dez anos”, alertou, numa referência ao colapso econômico de 2008. “Ela não está mais, mas as sequelas são notadamente a desigualdade chocante”, disse o comissário, que pede para que as desigualdades sejam tratadas.

DIZ A UNIÃO EUROPEIA – Moscovici será a contraparte da equipe econômica do Presidente eleito nas reuniões do G-20 e em outros fóruns internacionais. A declaração de Moscovici levou a UE a se apressar em dar uma versão mais branda de sua avaliação sobre o novo governo brasileiro, insistindo que o comissário fala apenas por si mesmo e que o bloco, como um todo, não iria qualificar Bolsonaro.

“O Brasil é um parceiro importante e também nas negociações com o Mercosul”, disse uma porta-voz da Comissão, Natasha Bertaud. “A UE espera fortalecer a parceria com o novo governo”, afirmou.

ESCOLHA DEMOCRÁTICA – “Evidentemente, respeitamos a escolha democrática do povo brasileiro. O Brasil é um país democrático com instituições sólidas e esperamos de todos os futuros presidentes do País que trabalhe para consolidar a democracia ao benefício do povo brasileiro”, afirmou a porta-voz, que qualificou o Brasil de um “parceiro muito importante”.

Questionada, a Comissão evitou fazer comparações entre Bolsonaro e líderes populistas que ganham terreno pelo continente. “Não vamos no domínio dos sentimentos. Essa comparação não leva a nada”, insistiu a porta-voz, que deixou claro que não iria dar seu “sentimento” sobre a vitória do candidato do PSL. “Não vamos entrar no debate sobre como sentimos ou não sentimos. Essa é uma eleição democrática”, pontuou, evitando o qualificar de “populista”.

VELHO PARCEIRO – Numa nota de imprensa enviada separadamente, a UE relembrou que o Brasil é um “parceiro de muitos anos em assuntos bilaterais e multilaterais”. “Temos uma ampla agenda de cooperação em áreas como comércio, ciência, tecnologia, energia, clima e direitos humanos”, indicou.

Outro aspecto destacado foi a negociação com o Mercosul. “A UE está pronta para continuar a fortalecer sua parceria com o novo governo”, disse. “Estamos prontos para continuar a trabalhar de forma conjunta com o novo governo para fazer avançar nossos interesses comuns”, completou.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como acontece com a previsão do tempo, a matéria começou com tempo ruim para Bolsonaro, foi melhorando no decorrer do período e terminou com uma excelente nota oficial da União Europeia. Quanto a esse tal de Moscovici, o socialista francês perdeu uma boa oportunidade de ficar calado, porque nada entende da política brasileira. (C.N.)

31 thoughts on “Na União Europeia, surgiu uma dura crítica a Bolsonaro, mas foi logo corrigida

  1. Linha dura de fazer inveja a qualquer militar é a Marine Le Pen. É dela que esse degustador de queijo deveria se ocupar.
    Deveriamos nos preocupar em cancelar o contrato de construção da banheira nuclear com a França para economizar euros. Em nada vai melhorar nossas possibilidades de enfrentar nossos inimigos potenciais. Para esse fim bastam uns bons pitbulls e algumas automáticas tomadas do PCC.

  2. Newton,

    Na verdade, os franceses entendem apenas de perder as guerras que se metem!!

    Desde Napoleão, quando saborearam algumas vitórias do corso, a França só perdeu, a ponto que a sua Escola Superior de Guerra é conhecida como setor onde se aprende a perder, a ser derrotado e, claro, com o devido “Fair-Play”.

    Afora exímios transformadores de miúdos de gado e aves em pratos finos, que jogamos no lixo, a beleza da capital, xenofobia latente, o ex-ministro francês Mascovici, cuja foto estampa o artigo em tela, em seguida deverá colocar um cartaz no seu pescoço dizendo:
    Este lado – e aponta para a sua cabeça – para cima, pois a confusão será imensa entre o que pensa e expele!

    Aliás, se este bobalhão for um francês tradicional, certamente a sua casa ou apartamento não deve ter chuveiro, pois foi para enganar o fedor que o francês inventou o perfume.

    E deve transportar o pão embaixo do braço, claro, molhado e amaciado com o suor do sovaco!

    Pois esta valentia deveria ser manifestada na Guerra da Alsácia-Lorena, na Primeira Guerra, na Segunda, quando entregaram Paris para os alemães, quando foram fragorosamente derrotados pelos vietcongs, quando perderam a Argélia, e por aí vai …

    Esqueceu, o pedante francês, que não somos mais colônia, que traçamos nosso destino sem interferência, ainda mais de derrotados!

    • Eu sei, esse francês careca pisou na bola. Mas sejamos moderados e justos: a França fez muito pela humanidade. A França não foi tão importante como os gregos, mas tiverem muito bons cientistas, filósofos, escritores.
      Voltaire é meu preferido, mas quem não conhece Le Lac de Alphonse de LAMARTINE; os Miseráveis e o Corcunda de Notre Dame de Victor Hugo; Marcel Proust, Albert Camus. Pô, tanta gente maravilhosa. Na Ciència, quem não se lembra desses nomes: Pascal, Marie Curie, Pasteur, Poincaré (este contribuiu para a Relatividade Especial que fez Einstein famoso), Faucoult, Fourrier (a famosa transformada de Fourrier tão importante em matemática).
      Não custa nada reconhecer o valor do francês, apesar das declarações desse babaca francês da ONU.

      • Prefiro o ditadorzinho Napoleão. Que forçou o mundo a se unir contra arroubos de tiranos.
        Na verdade prefiro Maria Antonieta. Uma moça decente, honesta e digna. Pena que foi difamada pelos porcos franceses.

      • Toga,

        Precisamos separar algumas questões:
        Não existe neste mundo um país que não tenha dado a sua colaboração para o crescimento da Humanidade;
        Se a França nos deu vários filósofos, escritores, cientistas, os Direitos Humanos, por outro lado tais figuras importantes que citaste não foram contra as colônias francesas, que eram roubadas e exploradas as riquezas das terras conquistadas;
        Pois o tal pensamento francês, também jamais contribuiu para que a França se sagrasse vencedora nas guerras que mencionei;
        A França saiu vitoriosa na Primeira e Segunda Guerra Mundial porque teve ajuda inglesa e americana, que se não fossem essas nações e o território francês teria sido dividido!

        Agora, citaste nomes, enquanto falei do país que, mesmo tendo um valor inestimável à Humanidade, repito e concordando contigo, não temos como apagar as derrotas humilhantes que sofreu!

        Por exemplo, também o Brasil teve seus grandes nomes que, se eu enumerá-los, precisarei de várias páginas desse blog e, no entanto, jamais fomos derrotados em guerra alguma que tenhamos participado!

        Evidente que reconheço o valor do cidadão francês, mesmo com a sua xenofobia natural, mas, a França, o país, teve momentos de ser um péssimo exemplo para o mundo!

        Logo, o que eu quis dizer, Toga, é que não constato em europeu algum, moral para nos alertar o que devemos fazer ou não!
        É aquela velha história:
        Não apontes meus defeitos com o teu dedo sujo!

        Aprecio em demasia os teus comentários, pois inteligentes, sutis, irônicos e de muito bom gosto.

        Abração.

  3. Um imbecil desses deve ter a mente deturpada. Ofende o processo democrático e as sociedade brasileira, esquecendo que quem participa e vence uma eleição deve cumprir alguns requisitos expressos na lei eleitoral. Ser ex-militar por sí só não exclue ninguem.

  4. Esse Moscovi é um perfeito idiota!
    Definição básica de democracia é a expressão da vontade popular!
    A vitória de Bolsonaro é a mais pura expressão dessa vontade popular! Qual seria o modelo de democracia para esse idiota? A Venezuela, que também teve eleição, claro que totalmente forjada e já contando com milhares de mortos pelos gorilas bolivarianos!
    E a intervenção desastrosa dos europeus(principalmente franceses) na Libia, que acabaram com o linchamento do ditador Khadafi ? Foi um desastre para os europeus, pois mataram o cão de guarda que segurava os milhões de refugiados que passaram a invadir a Europa depois de sua morte. Fizeram praticamente o mesmo no Egito, mas para sorte deles os militares recuperaram o poder, impondo novamente a ordem , segurando assim milhões de egipcios que fariam o mesmo que outros refugiados africanos.
    Esse idiota realmente deveria calar a boca. É de se esperar que pelo o Macron que sempre demonstrou ser um homem inteligente também não externe pensamento tão estúpido!
    Na verdade esse Moscovici não passa de um burocratazinho idiota, que acabou de ser desmoralizado pela cupula da organização G-20!

  5. Se a União Européia servisse de exemplo de como tratar as pessoas, os refugiados depositados em campos que se assemelham aos de concentração nazistas, estariam bem conduzidos e bem tratados.

    Não é o que acontece pois, em pleno mar aberto, as nações da Europa se negam a receber seres humanos, que fogem da violência de seus países, em busca de trabalho e sustento pessoais e seus familiares.

    E querem nos ensinar sobre democracia??!!
    Sobre liberdades, que estariam em risco??!!

    Se hoje copiam exatamente os guetos criados pelos nazistas, separando o povo judeu do alemão, fazem exatamente o mesmo com aqueles que nascem em outros continentes.

    A velha e surrada Europa, que tanto roubou e explorou povos durante milhares de anos, precisa levar reprimendas, ser punida, significando que deve ter consideração por aqueles que pedem ajuda.

    O europeu precisa fazer a sua catarse com o resto do mundo, pois se milhões e milhões de pessoas foram mortas em genocídios e guerras, foi a Europa que incendiava o planeta para manter seus interesses e conveniências intactos, e requisitando para combater os habitantes de suas colônias!!!

    Aliás, não satisfeita com tanta dor e sofrimento ocasionados aos seres humanos, tratou de ter um recreio, deixando que acontecesse a Guerra da Bósnia e Herzegovina, obrigando que os três maiores grupos étnicos na Região, bósnios, croatas e sérvios, se digladiassem impiedosamente!

    E estão preocupados com Bolsonaro??!!

    Bom, não foi por nada que o Brasil tem hoje colônias imensas de alemães, italianos, poloneses, franceses que, desiludidos com seus países de origem, pegaram o primeiro navio que puderam e vieram para cá, para esta terra, onde tudo o que se planta cresce!

  6. Escola e posto de saúde indígenas são incendiados em Pernambuco

    A comunidade indígena Povo Pankararu, localizada no sertão Pernambucano, utilizou sua página do Facebook para repudiar os atos de vandalismo praticados em sua única escola e seu único posto de saúde neste último domingo (28).

    a Polícia Civil informou que está investigando a motivação e os suspeitos do incêndio que destruiu a Unidade de Saúde da Família e a Escola Municipal de Jabotá, no Sertão de Pernambuco. O fato ocorreu na madrugada desta segunda-feira (29). Há uma equipe realizando a perícia nos locais e será aberto um inquérito policial para investigar o caso, que está sobre o comando do delegado Daniel Angeli.

    https://goo.gl/8Gbdqh

    O Brasil de Bolsonaro vai surgindo no horizonte.

  7. Além de tudo o que foi dito, o senhor Napoleão ameaçou tomar Lisboa se o rei de Portugal não fechasse os portos aos ingleses. Resultado, Portugal preferiu a amizade dos ingleses e nós tivemos que engulir o rei babaca Português que levou todo nosso ouro do Banco do Brasil quando retornou para a sua pátria amada (mas mesmo assim roubou menos que o PT!)

  8. “-Eu não gosto deste blog, não gosto do trabalho do editor e, muito menos, dos comentaristas participantes.

    -Mas todo o santo dia, ao invés de participar de páginas que ensinam fazer maquiagem facial, de espaços que possam resolver os meus problemas pessoais e de relacionamento ou dos sites que ensinam como participar dos campeonatos de futebol de botões entre as pessoas da terceira idade que apresentam perda parcial das capacidades cognitivas, eu fico aqui, o dia inteiro, xaropando e adjetivando pessoas que nunca vi, que não conheço, que jamais conhecerei e que nunca, em tempo algum, participarão da minha vida ou a influenciarão.”

  9. O problema da União Européia, vitrine do globalismo, é o pavor do ressurgimento e fortalecimento do nacionalismo político em diversos países, inclusive dentro de suas fronteiras, o que é visto como perigoso para seu projeto político, que tem diversas fragilidades e desigualdades entre seus membros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *