Não é a volta e sim a revolta contra mim mesmo. É o agradecimento emocionado, que todos sabiam que existia, mas não podia ficar silencioso. Depois de mais de 70 anos, não posso deixar de escrever. É possível que esteja aqui diariamente, a partir do Carnaval. Mas com esse agradecimento, não posso esquecer Kadafi.

Helio Fernandes

A todos os milhares, neste blog e fora dele, se expressando de todas as maneiras, exercendo o direito legítimo que sempre foi respeitado aqui, de exigir que não parasse de escrever, respondo afirmativamente.

Desculpem, sensibilizado com todas as afirmações que foram feitas, meu respeito a todos, mas principalmente a reafirmação de uma obrigação e de uma necessidade de me comunicar, de informar, de opinar, de participar. Por isso, na abertura deste blog, fiz questão de colocar, “INFORMAÇÃO e OPINIÃO”, que mais do que uma frase ou slogan, é a continuação de tudo o que a Tribuna da Imprensa representou em quase 60 anos. Sem interrupção. Sem concessão. Sem qualquer parada até mesmo para reabastecimento. O que seria necessário, obrigatório, indispensável, mas jamais soube exercer o jogo do troca-troca, o que “peemedebistas”, “petistas” e “peessedebistas” (além dos outros) fazem maravilhosamente.

Sobrevivi quando existia o MDB, que não era o “mais que perfeito”, pelo menos era o domínio do melhor grupo político dos últimos tempos, os “AUTÊNTICOS”, todos cassados, perseguidos, afastados, desaparecidos.

Assim como o golpe de 64 não deixou que a melhor Constituição brasileira completasse 18 anos, também não permitiram que a Tribuna impressa completasse 60 anos de História, de resistência, de luta pela convicção, pela Liberdade de Expressão. Esta que está na PRIMEIRA EMENDA da Constituição dos EUA, e não as outras, que circulam pelo mundo, se fingindo de democráticas.

Uma vez, em plena ditadura, cercado por todos os lados, soterrado, emparedado, seqüestrado, desterrado por “mares nunca navegados”, escrevi: “O último artigo será escrito enquanto meu corpo for transportado da gloriosa Rua do Lavradio para ser cremado no Caju. Depois de aproveitados todos os órgãos, já doados antecipadamente”.

Embora convencido de que a Tribuna da Imprensa de papel jamais voltará a existir (é uma convicção seguríssima, que não está em discussão, é o único fator para o qual eu peço e exijo exclusividade, pois isso é conclusão, análise e sumário), posso garantir para dentro de algum tempo, não um simples blog, mas um verdadeiro site. Amplo, abrangente, livre, que o cidadão poderá digerir satisfatoriamente todas as manhãs, completo.

E o repórter continuando aqui, não sei a partir de QUANDO nem até outro QUANDO. Estas são as designações minhas, estão acima de considerações. Mas uma coisa posso afirmar, avaliar e referendar: minhas últimas palavras escritas, serão postadas, que palavra, aqui mesmo.

*** 

O ditador Kadafi, da crueldade, da tortura,
da corrupção, da selvageria, garante:
“Não vou renunciar, não deixarei o poder,
morrerei como mártir”.

Helio Fernandes

Essa revolução no mundo árabe, é uma das mais legítimas conquistas da internet. Começou na Tunísia, se expandiu, nao para mais. Derrubou Mubarak, que aconselhado pelos EUA e por países da Europa, renunciou em troca de favores, como a “moradia” em lugar seguro, e a garantia dos bens roubados, que serão devolvidos.

Comentei aqui, na época: “O povo não obteve nenhuma vitória, apenas trocaram de dono e senhor, suas condições de vida não melhoraram nem irão melhorar”. Tudo confirmado e garantido.

Esses protestos têm tudo para revoltar e incendiar outros países já em chamas. Só que no momento, o que está no centro de tudo é a Líbia de Kadafi, o ditador que acredita que é um mártir.

Kadafi não tem salvação. Se quiser morrer no Palácio ditatorial, não será contrariado. Apesar das informações incertas e dispersas, Kadafi escolheu seu próprio funeral e o local de onde sairá, mas não onde será enterrado e até mesmo se sobrará alguma coisa para ser soterrada. (É a palavra que ele merece, e não a outra, eterna e usada pelo mundo inteiro).

Kadafi é protagonista de fatos que jamais aconteceram. No Mundo Árabe ou no Ocidental. Sua crueldade é tanta, que pela primeira vez na História, embaixadores da Líbia em diversos países, renunciam aos cargos, se ASILAM em embaixadas de outros países.

Na ONU e em diversos países, os embaixadores da Líbia RENUNCIAM, pedem DEMISSÃO DE KADAFI, mas afirmam: “Continuamos representando o povo da Líbia”. E por que essas afirmações, convicções, determinações?

Kadafi contratou MERCENÁRIOS dos mais diversos lugares para assassinarem seu próprio povo, para atirarem contra a multidão, coisa que nem os militares seus “aliados” aceitaram fazer. É o caso dos dois pilotos, que recebendo ORDENS PARA ASSASSINAR O POVO, abandonaram os aviões, se asilaram em Malta, (no caminho) revelaram: “Não cumpriremos essas ordens de atirar contra o povo desarmado”.

Mas é preciso lembrar que no meio de tudo isso está o petróleo, como esteve em outras oportunidade, principalmente na segunda farsa contra o Iraque. A primeira com Bush pai, a segunda com Bush filho. Também esse fato indefensável e inesquecível: ano passado, por sugestão dos EUA e de países da Europa, Kadafi recebeu “homenagens” trágicas e dramáticas. Por causa do petróleo, muitos presidentes e primeiros-ministros da Europa se arrojaram aos pés do ditador.

Kadafi homenageado por países que se dizem democratas (uma democracia movida a petróleo) era diferente? Ora, não façam o mundo rir. Já havia completado 40 anos no Poder, e alguém só consegue ou “conquista” isso com muito apoio ou petróleo. Kadafi tinha os dois, já nem sabe se tem pelo menos o segundo.

 ***

PS – O fim dele está próximo, e a internet (a primeira a ser censurada na tentativa de liquidá-la ou intimidá-la na Líbia) pode estar bem perto de afastar ditaduras em outros países, o próximo deve ser o Bahrein, embora não fique por aí.

PS2 – Também não nos esqueçamos que a ONU, inútil, descrente, desatinada e insensata, no ano passado colocou a Líbia no Conselho dos Direitos Humanos. Como definir essa ONU que agora tenta se reabilitar (?) pedindo o fim de Kadafi?

PS3 – Precisava me comunicar com vocês, mesmo que seja por alguns minutos. O motivo é mais do óbvio e indiscutível.

PS4 – Bom carnaval a todos, felicidade geral, ficarei aqui silenciado mas não isolado, a solidariedade de todas as formas imagináveis e inimagináveis, me encontra, me oferece carinho e amizade.

PS5 – Ontem, na Lagoa, às 7 horas da manhã, uma senhora de 86 anos dizia, me comovendo: “Helio, você não pode parar de escrever. Leio você há 50 anos, o que eu e meu marido faremos pela manhã?”. Indisfarçável a emoção. Mútua.

PS6 – Espero que o carnaval chegue e passe, o povo se divirta (apesar da INJUSTIÇA do incêndio das escolas) e tenhamos (eu) resolvido o IMPASSE que só não pode terminar em EMPATE.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *