Não é possível que a impunidade continue reinando…

Carlos Newton

Há participantes deste blog que não assinam seus nomes nem adotam pseudônimos, e isso divulga muito que transformemos seus comentários em artigos, para que suas opiniões sejam mais amplamente discutidas. Um deles assina apenas como “dePinho”. Vejam este texto dele:

“Caso não aconteça nada que puna severamente este governo, o próximo estará absolvido por consequência. O próximo governo poderá comprar ativos superfaturados, vender ativos subfaturados para fazer empresários e intermediários ricos, fazer obras superfaturadas em estatais e financiar campanha esquentando este superfaturamento via TSE, usar propinas de companheiros para financiar caixa dois de campanhas, pagar excelentes advogados com recursos no exterior.

Poderá propor lei para internalizar dinheiro do exterior para esquentar grana não declarada, que agora está imobilizada pela vigilância de alguns operadores, e também gastar nove milhões em cartão corporativo, com aumento de 51% em ano eleitoral, sem precisar dar satisfações dos gastos ao povo etc.

Como o governo do PT faz isto, então está bom, qualquer um pode fazer, que a situação se torna normal”.

UM ARTIGO IMEXÍVEL

Como diria o antigo ministro Rogério Magri, trata-se de um artigo imexível, irretocável, irrespondível e irrefutável. Em poucas linhas, retrata a situação política do país, mostra a que ponto caímos, ou pior, despencamos. De fato, após um breve governo competente, honesto e ético de Itamar Franco, há mais de 20 anos estamos assistindo a uma progressiva deterioração da atividade pública, que contaminou os três podres poderes.

Mas reparem que o pequeno artigo (antigamente chamávamos de “suelto”) traz embutido um fio de esperança, parece transmitir a certeza de que esses criminosos serão verdadeiramente punidos e o próximo governo terá de seguir por caminhos mais limpos e éticos. Porque, se isso não acontecer, é sinal de que o país não tem mais jeito e estamos perdendo nosso tempo aqui, ao discutir e defender os interesses nacionais.

4 thoughts on “Não é possível que a impunidade continue reinando…

  1. No dia 15/07, li no http://www.g1.com.br que o governo do Camboja está amestrando ratos e ratazanas, desde a primeira semana de vida (tem até foto de rato na coleira) para encontrarem minas terrestres e bombas… ou seja, se a mina explodir, o rato vai para o espaço.

    Natureza é sábia … ratos e ratazanas são ótimos farejadores…

  2. Bem a propósito do que disse o De Pinho, o Globo de hoje vem com uma reportagem de José Casado falando sobre o caos da nossa Justiça, principalmente sobre o excesso de recursos judiciais, a principal causa dos os tribunais estarem com um estoque de mais de 70 milhões de casos sem decisão, em meio a mais de 100 milhões ações pendentes. Dá uma para cada dois brasileiros.

    O Judiciário brasileiro, com seus 17 mil juízes, produzindo em média quatro sentenças por dia cada um, não consegue resolver mais do que três em cada dez processos pendentes – sempre passíveis de recursos. Só nos últimos 12 meses foram 30 milhões de processos novos.

    A imagem em http://4.bp.blogspot.com/-K4h6Kum_TCI/VapHDqYyjOI/AAAAAAAATN8/RZzz5smE_Fc/s1600/embargos.jpg não me deixa mentir e ilustra bem a “extravagância jurídica” – para não dizer palhaçada – que ficou o Recurso Especial 0142548-2: “Embargos de declaração nos embargos de declaração nos embargos de declaração no agravo regimental no recurso extraordinário nos embargos de declaração nos embargos de declaração nos embargos de declaração no agravo regimental no recurso especial.”

    No sistema eletrônico do tribunal, onde cada ação é classificada por abreviaturas da respectiva categoria processual, o troço ficou registrado da seguinte forma: “EDcl nos EDcl nos EDcl no AgRg no RE nos EDcl nos EDcl nos EDcl no AgRg no Recurso Especial”.

    Parece piada… e é!

    E volto a dizer que enquanto não for feita uma reformulação geral nesse sistema judiciário propositalmente complicado, feito de maneira a encher os bolsos de advogados e postergar ad eternum as decisões contrárias aos poderosos, nem Executivo e nem Legislativo vão entrar nos eixos. Façam-se as reformas que fizerem nestes dois poderes, elas não vão passar de perfumaria se a Justiça não desentortar.

  3. ENQUANTO NOSSA LEGISLAÇÃO PERMITIR ESSE HORROR DE RECURSOS QUANDO UM BANDIDO FOR CONDENADO, NÃO VAI HAVER NENHUM PROGRESSO NO PAÍS. É MUITO MELHOR SER BANDIDO (POLÍTICO, ETC.) DO QUE RALAR FEITO UM JUMENTO, A VIDA TODA, PARA TER UMA VIDA MISERÁVEL E UMA APOSENTA-
    DORIA INSISGNIFICANTE COMO A MINHA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *