Não há clima, maiorias nem lideranças para dar golpes nem articular um impeachment

Resultado de imagem para nao vai haver golpe charges

Charge do Laerte (Arquivo Google)

Eliane Cantanhêde
Estadão

Deveria causar escândalo, mas conseguem no máximo gerar preguiça e cansaço a facilidade e a frequência com que as pessoas fazem duas perguntas perigosas, mas tratadas como corriqueiras, parte da paisagem: Vai ter golpe? Ou vai ter impeachment?

A cada ataque do presidente Jair Bolsonaro, do seu entorno e da sua tropa da internet ao Congresso, a governadores, à mídia, a jornalistas (geralmente mulheres…), a presidentes estrangeiros, a ambientalistas, a ONGs, a pesquisadores cresce a percepção de que há uma escalada autoritária, um teste de limites.

A FAMÍLIA ENALTECE – Se fosse apenas questão de estilo, já seria péssimo, mas todos esses ataques vêm num contexto em que Bolsonaro enaltece ditadores sanguinários, seu filho admite a volta do AI-5 (toc toc toc) e já disse, sem a menor cerimônia, que bastaria “um cabo e um soldado” para fechar o Supremo.

Assim, quando Bolsonaro transforma o Planalto num QG, o general Augusto Heleno xinga os parlamentares e fala em “povo na rua” e o governo deixa de condenar com a devida veemência o motim de PMs no Ceará… a lista começa a ficar grande e preocupante.

Só faltava o presidente da República convocar pelo WhatsApp uma manifestação que tem entre os objetivos protestar contra o Congresso e o Supremo.

BOLSONARO MENTIU – Divulgados os vídeos pela colega Vera Magalhães, o que fez o presidente? Mentiu! Mentiu ao dizer que se tratava de peças de 2015. Com imagens da facada? Foi em 2018. Com o brasão da Presidência? A posse foi em 2019.

Esse roteiro sugere um teste, um avança e recua, de olho nas reações das Forças Armadas e das redes sociais. E é aí que surge um fato novo depois que o Planalto aumentou o tom contra o Congresso: a maioria militar silenciosa, particularmente do Exército, começou a demonstrar desconforto e a dizer algo assim: “Aí, não!”

Assim, mesmo que houvesse algum projeto ou sonho golpista, fica-se sabendo que não há, em absoluto, unanimidade na área militar. Se há algo próximo a unanimidade é em sentido contrário: ninguém quer ouvir falar em golpes.

ARROUBOS AUTORITÁRIOS – Marinha e Aeronáutica estavam e continuam mudas e o Exército começa a perceber que tem muito mais a perder do que a ganhar, inclusive historicamente, ao se confundir com arroubos autoritários tão fora de tempo e de propósito.

Mais do que isso, porém, nunca é demais repetir o que está registrado em várias oportunidades aqui neste mesmo espaço: o Brasil não é uma Venezuela. Tem instituições, mídia, opinião pública, enorme capacidade de reação, ou, antes, de dissuasão de projetos tresloucados. Há uma rede de resistência.

Quanto a impeachment, não custa lembrar que isso não é como aspirina, que se usa a qualquer hora, para qualquer eventualidade. O Brasil passou por dois afastamentos de presidentes no curto espaço de tempo desde a redemocratização e não se ouve absolutamente ninguém com um mínimo de liderança e de responsabilidade admitindo e muito menos discutindo essa hipótese.

“NÃO VOU RENUNCIAR” – Aliás, o presidente chamou atenção na live de quinta-feira também ao anunciar, em bom e alto som,: “Não vou renunciar ao meu mandato!”. Quem disse que iria? Ninguém. Trata-se de uma frase que oscila entre o político e o psicológico, expondo uma característica de Bolsonaro: a mania de perseguição. Ao ver inimigos por toda parte, ele se antecipa e parte para o ataque antes de saber se seria atacado.

E fica falando sozinho. Nem o seu maior adversário aventa a hipótese de renúncia, ou de impeachment, assim como boa parte dos seus apoiadores militares não quer nem ouvir falar em golpe. A saída é outra, é o presidente se comportar como… presidente. E focar no essencial, a economia, a estabilidade, o País.

22 thoughts on “Não há clima, maiorias nem lideranças para dar golpes nem articular um impeachment

    • Ronaldo, perfeito sua colocação.
      Grande parte do eleitor vota por impulso, se um gesto ou uma frase do candidato o agradou o eleitor transforma-se num fanático do candidato.
      Também torço para que Bolsonaro continue, quem sabe alguns bolsonaristas até 2022 acorde. Muitos bolsonarista mais sensatos teve a coragem de dizer estar arrependido de ter votado nele.
      O problema foi a maioria dos eleitores ter levado ao segundo turno os dois piores candidatos. O PT foi o maior responsável pela vitória do Bolsonaro.

  1. “O chavismo de direita, na verdade, já está instado aqui, e no voto, resta saber o que o Bolsonaro quer da vida: ser apenas um pulha a mais na história do Brasil, digo, um Chávez da ora, pela direita, à moda brasileira, e transformar o Brasil numa imensa Venezuela, com chances de virar um imenso Haiti, ou vai aproveitar a oportunidade para de fato se vincular a alguém ou alguma coisa, isentos, que realmente signifique a mudança de verdade do país, a redenção da política, do país e da população, passando a história do país a limpo e passando para a história do país limpo como uma espécie de Marechal Deodoro, evoluído, bem-sucedido, dos novos tempos, feito o serviço completo, com começo, meio e fim, conforme as novas demandas impostas pela injunção mundial. conectado ao novo tempo mundial, elevando o Brasil à vanguarda do mundo civilizado, democrático, com reflexo no mundo inteiro. O Bolsonaro decide. A conferir. “

  2. Fernando Luiz de Albuquerque Lima, meu caro … quem mandou elegerem um paraquedista, né???

    Prezada Dona Catanhêde, paraquedista tem treinamento de louco kkk KKK kkk somos treinados a não ter nenhum resquício de livre-arbítrio kkk KKK kkk peça uma visita à Brigada e presencie na nossa área de estágio kkk KKK kkk

    Somos os mais ferozes na Defesa da Pátria … e somos habilitados a enxergar inimigo até onde ele não está – caso contrário, morremos facilmente – a senhora sabia que no Dia D que mais morreu foram os paraquedistas??? e morremos defendendo a DEMOCRACIA!!! Viva São Miguel Arcanjo, nosso protetor!!!

    Abraços.

  3. Como disse o ministro Lewandão, quando ainda apenas se falava em impichar a fronteiriça, o melhor é aguentar. Três anos passam depressa.Daquela vez, ninguém lhe deu ouvidos.

  4. E o coroné lula elogiando o ditador Maduro e mandando prender Guaidó. E essa senhora caladinha…
    E a prefeita esquerdinha de Paris, hein? Fã de lula, ela vai apoiar Maduro na hora de tentar a reeleição?
    Em 2014 ela foi eleita no segundo turno (perdeu no 1°) com 305 mil votos num universo de eleitores de 1 237 938. Nem chegou a 25%. Popularíssima…

  5. Fontes das Redes e Cabo afirmam que a Globonews cai assustadoramente na audiência e sobe no cancelamento de assinaturas. Ninguém suporta uma Mídia o dia todo procurando derrubar um Presidente Eleito Democraticamente com notícias invertidas e notas mal analisadas. Os mais detestáveis e odiados da Emissora são Valdo Cruz, Trigueiro, Leilane, Maria Estudio Bancada de Oposição i, Natuza e Monica Valdvolgel, são chamadas de “insuportáveis petistas” !!!! Dá nojo mesmo ver a Globonews, o Trigueiro só faltou dizer que as chuvas que se transformaram em tragédias no Rio e em São Paulo era culpa de Bolsonaro , é pra vomitar suas tontices e tolices sobre meio ambiente, será que ele é Cientista em vez de Jornalista ??? Ou será um Deus escondido nas lides da notícia devido a sua superioridade sobre Cientistas de Meio Ambiente ???

  6. Eliana Cantanhêde escreveu um artigo espetacular. Disse o que brasileiros equilibrados que conhecem bem nossa história gostariam de dizer. Os que não gostam da jornalista e sonham com o “Brasil Colonia Americana” ficam frustados. Gostariam naturalmente que ela concordasse com a estupidez dita e que são constante nesse governo “do capitão expuso que desmoralizou e continua desmoralizando as Forças Armadas. Na Democracia é assim, cada qual pensa de uma maneira.

    • Nem o C.N. talvez não saiba disso, mas a T.I. , há algum muito tempo, virou referência nacional. É aqui que a turma toda do sistema todo vem beber inspiração, o diabo é que muitos dele$ não criam vergonha da cara e permanecem nos erros, não obstante os ensinamento que aqui vêm beber.

      • Grato por suas palavras, amigo Assis. Sabemos da importância do Blog, que realmente é tido como referência. Temos alto índice de leitura nas embaixadas e consulados espalhados pelo mundo, porque os diplomatas querem informações do Brasil de fontes independentes e responsáveis, entre as quais nos incluímos. É claro que cometemos muitos erros, mas nossa meta é acertar os alvos.

        Abs.

        CN

  7. Esse Blog é importante pela Visão Estratégica de Nação que ele tem. Os lados se opõe no Varejo, mas, no Atacado a maioria pensam iguais, há uma Nação e um Povo clamando urgentes soluções, muito urgentes mesmo. Bravo Carlos Newton !

  8. Uma das vantagens do regime democrático é exatamente a liberdade de opinião, de expressão, desde que dentro dos limites do respeito às pessoas, às crenças, à individualidade.

    A frase não é minha, mas vale a pena postar:
    “A verdadeira liberdade não é fazer o que se quer, mas o que se deve.”

    Dito isso, a democracia brasileira, falsa, relativa, contraditória porque somos obrigados a votar e escolher os candidatos que os partidos nos oferecem, possibilita às castas do Legislativo e Judiciário que se aproveitem do sistema para fazer o que querem e desejam, enquanto o povo é obrigado a cumprir com seus deveres e obrigações!

    Evidente que a democracia proporciona ideias diferentes, concepções diferentes, interpretações diferentes, MENOS comportamentos que não estejam de acordo com as leis.
    Em outras palavras:
    O povo precisa obedecer e outorgar poderes sem contestar, porém os poderes constituídos pensam da mesma forma, agindo, entretanto, diferentemente conosco e com o país, ou seja, nada de obedecer, seguir as normas, ser probo, honesto, decente … mas comportarem-se através de roubos, explorações e manipulações constantes contra o cidadão e o Brasil.

    O pensamento das castas é um só:
    Gozar as delícias dos extremos, restando a nós o sofrimento das limitações que nos impuseram.

    Ora, bolas, como a democracia não pode ser incomparável para poucos em termos de fazerem o que der na telha, e a nós, povo, além de controlados pelas forças repressoras, polícias, milícias, leis e códigos, nada podemos fazer para mudar este estado de injustiça e de um regime adulterado pelos próprios poderes porque a “democracia” não permite!!

    Logo, pergunto, respeitosamente:
    Que raio de democracia é esta que temos no Brasil??!!

  9. Jacob, meu caro amigo,

    Não comentei sobre o artigo em tela, mas a minha ideia de democracia, e o que penso desse nosso regime que teimam dizer que é “democrático”.

    Não é, de forma alguma.

    Abração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *