“Não há crise nenhuma. Zero”, diz Bolsonaro ao negar repercussões políticas após confrontos no PSL

Charge do Cláudio (www.tijolaco.net)

Gustavo Uribe
Folha

Em sua chegada ao Japão, em viagem de mais de dez dias que fará pelo continente asiático, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, dia 21, que tem havido um “bate-boca exacerbado” no PSL e que o “bem vencerá o mal” na crise interna de seu partido.

Em uma caminhada pela região central de Tóquio, o presidente avaliou que a maioria dos integrantes da legenda é “novo na política” e que nunca viu em “lugar nenhum do mundo” um linguajar como o usado nas troca de ataques entre integrantes da sigla nas últimas semanas.

BATE BOCA – “A maioria no PSL é novo na política. É muito isso que está acontecendo no PSL. Novato chega e acha que sabe de tudo. Eu passei 28 anos ali [na Câmara dos Deputados] sem um cargo [no Poder Executivo]. Problemas eu tive lá dentro, mas sem chegar ao nível que um parlamentar chegou agora, com linguajar que nunca vi em lugar nenhum do mundo”, disse.

Na última semana, o líder do PSL na Câmara dos Deputados, Delegado Waldir (GO), ameaçou implodir o governo de Bolsonaro e o chamou de “vagabundo” após o presidente ter atuado pessoalmente para retirá-lo da função.

O MENINO DO FILÉ – Em outro bate-boca, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) se referiu ao filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), como um “menino” que “nem com a ajuda do pai” conseguiu assumir a liderança da sigla. Ela foi retirada por Bolsonaro do posto de líder do governo no Congresso.

“A política, como dizia Ulysses Guimarães, é uma nuvem. A resposta é essa”, afirmou o presidente. “Lógico que eu trabalho também, converso com o pessoal e as providenciais serão tomadas com o passar do tempo. O bem vencerá o mal”, acrescentou.

SEM MÁGOAS – Perguntado, Bolsonaro afirmou que ainda não definiu se sairá do PSL. Segundo ele, “tem de ver com o tempo”. Ele negou que os embates com integrantes da legenda o tenham deixado magoado e comparou o episódio com uma ferida. “As coisas acontecem. É igual uma ferida, cicatriza naturalmente”, disse. “Entre mortos e feridos, todo mundo vivo”, acrescentou.

Para o presidente, o episódio não deve atrapalhar a tramitação de pautas do governo. Ele negou que o embate interno tenha criado uma crise política que possa afetar a tramitação da reforma previdenciária no Senado. “Que crise política? Inventaram a crise política. Não há crise nenhuma. Zero”, disse. “Eu estou tranquilo e o Parlamento está tranquilo também. A responsabilidade é de todos nós”, afirmou.

EMBAIXADA – Mais cedo, ao chegar no hotel que está hospedado na capital japonesa, Bolsonaro não quis dizer se desistiu da indicação de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o posto de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. O próprio parlamentar disse que o tema tinha ficado para segundo plano.

Ao todo, o presidente ficará três dias na capital japonesa. Além da cerimônia de ascensão do imperador Naruhito, na terça-feira, dia 22, ele terá reuniões bilaterais com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, e com o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, e encontros com empresários brasileiros e japoneses.

“É uma honra ser convidado para participar deste evento, representando o Brasil. Nós teremos algumas reuniões bilaterais. O mundo inteiro está interessado na gente e estamos reconquistando a confiança do mundo”, disse.

AMAZÔNIA – Ele disse que, no encontro com o primeiro-ministro japonês, pretende tratar da exploração sustentável da floresta Amazônica e avançar na tentativa de um acordo comercial entre o Mercosul e o Japão.

“O Brasil é um país que tem grande potencial. Temos a nossa Amazônia, que tem de ser explorada de forma racional”, afirmou. “É lógico que estou interessado [acordo com o Mercosul]. A Coreia do Sul também. Até os Estados Unidos. O Brasil está indo bem”, afirmou.

Além do Japão, o presidente visitar a China, a Arábia Saudita, os Emirados Árabes e o Catar. Nos demais países, o foco será melhorar a relação comercial com as nações asiáticas e aumentar o comércio de de proteína animal.

####
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Uma pessoa que ignore totalmente o cenário político brasileiro e que não esteja a par da balbúrdia imperativa que assola os noticiários, ao ler as declarações de Bolsonaro pensaria que o Brasil é quase um mundo de Alice, com as paisagens surrealistas criadas pelo escritor inglês Lewis Carroll, em um País das Maravilhas. E o nosso presidente fala com tanta convicção que abre margem para desconfiarmos que na cabeça dele exista, de fato, esse lugar que descreve. Brigou com meia dúzia de lideranças internacionais e semanas depois diz que “estamos reconquistando a confiança do mundo”, xingou e caçoou dos representantes de outros países e reclama do baixo nível das discussões do seu partido, ignorando que boa parte das brigas são fomentadas pelos seus herdeiros que se acham também presidentes coadjuvantes ou candidatos à coroa e, por fim, associa que muitos do seu partido são “novos na política”. O que temos visto não é questão de ser veterano ou novato na vida parlamentar, mas sim de serem ou não éticos diante dos mandatos para os quais foram eleitos. Simples assim. (Marcelo Copelli)

13 thoughts on ““Não há crise nenhuma. Zero”, diz Bolsonaro ao negar repercussões políticas após confrontos no PSL

  1. Fico abismado, com o tanto de virgem de bordel que povoa o imaginário celerado canhoto do jornalismo, pelo que minha lembrança me permite, desde 1994 vivemos o mesmo cenário, não entendo porque agora é que a coisa tá preta na visão dos celerados, será que é porque estão a perder os privilégios e correm o risco de prisão?

  2. “O que temos visto não é questão de ser veterano ou novato na vida parlamentar, mas sim de ser ou não ético com o mandato para o qual foi eleito. Simples assim.”

    -Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma… eram éticos ou eram criminosos?

    -Ora, meu caro, sempre fomos governados por bandidos que cometeram CRIMES, que infringiram o Código Penal e não o conceito de”ética”. Agora, por que será que a imprensa, de repente, passou a exigir até mesmo ÉTICA, dando a impressão que onde antes andava um elefante, agora não pode andar uma formiga?

    Nenhum ladrão está na cadeia por falta de “ética”.
    A Petrobrás não quebrou por falta de ética.
    Os atuais governantes não foram importados da Dinamarca, foram eleitos no puteiro chamado Brasil e, portanto, exigir plena virgindade SOMENTE AGORA ou é ingenuidade ou é saudade do tempo em que “se roubava por atacado”.

    Abraços.

    • Hehehehe

      “Agora, por que será que a imprensa, de repente, passou a exigir até mesmo ÉTICA, dando a impressão que onde antes andava um elefante, agora não pode andar uma formiga?”

      Parabéns pela frase Francisco.
      Aqui nesse sitio também está prenhe de caçadores de ética ou o vulgo Varões de Plutarco.

      Isso me lembra do delegado que só procurava corpo de afogado rio acima.

      • Nos tempos dos roubos por atacado só havia dinamarqueses, agora que a cotovia mudou de canto não está tendo muito para os atacadistas e varejistas.
        Por isso houve o despertar da fúria dos desmamados.
        Se Platão fosse brasileiro não apresentaria o homem como um bípede depenado, e no lugar de Diógenes eu pontificaria, o homem é um mamífero engravatado.
        Ridendo castigat mores.

  3. Deputado Federal do partido do presidente, líder do partido na Câmara, chama o presidente de “vagabundo” e diz que “vai implodi-lo”, e tá tudo normal……

    Passem pano, quadrúpedes! Tá divertido demais!!!!!!!!!!!!!!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk xD

    • Já sei!!

      É tudo culpa do Foro de São Paulo!!!!!!!!!

      Se não for o Foro, com certeza é alguma conspiração globalista orquestrada por George Soros pra destruir os valores da civilização judaico cristã!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk (pausa pra respurar!) kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk (outra pausa!) kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk (Ufa!) kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk xD

  4. Quem elegeu Bolsonaro votou nele e não no Partido. O Governo Federal segue firme destravando o crescimento do Brasil, mesmo com toda a imprensa e grande parte da classe artística conspirando diuturnamente. Se o STF sabotar a Lava Jato, não haverá outro caminho se não a legítima, tempestiva e necessária Intervenção Militar com base no artigo 142 da CF.

    • Ou o SEU DINHEIRO, CIDADÃO !!!!!!!

      Nem guardanapos, nem joias! O seu dinheiro!!!!
      E querem mais quatro anos disso que ta ai, com o seu dinheiro!!!!

      Os 14 milhões de desempregados, as tartarugas cobertas de petróleo que tiraram a atenção das queimadas, são só reles detalhes do percurso….

      Divida? Não sei, fala com o Guebbels….

      “Tá sobrando mala de dinheiro aí ??
      Manda emitir mais uns passaportes diplomáticos aí, táokêy?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *