“No posso apoiar uma chapa integrada por algum de extrema direita”, diz Maia sobre candidatura de Moro

Moro afirma que pessoas com ‘perfil de centro’ tm conversado

Mnica Bergamo
Folha

O presidente da Cmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), diz que a chance de ele subir no palanque eleitoral de 2022 com Sergio Moro “ zero”. “No posso apoiar uma chapa integrada por algum de extrema direita”, afirma ele, referindo-se ao ex-ministro da Justia de Jair Bolsonaro.

No dia 30 de outubro, o apresentador Luciano Huck foi a Curitiba para se encontrar com Moro e discutir a inteno de construir uma “terceira via” para a sucesso de Bolsonaro. O encontro foi revelado pelo jornalista Fbio Zanini, da Folha. O governador de So Paulo, Joo Doria, tambm mantm dilogo com o ex-juiz.

OPOSIO – Os dois poderiam ter o apoio do DEM para se candidatar a presidente. A presena de Moro na chapa, no entanto, teria oposio de Maia, uma das maiores lideranas do partido. O presidente da Cmara diz que Moro j mostrou ser de extrema direita ao defender propostas como o excludente de ilicitude, que isentaria policiais de punies caso cometessem crimes em ao.

“Moro j defendeu ideias e divide a parte do eleitorado de extrema direita com Bolsonaro. Por isso ele cai nas pesquisas quando disputa com o presidente”, afirma Maia.

Numa entrevista publicada nesta segunda, dia 9, pelo jornal “O Globo”, Moro admite que se encontrou com Luciano Huck e afirma que pessoas “de centro” tm conversado. Ele cita como possveis “bons candidatos” do que considera “centro”, alm de Huck e Doria, tambm o ex-ministro da Sade Luiz Henrique Mandetta e o general Hamilton Mouro, vice de Bolsonaro.

10 thoughts on ““No posso apoiar uma chapa integrada por algum de extrema direita”, diz Maia sobre candidatura de Moro

  1. S uma perguntinha: Quem disse pra esses analfabetos que o Dr. Srgio Moro de extrema direita.

    J querem lacrar o Moro!
    E olha que o baile ainda nem comeou!

    Kkkkkk!!!
    Coitados dos corruptos, esto desesperados.

    Que se vayan todos!!

    JL

  2. A pessoal do TI, vocs deviam colocar esse comentrio do Felipe Quintas de como o Brasil deve agira nas relaes comerciais com os pases, em especial com Titio Sam e China:

    Felipe Quintas (via Facebook)

    A comparao entre as exportaes do Brasil para os EUA (1 imagem/imagem de cima) e para a China (2 imagem/imagem de baixo) suscita algumas reflexes:

    a) Enquanto potncia industrial emergente, a China muito mais fechada a importaes de produtos de alto valor agregado do que os EUA, que so uma potncia industrial decadente. Nada de novo na histria, a relao China-EUA repete a relao que EUA e Alemanha tiveram com a Inglaterra na segunda metade do sculo XIX e incio do XX, e que a Inglaterra, por sua vez, tambm teve com a Holanda no sculo XVII

    b) Nesse sentido, o tal “desenvolvimento compartilhado” em nvel internacional que a China diz defender , obviamente, uma mentira. Desenvolvimento poder e poder hierarquia. Isso no quer dizer que a China seja “m”. Em assuntos de poltica e geopoltica, no cabem julgamentos morais. A China, como qualquer pas que se preze, defende os seus interesses, o que o Brasil tambm deveria fazer.

    c) Um alinhamento geopoltico China e o consequente aprofundamento ostensivo das relaes comerciais com esse pas, no atual momento, atenderiam mais ao interesse particular do “agro pop” do que ao interesse nacional de desenvolvimento e industrializao – que, evidentemente, no exclui o agronegcio mas tambm no se limita ao dele. Um maior ingresso de divisas na balana comercial, no curto-prazo, poder custar muito caro em termos de deteriorao da estrutura produtiva brasileira – lembrando que o que diferencia os pases em termos materiais no o que eles consomem mas o que eles produzem.

    d) Por outro lado, os governos Bolsonaro e Temer sistematicamente sabotam as vantagens comerciais que o Brasil tem com os EUA, ao terem entregue a Embraer Boeing (j foi cuspida de volta mas certamente espoliada em termos tecnolgicos), destrudo o parque nacional de refino de petrleo para importar dos EUA e, no caso especfico do Bolsonaro, ter respondido ao ataque protecionista do Trump contra o ao brasileiro no com um revide, mas com a liberao total da importao de etanol estadunidense, ferrando com o usineiro brasileiro, que inclusive produz um etanol de maior rendimento.

    e ) O que o Brasil tem que fazer, ento? Simples: manter a neutralidade nas disputas comerciais entre EUA e China e buscar arrancar as maiores vantagens possveis de um e de outro e usar as negociaes com um como elemento de barganha com o outro, assim como buscar outras parcerias, como com a ndia, a Rssia, o Japo, a Coreia do Sul e a Europa. O provvel fortalecimento de organizaes multilaterais como a OMC, no governo Biden, favorece, a princpio, pases como o Brasil. O cenrio internacional bastante propcio pois no estamos mais na Guerra Fria, ento um no-alinhamento e uma pluralidade de acordos e alianas tticas de fato possvel. Mas, para aproveitar esse cenrio, necessrio ter plena soberania, o que Bolsonaro, Paulo Guedes e Ernesto Arajo negam ao Brasil. Sem soberania, o Brasil est condenado a ser mera reserva de matrias-primas dos pases industriais. No tem pas estrangeiro e organismo multilateral que salve.

    https://www.facebook.com/felipe.quintas.1/posts/1454459311417985

  3. O “Botafogo” apoiar pessoa ntegra e de carter ilibado ?

    Isso, nem de porre ele far, pois sua liberdade de corrupto, como apontado pela mdia, corre risco.

  4. E esse argumento de “extrema direita”, Maia fala assim, tomando carona nos ltimos resultados dos EUA e Bolvia. Ele est queredno entrar em consonncia na nova onda. Mas, no fundo, essa rejeio ao Srgio Moro, porque o ex-juiz puniu muita gente alinhada conduta do Gustavinho.
    Do mesmo modo, Bolsonaro com essa sua birra em no reconhecer a vitria de Biden. O capito quer passar isso, como se fosse um pacto de lealdade ao seu comparsa Trump. Mas essa relutncia de araque, s vai durar, enquanto Bolsonaro perceber que Donald Trump tiver alguma chance de reverter o quadro; uma guinada quase impossvel.

  5. Bolsonaro, por ser uma pessoa mediocremente intelectual, apegou-se figura do Trump para se afirmar no cenrio nacional – a celebridade do Trump o valorizaria. Quebrou a cara.
    Nos States, o Beb choro foi defenestrado; aqui, em breve faremos o mesmo com o nosso muar.

  6. Excelente comentrio Renato.
    O agro pop, agro tec e etc; no suficiente a menos que faamos mquinas no Brasil com desenvolvimento de tecnologia nacional.
    O futuro do agro cada vez menos mo de obra(empregos) e sim mecanizao.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.