Não se preocupe com bilhões, o rombo do Brasil é de trilhões

Luiz Cordioli

Prezados, fica meio ridículo falarmos e discutirmos minúcias de alguns bilhões, até mesmo R$ 100 bilhões, enquanto o vazamento colateral atual está na casa dos trilhões. Acabo de resumir um aspecto de uma planilha com dados oficiais do Tesouro Nacional, o total de juros e amortizações pagos ano a ano pelo governo, desde 1995, até antes, se quisermos. O endereço, para checagem salutar de quem se interessar é o http://www.tesouro.fazenda.gov.br/documents/10180/352024/Despesa_Grupo.xls/7e2709a6-7120-4467-97dd-2997d2965657.

A despeito de manipulação de valores (a meu ver real), mesmo assim, para minha surpresa, com o índice de atualização ali colocado, o IGP-DI, constata-se que desde 1995, entre FHC, Lula e Dilma, a média anual de gastos com juros e amortizações (todos não auditados em desrespeito ao que exige a Constituição) ascende à casa de R$ 860 bilhões por ano, todo ano, desde 1995, repito. São exatos e totais R$ 17,2 TRILHÕES, com dados oficiais do Tesouro Nacional!

Exatos R$ 860 bilhões/ano! Só para o Sistema Financeiro. E fora a Dívida Pública em si, hoje, de outros R$ 4 TRILHÕES redondos. Gastos de R$ 1 TRILHÃO/ano, numa outra média arredondada, que inclua a Dívida.

PREVISÃO DE 2015

Qual é a realidade do que falo? Muito simples: na Lei do Orçamento a previsão de gastos de juros e amortizações é de R$ 1,35 TRILHÕES. para 2015. Querem algo mais palpável?

Como podemos nos dar ao luxo de perder tempo e energia com outros problemas, de valor infinitamente menores e de importância secundária, como vemos? Este é o problema emergencial! O Titanic está afundando e a orquestra continua tocando?

Este problema não é só o PT, ou do PT, não srs. Este problema foi criado pelos tucanos e acobertado pelos petistas. E a sociedade brasileira, nós, ficamos por fora este tempo todo.
Deu no que deu, está dando no que está dando e dará no que dará.

A não ser que assumamos esta bandeira, para modificar o curso que lhe imprimiram e que cai só em nossas costas, da sociedade brasileira, à parte as exceções usuais. Este é o problema emergencial, nenhum outro se lhe chega aos pés! Acredite quem quiser, ou não.

22 thoughts on “Não se preocupe com bilhões, o rombo do Brasil é de trilhões

  1. O site do advogado americano Jason Coomer possui uma seção específica para processos de delação de corrupção do governo brasileiro. Coomer encoraja internautas que “tenham conhecimento de contratos fechados por meio de suborno ou contrapartidas ilegais” a entrar em contato, pois as recompensas previstas na legislação dos Estados Unidos variam de 10% a 30% do valor do suborno e de possível superfaturamento.

    Apesar de ser uma publicação que precede as revelações da operação Lava Jato, a Petrobras já era um dos principais alvos de Coomer, pois ao combinar as enormes reservas de petróleo e gás com investimentos estrangeiros diretos, a estatal faria do Brasil o quinto maior produtor de petróleo do mundo, atrás apenas da Rússia, Arábia Saudita, EUA e Irã.

    O site afirma que o Brasil é um dos países que atrai muitos investidores internacionais e “essa ferrenha competição combinada com o histórico brasileiro de corrupção no governo será um teste para inúmeras leis anti-suborno”.

    Como forma de incentivar delatores, Coomer lista várias companhias ligadas à indústria do petróleo condenadas pela lei anti-corrupção nos EUA, bem como os valores dos respectivos acordos selados junto à Securities and Exchange Comission (CMV americana). Confira abaixo a lista e os valores pagos nos acordos.

    Panalpina – Subornou autoridades na Nigéria, Angola, Brasil, Rússia e Cazaquistão. US$ 81,9 milhões
    Pride International – US$ 56,1 milhões
    Royal Dutch Shell – US$ 48,1 milhões
    Transocean – US$ 20,6 milhões
    Noble Corporation – US$ 8,1 milhões
    Tidewater – US$ 7,5 milhões
    GlobalSantaFe – US$ 5,8 milhões

  2. “O senhores que me desculpem, mas não passamos de uma GRANDE COLÔNIA.”
    Enéas Carneiro.

    Ao meu ver, não passamos de um GRANDE CURRAL, onde os CAPATAZES, indicados à presidência da república pelos DONOS DA FAZENDA, recolhem, mensalmente, bilhões de dólares em leite – representados pelos nossos impostos e nos deixam apenas os pastos como recompensa.

  3. Prezado, Sr. Cordioli.

    Muito louvável a sua iniciativa e o seu artigo.

    Só uma pequena correção, a planilha por ti indicada se refere à execução da despesa orçamentária (gastos correntes e gastos de capital) de janeiro a agosto.

    Se a intenção é efetuar um estudo minucioso da dívida pública, seja a federal, estadual, municipal, das empresas estatais, ou tudo isso consolidado, é possível fazê-lo no site do Banco Central.

    Acompanhe os Boletins de Política Fiscal aqui:http://www.bcb.gov.br/?ECOIMPOLFISC

    Baixe os arquivos em excel para análise detalhada.

    Grande abraço!

    • Wagner, agradeço os comentários e os endereços complementares para atualização de dados.
      Aproveito para esclarecer a sua dúvida sobre a planilha. De fato, ao abri-la, aparecem só os dados de 2014, de janeiro a agosto. Mas existem muitas outras abas embaixo, uma por ano, até 1980, onde estão os dados relativos a cada ano e os índices para atualizá-los para 2014, que foi o que fiz, somando e atualizando os valores de 1995 até 2014 e chegando, como disse, e com dados oficiais, aos assustadores 17, 2 TRILHÕES já gastos neste período.

      E digo assustadores por um motivo muito evidente e visível, aqui mesmo, nestes comentários. Porque não suscitaram espanto, como eu imaginava. Dá a impressão de que não caiu a ficha de que em 20 anos, os nossos governos gastaram R$ 17.200.000.000.000,00 restrita e exclusivamente com o Sistema Financeiro, sem que este total fosse discutido no Congresso!

      Arredondado, este valor é 5400 (!) vezes o que o governo recebeu pela Vale ou 820 (!) vezes o que recebeu pela Telebrás. Tudo gasto só com juros e amortizações, seja lá o que isto queira dizer. Mas é assustador, tanto o valor como a anemia circundante.

      Este total daria para reconstruir o País inteiro, tudo que quiséssemos, e ainda sobraria muita grana. Em 2015, na esteira e confirmando o rumo imposto pelo Sistema ao governo de plantão e sem discussão no Congresso, já se destinaram mais outros novos R$ 1.350.000.000.000,00 (R$ 1,35 TRILHÕES) para gastos de juros e amortizações. E a Dívida vai aumentar, por seu lado.

      E ninguém exige nada, em termos de controle ou de auditoria. Leva-se, na base do mais ou menos, bem mais menos do que mais, como diria o perspicaz e bem-humorado Vanzolini.

      Para instigar os colegas um pouco além destes assustadores números, afirmo aqui, também, em paralelo, antecipando nova discussão futura, que o dispositivo constitucional que autoriza o governo a ter este procedimento e passar batido no Congresso sem discutir estes valores, é o Artigo 166, parágrafo 3º, inciso II, alínea b, da Constituição Brasileira de 1988, artigo este que foi fraudado na Constituinte e até hoje não foi atacado, anulado ou comentado pela Cidadania prejudicada.

      Mas esta é História pura, que fica para outra vez, em breve, espero.
      Abração a todos.

      • Se não estou enganado, o dispositivo foi colocado na Constituição de maneira subreptícia, sem passar pelos ritos seguidas na constituição para aprovação de qualquer dispositivo. Assim os favorecidos deveriam fazer constar na entrada de todos as instituições financeiras a estátua dessa extraordinária figura pública brasileira …

  4. Nossa TI foi atacada por hackers. Já o país, atacado por ratos. Os conceitos são bem diferentes mas as ações semelhantes, proporcionalmente, no que toca as perdas produzidas.

    Os bancos, cada vez mais, ganhando mais e mais. basta ver-se os juros cobrados nos cartões de crédito. Nos governos tucanos, contarão com o beneplácito tucano. Já nos últimos 12 anos, firmaram negócios com os governos petistas.

    Os tucanos eram tidos como neoliberais. neste caso, para os da oposição de então, os encaminhamentos foram lógicos. Os petistas acusavam, combatiam e prometiam mudanças nas relações. No poder, esqueceram compromissos e continuaram a ciranda

    O artigo nada mais é do que a expressão da verdade: nua, crua e fétida.
    Num bom português, esta verdade deveria ser “esfregada” na cara daqueles que acusavam, com razão, os governos FFHH de “parceiro dos bancos”.

    Hoje o PT, que protestava e rugia contra o outro governo, de combatente virou sócio.

    E nós, os que produzem e trabalham, continuamos pagando tudo.

    E agora podemos ir, infelizmente, da risada à gargalhada quando informam que “delatores devolverão quinhentos milhões de reais aos cofres públicos”.

    Apenas troco, migalhas de comida sobre a mesa de um pobre.

  5. Caro, Sr. Cordioli.

    Muito bom artigo

    Agora, imagine quanto foi para fora do país se somarmos ao o total de juros e amortizações pagos desde 1995, pelo governo, os lucros das multinacionais e o dinheiro de brasileiros enviados e desviados para o exterior.

    Prestem atenção na noticia que saiu sobre a quebra de contrato entre a Friboi e o cantor Roberto Carlos.

    Uma das informações do processo é sobre o valor dos contratos: um de R$ 22,5 milhões, que seria quitado no Brasil, e outros US$ 9,3 milhões pagos no Exterior.

    Mais Detalhes:
    Zero Hora
    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2014/11/roberto-carlos-vai-a-justica-contra-a-jbs-da-friboi-4639294.html

    Acredito que no Brasil este deve ser o contrato padrão.

    Projetem esta condição para caso jogadores de futebol, Passadena, Porto Mariel, Mensalão, etc.

  6. Crescimento do PIB no Brasil e Mundo – em % – 1995 a 2013

    Ano Brasil Mundo
    1995 4,42 3,3
    1996 2,15 3,8
    1997 3,38 4,1
    1998 0,04 2,6
    1999 0,25 3,6
    2000 4,31 4,7
    2001 1,31 2,4
    2002 2,66 2,9 Brasil Mundo
    Média dos anos FHC 2,32 3,43

    Relação PIB do Brasil /Mundo 67,60

    Ano Brasil Mundo
    2003 1,15 3,7
    2004 5,71 4,9
    2005 3,16 4,5
    2006 3,96 5,2
    2007 6,09 5,4
    2008 5,17 2,8
    2009 -0,33 -0,6
    2010 7,53 5,3
    2011 2,73 3,9
    2012 1,03 3,5
    2013 2,49 3,0
    Média dos anos Lula 3,52 3,78
    Relação PIB Brasil / Mundo 93,10 –

    Fontes: IBGE, FMI e Ipeadata

    Nos governos do PT, de 2003 a 20013, o PIB brasileiro representa 93,10% ( 3,52/3,78 ) do PIB mundial. Na era do PSDB, de 1995 a 2002, 67,68%.

    Por isso Dilma venceu a eleição. O PIB brasileiro cresceu pouco, mas cresceu, e o PIB mundial, também cresceu pouco. Por isso a Dilma é boa gestora. Conseguiu um PIB positivo num cenário internacional economicamente difícil.

  7. O Brasil paga este ano, em encargos e amortizações da dívida, o valor R$ 224 bi. O governo contrai mais dívida para rolagem, e o montante aumenta. O financiamento da dívida por novas dívidas só é benéfico quando o país cresce e tem horizonte. Assim, se a economia empaca ou encolhe, fica difícil convencer que é razoável se pagar R$ 224 bi de encargos e repassar aos estados e municípios, onde as pessoas vivem, R$ 133 bi, pouco mais da metade daquele valor.
    Apesar da grande arrecadação de impostos, percebe-se que o endividamento crescente não é revertido para o povo, que merece apenas a metade da consideração dirigida aos financiadores da dívida, aqueles que tem renda sobrando, renda essa superior ao necessário para viverem. Assim, a dívida brasileira crescente é o melhor método para a manutenção ou concentração de renda.

    • José Camilo
      O resumo é a pura verdade.
      Enquanto alguns misturam PIB com rombo nas contas – deve ser para se iludir, já quem possuem tantos dados, deveriam comparar roubos com roubos.
      Vamos deixar a pergunta: quem roubou mais?
      Abraço

  8. Muita realista a imagem do Titanic afundando, e a orquestra tocando.

    Infelizmente, no Brasil, a impunidade, é um prêmio à irresponsabilidade, incompetência e a corrupção.
    Em todos os tempos, não foi por falta de denúncias…

    Os políticos legislam em causa própria, e jamais irão fazer uma reforma que extirpe seus privilégios, tão condenados, quanto olvidados pelo cidadão-contribuinte-eleitor em cada eleição, ao reconduzir pichados picaretas ao Congresso Nacional.

    No Brasil, agora DIVIDIDO explicitamente, torna-se imperativo que a tão declarada OPOSIÇÂO de fato, diga para que veio, e ASSUMA para valer os pontos e contrapontos na órbita do governo, com atitudes e iniciativas que nos livre da enrascada em que meteram a nossa economia.

    O assunto, é extremamente premente, grave e perigoso… Urge providências que já deveriam ter acontecido.
    Sem exagero, estamos em eminente rota de colisão com o Fundo Monetário Nacional…

  9. Estão sugando o sangue do povo brasileiro, com a conivência dos governantes.
    É muito dinheiro que sai do Brasil sem volta, como remessa de lucros, pagamento
    de juros a banqueiros internacionais e dinheiro de corrupção depositado em
    paraísos fiscais. Se não fizer uma lei de remessa de lucros, uma auditoria nas duas dívidas com empresa estrangeira idônea (nacional não serve) e ir fundo no combate a corrupção,
    o Brasil vai continuar sendo o fundo de quintal. Infelizmente não vejo no presente
    momento nenhum partido ou político nacionalista para tomar medidas
    de interesse nacional. Estamos Fu…….. a curto, médio e longo prazo.

    • Boa noite, Nélio.
      Como brasileiro, não posso deixar passar uma afirmação como esta sua, de que “uma auditoria nas duas dívidas com empresa estrangeira idônea (nacional não serve)”.

      É muito forte, sobre injusta, e não condiz com a realidade dos fatos.
      Há muita gente boa, querendo fazer as coisas legais e corretas, mormente nesta parte de Auditoria.

      Auditores brasileiros, por exemplo, ajudaram a fazer a Auditoria do Equador, e o fizeram muito bem, merecendo elogios do governo daquele país. Este mesmo grupo, ontem e hoje, fez e faz estudos, cursos, publica livros importantes sobre o tema, inicia agora a apuração da Dívida dos Estados, realiza palestras na Europa, (Portugal, Espanha, Grécia, Irlanda e outros), mostrando o que já sabemos e ensinando àqueles países como se faz uma boa Auditoria Cidadã. De se destacar que os povos daqueles países participam, sim, dos trabalhos de apuração dos fatos e números de seus países.
      E todos eles também agradecem a quem os orienta, neste momento, incluindo brasileiros.

      Só aqui, no Brasil, este grupo não conseguiu respaldo para realizar a Auditoria exigida pela Constituição.
      E não foi por falta de aptidão e/ou conhecimento, ou condição. Foi por interesse político exclusivo, de não deixar fazer a Auditoria constitucional descumprindo, vergonhosamente, nossa Magna Carta.

      Por último, apesar de não ser a Auditoria exigida pela Constituição, este mesmo grupo de trabalho conseguiu forçar a CPI da Dívida, concluída em 2010, quando, apesar dos evidentes erros e ilegitimidades apurados, o mesmo poder político de então, controlador do Sistema Financeiro, abafou tudo até a presente data, quatro anos depois. Quatro anos de inúmeras constatações e não se andou um passo à frente, incluindo-se aí o Ministério Público, que recebeu o Relatório e não deu o devido, rápido e necessário andamento! Aqui cabe uma expressão estrangeira: “this is Brazil…zil…zil..!”
      Tudo isto acima pode ser encontrado e confirmado, buscando na Internet as referências e trabalhos da Auditoria Cidadã da Dívida. Ou em seu site http://www.auditoriacidada.org.br.

      Assim, minha sugestão é que opte por valorizar, sim, o bom trabalho de bons brasileiros.
      Não estão no comando, mas existem, um e outro, o bom trabalho e os bons brasileiros.
      Porque ao final, quando corrigirmos estes errores/horrores que nos fazem hoje os políticos acumpliciados com o Sistema Financeiro, e vamos corrigir isto, sim, os beneficiados serão os próprios brasileiros e estaremos todos irmanados num bom propósito. O que é saudável e reforçador.

      Pelo contrário, não acredite em estrangeiros virem aqui para fazer bem aos brasileiros.
      Esta probabilidade é nula, nestes nossos tempos neoliberais.
      Não existe e eles não vêm, mesmo, por definição, com este propósito.
      O que dá no mesmo, mesmo.
      Abraços.

  10. Caro Luiz Cordioli, não há dúvida quanto a capacidade e idoneidade dos
    auditores brasileiros, o fato que eles estarão sujeitos a uma maior pressão
    por parte do governo atuai e dos governos anteriores. Não se pode desprezar
    a capacidade dos políticos brasileiros para melar qualquer auditoria que vá
    de encontro a seus interesses, farão o diabo se for necessário.
    Saudações.

  11. Salve sr. Cordioli. Até que enfim uma luz. Me imaginava, aqui em Natal-RN, um pregador no deserto, com o querido Hélio Fernandes a milhares de kms. na outra ponta. Toda e qualquer discussão fora do tema é inócua. Penso que o saudoso Itamar Franco entregou um país que seria administrável, um dívida interna pública,salvo engano, em torno dos 60 bi. Como FHC mais que a decuplicou, vendendo tudo a preço de banana, nunca se explicará. E pior, nada foi feito, em infraestrutura ou diminuição da dívida. Lula tinha obrigação de auditá-la. Tudo, o aumento da violência, degradação em vários setores, a isso se relaciona. Não vejo como reordenar a bagunça, com a gente totalmente à mercê dos rentistas, nacionais e internacionais. Uns sanguessugas… Obrigado e parabéns pela iniciativa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *