Não somos bons analistas, quando está em jogo o nosso sentimento de amor ou ódio

Confira a charge desta segunda-feira - Política - Pioneiro

Charge do Elias (Arquivo Google)

Roberto Nascimento

Não concordo com o clima de confronto que existe hoje. O fato é que não somos bons analistas, quando está em jogo o nosso sentimento de amor ou ódio, especialmente no campo político. Reconheço os erros do presidente Jair Bolsonaro, mas defendo que termine o seu governo, e se quiser tente o segundo mandato. Nada de golpe, que desestabiliza a nação, assim como fizeram com a Dilma Rouseff, quando usaram uma pedalada fiscal para derrubá-la.

Voltando mais um pouco no passado, tiraram Fernando Collor do poder por causa de um Fiat Elba, lembram? O ex-presidente depois foi inocentado pelo Supremo Tribunal Federal.

ABERTURA COMERCIAL – No caso do presidente Collor, que foi eleito com forte apoio do empresariado nacional, inclusive do sistema Globo, quando o presidente começou a contrariar o empresariado, na sua política de abertura comercial e contra os mercados cativos, se formou a teia que o aprisionou.

O confisco da poupança (um tremendo erro) foi uma tentativa de equilibrar as contas do Tesouro. Porém, o programa foi muito mal elaborado pela equipe econômica da ministra Zélia Cardoso. Collor não segurou o tranco e renunciou antes de ser julgado pelo Congresso.

No que tange à presidente Dilma Roussef, até hoje nada encontraram contra ela, com respeito à mesada, contas na Suíça, pedido de propina, nenhum ilícito. No Petrolão, a presidente tentou sustar o que acontecia na empresa, nomeando a engenheira de carreira Graça Foster, mas, o estrago já estava feito.

GOVERNO DE COALIZÃO – No regime de partilha do poder, governo de coalizão, uma parte dos ministérios é concedida aos partidos aliados. Sem isso, nenhum presidente consegue aprovar nada nas casas legislativas. As alianças ocorrem em todo o mundo democrático, inclusive na maior democracia, os Estados Unidos da América. É um legado de Montesquieu, autor do “Espirito das Leis”. Executivo, Legislativo e Judiciário harmônicos e Independentes.

Fora dessa tríade democrática vige a Ditadura, que é ruim para todo mundo, pois uma só pessoa decide o que é certo ou errado. E nenhum cidadão pode contrariar a decisão do “rei” de ocasião.

Mas, o processo que resultou no impeachment, se deu pela falta de apoio do PMDB. Começou em dezembro, quando Moreira Franco fez um discurso na FIRJAN no Rio de Janeiro criticando o governo da presidente. Quando ela soube, pelo serviço de inteligência, demitiu imediatamente o ministro da Aviação Civil.

FALTOU HABILIDADE – Se Dilma Rousseff fosse uma política de carreira, esperaria o melhor momento, mas era impulsiva e tomou logo a decisão. O fato contrariou a cúpula do PMDB, a frente o vice-presidente Michel Temer, muito amigo do ex-governador do Rio de Janeiro.

Uniram-se na conspiração o demitido Moreira Franco, junto com Eliseu Padilha, Michel Temer, Eduardo Cunha e Henrique Alves. No ano seguinte se valeram da famosa pedalada fiscal, instrumento utilizado por todos os governos, e isso foi suficiente para tirá-la do comando da nação.

Todos os atores, que participam desse processo de derrubada de presidentes, não pensam no povo e sim em seus interesses imediatos. Por isso, não concordo com o impeachment de Jair Bolsonaro.

OBSERVEM OBAMA – Confinado em casa, já estou muito idoso para acreditar em salvadores da pátria, em messias, em lendas, em mitos e em boas intenções.

Os políticos, salvo honrosas personalidades, só pensam na próxima eleição. Infelizmente, é um erro humano, que existe no mundo.

Vejam o presidente Trump, que uma vez eleito, começou a trabalhar na reeleição, atacando e desmontando toda a obra de Barack Obama, principalmente o seu Sistema de Saúde copiado do Brasil (SUS), o sistema voltado para os pobres americanos, chamado de Obamacare. Se preocupou o Trump com a assistência médica aos americanos pobres? De jeito nenhum.

26 thoughts on “Não somos bons analistas, quando está em jogo o nosso sentimento de amor ou ódio

  1. “tiraram Fernando Collor do poder por causa de um Fiat Elba, lembram? O ex-presidente depois foi inocentado pelo Supremo\’. Duas das mais estúpidas afirmações que eu já li. Collor não foi tirado do poder por causa de um Elba….o carro foi apenas a parte do rabo que ele deixou de fora. Quanto a ter sido inocentado pelo Supremo, nenhuma novidade. A incapacidade de o Supremo condenar , e se quer julgar, corruptos é notória !

    • “assim como fizeram com a Dilma”

      Não precisa nem de comentário e nem ler o resto do texto.

      E só vem confirmar o que digo, a tititi capitulou fragorosamente vergonhosamente democraticamente e possivelmente de 4.

  2. Análise correta e isenta, Roberto, sobre episódios que arrancaram Collor da Presidência. Parabéns. Apenas observo e saliento que quando Collor apresentou carta ao Congresso, renunciando, através do advogado, era para encerrar a sessão. Apearam o jovem idealista do cargo. mas os abutres queriam mais sangue. Até as vísceras de Collor. Não havia necessidade de cassar-suspender os direitos políticos do então chefe da nação.Prosseguiram a sessão. Afrontaram e rasgaram a Constituição. Sessão comandada pelos holofotes da Globo. Os capachos globais cumpriram as ordens sem tréguas. Paladinos e éticos de araque que ainda hoje rastejam para as pautas da emissora platinada. O que a nação assistiu foi, então, um espetáculo deprimente e covarde. Ratos fantasiados e engravatados de homens, berrando para obter momentos de glória vil e canalha na Globo. “Pela minha mãe , voto sim!”; “Pelo amor ao Roberto Marinho, voto sim!”. “Para salientar o ordinário que sou, voto sim!”. E assim, cumpriu-se a ordinarice. Collor cumpriu seu calvário quieto e silencioso. Recebendo coices de decaídos e patifes. Depois, como Roberto destacou, foi inocentado, em dois julgamentos, pelo STF, de todas as torpes acusações de seus detratores. Muitos deles, deputados, senadores, advogados, jornalistas, ministros em geral, já partiram para o inferno. Outros vegetam em casa. Outros estão com doenças incuráveis. São as leis de Deus.E a azeitada maldição da Dinda. Por sua vez, Collor é senador e trabalha, como de hábito, com inegável espírito público pela coletividade.

  3. “Não somos bons analistas, quando está em jogo o nosso sentimento de amor ou ódio.”

    -Na verdade, poucos homens são racionais. A grande maioria vive de acordo com os instintos primitivos: Comer, acumular alimentos (bens), se reproduzir, dormir, comer, acumular “alimentos” ao máximo, …e o ciclo se repete.

    -Tomara que essa doença sirva para alguma coisa útil nesse sentido, já que colocou todos no mesmo barco, nas mesma calamidade, independente da ideologia.

  4. PS: Gostaria de deixar aqui a lembrança do criador da Turma do Lambe-Lambe, Daniel Azulay, “aquele que não é senhor, nem professor, mas um amiguinho de vocês!”, que acaba de partir.

    -Tenho certeza que, ao contrário dos grandes pilantras deste país, que já morreram, ele ajudou a deixar um mundo melhor, ao contribuir para diminuir um pouco a ignorância da nossa sociedade.

  5. A verdade que neste shit hole em que vivemos e por isso mesmo aqui não existem leis bem feitas, aliás elaboradas por criminosos para assim o serem e os livrar de possíveis severas condenações como acontece nos EUA por exemplo.

    Nos EUA, para ‘inpichar’ um presidente é preciso indícios ilegais que ele possa ter cometido, o que leva aos pedidos de investigações e se provadas ao impeachment pelo voto da maioria do congresso.

    Aqui, junta uma minoria de descarados malfeitores do congresso e assim conseguem impichar um governante, sem nenhuma ilegalidade que ele possa ter cometido como é o caso agora do atual presidente, que uma minoria de conhecidos canalhas do congresso e da imprensa, essa quase toda, querem fazê-lo , apenas por razões estéticas, pelo seu jeito de se expressar,etc, sem nenhuma causa que o culpe de algum crime.

    Quanto ao Obama-care, os americanos não querem nenhum mau exemplo de brasileiros por lá. Preferem se dedicar, no caso dos republicanos, à economia e Trump mostrou isso conseguindo a menor taxa de desemprego em mais de 50 anos.

    Com os ótimos salários , os americanos fazem o que quiser com o seu dinheiro: gastar com saúde, com seguros, com prazer ,etc, menos dar dinheiro para o governo devolvê-lo por menos da metade com se faz aqui neste país.´

    Ps. Os socialistas sempre pregam que ‘o corpo é meu e faço dele o que eu quiser’ , mas quando se trata de dinheiro eles não aceitam que ele seja do seu legítimo dono.

  6. Pergunta boba, algum município esta fazendo desinfecção das ruas parques praças e etc…., vamos ficar de quarentena pra sempre? esses prefeitos e governadores são burros, acham que o vírus vai pro aeroporto e paga um avião pra não mais voltar? só quarentena não acaba com o vírus, a desinfecção é necessária e urgente.

  7. Realmente, tb penso assim. JB é o que sempre foi. Deixemos ele governar. Pois seu mandato é de 4 anos. Depois os brasileiros voltam a votar. Foi assim que a Europa chegou onde está.

  8. Para esse Roberto Nascimento, Color era um inocente.
    O autor escondeu o PC Farias, propinas, corrupção, fraudes em licitações.

    Quando a Polícia Federal invadiu o escritório de uma das empresas de PC Farias em São Paulo, encontrou diversas provas que o ligavam a Collor, inclusive um Computador, cuja senha de acesso era a palavra “Collor”.

    O que o STF fez não foi inocentar Collor por ausência de provas, mas sim anulá-las pelos erros no mandado de busca e apreensão que a Polícia Federal usou nesse caso, já que estava com o número da sala errado.

  9. Nem no tempo do Lula tinha ouvido dizer que o Obamacare teria sido copiado do SUS. É a primeira vez que leio isso. Pode ser que seja assim, não tenho a intenção de discutir. Na esquerda americana o Obamacare era visto como algo feito no interesse das empresas de planos de saúde, mais do que no interesse das camadas mais baixas da população.

    Sei que está muito na moda no Brasil de hoje condenar retroativamente os impeachments de Collor e Dilma como golpes. Uma grande ironia nisso que é que os maiores divulgadores dessa tese são os petistas, que em 1992 foram os maiores entusiastas do afastamento de Collor, e só descobriram o quanto estavam “errados” quando o mesmo processo foi movido contra Dilma. Mas nos dois casos não houve “golpe”. Pelo contrário, foi a mobilização popular que removeu Collor e Dilma do poder. Nos dois casos o establishment político era contrário ao afastamento, mas teve de ceder à pressão popular. Nos dois casos tratavam-se de governos de tinham perdido toda legitimidade perante o povo, praticavam a corrupção e buscavam usar o sistema pra se perpetuar no poder.

  10. Prezado Pedro Meira.
    Os presidentes são apeados do Poder, na sua maioria, quando perdem o apoio do Congresso, quando contrariam o empresariado e quando perdem o apoio popular, pelo aumento do desemprego e a fone, que leva o povo para às ruas em passeatas, carreatas e invasões e saques de supermercado.
    Para não alongar o texto, deixei de comentar o suicídio de Getúlio Vargas em 1954, a renúncia de Jânio Quadros em 1961 e o golpe contra João Goulart em1964. A história do Brasil é construída de golpes e traições. O povo perde sempre com as interrupções de mandato
    Quem assume, não tem sido melhor do que o derrubado.
    Michel Temer fez melhor governo do que a Dilma Roussef?

    • O processo de impeachment é um instrumento jurídico legítimo, previsto na constituição e regulado por lei. O PT subscreveu pedidos de impeachment contra Sarney, Collor, Itamar e FHC.
      Os processos de impeachment que vieram a ocorrer no Brasil se deveram principalmente à insatisfação e mobilização popular. O establishment político estava muito reticente em apoiá-los. Lembro muito bem que Ulysses Guimarães só veio a ser favorável ao afastamento de Collor na reta final. O Estadão publicava editoriais contrários ao impeachment de Collor quase todo dia, se bem me lembro. Quanto a Dilma, ela pagou por todos os abusos e excessos do lulismo no poder, que havia frustrado e alijado a maioria da população.
      O caso do Temer é que ele assumiu com prazo tão curto que não deu para motivar uma mobilização para sua saída, embora muita gente no PT estivesse ansiosa por antecipar a eleição presidencial para assegurar uma vitória de Lula.

  11. DISSE o articulista: “Confinado em casa, já estou muito idoso para acreditar em salvadores da pátria, em messias, em lendas, em mitos e em boas intenções. Os políticos, salvo honrosas personalidades, só pensam na próxima eleição. Infelizmente, é um erro humano, que existe no mundo.” SÃO AS BOAS IDEIAS LEVADAS A EFEITOS QUE MUDAM O MUNDO, e não os “ditadores”, os “salvadores da pátria”, os “messias”, as “lendas” e os “mitos”, exceto quando estes encampam as ideias e as fazem acontecer ante a apatia geral da população mais perdida do que cego em tiroteio. O diabo é que muita gente se apaixona por “mitos”, “lendas”, “salvadores da pátria”, “ditadores”, “messias” e afin$ e esquece das ideias. Ora essa, se é um erro humano que existe no mundo, pois então, uma vez detectado o erro que tem feito a desgraça na vida da população e motivado a desesperança, é o caso então de arregaçarmos as mangas e corrigirmos o erro, colocando no lugar da coisa errada a coisa certa, no caso a Democracia Direta com Meritocracia, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, sobretudo porque é isso ou o continuísmo do sistema podre, ou seja, não existe outra coisa a fazer senão mudar ou mudar o sistema podre, por mais que isso contrarie os interesses dos operadores da coisa errada.

  12. O problema do Brasil é a lei eleitoral permitir que qualquer um sem experiência como executivo, sem preparo e sem as mínimas condições de sentar na cadeira presidencial, seja candidato a Presidente da Republica. Se Lula, Dilma e Bolsonaro tivessem sido governadores de algum estado ou prefeitos de uma grande cidade, teriam ganho as eleições presidenciais? Acho que não.
    A Dilma pode não ter se envolvido em corrupção, mas fez olhar de paisagem para os corruptos agirem. Tanto é ladrão o que entra para roubar como o que fica tomando conta.
    Dilma não tinha mais condições de governar, seus erros levaram o Brasil a ter um PIB de -3,3 durante dois anos. Dali para frente a tendência era o caos. Quando se permite pessoas sem nenhum preparo ser candidato e chegar a presidência, tem que haver um antidoto: antes que o mal cresça corta-se a cabeça, como diz o ditado.
    Bolsonaro era um despreparado e inexperiente. ganhou as eleições polarizando com o péssimo governo do PT. Qualquer outro candidato ganharia do candidato do PT.
    Bolsonaro além de despreparado, é desequilibrado, adotou a ideologia ultrapassada do Guru Olavo de Carvalho.
    Bolsonaro pegou o Brasil andando na direção certa, o PIB sai dos – 3,3 do governo Dilma e saltou pra + 1.3, Petrobrás recuperada e o término do imposto sindical obrigatório. No final de 2019 a economia andou para trás fechando o PIB com + 1,1.
    A falta de preparo do presidente faz com quase que semanalmente crie crises entre os poderes. e agora com a pandemia age como um total irresponsável. Deve-se esperar o mal crescer até chegar ao caos?

  13. Esperamos todos nós Nélio Jacob, que não cheguemos ao caos. Caso contrário, tudo pode acontecer.
    A sociedade está muito dividida, uma ruptura no processo democrático, pode desencadear o pior dos mundos. Uma ditadura ou uma guerra civil. Não podemos ser a nova Venezuela ou mesmo a Bolívia, que trocou seis por meia dúzia.

    • A ruptura já começou a muito, já se rompeu com a roubalheira dos celerados canhotos e suas mentiras e enganações mas a ruptura pode aprofundar sem a menor duvida, e penso eu e porque não, quem sabe das cinzas possa vir alguma coisa melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *