“Não temos qualquer intenção de proteger ninguém que está à margem da lei”, diz comandante da Aeronáutica

Entrevista é mais um recado a Jair Bolsonaro do que à CPI

Pedro do Coutto

Numa entrevista exclusiva a Tânia Monteiro, O Globo desta sexta-feira, o tenente-brigadeiro Carlos Almeida Baptista Junior, comandante da Aeronáutica, comentou a nota das Forças Armadas publicada na véspera, criticando a acusação genérica aos militares, mas reconhecendo que as suspeitas de corrupção e desvios não são objetos de proteção para ninguém, pois pessoa alguma está à margem da lei e da Constituição do país. Ele ainda acentuou que os militares se mantêm dentro das linhas constitucionais e, portanto, não poderiam embarcar numa aventura golpista.

Analisando atentamente e medindo as afirmações de Carlos Almeida Baptista Junior, identificamos um impulso bastante lógico no sentido de prevenir qualquer sonho golpista, embora a entrevista possa parecer como uma crítica ao senador Omar Aziz, presidente da CPI. Por isso, como digo sempre, é preciso sempre observar não somente o fato, mas também o que está contido no fato. Sobre a nota em que o ministro da Defesa e os comandantes militares afirmaram não aceitar nenhum ataque leviano às Forças Armadas, Batista Junior disse se tratar de um alerta. “Não enviaremos 50 notas para Omar Aziz. É apenas essa”, afirmou.

GARANTIA INSTITUCIONAL – O brigadeiro assinalou ainda que “temos mecanismos dentro da base legal para evitar qualquer ataque às instituições. Receio que o país entenda que apenas as Forças Armadas sejam responsáveis pela garantia institucional. Não, todas as instituições são responsáveis. Estou falando da instituição Parlamento brasileiro, da Presidência, dos tribunais, do STF (Supremo Tribunal Federal), da imprensa.Tem instituições que ainda não entenderam isso. Mas nós temos certeza da nossa responsabilidade “

Na minha opinião, a entrevista é mais um recado ao presidente Bolsonaro do que, concretamente, um ataque à CPI e ao Congresso Nacional. Tanto que, numa das respostas à jornalista Tânia Monteiro, o comandante da Aeronáutica diz que não querer entrar no debate sobre a hipótese de a CPI do Senado estar exorbitando.

“As autoridades precisam entender o que está por trás da autoridade. Nós precisamos entender que o ataque pessoal do senador (Omar Aziz) à instituição militar não é cabível a alguém que deseje ser tratado como Vossa Excelência. Porque nós somos autoridades”, acrescentou Baptista. Ele afirmou ainda que “o comportamento de cada um de nós, das autoridades, exige ponderação e entendimento do todo. E essa disputa política do país é normal, mas sinto ser em tão baixo nível, em nível muito raso”.

RESPONSABILIDADES – O tenente-brigadeiro assinalou referindo-se à CPI: “façam o devido processo legal, apurem as responsabilidades, doa a quem doer. Não temos qualquer intenção de proteger ninguém que esteja à margem da lei. O estado democrático de direito, que é uma unanimidade da sociedade, exige que os princípios legais sejam seguidos. E que ninguém seja julgado prematuramente. Mas, uma vez comprovado que agiu à margem da lei, que cada um pague na forma da lei”.

Relativamente à presença de militares na Administração Civil, o comandante da Aeronáutica disse que é plenamente legal e, frisou, não ver nenhum problema na ocupação de cargos de confiança. “O presidente Bolsonaro trouxe para o governo, em sua maioria militares da reserva, que podem atuar como qualquer cidadão. E uma minoria da ativa, que é autorizada pela legislação vigente a ocupar cargos de natureza civil por até dois anos”, afirmou.

O brigadeiro tocou em um ponto sensível ao sustentar que os presidentes da República, como é o caso de Bolsonaro e o de Fernando Henrique Cardoso e Lula da Silva, têm a tendência natural de formarem as suas equipes baseados em suas esferas de conhecimento e de confiança. Portanto, não é de se estranhar que Bolsonaro tenha levado militares para o governo.

INCLUSÃO DE LULA – “Fernando Henrique trouxe quem ele conhecia, em quem ele confiava. Trouxe acadêmicos, professores, políticos, profissionais do meio dele. O presidente Lula trouxe, da mesma forma, sindicalistas”, destacou. A respeito da inclusão do petista na lista deixa no ar o suave propósito de revelar não existir qualquer preconceito em relação ao ex-presidente, reabilitado pelas decisões do Supremo Tribunal Federal. Baptista conclui que não devem ser feitos julgamentos antes da conclusão dos processos e que as Forças Armadas continuam com seus princípios legalistas.

A entrevista de Carlos Almeida Baptista Junior dá margem a uma visão mais ampla da questão que envolve as investigações da CPI e militares acusados. A matéria altera a apreciação inicial sobre a nota do ministro da Defesa, Braga Netto, e dos comandantes das Forças Armadas. Conduz a uma abertura de raciocínio e de aceitação de uma realidade, sem contudo deixar de criticar as acusações que os quartéis viram como generalizadas do senador Omar Aziz aos segmentos militares. Esse aspecto é muito importante. Quanto ao posicionamento do senador, ele já esclareceu amplamente que não generalizou as suas afirmações contra a seriedade e a importância do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

INTIMIDAÇÃO – No artigo publicado na edição de hoje de O Globo, Bernardo Mello Franco condena a tentativa de intimidação contida na nota publicada pelo ministro da Defesa e dos comandantes das Forças Armadas de que existia uma sombra aos trabalhos da CPI, iniciativa rejeitada pela opinião pública e interpretada como instrumento direto de pressão do presidente Jair Bolsonaro contra o Congresso.

Essa interpretação está correta e se comprova pela expressão com que Bolsonaro se referiu ao ofício dirigido a ele pela Comissão de Inquérito solicitando uma explicação sobre a declaração atribuída ao próprio chefe do Executivo e a participação do deputado Ricardo Barros no processo denunciado pelo também deputado Luiz Miranda e pelo seu irmão quando foram ao Palácio do Planalto revelar a articulação entre Ferreira Dias e Dominguetti.

Bernardo Mello Franco disse que os militares distorceram as palavras do senador Omar Aziz, no que de fato tem razão, e deixou claro que Bolsonaro será capaz de tentar obstruir o trabalho da CPI baseado na insinuação de um golpe militar.

23 thoughts on ““Não temos qualquer intenção de proteger ninguém que está à margem da lei”, diz comandante da Aeronáutica

  1. O tanto que essas forças armadas ridículas do Brasil se metem na vida política do país, mostra o tanto de tempo vago que esses come-caga-dorme devem dispor nós quartéis.

  2. Nossas Forças Armadas estão certas. Pena que o “presidente” (seu Jair) e os políticos (em sua imensa maioria) sejam tão mal instruídos e analfabetos. Gente ignorante assim é bem fácil de ser levada para qualquer lado que um espertalhão queira.

  3. Se o exército, deveras, tivesse uma estrutura consolidada por homens honrados, formados em carne e osso, seguindo a disciplina do RDE; no governo vigente, o Ministério da Defesa ia gerir apenas Marinha e Aeronáutica. Membros do Exército Brasileiro, de cabo a rabo, jamais prestariam continência a um ex-integrante seu, quem lá exerceu o papel escuso de quinta-coluna, e saíu da Corporação como arquiteto de um atentado não consumado.
    Ao contrário, a força terrestre nem só se submeteu a Bolsonaro como o seu comandante-em-chefe, mais ainda: serve-lhe à função de “carranca”, para hostilizar e dissuadir os opositores do presidente.

  4. A Defesa está vendida ao Idiota e lhe dá suporte para fazer as suas malucas ameaças e manter um comportamento de moleque que nos envergonha. Digam o que quiserem, mas a impressão que nos passam é a de fracos submissos.
    Fato é fato independentemente do contexto.

  5. Hoje, o corrupto senador Omar ‘260 Milhões’, a mais nova virgem imaculada da imprensa venal, mijou pra trás: reconheceu que a CPI da Gangue dos 7 (G7) está desmoralizada. É o efeito imediato da Nota dos milicos. Espero que os comandantes militares fechem o covil de corruptos e o escritório do crime organizado (STF); o frizer já está cheio de cervejas pra festança.

  6. Felipe Quintas (via Facebook)

    Para estruturar a privataria da Eletrobrás, o BNDES contratou o escritório Tauil e Chequer [1], subsidiária do escritório estadunidense Mayer Brown [2], que, por sua vez, tem como alguns dos seus principais clientes [3] a Baxter, que produz as vacinas da Pfizer [4], e a Glaxo, que, desde 2018, fundiu as suas divisões de saúde ao consumidor com a Pfizer [5].

    Lembram quando a Pfizer exigiu de Brasil, Argentina e Venezuela os ativos no exterior e os recursos naturais dos países [6]? Então. Missão paga é missão cumprida. Dos três, só o Brasil comprou a vacina da Pfizer, com o apoio de uma frente amplíssima que ia do Paulo Guedes ao MST, valendo até iniciar uma CPI para forçar o governo a comprar e, portanto, destravar as privatizações.

    O Brasil não apenas entrega seus recursos estratégicos, indispensáveis à vida das pessoas (a paulada na conta de luz está sendo fatal para muitos), como ainda vira laboratório de testes para a máfia farmacêutica. Entre outras coisas, ela usará os brasileiros – de forma compulsória, se aprovado o passaporte vacinal – para saber o que realmente a sua vacina causa ao longo do tempo, se a vacina “funciona” quando armazenada em temperaturas acima de -70º e o que acontece se misturar com doses de outras vacinas. Claro que outras corporações aproveitam para fazer o mesmo, como a Johnson & Johnson, cujas vacinas foram autorizadas pela Anvisa a terem seu prazo de validade estendido.

    Se querem uma trilha sonora para tudo isso, penso que “Índios”, da Legião Urbana, é a mais adequada. Os “índios” a que a música se referia não são os de 1500 não, somos nós hoje em dia.
    https://www.facebook.com/felipe.quintas.1/posts/1623361167861131

  7. Perdendo a eleição Bolsonaro vai alegar fraude com qualquer forma de voto, e vai perder. Nesse caso as Forças Armadas darão guarida à sua alegação? Aí está o imbróglio.

  8. Vou aproveitar um gancho do Turíbio com relação ao senador Osmar Aziz, ao mesmo tempo que coloco neste comentário a senadora Simone Tebet, para alguns comentaristas um ótimo nome à presidência desta republiqueta, que levem em consideração os candidatos à reeleição em 22.

    Fiz um trabalho exaustivo de pesquisa, de modo que não seja apenas a publicação de uma opinião pessoal, mas dados colhidos no Portal de Transparência do Senado.
    Informações, portanto, oficiais.

    A senadora Simone Tebet, conforme Portal de Transparência do Senado, gastou dos cofres públicos até o mês de junho, inclusive:
    99.155,79

    Assim distribuídos:
    Aluguel de imóveis para escritório político –
    49.608,96
    Aquisição de material de consumo –
    3.520,33
    Locomoção, hospedagem, alimentação e combustíveis
    4.995,84
    Contratação de serviços de apoio ao parlamentar 37.350,00
    Divulgação da atividade parlamentar
    350,00
    Passagens aéreas, aquáticas e terrestres nacionais
    3.330,66

    Os proventos de junho 2021 da senadora pelo MDB/MS:
    Subsídio
    33.763,00
    Imposto de Renda
    -8.104,39
    INSS
    -751,99
    Remuneração após descontos obrigatórios
    24.906,62
    Folha Suplementar
    Antecipação e gratificação Natalina
    16.881,50
    Salário líquido recebido em junho 2021
    41.788,12
    Considerando as despesas indenizatórias
    99.155,79
    Considerando a média de seis meses de
    16.526,00
    Simone recebeu líquido em junho 2021
    58,314,12

    Simone Tebet tem 16 funcionários no seu gabinete:
    (Propositadamente OMITI os nomes dos assessores).
    Efetivos 2
    Ambos mesmo nível salarial – FC-3

    1 – Chefe de Gabinete
    Estrutura Remuneratória Básica (os títulos são sensacionais)
    23.344.96
    Vantagens Pessoais (?!)
    6.449,46
    Função Comissionada (tem mais isso)!
    5.762,32
    Abono de Permanência (???!!!)
    4.708,86
    Sub-total
    40.265,60
    Imposto de Renda
    – 8.856,69
    PSSS
    – 4.708,86
    Remuneração após descontos obrigatórios
    26.700,15
    Vantagens Indenizatórias e Compensatórias
    Auxílio alimentação
    982,28
    Folha Suplementar
    Antecipação e Gratificação Natalina
    17.778,37
    Salário total líquido recebido em junho de 2021
    45.460,80

    1 – Função comissionada
    Nível salarial FC-3
    Salário
    21.797,84
    Vantagens Pessoais
    1.763,36
    Função Comissionada
    5.762,32
    Sub-total
    29.323,52
    Imposto de Renda
    -6.284,45
    PSSS
    751,99
    Remuneração após descontos obrigatórios
    22.287,08
    Auxílio alimentação
    982,28
    Folha suplementar
    Antecipação e Gratificação Natalina
    14.661,76
    Salário líquido recebido em junho de 2021
    37.931,12

    Comissionados 14
    Níveis salariais:
    SF02 – Três
    Assessores parlamentares
    Salário
    22.943,73
    Imposto de Renda
    -5.233,36
    PSSS
    751,99
    Remuneração após descontos obrigatórios
    16.958,38
    Auxílio alimentação
    982,28
    Folha suplementar
    Antecipação e Gratificação Natalina
    11.471,86
    Salário líquido recebido em junho de 2021
    29.412,52
    Três assessores =
    88.237,56

    SF01 – Dois
    Secretário parlamentar
    Salário
    17.992,56
    Imposto de Renda
    -3.819,65
    PSSS
    -751,99
    Remuneração após descontos obrigatórios
    13.420,92
    Antecipação e gratificação natalina
    8.996,28
    Salário líquido recebido em junho 2021
    22.417,20
    Dois assessores =
    44.834,40

    AP-12 – Um
    Assistente parlamentar sênior
    Salário
    17.207,80
    Imposto de Renda
    -3.499,57
    PSSS
    -751,99
    Remuneração após descontos obrigatórios
    12.956,24
    Auxílio alimentação
    982,28
    Antecipação e gratificação natalina
    8.603,90
    Salário líquido recebido em junho 2021
    22.542,42

    AP-10 – Um
    Assistente parlamentar intermediário
    Salário
    14.510,12
    Imposto de Renda
    -2.914,12
    PSSS
    -751,99
    Remuneração após descontos obrigatórios
    10.844,01
    Auxílio alimentação
    982,28
    Antecipação e Gratificação natalina
    6.747,21
    Salário líquido recebido em junho 2021
    18.573,50

    AP-09 – Um
    Assistente parlamentar júnior
    Salário
    11.471,87
    Imposto de Renda
    -1.974,33
    PSSS
    -751,99
    Remuneração após os descontos obrigatórios
    8.745,55
    Auxílio alimentação
    982,28
    Antecipação e Gratificação Natalina
    5.735,93
    Salário líquido recebido em junho 2021
    15.463,76

    AP-07 – Quatro
    Auxiliar parlamentar pleno
    Salário 8.996,28
    Imposto de Renda
    -1.397,21
    PMSS
    -751,99
    Remuneração após descontos obrigatórios
    6.846,48
    Auxílio alimentação
    982,28
    Antecipação e Gratificação Natalina
    4.498,14
    Salário líquido recebido em junho 2021
    12.326,90
    Quatro assessores
    49.397,60

    AP-05 – Dois
    Auxiliar parlamentar júnior
    Salário
    5.735,93
    Imposto de Renda
    -528,08
    INSS
    -654,32
    Remuneração após descontos obrigatórios
    4.553,53
    Auxílio alimentação
    982,28
    Antecipação e Gratificação Natalina
    2.867,96
    Salário líquido recebido junho 2021
    8.403,77
    Dois assessores
    16.807,54

    Salários de assessores no mês de junho 21
    339.248,70
    Salário da senadora no mês de junho 21
    41.788,12
    Salários do gabinete de Simone só no mês de junho 21
    381.036,82

    Salários do primeiro semestre recebidos pelo gabinete da senadora
    192.603,41 (sem o 13º) vezes seis meses
    1.155.620,46

    Salários pagos à senadora primeiro semestre sem 13º
    149.439,72

    Antecipação 50% 13º assessores
    146.645,29

    Antecipação 50% 13º Simone
    16.881,50

    Salários pagos no primeiro semestre no gabinete da Senadora, inclusive
    1.155.620,46
    149.439,72
    146.645,29
    16.881,50
    TOTAL 1.468.586,97 em despesas de pessoal

    Total das despesas no primeiro semestre da senadora
    99.155,79

    CUSTO TOTAL DO GABINETE DA SENADORA PARA O POVO BRASILEIRO
    NO PRIMEIRO SEMESTRE:
    1.567.743,76

    Média mensal de
    261.290,46

    Qualquer coisa de absurdo!

    Se projetarmos o custo para o povo do exercício de Simone como senadora, oito anos, com esses mesmos valores acrescidos de 15% até 2023, teremos:
    1.468.586,97 x 2(ano)
    2.937.173,94
    Despesas indenizatórias
    99.155,79 x 2(ano)
    198.311,58

    Tebet usará a quantia de
    2.937.173,94 x 8 =
    23.497.392,00
    198.311,58 x 8 =
    1.586.492,64
    TOTAL DO CUSTO DE UM SENADOR com 16 assessores e mais despesas indenizatórias:
    23.497.392,00 + 1.586.492,64 =
    25.084.000,00 + 15% =
    28.847.000,00 em OITO ANOS!!

  9. Quanto aos gastos do senador Omar Aziz, ele deveria estar sendo investigado por uma CPI, em razão dos seus gastos pessoais mas, principalmente, pela quantidade de assessores que possui!

    Aziz proporcionou uma despesa aos cofres públicos nos primeiros seis meses do ano – jan/jun – de
    192.273,43
    Ou seja,
    32.046,00 por mês em despesas indenizatórias!!!!
    Somadas ao salário de
    41.788,12 (idêntico ao de Simone, incluindo a metade do 13º)
    O senador embolsou
    73.834,00 mensais líquidos em junho 21.

    O gabinete do senador é composto por
    27 ASPONES
    E no seu Estado conta com mais
    16!
    Total de assessores
    43!
    Soco na cara do contribuinte!

    Considerando que Simone Tebet gastou com seus assessores no primeiro semestre, incluindo a metade do 13º, para 16 assessores:
    1.302.266,00
    O senador Aziz gastou com os seus ASPONES no primeiro semestre, incluindo a metade do 13º, para 43 assessores:
    3.500.000,00!!!

    Somando as despesas indenizatórias recebidas no primeiro semestre de
    192.273,43
    Mais o salário do senador
    149.439,84
    Mais a metade do 13º
    16.881,50
    O senador custou ao povo brasileiro no primeiro semestre
    3.858.594,77
    Divididos por seis meses
    643.100,00 MENSAIS!!!!

    AGORA, SENTEM-SE POR FAVOR:
    Aziz gastará este ano dos cofres públicos
    3.858.594,77 x 2 =
    7.717.189,54

    Se projetarmos como fiz com Simone, o período de senador do Aziz
    7.717.189,54 x 8 =
    61.737.516,32
    Mais o custo da inflação de apenas e tão somente 15%
    71.000.000,00!!!!!!!
    A quantia que o senador Aziz JOGARÁ FORA do erário público em 8 anos!!!

    Pois ele é presidente de uma CPI que investiga corrupção no ministério da Saúde??!!
    Tem cabimento ou somos mesmo um povo de bundas moles???

  10. Apenas DOIS SENADORES gastarão em seus 8 anos de legislatura

    CEM MILHÕES DE REAIS!!!!

    A Câmara é igual nos gastos e assessores, e tem mais parlamentares.
    Não há como este país ir para a frente desse jeito.
    Não há fórmula para equacionar o dinheiro vultoso gasto com as castas, em detrimento do cidadão do trabalhador.

  11. Antes que eu esqueça:
    Dois senadores têm

    CINQUENTA E NOVE ASSESSORES!!!!

    Deve haver quem coce os pés;
    quem seca após o banho;
    quem coloca talco nas partes pudendas;
    quem faz cafuné;
    quem dá carinho;
    quem leva para casa …

    Deboche, escárnio, agressão, ofensa ao povo!
    Dinheiro que sai do nosso bolso, já espoliado, roubado, sem nada para contabilizar!

  12. Nesse momento evitaria focar nos opositores do grande idiota-genocida-estúpido-ignorante que só fala em Deus e age como um facínora.
    Ademais, os valores absurdos que foram apresentados deveriam ser comparados aos gastos dos outros senadores (incluindo o senador rachadinha) – se possível o prejuízo que nos trará o grande Kachasseiro e o Terrível Carniceiro.
    Abraços, sr Bendl.

  13. A entrevista desse Coronel foi mais um tiro dado no pé pelas Forças Armadas

    O primeiro foi não punir Pazzuelo, e colocando o caso em segredo de 100 anos ( absurdo).

    Depois a nota do Ministério da Defesa que tem o dedo do psicopata presidente.

    Com essas atitudes as Forças Armadas está perdendo a credibilidade.Tenho dito!

  14. Pedro Coutto, boa noite!
    Desculpa mas mandou muito mal, com essa:

    “(…) impulso bastante lógico no sentido de prevenir qualquer sonho golpista, embora a entrevista possa parecer como uma crítica ao senador Omar Aziz…”

    Temos justamente o contrário aqui:

    “Não enviaremos 50 notas para Omar Aziz. É apenas essa”

    O que esse miliciano defende não é nada de acordo com a Constituição da República.

  15. Não podemos agir como fizemos com Bolsonaro, Sablons, que não investigamos a sua vida parlamentar mais a fundo porque queríamos derrotar o PT.

    O resultado dessa cegueira amargamos a cada dia.

    Por outro lado, apesar de entender o que escreveste, todos nós deveríamos verificar os gastos dos parlamentares.
    Um comentarista fazer esse serviço cansativo sem ajuda é desestimulante.

    No entanto, eu já havia postado que pesquisaria mais sobre os senadores, e de partidos diversos.
    E que eu me objetivaria no número de assessores, pois facilmente verificável a razão pela qual a rachadinha faz tanto sucesso!

    Vamos lá:
    Jaques Wagner PT/BA– 39 assessores

    Mailza Gomes PP/AC – 49 assessores
    A senadora gastou quase 300 mil reais em seis meses de despesas, e simplesmente tirou dos cofres públicos 59.000 reais em gastos com o … Correios!

    Márcio Bittar – MDB/AC – 54 assessores

    Leila Barros – PSB/DF – 40 assessores

    Paulo Rocha – PT/BA – 46 assessores

    Randolfe Rodrigues – REDE/AP – 56 assessores

    Paulo Paim PT/RS – 45 assessores

    Kátia Abreu PP/TO – 80 assessores
    A senadora é a parlamentar com o maior número de ASPONES.
    Qualquer coisa de acinte, agressão, ofensa, escárnio ao povo brasileiro!

    Ciro Nogueira – PP/PI – 53 assessores
    Despesas pessoais 297.598,36 (afora salários de assessores mais o seu), em seis meses;

    Fernando Collor PROS/AL – 54 assessores

    Plínio Valério PSDB/AM – 58 assessores

    Luiz do Carmo MDB/GO – 57 assessores

    Eliziane Gama – Cidadania/MA – 59 assessores

    Zenaide Mais – PROS/RN – 45 assessores

    Mecias de Jesus – REPUBLICANOS/RN – 56 assessores.

    • É o crime organizado nadando de braçada. Bolsonaro, como disse o jornalista da Globo, é um demolidor. Em 2022 teremos de um lado, Bolsonaro, o demolidor do crime organizado; do outro, Lula da Silva, o chefe do crime organizado.

      Terceira via, como posta, é mais uma armação do crime organizado para iludir incautos. O único nome que, de fato, representaria uma alternativa aos dois polos é o de Sérgio Moro, que por inocência, ambição ou vaidade perdeu o timing e se esborrachou. Torço para que o Dr Moro aprenda um pouco do pragmatismo político dos gringos e torne-se uma opção viável mais para a frente (2026?), depois que o Bolsonaro fizer a limpeza da mundiça incrustada na administração do estado.

    • Prezado Maragato dos pampas sulinos…FB….parabéns por suas ricas informações que só nos esclarecem o quanto somos mesmos idiotas…valeu Chicão…mostraste que o nosso problema é muito maior do que pensamos…
      Paz e saúde ao prezado..e a toda sua casa…
      YAH seja LOUVADO SEMPRE

      • Prezado e sumido Carlos de Jesus,

        Tudo bem contigo?
        Saúde, família, todos bem?
        Espero que sim, parceiro.

        Olha, postaste uma verdade incontestável, absoluta:
        ” … o nosso problema é muito maior do que pensamos…”

        Cheguei à conclusão, Jesus, que somente criticar sem dados que comprovem o quanto somos roubados, explorados e manipulados, de nada adianta comentarmos sobre o antro de venais, o poder legislativo.

        Ora, como existe o Portal da Transparência – ainda bem -, podemos ter uma ideia do quanto cada parlamentar usa de dinheiro dos cofres públicos para si próprio, e não para o povo e País!

        Não tem o menor cabimento, explicações, justificativas, que a senadora Kátia Abreu tenho OITENTA ASSESSORES!!!

        Mas não existe um limite para os aspones?
        Quer dizer que, se um senador contratar 227 assessores, temos de pagar??!!

        A corrupção, o roubo, tornam-se visíveis com esta quantidade de assessores à disposição de cada parlamentar, que não é diferente na Câmara, da mesma forma nas Assembleias Estaduais e Câmaras de Vereadores!!

        Considerando 55 mil parlamentares que compõem o legislativo em todas as suas esferas, e havendo a média de 30 assessores para cada parlamentar, PAGAMOS 1.650.000 ASSESSORES!!!!

        Já imaginaste o ganho de cada um dos aspones multiplicados por esta quantidade??

        Che, o dinheiro que este poder podre, corrupto, incompetente, ladrão, VAGABUNDO, gasta por mês é incalculável, pois ainda tem os desvios nas indenizações de combustíveis!!!

        O legislativo virou uma espécie de caixa eletrônico, que serve para se retirar a quantia que os parlamentares quiserem, e a seu bel proveito!!!
        Sem controle e fiscalização!!

        E não fazemos nada, Jesus.
        Aceitamos como cordeiros que façam conosco o que bem entendem!

        Definitivamente vivemos uma ditadura cruel, que coloca os poderes constituídos em patamares elevados, enquanto aumenta o número de pobres, miseráveis, desempregados, esfaimados, analfabetos …

        Que republiqueta é esta?
        Vivemos um comunismo no Brasil, onde o povo é maltratado, desprezado, vilipendiado, humilhado, enquanto as castas, elites e poder econômico se lambuzam com O NOSSO DINHEIRO???!!!

        A senadora Kátia Abreu com 80 assessores demonstra o deboche, o escárnio, o desdém, com o País e com o cidadão.
        Igualmente quem tem mais de 20 aspones à disposição!

        Simplesmente um crime contra o povo!!!

        Abraço, Jesus,
        Saúde e paz, extensivo aos teus amados.

  16. O valor pago – ou recebido – gastos com senadores, não vejo motivo para indignação.
    Claro que digo isso se não levarmos em conta o nível de competência dos representantes que lá se encontram.
    Isso me fez lembrar de historia de um senador dos USA. após vários mandatos sem faltar nem se atrasar uma única vez. (ele faltou por algum motivo). os outros senadores que logo perceberam a falta de quem nunca avia faltado. não tiveram duvidas. cancelaram o dia letivo para não sujar a ficha do senador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *