Não tentem subestimar a opinião pública, manipulando as informações

Resultado de imagem para opinião pública charges

Charge do Laerte, reproduzida do UOL Notícias

Silvia Zanolla

Está acontecendo um fenômeno no mínimo intrigante no que diz respeito ao contexto político do país. Tentam confundir a opinião pública, associando determinadas situações específicas como se correspondessem a uma posição maniqueísta, como se no país houvesse apenas dois grupos que se opõem: os governistas e os antigovernistas; os petistas e os temeristas. Estão subestimando a inteligência e a heterogeneidade do povo, de maneira oportunista.

Colocam no mesmo barco os petistas, todos os sindicalistas e contrários às reformas governamentais, e isso tem apenas um objetivo: tumultuar, confundir e lucrar de algum modo.

SEPARAR AS COISAS – É preciso deixar claro, mesmo que seja repetitivo, que quem é contra as reformas não necessariamente defende a pseudo esquerda brasileira. Vamos separar as coisas. Há cidadãos independentes neste país! Pessoas que pensam por conta própria, e a imprensa elitista não vai nos convencer do contrário!

Muitos foram para as ruas contra o governo Temer, mas sem com isso deixar de criticar grupos políticos partidários de oposição.
Não somos “obrigados” a tomar posição sobre Lula ou Temer! Muitos são contra as reformas desumanas, abusivas, mas sabem que o governo do PT vinha caminhando para implementar essas mesmas reformas (existem dados sobre isso).

MILITANTISMO – Não se pode ignorar a história em nome de um militantismo irrefletido. Temer, PMDB e Cia. eram o braço direito do governo anterior; para bem ou para mal é preciso assumir isso.

Não estamos em uma guerra santa entre o bem e o mal. Estamos em uma séria disputa entre poderosos grupos políticos que tentam manipular e modelar mentes em seu favor.
Não conseguirão! Não subestimem a opinião pública nem a população, embora a grande maioria ainda não se interesse por política.

5 thoughts on “Não tentem subestimar a opinião pública, manipulando as informações

    • O maior problema: confusão entre partidarismo e política. Como se fossemos obrigados a ser contra ou a favor da escola sem partido por exemplo!
      Ou então, a favor da intervenção militar, ou o retorno da pseudoesquerda!
      Sim, gostem ou não por enquanto o pensamento é livre e não precisamos agradar ninguém;
      , nem A e nem B.
      Prefiro ser essa metamorfose ambulante…

  1. “e a imprensa elitista não vai nos convencer do contrário!””

    Dra. Silvia, é dai que vem uma grande parte da manipulação.
    Que o diga aquele jornalzinho com seus jornalistas amestrados e tucanólogos da Rede Globells News……
    Cinco minutos e você fica somente com o teco, o tico já era.

Deixe um comentário para Alex Cardoso Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *