Nelson Rodrigues tinha razão: como os idiotas já são maioria, acabam nos governando

Nelson Rodrigues | Citações políticas, Nelson rodrigues frases, Citações  sábiasMário Assis Causanilhas

O jornalista e acadêmico uruguaio Leonardo Haberkorn desistiu de continuar dando aulas na carreira de Comunicação na Universidade ORT de Montevidéu, justificando sua atitude por meio de uma carta aberta que comoveu o mundo da Educação no Uruguai e vale para qualquer país do mundo.

O reduzido texto do professor universitário revela uma cruel realidade, porque ainda não tinha percebido que a situação chegara a tal ponto. É perigoso nivelar a sociedade por baixo. Como dizia Nelson Rodrigues, os idiotas são maioria e seremos governados por eles.

###
É IMPOSSIVEL ENSINAR A QUEM NÃO QUER APRENDER

Leonardo Haberkorn

“Depois de muitos anos, hoje dei aula na faculdade pela última vez. Cansei de lutar contra celulares, contra WhatsApp e Facebook. Eles me venceram. Eu desisto. DeiteI a toalha fora. Cansei de falar de assuntos que me apaixonam perante rapazes e moças que não conseguem descolar a vista de um telefone que não cessa de receber selfies.

′Claro, é verdade, nem todo mundo é assim. Mas eles estão cada vez mais robotizados. Até três ou quatro anos atrás, a exortação a deixar o telefone de lado por 90 minutos – mesmo que fosse só para não ser rude – ainda tinha algum efeito. Já não tem mais.

Pode ser que seja eu, que tenha me desgastado demais no combate. Ou que esteja fazendo algo errado. Mas há uma coisa certa: muitos desses garotos não têm consciência do quão ofensivo e destruidor é o que eles fazem. Além disso, é cada vez mais difícil explicar como funciona o jornalismo perante as pessoas que não o consomem nem veem sentido a ser informado.

NINGUÉM SABE NADA – Essa semana, na aula saiu o tema Venezuela. Apenas uma estudante entre 20 pôde dizer o básico do conflito. O bem básico. O resto não tinha a mínima ideia. Perguntei se vocês sabiam que uruguaio estava no meio dessa tempestade. Obviamente, ninguém sabia.

Perguntei se vocês conheciam quem é o Vouga. Silêncio. Do fundo do salão, uma única garota balbuciou: Não era o chanceler?

É assim com tudo. O que está acontecendo na Síria? Silêncio. Que partido é mais liberal, ou está mais à ′′esquerda′′ nos Estados Unidos, os Democratas ou Republicanos? Silêncio.  Sabem quem é Vargas Llosa? Sim, sim! Alguém leu algum dos seus livros? Não, ninguém.  

ESCRAVOS DO CELULAR – Sinto muito que os jovens não podem sair do celular, nem mesmo na sala de aula. Conectar pessoas tão desinformadas com jornalismo é complicado.

É como ensinar botânica a alguém que vem de um planeta onde não existem vegetais. ′′ Em um exercício em que deviam sair para procurar uma notícia na rua, uma estudante retornou com a notícia de que ainda são vendidas jornais e revistas nas ruas.

Chega um momento em que ser jornalista te joga contra. Porque um é treinado a calçar os sapatos do outro, cultiva a empatia como ferramenta básica de trabalho.

ELES SÃO VÍTIMAS – E aí vê que esses garotos – que continuam a ter a inteligência, a simpatia e o aconchego de sempre – foram enganados, que a culpa não é só deles. Que a incultura, o desinteresse e a absorção não lhes nasceram sozinhos.

Que eles foram a matar a curiosidade e que, com cada professora que deixou de lhes corrigir as faltas de ortografia, eles aprenderam que tudo dá mais ou menos o mesmo. Então, quando você entende que eles também são vítimas, quase sem perceber você vai baixando a guarda.  E o mau acaba sendo aprovado como medíocre; o medíocre passa por bom; e o bom, as poucas vezes que chega, comemora-se como se fosse brilhante.

Não quero fazer parte desse círculo perverso. Nunca fui assim e não serei. O que eu faço, sempre gostei de fazer direito. O melhor possível. E não suporto desinteresse diante de cada pergunta que faço e responde-se com o silêncio. Silêncio. Silêncio. Silêncio. Eles queriam que a aula terminasse. Eu também.

21 thoughts on “Nelson Rodrigues tinha razão: como os idiotas já são maioria, acabam nos governando

  1. Analiso sempre o histórico dos jornalistas para poder entender melhor seus artigos.
    E sinceramente a pobreza intelectual de grande parte dos mais famosos é deprimente.
    No entanto eles são especialistas em criar expressões que seduzem e domesticam seus leitores.
    Isso tb vale para TV e atualmente para blogueiros, yuotubers e influencers.

  2. Urge enquadrarmos os “idiotas”. POTENCIAL DE RESOLUÇÃO DO PAÍS X POTENCIAL DE VOTOS. QUE raio de “estabilidade” e “crescimento” querem os banqueiros e empresários deste país, muitos deles cabeças de bagres, muquiranas, se e que não investem nem sequer um centavo, nem sequer uma reunião, na coisa certa, naquilo que realmente pode nos trazer a ESTABILIDADE, e o crescimento virtuoso, com organização e método, qualitativos, como propõe a Democracia Direta, com Meritocracia, acoplada à RPL-PNBC-DD-ME, o megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, a Nova Política de verdade, a Terceira Via de verdade, com potencial de resolução do país para os próximos 500 anos, que propõe o novo milagre da multiplicação dos pães, dos peixes e das oportunidades em todo o território nacional, demonstrando como fazê-lo acontecer, e até desenhando-o no Mapa da Mina do bem comum do conjunto da população, o novo caminho para novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. SERÁ que é porque a “estabilidade” e o “crescimento” que banqueiros e empresários estão querendo é a estabilidade e o crescimento da roubalheira generalizada, porras-loucas, face aos quais todos espertalhões de plantão se calam porque se beneficiam juntos, e o resto que se dane, que nos conduziram ao estado de coisa$ e coiso$ que ai estão, com prazo de validade vencido há muito tempo, tipo nó górdio, a ser desatado apenas pelo Dr. Sobrenatural de Almeida, do saudoso Nelson Rodrigues, com Deus na Causa ? https://www.brasil247.com/economia/o-brasil-so-cresce-com-estabilidade-diz-fabio-barbosa-ex-presidente-do-santander?fbclid=IwAR2sDT1rJOzHLgPLGAwPf3HYf6T_VNM5K0luffatQiOU-sN3JViW0rRXqi4

  3. Devemos a Karl Marx o fantástico despertar dos idiotas.
    Vai ver os sintomas mais claros da idiotia se manifesta na China com seu bilhão de pessoas. E pensar em Cuba e a Coréia do Norte.
    Um censo entre Coréia do Sul e o Brasil de Paulo Freire viria a calhar.
    Minha dúvida cruel é se aquela govenadora do nordeste que fala gópi, ou a semiglota da Dilma e seu Dimês Rústico leram a Pedagogia do Oprimido ou só ficam zanzando no Grito dos Excluídos.

  4. Realmente, o velho Marx deve ter algo a ver com a pandemia de idiotia que se abate sobre nós, pois tenho observado que todos os atingidos usam os mesmos adjetivos depreciativos e ofensivos, indistintamente contra todos, até contra o Papa, comunas, esquerdopatas, narcomarxistas, petralhas, etc.
    Salve o grande Nelson Rodrigues, pela sua sentença inconteste e profética.

  5. Não sigo conselho de gente que fez fama dizendo besteiras. Por exemplo, “Nem todas as mulheres gostam de apanhar, só as normais”, é da autoria do Nelson Rodrigues, como foram muitos romances fedorentos e indecentes que exploravam a devassidão.
    Se alguém o admira e lhe dá razão não é meu problema, mas deixo claro que não aceito seus julgamentos primários como exemplos de sapiência. Precisamos nos educar para aprender a admirar quem realmente tem talento e educação.

    • Se ser medíocre é ser mediano, então mediocridade não é culpa do indivíduo nem algo inerente a uma raça. O que importa é termos uma sociedade justa que propicia igualdade de oportunidade aos indivíduos. É fácil encher a boca, como fazia o cidadão Nelson, e impingir aos outros o que mais se ressaltava nele: a mediocridade. Ele foi um escritor mediano, bobo, que alimentou uma sociedade retrógrada da época com pingos de falsa sapiência.
      Ninguém é medíocre ou nasce medíocre – o talento vem com a boa escola, o exemplo e a perseverança na consecução de um ideal. Todos somos potencialmente geniais.

  6. Adjetivo depreciativo é patrimônio cultural da esquerda. É só observar os comentários de alguns daqui. Fico observando o infantilismo dos mais açodados.
    A unanimidade deles em meter a ripa na cacunda do presidente foi descrita pelo Nelson, “Toda unanimidade é burra.”

    • Menos né Sr. Pimenta. Só os outros têm defeito, o Bolsonaro é o único, que é um santo?
      Depois de dizer que não é coveiro, xingar todo mundo que pensa diferente dele, ameaçar a democracia, fazer propaganda da ineficaz cloroquina, falar palavrões aos borbotões, ser contra as máscaras e as vacinas, não há um mínimo de razoabilidade, do senhor criticar os outros.
      Sinceramente, não gosto de fazer a contradita aos seus impropérios aqui, mas, tu estás demasiado over.

      • Roberto Nascimento, seu diapasão não mede meu tom.
        O que para o senhor é impropério, penso que o recado foi dado.
        Sugiro que vá ao editor do Blog e exija que me exclua por estar ferindo seus ouvidos.

  7. Nascimento,

    A turma de Bolsonaro, UNÂNIME em apoiar o incompetente, autoritário, arrogante, prepotente, mal educado e desrespeitoso presidente, é também burra!

    Abraço.

  8. Olha gente, nós, os sobreviventes desse caos moral e mental que se abateu sobre o país em 2019, nos espantamos com mil e uma sandice e disparates que os atingidos pela praga arremessam diariamente na mídia e nas redes para justificar e defender sua posição e seu ídolo.
    Temos que aceitar que é uma forma de justificativa da sua opção errada, embora às vezes se excedam na retórica moralista, religiosa e patriótica quando os fatos ameaçam suas teses e o endeusamento do Mito, mas há algumas linhas argumentativas que caem pelo próprio peso.
    Por exemplo, como entender que militares e ex-militares se valham do simbolismo da dignidade da própria carreira, da Bandeira e da Pátria, para justificar seu apoio a um
    ex-miltar, OFICIALMENTE, considerado indigno da carreira militar pelo Alto Comando do Exército?
    É mais uma incongruência neste caos de insanidade e desvarios.

  9. O choro do professor Leonardo procede, mas a culpa vem bem lá de trás, ela começa já no ensino fundamental, passando pelo médio onde raramente alguém é reprovado. Aí quando se chega ao ensino superior não há mais cura, é preciso aprovar um percentual X, caso contrário o ruim é quem ensina não quem se recusa recusa a aprender. Estamos formando levas e mais levas de incompetentes, daí tanto desemprego e subemprego, quem é idiota para pagar bem para gente tão mal formada? A pandemia está acabando e as desculpas começam a acabar também.

    • Os índices sociais nacionais, os da ONU, o PIB, a renda per capita, a taxa de desemprego, a desindustrialização. o desflorestasmento e outras mazelas, corroboram as aqfirmações de Guymontag

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *