Nem com telescópio da Nasa se consegue ver onde Gilmar ofendeu as Forças Armadas

Hamilton Mourão: Últimas Notícias | GaúchaZH

Charge do Gilmar Fraga (GaúchaZH)

Vicente Limongi Netto

Na falta do que fazer de melhor pela coletividade, o governo Bolsonaro alimenta, com admirável fervor cívico, campanha de protesto contra o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, por declarar que o Ministério da Saúde, em quadra perigosa da pandemia da covid-19, não poderia jamais ser ocupado por um general. É perda de tempo. É gestão de enxugar gelo. Está formada a pantomima contra Mendes.

Tanques, canhões, bazucas, aviões, submarinos, todos a postos contra o enfático Gilmar Mendes.  Os agora desafetos do ministro do STF pretendem, a meu ver, é jogar a opinião pública contra magistrados da Suprema Corte.

DESVIANDO O FOCO – Tática patética, medonha e desprezível. Choram pitangas contra Mendes na tentativa de desviar o foco das atenções para problemas infinitamente mais graves que assolam o Brasil.

O imoral desmatamento é um deles. Nos envergonha perante o mundo. Também foi melancólica a maneira desastrada como o governo tirou os médicos do comando do Ministério da Saúde.

Os generais querem tirar o couro do ministro Gilmar. Não consigo ver, nem com telescópio da Nasa, onde Gilmar teria ofendido as briosas e patrióticas Forças Armadas.

DEVIA TER DESENHADO – Se Mendes soubesse que suas declarações causariam tantas mágoas e choradeira, deveria ter desenhado: em tempos da pandemia, o correto seria o ministério da Saúde ser comandado por um médico. Por um profissional do ramo. Médico sanitarista, por exemplo.

Em nenhum país, nesta quadra sombria, o Ministério da Saúde é comandado por um general. Nessa linha, portanto, o Brasil colocou no Ministério da Saúde o homem errado no lugar errado. Por mais condecorações que ostente com orgulho.

7 thoughts on “Nem com telescópio da Nasa se consegue ver onde Gilmar ofendeu as Forças Armadas

  1. Alguns diriam que é puro mimimi.

    Outros diriam que vestiram a carapuça.

    E ainda tem quem diga que passaram recibo.

    Até hoje, temos 75.366 mortes por COVID-19.

    Definitivamente, o Brasil não é a Nova Zelandia.

  2. Sempre fui crítico da MAIORIA ABSOLUTA dos posicionamentos políticos do sinistro Gilmar Mendes. Não nesse caso. Pelo contrário: endosso a crítica contundente e oportuna à irresponsável condução do ministério – que deveria ser da Saúde -, mas que sob o comando de gente perversa tem conduzido ao genocídio de parcelas da população brasileira.

  3. “Tanques, canhões, bazucas, aviões, submarinos, todos a postos contra o enfático Gilmar Mendes.”

    Desculpe-me senhor Limongi, mas de onde o senhor tirou essa informação sobre esse tremendo poderio militar? Para ser bem sincero creio que até o famoso Nero da antiga Roma tinha mais armas do que nós.

  4. É no sentido figurado, Sapo de Toga. Com boa ironia. pena que você não sacou. Contudo, seria preciso, realmente, munição pesada, de outro planeta, para derrubar ou intimidar Gilmar Mendes.

  5. Parece que o Sr Limongi não leu, ou não entendeu o problema..Se tivesse falado apenas que erraram ao colocar um militar na frente do ministério, não haveria problema algum…mas ele AFIRMOU que o exercito está colaborando com o “genocídio” do povo brasileiro…(vide dicionário)….
    Este o problema….

Deixe uma resposta para Luiz Fernando Souza POA/RS Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *