Nem Lula nem Bolsonaro — é preciso percorrer a via crucis e chegar à terceira via

Charg3 do Henfil (Arquivo Google)

Eduardo Affonso
O Globo

Bolsonaro é a segunda pior coisa que já aconteceu ao Brasil. A pior foi Lula, que, além de tudo, nos legou Bolsonaro — uma “herança maldita” que corre o risco de se prolongar por mais quatro anos. O ex e o atual presidente se tomam mutuamente como antimodelos (no popular, como bicho-papão). Mas se retroalimentam: um é o esmeril onde o outro afia as garras.

Lulopetismo e bolsonarismo, hoje apresentados como os únicos caminhos politicamente viáveis, estão longe de ser simétricos, mas não são assim tão antagônicos. Vão dar no mesmo lugar: a negação da política, o desprezo pelo diálogo.

TERCEIRA VIA – A expressão “terceira via” não ajuda muito. Ficou marcada como um Frankenstein com cérebro de capitalista e coração socialista. Mas aqui nomeia algo que nos liberte de um círculo vicioso, de uma espiral de hostilidade que torna a cada dia mais difícil desfazer o nó do “nós x eles”.

Conseguimos não nos unir nem mesmo diante de uma pandemia que já matou quase meio milhão de brasileiros — ao contrário, encontramos nela combustível para nos afastar ainda mais.

Terceira via (ou quarta, ou quinta) não é a média aritmética dos extremos: é um vasto campo de possibilidades. Não é um muro sobre o qual os indecisos se acomodam para não tomar partido: é de onde se pode ver quão próximas estão as pontas da ferradura — e escolher não estar em nenhuma delas. É rejeitar a estridência das militâncias e optar por um sistema em que todas as vozes sejam ouvidas. No lugar do “um manda, o outro obedece”, escolher a argumentação e o convencimento.

BUSCAR A PLURALIDADE – Construir uma terceira via significa sair do simplorismo do branco ou preto e contemplar a complexidade de uma escala Pantone inteira. Buscar a pluralidade e escapar da “alternância de poder” entre um Centrão comprado pela esquerda mais venal e o mesmo Centrão aliciado pela direita mais torpe.

É um “caminho do meio” que pode até não levar ao nirvana, mas nos livrará da tirania mal disfarçada do populismo. E de falácias, como insistir que a responsabilidade por todas as mortes em decorrência da Covid-19 caiba ao atual governo — inepto, errático e irresponsável — sem considerar que, mesmo com os melhores quadros e as melhores práticas, parte das perdas humanas seria inevitável.

Ao mesmo tempo, não cogitar quantas vidas teriam sido poupadas se os bilhões de reais desviados nos governos anteriores tivessem sido investidos em saúde, segurança, educação, infraestrutura, geração de emprego.

ARMAS MORTÍFERAS – Negacionismo e milícias matam. Corrupção e ineficiência também. Ainda há tempo de viabilizar uma alternativa cujo projeto político seja de reformas, não de manutenção de privilégios. Que não transforme distribuição de renda em curral eleitoral. Que seja capaz de transcender o antipetismo e o antibolsonarismo e evitar que o país continue refém de um jogo maniqueísta cujo resultado sabemos — na carne — qual é.

Reelaborando o primeiro parágrafo, Lula é a segunda pior coisa a ter acontecido ao Brasil. A pior terá sido Bolsonaro — porque é por causa dele que corremos o risco de ter Lula de volta.

20 thoughts on “Nem Lula nem Bolsonaro — é preciso percorrer a via crucis e chegar à terceira via

    • Antônio,

      Não podemos nos submeter à escolha de péssimos candidatos.
      Por isso que não avançamos.

      Basta de escolhermos o menos “pior”, o menos ruim, o menos bosta!

  1. O nosso problema não é a gangue , liderado pelo seu mito condutopata que será eleita para praticar seus crimes contra o povo, notadamente, porque não têm outro projeto se não seu ascensorismo social e jogar nas mãos da burguesia patrimonialista o futuro do país, sem qualquer projeto sério de desenvolvimento sustentado.

    Nosso problema é estrutural: o Estado Clpeto-patrimonialista, onde só aparecem e prosperam corruptos, bandidos e criminosos, seja de centro, direita e esquerda.

    A gangue petista quer o impedimento do Bolsonasro antes que o povo o faça pelas ruas, cuja única mobilização é, como temos visto, o combate à corrupção. Momento em que gangues, nem condupatas seriam bem-vindos.

    Quanto ao que alguém aí em cima falou sobre a Globo: https://www.terra.com.br/diversao/tv/blog-sala-de-tv/boicotada-por-bolsonaro-globo-ganhou-r-7-bi-com-lula-dilma,8f3993aa664aa5a52632537b4eaab8c18e6zuamw.html

    Todo condutopata é hipócrita.

    A terceira via seria, como sempre, mais um falastrão com a bandeira anticorrupção, para depois mostrar, no governo, ser um condutopata ou um genocida.

    Os estadistas sumiram. Só um desses para começar o processo de destruição criativa do Estado Clepto-patrimonialista, que hoje tem sus base de apoio absurdamente ampliada. Sendo que a gangue petista, última adesão, com o apoio da bolsonarista, estão conseguindo constitucionalizá-lo. Algo inédita em 500 anos de roubalheira estatal.

    Meu voto é nulo. Não vou dar gás pra mais uma gangue e seu condutopata.

      • Nosso problema é estrutural: o Estado Clpeto-patrimonialista, onde só aparecem e prosperam corruptos, bandidos e criminosos, seja de centro, direita e esquerda..

        Perfeito Parte II…

        Nesse contexto as Máfias dominantes em todos os setores, ônibus, empreiteiras, combustível, construção, varejistas, atacadistas, dominam todos aqueles que sentam nas cadeiras, das Câmaras, Assembleias, Governos…

        • Isso, nossos “políticos” são meros office-boys da burguesia criminosa e patrimonialista. Que capitalismo mais louco. Aliás chamar essa geringonça de capitalismo….

          Lula é o maior office-boy das máfias que vivem a assaltar os cofres públicos. Tanto que conseguiu constitucionalizar a corrupção..

          O tipo de condutopatia do Bolsonaro é amadora para superá-lo nesse quesito. Embora no quesito genocida, seja imbatível;
          Lembrando que a corrupção é um genocídio “limpo”, se assim podemos dizer.

  2. O voto nulo volta-se contra o próprio povo!

    Não escolher um candidato significa depois ter de aceitar quem venceu a eleição, e sem mi mi mi, como leio hoje dos derrotados, que ainda acusam quem votou em alguém!!!

    Lamento, mas não é esse o caminho e a escolha correta.
    Significa dar de ombros à situação do povo e do País.
    Se nada mais nos resta para mudar esta Nação, a não ser o voto, simplesmente deixá-lo de lado é a concessão que se dá para o ladrão e o corrupto.

    O comentarista Antônio disse uma verdade, acima:
    entre Bolsonaro e Lula, vota neste último.
    Voto ruim, porém uma escolha que poderá evitar a continuidade deste governo insano e criminoso.

    Não que Lula não seja igual, mas jamais demonstrou tanto ódio pelo povo quanto esta administração, que nos desgoverna há quase três anos.

    Anular o voto jamais foi solução.
    Se o eleitor está descontente, mais do que nunca precisa escolher um candidato, e não lavar as suas mãos, como se nada fosse com ele.
    Errado.

    Alguns comentaristas, inconsequentes, que deixaram de votar no opositor a Bolsonaro porque “alegam” que são também contra o PT, PERMITIRAM que Bolsonaro fosse eleito.
    Resultado:
    andam de dedo em riste acusando quem elegeu o atual presidente, menos fazerem um ato de contrição para perdoarem a si mesmos, pela omissão e irresponsabilidade para com o Brasil e povo!

    Não entra nessa furada, Délcio.
    Usa o voto para mudar, pois é o que nos resta, e se até isso deixarmos de levar em conta, então adeus Brasil!

    • Num Estado Cepto-patrimonialista, a eleição épara o povo escolher qual tipo de condutopata e qual tipo de gan gue trá conduzir o país cada vez mais pro buraco.

      Depois da constitucionalização da corrupção promovida pelas gangues petistas e bolsonaristas, oe verdadeiros donos do poder já estão achando que podem receber a PF a balas.

      Não sou de brincar de política.

      Assim vai: vota-se no condutopata X, que no governo mostra quem é, abrindo caminho pro condutopata Y. Coisas do binarismo reducionista ou dialética reducionista.

      Felizmente por ter sido considerado criminoso contra a honra de membros do governo local, cumprindo pena domiciliar por não pagar multa, tive meu título bloqueado, de quando a última eleição. Que satisfação indescritível. Nem precisar ir lá no mecanismo anular o voto.

      Fui premiado com a punição. Agradeço à nossa seriíssima Justiça.

      Só a destruição criativa do Estado Clepto-patrimonialista nos salvará!

  3. Ou encontramos a terceira via ou vamos ter que fazer a Escolha de Sofia, Luladrão de novo e com ele a volta da corrupção? Ou teremos mais quatro anos na mão deste boçal incompetente ? Se Deus é mesmo brasileiro chegou a hora dEle provar isto.

  4. Se for para ter uma terceira via, já teria que ter surgido o nome…
    Está se esgotando.
    As partes da direita e centro que “não apoiam” Bolsonaro, embora no plano de reformas apoiem, e da parcela da centro-esquerda que não está confortável com Lula, se não entrarem num consenso não conseguirão nada, nem tirar votos de um nem de outro.

  5. Alguém me chamou, eu estou aqui, o que é que há ? MANTENDO A TERCEIRA VIA DE VERDADE, ANTISSISTEMA, ESCONDIDA E CANCELADA, COMO FAZ A IMPRENSA, HÁ CERCA DE 30 ANOS, a própria imprensa só tem a perder, joga contra si mesma, dá tiros nos próprios pés, mantém-se aprisionada ao sistema apodrecido, ao ponto de um ou uma Jornalista não ter sequer o direito de ter opinião própria sobre políticos encastelados no poder, sob pena de demissão. A POLARIZAÇÃO POLÍTICA E O APARELHAMENTO PARTIDÁRIO DAS INSTITUIÇÕES, DA MÁQUINA PÚBLICA E ATÉ DOS QUARTÉIS, É A GUERRA, tribal, primitiva, permanente e insana da tal burguesia, estabelecida ou emergente, louca por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, à moda todos os bônus para ele$ e o resto que se dane com os ônus, que o saudoso Cazuza, em “Burguesia”, disse que fede. E SE O POVO, DE REPENTE, soberanamente, cansado de tantas loucuras do sistema apodrecido, das fake news, das mentiras, das enganações, dos golpes, dos estelionatos eleitorais, das frustrações, da perda de tempo e do tempo perdido, resolver escolher os políticos do jeito que os servidores públicos são escolhidos, diretamente e por méritos, via concurso público padrão, o mais rigoroso possível, com o condão de moralizar todos os demais concursos, porém para exercerem mandatos de no máximo 5 anos, sem reeleição, eleições gerais, com renovação total e alternância garantida no poder de 5 em 5 anos, ai sim afeiçoando-se viável o formato distrital, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, a Terceira Via de Verdade, a Nova Política de Verdade, o projeto novo e alternativo de política e de nação, com Democracia Direta e Meritocracia, porque evoluir é preciso. http://www.tribunadainternet.com.br/nem-lula-nem-bolsonaro-e-preciso-percorrer-a-via-crucis-e-chegar-a-terceira-via/?fbclid=IwAR1m1MHlFwp3x7ShMZDU8QItK8BoUAOjoUwatoWG3tVy_RI8t8T_0lak-4U

    • A minha luta, de uma vida inteira, é resolver o meu país para o bem do meu povo, para os próximos 500 anos, sem alienações, de direita, de esquerda ou de centro, converso com todos e todas que queiram conversar comigo, seriamente, nesse sentido, sem prevenções, sem preconceitos e sem discriminações pessoais, porque, no caso, na seara política, a Mega-Solução para o nosso Brasilzão é o que interessa, divergências, rivalidades, inimizades, mágoas, ressentimentos, não têm pressa.

  6. Votar em gangues é fazer apologia do crime.

    Esse binarismo, uma ou outra gangue e esse papo de que se deve votar no, aparentemente, menos condutopata e criminoso é papo furado, pata manter incólume as estruturais criminosas do Estado.

    Não tenho uma gangue pra chamar de minha, nem um condutopata pra chamar de nosso.

  7. Hoje enquanto trabalhava fui assediado por colegas de trabalho, que acompanharam mais esse surto de ofensas desse senhor. Felizmente, todos os meus colegas de trabalho estavam ao meu lado, e puderam perceber que esse perseguidor estava mentindo.
    Observação – meus colegas perguntaram se eu não iria tomar alguma atitude contra o blog. respondi que o editor já tem esse castigo que já é demais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *