New York Times exorta Dilma a apoiar dissidentes cubanos

Deu em O Tempo

Em editorial publicado neste domingo (28), o jornal americano The New York Times exorta a presidente Dilma Rousseff a defender os valores democráticos em Cuba e demonstrar apoio aos dissidentes na ilha.

No artigo intitulado “Mudança de dinâmica para os dissidentes cubanos”, o jornal americano, um dos maiores defensores do restabelecimento das relações diplomáticas entre Estados Unidos e Cuba, afirma que o movimento de oposição cubana precisa de todo apoio internacional neste momento.

“Será que o movimento de oposição em Cuba será fortalecido com a aproximação do país com os EUA ou vai sofrer mais repressão? Isso depende em grande parte do apoio da comunidade internacional. À medida que Cuba se torna mais acessível para os americanos, o governo em Havana, sentindo-se vulnerável frente ao aumento de investimentos, de viagens e menos restrições sobre o fluxo de informação, pode até intensificar seus esforços para calar os dissidentes.”

MIMANDO A DITADURA

Segundo o diário americano, os governos latino-americanos vêm mimando a ditadura castrista há décadas, porque confrontá-la significaria apoiar a política radical de Washington contra a ilha. Agora que o presidente Barack Obama mudou essa política, os países democráticos deveriam apoiar as reivindicações dos ativistas cubanos.

“Apesar de sua tradicional relutância em se envolver nos problemas internos de outros países, o presidente do México, Enrique Peña Nieto, e a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, deveriam defender de forma inequívoca os valores democráticos abraçados pela maior parte dos países das Américas”, diz o NYT.

“A sra. Rousseff teria ainda mais peso ao fazer isso, por ser uma ex-prisioneira política, esquerdista e líder de um dos principais parceiros comerciais de Cuba”.

O jornal defende que os dissidentes sejam autorizados a participar da Cúpula das Américas, que vai se realizar no Panamá, em abril. “Se os dissidentes participarem, a sra. Rousseff pode muito bem estar falando com os futuros líderes de uma Cuba democrática.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGO editorialista do NYT deve ter bebido demais no Natal e ainda está meio fora do prumo. Pedir que Dilma Rousseff apoie os dissidentes cubanos é uma espécie de Piada de Fim de Ano. Dilma jamais os apoiará e vai perder o bonde da História. Quando Cuba enfim se tornar democrática, vai cair no colo dos EUA e virar as costas ao Brasil, que nos últimos anos se transformou no maior aliado do regime dos irmãos Castro, superando até a Venezuela chavista. (C.N.)

6 thoughts on “New York Times exorta Dilma a apoiar dissidentes cubanos

  1. Para Lulla que comparou os prisioneiros políticos cubanos fazendo greve de fome com os bandidos do PCC e os Petistas e Mauro Santayana que hostilizaram Yoani Sánchez não se pode esperar nada…
    O Lulla após a derrota para o Collor e o fim do URSS/Queda do muro de Berlim chegou a criticar o Fidel Castro e numa entrevista sugeriu as realizações de eleições livres em Cuba. Mas percebeu que a maioria dos eleitores da esquerda eram stalinistas e vê obra da CIA/EUA em tudo, o Lulla nunca mais se falou nisso, bem como continuou apresentando a Cuba como democracia e esperança da libertação da américa latina.
    Cada esquerda tem o ópio que merece…

  2. Infelizmente a elementa presidenta já não tem mais vida própria. Auto-determinação.
    Por isso é impossível ela deixar de ocupar seu lugar na engrenagem comunista na condição de uma peça em que se transformou ao longo da vida com função pré-determinada.

    Peçam tudo a Dilma, menos alguma coisa que possa contrariar seu deus. O ditador Fidel.

  3. Carlos Newton, me permita, mais uma vez, a observação de que a Dilma e o BNDES não emprestaram um centavo para Cuba. Deram de mão beijada e bolso aberto para a Odebrecht que vendeu, sabe-se lá como, o porto para os cubanos e ficou com o financiamento e o superfaturamento garantidos. E derem, garanto, para um dirigente que ainda não foi preso… É só esperar futuras investigações, que ele vai para a Papuda…
    Tivesse dado o dinheiro aos cubanos, como fala, estes não teriam aplicado num porto que só vai servir aos negócios e comércio internacional, não especificamente aos cubanos.
    Em resumo, muito mais próximo da realidade, a meu ver, é que:
    O Brasil financiou um belo porto para os americanos fazerem bons negócios, comércio e turismo em Cuba.
    Brasileiro é bonzinho…

  4. Concordo com os comentários do senhor Luiz Cordioli, e do Moderador.
    Na realidade, no fundo e no raso, é um “presente” para cubanos e americanos com o dinheiro público, dos brasileiros, via BNDES que, mais na frente, ainda em 2015 terá de explicar à nação a razão de tantos “investimentos” e “empréstimos” secretos…
    Que “prestígio” tem esse senhor dono da ilha, o comandante Fidel, com as autoridades brasileiras.. Papuda é pouco, quando se trata de crime lesa-pátria…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *