No caso do relator, Rosa Weber conseguiu desfazer nova armação da defesa de Lula

Rosa Weber manteve Barroso e desfez a jogada do PT

Carlos Newton

Ao manter com o ministro Luís Roberto Barroso a relatoria do pedido de registro do ex-presidente Lula da Silva, a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, desfez mais uma armação da defesa do candidato petista. Os advogados de Lula solicitaram que o parecer da procuradora-geral Raquel Dodge, que pede a impugnação da candidatura, não fosse analisado por Barroso, que havia sido sorteado relator.

Como os pedidos anteriores para barrar a candidatura foram distribuídos por sorteio para o ministro Admar Gonzaga, a defesa de Lula alegou que caberia a ele relatar também esse caso.

DEVOLUÇÃO – Os advogados do ex-presidente solicitaram a Barroso que o processo fosse devolvido à presidente do Supremo, ministra Rosa Weber, para que ela decidisse sobre a relatoria. E o ministro Barroso, na manhã de quinta-feira, se afastou do processo, para que Rosa Weber tomasse uma decisão.

A atitude do PT causou surpresa, mas tinha explicação. Segundo o engenheiro José Nono de Oliveira Borges, que acompanha atentamente a “Tribuna da Internet” e é um analista político de primeira, os advogados do PT queriam tumultuar e atrasar o processo, Se Rosa Weber colocasse Admar Gonzaga de relator, o PCdoB entraria em cena, arguindo a suspeição do ministro, por ter dado declarações contra a candidatura de Lula, antes de ser solicitado o registro ao TSE.

Nosso amigo José Nono tem razão. A defesa de Lula pensou que ia dar uma volta na presidente do TSE, mas ela percebeu o lance e confirmou Barroso na relatoria. Com isso, o sonho acabou.

15 thoughts on “No caso do relator, Rosa Weber conseguiu desfazer nova armação da defesa de Lula

    • Quem muito abaixa a bunda mostra. Os ministros do STF, especialmente os seus mais ilustres representantes, que se especializaram em falar latim e soltar bandidos amigos, criaram a imagem do bordel para a instituição. Os brasileiros de bem achamos o STF inútil, constituído por vaidosos imprestãveis.

  1. Em todas as eleições surgem uma infinidade de promessas que simplesmente não vão se realizar, porque vivemos em um processo que apenas se consolida há décadas.

    A crise econômica com milhões de pessoas desempregadas e outros milhões de desalentados que desistiram de procurar emprego, a depender das medidas a serem anunciadas pelo novo governo, pode até se agravar.

    De que forma o setor privado vai criar empregos, vai investir na produção, se não haverá consumidores suficientes para seus produtos?

    Não é mais fácil ganhar com a especulação financeira?

    Esse não é um fenômeno apenas brasileiro, mas está acontecendo em todo o mundo.

    O ultra-liberalismo que implica na super concentração de renda está criando uma categoria rentista parasitária que está destruindo a capacidade produtiva dos países e criando cada vez mais miséria e violência no mundo inteiro.

    Os Estados Unidos tem hoje um número de moradores de rua como nunca houve em sua História. É um país que persegue os imigrantes e se tornou profundante hostil a eles.

    A Europa está vivendo uma crise migratória sem precedentes.

    Continuando com a situação que vivemos no Brasil, as dívidas públicas incluindo encargos são impagáveis, trazendo grandes sacrifícios à sociedade.

    O que se fala sobre o próximo governo é que encontrará uma situação dramática nas contas públicas e será obrigado a fazer cortes de benefícios sociais de toda natureza, como já vem fazendo com o Bolsa Família, Bolsas de Estudo, Benefícios do INSS, dentre outros.

    O grande problema é que não existe nenhuma medida que o próximo governante possa tomar para reverter de forma imediata a triste situação em que a vive a maioria esmagadora da população brasileira.

    E ainda poderá tomar posse com uma rejeição popular jamais vista em nossa História.

    Essa a realidade com a qual o povo brasileiro conviverá daqui prá frente.

    Cada um cuide de si e procure suas melhoras.

    • Os candidatos estão repetindo promessas de 2016, 2014, 2012, 2010, 2008, 2006, 2004…

      Bando de ladrões. Uma canalhada instalada nos três poderes ROUBANDO de “A a Z”

  2. O TSE está num dilema:

    se decreta, logo, a inelegibilidade de Lula, abre espaço para que Haddad aproveite todo o tempo de televisão do PT e dê início ao processo de transferência de votos que, de cara, já levará o substituto de Lula no mínimo ao segundo lugar nas pesquisas e, com isso, a ser a grande novidade de uma sucessão onde o que faltam são novidades.

    Se protela a decisão, não terá como impedir a aparição de Lula na TV, uma situação para a qual não há nenhuma capacidade de prever-se o efeito, salvo o fato de que será o maior de todos os acontecimentos da eleição.

    Seja como for, a circulação espontânea da informação  funcionará quase que como um sistema de vasos comunicantes na formação da opinião popular, que vai deixar à margem do rio todas as quinquilharias que políticos, intelectuais elitistas e donos da mídia enchem a boca para fazer parecerem verdade.

    Lula o compreendeu, eles, não.

    https://goo.gl/bMkbHJ

  3. Parece que o estoque de balas dos pestistas não tem fim, é um tiro no pé atrás do outro, quem será que acaba antes, os tiros ou os pés, porque um tem que terminar. Felizmente a temporada de promessas vem aí, assim talvez os advogados pestistas deem alguma folga para os seus pés já tão feridos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *