No dia Dia “D” de 1944, os violões do outono tocaram esta manhã em surdina

Resultado de imagem para dia d

Veterano de 97 anos refaz o salto de paraquedas na Normandia

Pedro do Coutto

Líderes mundiais comemoraram a passagem dos 75 anos do dia “D”, assim chamado e que marcou a invasão da Normandia pelas forças aliadas, em 6 de maio de 1944, contra o Nazismo de Hitler que havia ocupado a França desde 1940. Foi uma passagem heroica que ficará marcada para sempre na história universal como uma batalha importantíssima e essencial para libertar a França do jugo da Alemanha de Hitler.

O título desta matéria destaca um verso de poema de Verlaine que funcionou como senha das forças democráticas e de libertação, avisando a não menos heroica resistência francesa que as forças aliadas estavam a caminho.

PELO RÁDIO – A senha foi reproduzida numa canção transmitida pelo rádio e que proporcionou imediata mobilização das forças da resistência. Foi uma página escrita com sangue dirigida a toda a humanidade. O hediondo Nazismo estava desmoronando.

Cento e cinquenta mil homens desembarcaram com água até a cintura, carregando armamentos para destruir as linhas alemães do solo francês. Setenta e cinco anos depois, a outra face da história e do tempo.

Participaram das comemorações na Normandia de hoje antigos combatentes que estiveram presentes no episódio. Um deles, o americano Fernando A. Torres, de 97 anos que apresentou um relato da batalha. Os que sobreviveram ao tempo, claro, se emocionaram ao assistir os discursos feitos principalmente de Emanuel Macron.

SURPRESA – Os nazistas esperavam que a invasão viesse de Dover para Calais , menor trecho entre Inglaterra e França, porém os aliados desembarcaram na Normandia. O general Rommel fora encarregado de lutar contra a ocupação, mas fracassou. Como havia fracassado na África e meses depois da Normandia, Rommel participaria do atentado contra Hitler. Mas esta é outra questão.

O fato é que sobreviventes da Normandia puderam dar seu testemunho numa narrativa detalhada dos outros quinze dias que se passaram quando as defesas alemães desistiram de combater.

STALINGRADO – A reportagem de Lucas Neves, Folha de São Paulo de ontem revela  precisamente os acontecimentos que envolveram a batalha que se estendeu em terras francesas por duas semanas. Foram personagens e testemunhas da história. Os que tombaram na batalha são exemplo da luta heroica que marcou o dia “D”. Mas, sob o ângulo da Rússia, mais importante do que a invasão da Normandia foi a batalha de Stalingrado, cidade que hoje se chama Volvogrado.

Para os russos a chave para decretar o fim do Nazismo foi a batalha que durou seis meses, na cidade estratégica de Stalingrado. Enfim, penso eu, foram os dois episódios mais dramáticos da luta contra o Nazismo, que deixou marcada na história um período hediondo da vida humana, ressaltando-se que o Nazismo de Hitler constituiu a maior violação dos direitos humanos na história universal.

40 thoughts on “No dia Dia “D” de 1944, os violões do outono tocaram esta manhã em surdina

  1. Caríssimo Pedro do Coutto (um dia terei a honra em te conhecer),

    Certamente por um pequeno erro de digitação, mas a cidade antes conhecida como Stalingrado, hoje é Volgogrado, em razão que fica à margens do rio Volga.

    Em 1961, como parte dos esforços do líder Nikita Kruschev em “desestalinizar” a sociedade soviética, a cidade recebeu o nome do rio que corre na região.

    As memórias da batalha da Segunda Guerra Mundial, entretanto, jamais seriam esquecidas. Em 1967, foi construído um monumento de 85 metros de altura que representa a Mãe-Pátria Russa: sobre a colina de Mamayev Kurgan, uma mulher com feições heroicas brande uma espada gigantesca.

    Aliás, para quem aprecia ler e conhecer o que foi o maior conflito da História da Humanidade, recomendo a leitura do livro da vencedora do Prêmio Nobel de Literatura, em 2015, A Guerra não tem Rosto de Mulher, escrito por Svetlana Alexijevich!

    Quase um milhão de mulheres lutaram no Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial, mas a sua história nunca foi contada. Neste livro, a autora que nasceu na Ucrânia, deixa que as vozes dessas mulheres ressoem de forma angustiante e arrebatadora, em memórias que evocam frio, fome, violência sexual e a sombra onipresente da morte.

    Livro imperdível.
    Aliás, a jornalista é autora de um best-seller, O Fim do Homem Soviético, livro que faz um painel fantástico de russos de todas as idades que se movem entre a possibilidade de uma vida diferente e a derrocada da sociedade que conhecem.

    Abração, Pedro.
    Saúde.

    • Boa tarde! Sequer tinha conhecimento da batalha e estátua em questão, fico agradecido, Sr.Bendl é cultura!Aprecio em demasia escritores do leste europeu, Humilhados e Ofendidos, irmãos Karamazov, Crime e Castigo, etc, vou procurar os dois livros recomendados, saudações!

      • Prezado Haremhab,

        Se eu te confessar que tenho livros escritos em russo, que tal??!!

        Sema que vem vou me encontrar com antigos camaradas, um pessoal que serviu junto no Primeiro Pelotão Infante-Polícia da Polícia do Exército, e que completa 50 anos!!!

        Um dos amigos meus á época, mal e porcamente falava português, pois era russo, naturalizou-se brasileiro, e teve de servir à Pátria porque era obrigação de todos os jovens.

        Até hoje trocamos correspondências, e, tempos atrás, recebo GUERRA E PAZ do incomparável Tolstoi, EM RUSSO!
        Dois volumes extraordinários!

        Se eu tivesse feito alguma faculdade – a incompetência e ignorância me impediram -, certamente esta seria História, mas não só pelos registros feitos, porém pela pesquisa, o estudo da História, propriamente dito, ou seja, por que estudamos história, para quê?!

        Pois bem:
        Tolstoi, Pasternak, Gogol, Gorki, Dostoiévski, Soljenítsin – Agosto 1,914, Prêmio Nobel de Literatura em 70, Arquipélago Gulag, O Pavilhão de Cancerosos, tenho-os todos -, Tchekhov, Aleksandr Púchkin, Gontcharóv, Turguêniev, Bábel, e esta notável escritora que também recebeu o Nobel de Literatura, em 2015, Svetlana Alexijevich, terás um painel deste país extraordinário, a Rússia!

        A meu ver não existe literatura mais densa que a russa, mais impactante, épica, e de contornos psicológicos das figuras retratadas pelos seus autores, como Crime e Castigo, por exemplo.

        Abração.

  2. “ressaltando-se que o Nazismo de Hitler constituiu a maior violação dos direitos humanos na história universal.” … um dia já tive essa certeza; hoje, depois da revelação da desgraceira humana provocada pelo tresloucado marxismo, tenho sérias dúvidas.

  3. Sobre uma das datas mais importantes da Segunda Guerra, que foi o Dia D, há um episódio mencionado nos grandes livros que abordam este conflito muito interessante.

    De Gaulle era orgulhoso. Dono de uma empáfia própria, um sujeito cuja antipatia só não era maior que o seu imenso nariz!

    Um ou dois dias antes da célebre data, a ansiedade era com relação ao tempo pois, se chovesse, a data teria de ser adiada e, sabe-se lá, se aconteceria de novo esta reunião de aliados.

    De Gaulle discutia com Eisenhawer, Comandante Supremo das Forças Aliadas no Ocidente, e Churchill, que queria comandar o Desembarque em seu país.

    Evidente que os americano e inglês não concordavam, mas o francês era teimoso e não abria mão deste comando, de modo que entrasse em Paris como seu libertador.

    De tanto encher o saco, Churchill, que não tinhas papas na língua, puxou o general francês de um lado e, em tom alto, para não deixar dúvida:
    – De Gaulle, se continuares com esta palhaçada de comandar os aliados, nós não só entraremos na França, quanto depois de vencermos os nazistas vamos dividir a França em quatro partes; uma para a Inglaterra, outra para os Estados Unidos, a terceira para os Soviéticos, e a quarta para a França!

    De Gaulle se amoitou no canto e ficou bem quieto!

    A Invasão foi um sucesso, apesar das enormes baixas aliadas, mas romperam a Muralha do Atlântico, empurrando os alemães para seu país, e iniciando do Oeste o fim da Guerra 11 meses depois, com os soviéticos vindo do Leste.

  4. Nesse encontro do heróis da guerra contra o nazismo na França, parece que não teve nenhum representante da Rússia.
    Foi a batalha de Stalingrado o fator principal da derrota dos alemãs.
    Falando no rio Volga, lembrei da música russa: Os barqueiros do Volga.
    Ainda hoje existem no Brasil idiotas adeptos do nazismo.

    • Prezado Willyan,

      Quando abordamos conversar sobre guerras e movimentos políticos, vem à tona a bestialidade humana, a nossa crueldade, nosso desprezo pelas vidas alheias.

      Stalin, soviético, e Mao, chinês, foram os responsáveis por matar mais pessoas – seus compatriotas! – que a soma das duas Grandes Guerras no século passado.

      Logo, tanto a Primeira quanto a Segunda Guerra, e tantas outras que também aniquilaram milhões de seres humanos, incluindo a implantação do comunismo à força em alguns países, os Direitos Humanos jamais foram considerados.

      E não precisamos retroceder tão longe.
      O nosso próprio país, Brasil, tem sido campeão nesta área.
      Basta constatarmos as mortes através da violência desmedida, as vítimas de uma saúde pública deteriorada e insuficiente, as almas imoladas em estradas sem manutenção e fiscalização, que se somam à insalubridade e precariedade dos nossos presídios, e teremos mais ou menos DUZENTOS MIL cidadãos brasileiros tombados a cada ano, incluindo mulheres, crianças, idosos, adultos, jovens …

      Se o seculo XX nos trouxe mais progressos científicos e tecnológicos desde que o homem surgiu no mundo, a bem da verdade foi incomparavelmente o mais violento da História, pois, de certa forma, a Europa foi altamente penalizada e prejudicada pelos confrontos terem acontecido naquele continente, na sua maior parte.

      Abraço.

      • Caro Chico,

        O ser humano é capaz de coisas que qualquer ser “irracional” jamais seria. Aliás, bem lembrado colocar Mao na mesma sacola.

        O amor pelo dinheiro e pelo poder foi, é e por muito tempo ainda será a raiz de tantas atrocidades.

        Ademais, admiro sua capacidade de traduzir em palavras suas ideias e pensamentos!

        Saúde e paz!

        • Willyan,

          Ainda bem que consta nos arquivos da TI, comentários meus afirmando exatamente as tuas colocações, o amor pelo dinheiro.

          Na verdade, o cifrão é o deus da maioria das pessoas no mundo!
          O exemplo que o nosso poder legislativo nos concede é a prova cabal do cinismo e hipocrisia quando falam em Deus!

          Roubos, assaltos, corrupção, indenizações falsas, desvios de gasolina, notas de refeições não feitas, hotéis que nunca se hospedaram, aluguéis de veículos nunca utilizados, aquela tradicional e conhecida farra com o dinheiro público, que caracteriza o antro de venais, vulgo congresso nacional, como o maior ladrão do planeta!

          Aliás, uma que vez que estamos dialogando sobre a Segunda Guerra, o povo brasileiro tem o seu conflito com aqueles que se declararam nossos inimigos:
          Os poderes constituídos.

          Evidente que, apesar de termos mais exércitos, mais gente, somos despreparados porque sem armas, sem condições, sem intendência, sem comida, água, uniformes, veículos, carros de combate, tanques, aviões, navios …. não temos nada!

          Logo, estamos sendo massacrados a cada ano, dizimados como formigas, chacinados como se fôssemos ervas daninhas!

          Ah, e com as mesmas crueldades dos campos de concentração nazistas e bombardeios desnecessários sobre a população civil, tais como o bombardeio em Tóquio, o maior da história, com mais de cem mil mortos – as duas bombas atômicas não servem como exemplo;
          Operação Gomorra ou o bombardeio na cidade de Hamburgo;
          o bombardeio na cidade de Dresden, onde americanos e ingleses despejaram mais toneladas de bomba que em todo o conflito!
          Os bombardeios em Londres pelos nazistas.

          Não temos bombas sobre nossas cabeças mas, em compensação, temos bombas travestidas em autoridades que compõem os tais poderes, que adoram detonar com o povo!

          Diga-se de passagem, nossos inimigos preparam uma bomba especial contra o enfraquecido cidadão brasileiro, denominada Bomba da Previdência!
          Nada destrói de patrimônio, de obras, construções, edificações pontes … nada, apenas e tão somente mata o povo de tanto trabalhar e não receber o suficiente para viver!

          E ainda esse pessoal tem a cara de pau em alegar que, no país, não sabemos o que é ter comida racionada!

          Então, tá!

          Abraço.

    • O assuno em tela é sobre a guerra contra o nazismo.
      Se for falar em direitos humanos, poucos países o repetiam. Há várias formas de desrespeitar os direito humanos.
      Ninguém em sã consciência pode concordar com a matança causada pelo comunismo na Rússia e na China.

  5. O Desembarque da Normandia ( Operação Overlord) foi uma complexa operação anfíbia que envolveu difícil coordenação de Forças Navais, Terrestres e Aéreas.
    Mais de 5.500 navios com poderosos canhões navais que atingiam até 20 Km praia adentro, mais de 13.000 Aviões Bombardeiros e Caças pintados com listas pretas e brancas nas asas e laterais para serem identificados que no primeiro dia cumpriram mais de 11.500 Missões, que no primeiro dia colocaram nas Praias mais de 150.000 Homens e seu Material, e em uma semana em torno de 1.000.000 e seu Material.
    Foi instalado um oleoduto de 24″ pelo fundo do mar para trazer Combustíveis.

    Construí-se em tempo record um Porto artificial com estruturas de concreto pré-fabricadas obra de genial Engenharia Inglesa, os Portos MULBERRY.

    Mas de tudo isso, a minha admiração maior vai para os mais de 25.000 Paraquedistas que saltaram 12 horas antes na retaguarda dos Alemães, para tomada de pontes, sabotagem de estradas de ferro, para dificultar a chegada de reforços Alemães, e combatê-los pelas retaguarda, etc.
    Pagaram um alto preço, com mortes de +- 25% do Efetivo, mas foram sem demérito dos outros, os mais Corajosos de Todos.

    • Obrigado, Mestre … o senhor descreveu muito bem o DEVER de um Paraquedista … como sou e nosso Presidente Bolsonaro também.

      Somos de fustigar o Inimigo pela Retaguarda kkk KKK kkk

      Abração.

      PS – kkk KKK kkk também é paraquedista o GENERAL DE EXÉRCITO AUGUSTO HELENO RIBEIRO PEREIRA kkk KKK kkk
      o homem é demais … mestre de salto (igual Bolsonaro) … e Operações na Selva kkk KKK kkk
      … … …
      KKK kkk KKK

      E eu um simples soldado sniffff fff fff

      Às ORDENS, né???

      • Sr Lionço, o nosso respeitável general Heleno, hoje em dia, deve poder saltar como aquele lindo senhor, veterano paraquedista do Desembarque, que saltou atado a um jovem soldado. Já tá velhinho, alquebradinho, embora com a mente, a argúcia e a inteligência afiadíssimas.

        • Prezada Mara … como comentei ontem … Golbery bolou um Brasil 3ª Potência Mundial … e criou o SNI – e sabe porque o Castello criou o SNI???

          É que as informações dadas pela Marinha eram mais confiáveis do que as passadas pelo Exército kkk KKK kkk

          O Marechal Deodoro (do Positivismo civil) não conseguiu entender a Marinha … e acabou renunciando … e assumiu o Marechal Floriano (o Marechal de Ferro … precursor da LinhaDura kkk KKK kkk)

          No Paraquedismo somos mais pelo Deodoro (conforme o grande líder militar Coronel Boaventura Cavalcante) … e Bolsonaro e Heleno também, né???

          Já o renovador TRABALHISTA Vice Mourão também é dos cursos: básico paraquedista, mestre de salto e salto livre, também possui o curso de guerra na selva … porém, é mais da linhadura do General João Dutra de Castilho (a quem servi como segurança Guarda de Honra kkk KKK kkk) já contei, né???

        • http://bnmdigital.mpf.mp.br/docreader/DocReader.aspx?bib=rel_brasil&pagfis=1148

          Está na 11ª linha o Nome FRANCISCO BOAVENTURA CAVALCANTI JUNIOR … a Data 10/65 … o Posto TENENTE CORONEL … … … está como Informante e Colaborador … PROJETO ” BRASIL : NUNCA MAIS ” ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO 1985 … … … KKK KKK KKK

          Em outubro de 1965 … como já citei por aqui … eu participava das Reuniões do Estado Maior Paraquedista … e NUNQUINHA se tratou de TORTURAS … … … e, FINALMENTE, vou contar o que falta – em respeito à memória do Coronel Boaventura!!! !!! !!!

        • 1 – As primeiras Reuniões foram sobre a participação paraquedista nas Operações da OEA na República Dominicana.

          2 – Ficava eu fora da sala … porém, logo junto à porta … e ouvia TUDINHO, né???

          3 – As outras reuniões foram sobre as Eleições Estaduais, ainda diretas … e, na então Guanabara, o candidato Negrão de Lima, afilhado de casamento do Presidente Castello, era adversário do Flecha Ribeiro, candidato de Lacerda.

          4 – As reuniões eram muito acaloradas … e ficava preocupado de acontecer algo com o General; porém, como era lacerdista … fiquei temendo de dar palpite KKK kkk KKk e passei a ficar longe da porta (e sem condições de entender o que falavam)

          5 – Porém, pronto a entrar rapidinho na sala se percebesse necessidade de defender o General, né???

          6 – Hoje, sabemos que queriam até derrubar o Castello!!!

          7 – Porém, em 1965, NUNCA SE DISCUTIU TORTURA para o nome do Coronel Boaventura constar no NUNCA MAIS!!!

  6. Mestre Bortolotto,

    Analisar os números superlativos da Segunda Guerra Mundial causam espanto e incredulidade até os dias de hoje!

    Mesmo com a quantidade de mortos apontados de formas diferentes, uns falam em 60 outros em 70 milhões de vitimas, desconhecemos a quantidade de pessoas que ficaram inutilizadas, sejam paraplégicas e tetraplégicas.

    Também não se sabe os números de desaparecidos, que são os que morreram e ficaram presos nos navios que afundaram, nos aviões derrubados no mar, naqueles que tiveram bombas que os fragmentaram, que ficaram embaixo de escombros, que foram soterrados vivos quando abrigos aéreos eram acertados pelos bombardeios.

    Igualmente, mestre, a quantidade de … desertores!
    Franceses, alemães, soviéticos, italianos, americanos, australianos, neo-zelandeses … que não suportando os horrores do conflito, abandonavam as suas armas e se escondiam, vivendo longe dos combates.

    A batalha de Stalingado proporcionou mais de dois milhões de mortos, entre soviéticos e nazistas!
    Se ainda houve Kursk e a Batalha de Berlim, 1,5 milhão de mortos, a bem da verdade não podemos esquecer que esses combates não mataram a quantidade de mortos como nos campos de concentração nazistas!

    Inenarráveis e indescritíveis os horrores, a crueldade, as torturas, a perda total de humanidade cometidas naquelas prisões, que são exemplos até os dias de hoje de desprezo pela espécie humana no seu mais alto grau, aliás, jamais imaginada que o homem poderia atingir tamanho ódio e selvageria contra seus semelhantes!

    Curiosamente, aquela que deveria ser a última guerra entre nações e povos, deu início a uma sequência de outros conflitos que também levaram por diante outros milhões de mortos!
    Independência da Índia;
    Surgimento do Estado de Israel;
    Guerra da Coréia;
    Guerra do Vietnã;
    Derrota dos franceses em Dien Bien Phu, quando perderam a Indochina, livrando-se do colonialismo;
    A Guerra da Argélia;
    Ruanda;
    Biafra;
    Guerra na Síria;
    Guerra das Malvinas;
    Guerra entre El salvador e Honduras;
    Irã e Iraque;
    Guerra do Golfo;
    Primavera Árabe;
    Guerra dos Seis Dias;
    Guerra do Yon Kipur ….

    A Humanidade não tem paz!

    Abração, mestre Bortolotto.
    Saúde,e vida longa.

  7. Os russos, ainda stalinistas, não reconhecem que se não fosse a ajuda americana em munição, aço e locomotivas estriam em maus lençóis.

    Também não reconhecem que antes de Hitler o regime comunista já havia assassinado 10 milhões de russos.

  8. Guerras …guerras…guerras… Prova resultante da depravação humana…e sua rebeldia …
    E nestes atos de depravação moral …não há heróis…não há moralidade..só elementos depravados lutando por suas próprias imoralidades bestiais… vide o que foi a escravidão…o massacre dos povos indigenas das américas..e da oceania..vide o que foi a “estranha” guerra do paraguai (royalties para o mestre Helio Fernandes), a guerra da indochina..a partilha da Africa (uma verdadeira aula de racismo, e crimes contra a humanidade …um holocausto verdadeiro dos povos da Africa…)…o que diremos mais a vista de tão grande testemunho de REBELIÃO contra o ALTISSIMO ?
    NÃO existe glória nesta INSANIDADE moral …o homem natural é MORTO espiritualmente e precisa nascer de NOVO …para ver o REINO DO ALTISSIMO…ESTAS GUERRAS AO LONGO DA HISTÓRIA HUMANA…são umas das fotos que comprova a MORTE espiritual da humanidade…

    YAWHE SEJA LOUVADO…sempre …

    • Seguinte: achar ruim com guerras, todos achamos. Acontece que isso é perda de tempo e até hipocrisia em certos casos, já que não querer a guerra é impossível, pois com o advento da mete nos humanos surge a doença conhecida como ‘”ideal”, que será a causa delas , guerras.
      Idealistas e fanáticos sempre atacarão aqueles que não compartilham de suas ideologias ou religiões políticas como fez os nazistas na Europa e os comunistas na Coreia do sul e no Vietnan.
      Logo, só resta aos países democratas se defender como fito nessas guerras.
      Quanto a Hélio Fernandes, é o maior cascateiro da nossa imprensa. Cony que o diga.

  9. Alemanha foi derrotada na frente oriental, não na Normandia
    Eric Margolis

    Em minhas muitas visitas a pé ao vasto campo de batalha da Normandia na França, continuei recordando o sempre sábio ditado do grande monarca da Prússia, Frederico o Grande : “aquele que defende tudo, não defende nada”. Nesta 74 ª aniversário dos desembarques do Dia D, vale a pena recordar o velho guerreiro-rei.

    Adolf Hitler , um veterano da infantaria, certamente deveria ter conhecido melhor. Defender a costa européia da Bretanha à Noruega era uma impossibilidade dada a fraqueza militar e econômica da Alemanha em 1944. Mas ele não entendeu isso. Tendo vencido tão brilhantemente as fortificações da Linha Maginot da França em 1940, Hitler e seu Alto Comando repetiram os mesmos erros estratégicos e táticos que os franceses apenas quatro anos depois: não ter reservas suficientes para efetivamente contra-atacar as forças inimigas.

    A alardeada Muralha do Atlântico da Alemanha parecia formidável no papel, mas era longa demais, fina demais, desprovida de profundidade defensiva e carecia de forças de reserva adequadas. A linha Maginot linear sofreu as mesmas falhas. As fortificações americanas que protegiam Manila e as fortificações “inexpugnáveis” da Grã-Bretanha em Cingapura também se mostraram sem valor. Os japoneses apenas marcharam em suas costas indefesas.

    Em 1940, a Wehrmacht alemã foi a suprema máquina de luta da história moderna. Mas apenas quatro anos depois, a Wehrmacht foi quebrada. A maioria dos americanos, britânicos e canadenses acreditam que o Dia D foi o golpe decisivo que terminou a Segunda Guerra Mundial na Europa. mas isso não é verdade.

    A poderosa Wehrmacht, da Alemanha, que incluía a Luftwaffe, foi destruída pela União Soviética de Stalin. O Exército Vermelho alega ter destruído 507 divisões alemãs, 48.000 tanques alemães, 77.000 aeronaves alemãs e 100 divisões de tropas do Eixo aliadas à Alemanha, vindas da Itália, Romênia, Hungria, Eslováquia e Finlândia.

    História como Propaganda: Por que a URSS não “ganhou” a Segunda Guerra Mundial? Failed Nazi Blitzkrieg contra a União Soviética
    Poucos americanos ouviram falar da ofensiva do Extremo Oriente soviético de 1945, uma enorme operação que se estendeu da Ásia Central à Manchúria e ao Pacífico. Pelo menos 450.000 soldados japoneses foram mortos, feridos ou capturados pelo Exército Vermelho, 32% das perdas militares totais do Japão durante a guerra. Os soviéticos estavam prontos para invadir o Japão quando os EUA o atacaram com duas armas nucleares.

    Dos 10 milhões de feridos na Alemanha na Segunda Guerra Mundial, 75% foram infligidos pelo Exército Vermelho. A outrora poderosa Luftwaffe foi dizimada pela Rússia. Quase toda a produção militar alemã foi para abastecer a Frente Oriental de 1.600 km, onde as forças de elite da Alemanha foram enterradas em batalhas titânicas como Kursk e Stalingrado, que envolveram milhões de soldados.

    As forças soviéticas perderam mais de 20 milhões de homens. As perdas totais dos EUA, incluindo o Pacífico, foram de um milhão. Para o marechal Stalin, o Dia D, a campanha do norte da África e da Itália não passava de espetáculos secundários para amarrar as forças do Eixo enquanto o Exército Vermelho avançava para Berlim.

    O Dia D foi sem dúvida um dos maiores feitos logísticos da história militar moderna. Pense na General Motors contra o guerreiro alemão Siegfried. Para cada tanque dos EUA que os alemães destruíram, outros dez chegaram. Cada tanque alemão era quase insubstituível. Transportar mais de um milhão de homens e seu equipamento pesado através do canal foi um triunfo. Mas quem se lembra de que a Alemanha cruzou o fortemente defendido Rio Reno na França em 1940?

    Em junho de 1944, as forças alemãs na Normandia e ao longo de toda a costa do canal quase não tinham combustível diesel ou gasolina. Seus tanques e caminhões foram imobilizados. O poder aéreo aliado disparou contra tudo o que se movia, incluindo um carro do pessoal que transportava o marechal Erwin Rommel, bombardeado pelo galante general aviador do Canadá, Richard Rohmer. As unidades alemãs na Normandia estavam abaixo de 40% de efetividade de combate, mesmo sem a escassez de combustível.

    Os alemães na França também tinham muito pouca munição, suprimentos e comunicações. As unidades só podiam se mover à noite e, depois, bem devagar. Hitler estava relutante em liberar forças blindadas de suas reservas. Somente o massivo bombardeio aliado da Normandia matou 15.000 a 20.000 civis franceses e destruiu muitas cidades e vilas.

    Churchill disse certa vez: “você nunca conhecerá a guerra até lutar contra os alemães”. Sem cobertura aérea ou combustível e fortemente superados em número, as forças alemãs na Normandia conseguiram resistir fortemente, causando 209.000 baixas em forças aliadas, canadenses, britânicas, francesas e livres. As perdas alemãs foram em torno de 200.000.

    O ponto mais importante da grande invasão é que, sem ela, o Exército Vermelho teria chegado a Paris e aos Portos do Canal até o final de 1944, fazendo de Stalin o senhor de toda a Europa, exceto a Espanha. É claro que os Aliados poderiam ter chegado a um acordo de paz com a Alemanha em 1944, o qual Hitler estava procurando e o general George Patton estaria defendendo. Mas Churchill, que odeia os alemães, e Roosevelt, de tendência esquerdista, estavam com a mente muito sangrenta para considerar uma paz que teria impedido Stalin de pelo menos parte da Europa Oriental.

    https://www.globalresearch.ca/germany-was-defeated-on-the-eastern-front-not-normandy/5644346
    (traduzido via google)

    • Análise fraca e até com distorções.
      Despreza a ajuda material americana à URSS e se esquece do poderio nuclear americano que poderia em minutos colocar fim nas pretensões de Stalin.

      A verdade é que os aliados cometeram muitos erros na II Guerra e um deles foi não deixar a URSS sem apoio material e se desgastar junto com a Alemanha quando esta a invadiu.

      Enfim, com isso o maior vencedor da guerra foi Stalin, que continuou com seu império do terror e não o povo russo, que continuou seu escravo.

      • Inegavelmente que os americanos ajudaram a União Soviética quando esta rechaçou os nazistas, expulsando-os da “Mãe Rússia”.

        Mas, tal ajuda material se foi importante, a bem da verdade não teria sido o fator determinante para os soviéticos hastearem a sua bandeira no Reischtag alemão, em 45.

        Três aspectos foram fundamentais à vitória soviética:
        Os tanques T-34, considerados os melhores carros de combate fabricados;
        A resistência do povo de Stalingrado perante os alemães, que sitiaram a cidade por mais de dois anos sem conseguir entrar na localidade, a não ser em seus arrabaldes;
        a tática do brilhante general Zhukov,
        que ordenara a queima de toda a propriedade, animais, plantações, edificações, de modo que os alemães tivessem mais dificuldades ainda de alimentos e proteção contra o frio, cujos invernos de 42 e 43 foram os mais rigorosos já registrados até os dias de hoje!!!

        Por outro lado, as duas bombas atômicas usadas pelos americanos foram lançadas em agosto de 45, depois que a guerra na Europa havia sido finalizada!

        Mais a mais, lembro que a União Soviética era aliada da França, Inglaterra, Estados Unidos …
        Lançar um artefato atômico sobre um aliado e localizado no mesmo Continente, o europeu, ia dar muita encrenca, naturalmente.

        Quem pediu o uso da bomba atômica foi McArthur ma Guerra da Coréia, quando os chineses expulsaram os americanos da Coréia do Norte, gesto que foi impedido pelo presidente americano pelas repercussões que poderia causar, de até soviéticos e chineses
        se aliarem contra os Estados Unidos, e, de sobra, o apoio possível de quem foi aliado americano na Segunda Guerra!

    • Caro Meira,

      Sempre é importante a tua participação no blog, em razão da tua inteligência, conhecimentos, sensatez e posições firmes.

      Mas, de onde tiraste o texto e postaste traduzido, de modo a colaborar com o tema e a conversa, o artigo errou, e feio!

      A famosa Linha Maginot não foi vencida pelos nazistas, que apenas fingiram atacá-la, mobilizando milhares de soldados franceses para defendê-la!

      Vindo pela Bélgica, que se manteve neutra no conflito, os alemães contornaram a Linha Maginot pelo sul, usando as florestas das Ardenas, consideradas intransponíveis!

      Foi uma das mais brilhantes estratégias dos nazistas enquanto dominavam a Europa de forma avassaladora!

      Abraço.
      Saúde

      • Todos sabem que a linha Maginot foi contornada via território belga. Acho que o texto não desdiz isso, inclusive ressaltando os exemplos das supostamente inexpugnáveis fortificações de Singapura e de Manila, que restaram inúteis. Ao longo da história, as grandes muralhas foram simplesmente contornadas pelos invasores.

        • Meira,

          Peço perdão se entendi errado mas, em minha defesa:
          ” … Tendo vencido tão brilhantemente as fortificações da Linha Maginot da França em 1940, Hitler e seu Alto Comando repetiram os mesmos erros estratégicos e táticos que os franceses apenas quatro anos depois: não ter reservas suficientes para efetivamente contra-atacar as forças inimigas.”

          “Vencido tão brilhantemente”, não pude reparar a forma implícita, de que havia sido contornada a fortaleza em questão.

  10. Prezado Carlos de Jesus, a letra da consciência, do alerta, do aviso que seremos punidos exemplarmente,

    Todo bem?
    Rezando muito por nós todos, pecadores incorrigíveis?

    Apenas e tão somente um lembrete, excelso comentarista e incomparável homem de fé:
    DEUS NOS FEZ, nos criou assim mesmo!!!

    Certa feita, de tão brabo conosco, quase acabou com as pessoas que havia criado através do Dilúvio;
    pouco tempo depois, cansado de ver o homem se esbaldar em Sodoma e Gomorra, bum, eliminou-as do mapa!

    Mais adiante, visto que nada adiantava nos matar, decidiu enviar o Seu Filho para nos salvar.
    E, teve de pedir para uma humana, uma mulher, que expulsara do paraíso junto com o seu companheiro, Adão, e que teria ainda como punição parir com dor, que tivesse o Seu Filho, Jesus.

    A mulher sequer negociou. Aceitou a incumbência dolorosa que o Pai lhe atribuíra.

    A crucificação de Cristo parece que mais ainda acirrou os ânimos da humanidade ou uma boa parte dela.
    Em nome de Deus matamos, roubamos, invadimos, conquistamos, humilhamos, desconsideramos, fazemos sofrer e penar!

    Bom, o que eu quero dizer, Jesus:
    Certamente devemos deixar o Deus de lado, que é o Seu desejo;
    Temos de parar com essa perda de tempo rezando em igrejas, mesquitas, sinagogas, templos, santuários, e edificar o ser humano!
    Isso mesmo, nós nos enaltecermos, haja vista que somos Filhos de Deus, temos poderes, criamos também!!!

    De nada adianta rezarmos dois anos sem parar, e uma quantidade de milhões de pessoas orando juntas, que não cairá um grama de pão para os que têm fome!!!!
    Agora, se não rezarmos, e cada uma dessas pessoas que estão nas “Casas de Deus” se cotizarem e comprarem pão, alimentarão milhares de … IRMÃOS!!!

    Portanto, meu amigo e temente a Deus, penso que deves diminuir o desprezo que sentes pelos humanos, criados por Deus, e que não nos deu a chance de recall, ou seja, que voltássemos de onde viemos para corrigir nossos defeitos básicos!
    Mas não mesmo!

    Uma vez que saímos de fábrica bons ou maus, ótimos ou péssimos, problema do humano, pois
    Deus lavou as suas mãos.
    Virem-se, Ele tenta nos dizer a cada catástrofe, tragédias, guerras, mortes, assassinatos, gente sem atendimento médico. mortos de fome, de doenças, de frio … e não demos a maior bola porque estamos … rezando!

    Bah, mas o Criador deve estar de saco cheio de tanta reza!!!!

    Nessas alturas, creio que não aceitarás o meu abraço, mas tá enviado.

  11. a teimosia do ditador alemão em sacrificar milhões de soldados para manter uma cidade foi um dos muitos fatores que levou a derrota alemã . Mas o desembarque na Normandia das forças aliadas foi a pá de cal no regime nazista, em menos de um ano Adolf Hitler já não existia mais e a Alemanha não passava de um monte de escombros. O império de 1000 anos não passava de ruínas.

  12. Prezado amigo….FB…eu oro ao ALTISSIMO… para que muitos dos leitores e comentaristas e tb vc meu prezado ..possam compreender e aceitar ao Senhorio de Yeshua ( tradução grega do nome hebraico : JESUS ) em seus corações e então pela fé compreenderem a história humana sob a cosmovisão do ALTISSIMO … Quanto ao teu comentário meu amado amigo…lamento pela sua falta de compreensão sistematizada das Sagradas Escrituras e o que ela nos ensina sob o plano de salvação e vida eterna para todos os eleitos do ALTISSIMO… aceito de bom grado seu abraço meu nobre maragato dos pampas de piratini…(ha..ha..ha..) fique na paz do ALTISSIMO vc e sua casa meu amado …

    YAWHE SEJA LOUVADO…..sempre…

  13. Bem, eu aprendi muita coisa desses comentários, realmente tem muita gente boa aqui.
    Dessas histórias de guerra a que me deixou mais impressionado foi a fome na Ucrânia, o Holodomor que não foi citado nas postagens.

  14. Pimenta,

    Não era o tema em questão, mas o Dia D.

    Certamente por isso, que outros assuntos pertinentes à União Soviética tenham sido deixados de lado.

    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *