No Domingo de Páscoa, um rasgo de esperança na visão poética de Paulo Peres

Resultado de imagem para paulo peres poeta

Paulo Peres, um poeta que cultiva a fé

Carlos Newton

O advogado, jornalista, analista judiciário aposentado do Tribunal de Justiça (RJ), compositor, letrista e poeta carioca Paulo Roberto Peres, no poema “Páscoa”, faz uma reflexão sobre o significado deste acontecimento para Humanidade.

PÁSCOA
Paulo Peres

Há mais de dois mil anos,
Jesus Cristo tentou
Mostrar à Humanidade
Uma vida melhor,
Mas a ignorância
Da maior parte da população
Incentivada
Pelos poderes da época,
Mercenários e imperialistas,
Como os de hoje,
Impediram-no…

Houve sofrimento,
Houve lágrimas,
Houve escuridão…

Todavia,
Houve sabedoria,
Houve fé,
Houve busca,
Houve perdão,
Houve salvação,
Houve liberdade,
Houve luz,
Houve RESSURREIÇÃO!..

Ressurreição diária
Que existe na PÁSCOA
Do coração
De quem tem como dogma
Os Mandamentos
Da Justiça Divina!…

8 thoughts on “No Domingo de Páscoa, um rasgo de esperança na visão poética de Paulo Peres

  1. Poeta Paulo Peres – que todos os dias traz um oásis para a TI. Carlos Newton, grande jornalista, moderador da democrática TI; A Todos os comentaristas com quem aprendo diariamente sobre politica, um abraço, com votos de uma Páscoa Feliz, com seus familiares.

  2. Olha a homilia que foi lida ontem no retiro pelo Papa. Independente de religião, veja que lindo o que o Papa Francisco escreveu sobre a família. Um espírito evangelizador, sem dúvida.

    *FAMÍLIA, LUGAR DE PERDÃO…*

    *Não existe família perfeita. Não temos pais perfeitos, não somos perfeitos, não nos casamos com uma pessoa perfeita nem temos filhos perfeitos. Temos queixas uns dos outros. Decepcionamos uns aos outros. Por isso, não há casamento saudável nem família saudável sem o exercício do perdão. O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual. Sem perdão a família se torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas.*
    *Sem perdão a família adoece. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente e a alforria do coração. Quem não perdoa não tem paz na alma nem comunhão com Deus. A mágoa é um veneno que intoxica e mata. Guardar mágoa no coração é um gesto autodestrutivo. É autofagia. Quem não perdoa adoece física, emocional e espiritualmente.*
    *E por isso que a família precisa ser lugar de vida e não de morte; território de cura e não de adoecimento; palco de perdão e não de culpa. O perdão traz alegria onde a mágoa produziu tristeza; cura, onde a mágoa causou doença.*

    *Papa Francisco
    Feliz Páscoa!!!

  3. Esta semana um canal de TV mostrou crentes pagando promessas a uma nossa senhora de um local pobre do nordeste. A imagem da santa realizadora dos milagres ficava no topo de um morrinho.
    Uma moça ofegante por ter terminado de pagar a promessa de subir o morro de joelhos foi entrevistada pelo reporter. Pobre, e pelo jeito de falar com pouca educação escolar, disse que soube por um funcionário do banco onde recebia o salário que sua conta tinha sido fechada. Imediatamente ela fez a promessa que apenas havia acabado de cumprir: se a santa abrisse a sua conta ela subiria o morro de joelhos. Logo após a promessa ela foi ao banco e verificou que a conta estava aberta! Era um milagre a a promessa foi cumprida.
    Vocês acreditam nesse milagre? Ela tanto acreditou que lacerou os joelhos para cumprir a promessa. Portanto, qualquer milagre pode ser imaginado desde que haja um crente com predisposição mental para aceitá-lo como verdadeiro. Os cristãos acreditam que Cristo morreu e ressuscitou, que ele amainou tempestades, que ele curou cegos, que ele resssuscitou Lázaro. Por que motivo? Para nos salvar do pecado capital, para que possamos entrar no céu através dele, para ter a paz eterna.
    A verdade é que há sempre bem para ser feito, basta querer! Na esquina da padaria, na feira, na rua, em todo canto há gente com necessidade – dê sem medir, ame sem exigir, sorria que a vida é uma dádiva em si. Liberte-se de crenças mirabolantes que se explicam através de metáforas tolas e milagres incríveis.
    Feliz Páscoa!

  4. Parabéns ao autor Paulo Peres pela singela e bela poesia e, que nos enriquece com suas postagens nesse blog que acolhe todas as matizes.
    Um bom domingo a todos os leitores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *