No meio da tempestade da pandemia coronavírus, Congresso não pode votar reformas

Resultado de imagem para rodrigo maia

Rodrigo Maia diz que a pandemia é sua única prioridade

Pedro do Coutto

O Congresso aprovou o estado de calamidade no país para permitir medidas de emergência a serem executadas pelo governo de sentido imediato, mas na minha opinião não pode votar as reformas consideradas estruturantes, uma vez que gerariam mudanças profundas nas relações de trabalho, tanto no setor público quanto no universo privado.

Nesse caso incluem-se, por exemplo, as reformas administrativa e tributária. Duas matérias extremamente complexas, que requerem assim estudos e debates de profundidade.

PERDENDO APOIO – O governo Bolsonaro, acentua Fabio Zanini na Folha de São Paulo de quarta-feira, perdeu apoios de setores até conservadores depois de sua atitude indo ao encontro em Brasília de manifestantes que apoiavam seu governo, mas atacavam o Congresso e o Supremo Tribunal Federal.

Dessa forma ele assustou setores principalmente do centro, mais perto do pensamento conservador do que do pensamento reformista. O impasse assim continua no país, sem uma perspectiva da aprovação de um denominador comum que focasse, dentro da visão capitalista, os temas capazes de aproximar o capital e o trabalho. Mas essa é outra questão.

PROPOSTA DE GUEDES – O fato, também segundo a Folha, parte de um estudo do Palácio do Planalto, colocado é claro pelo ministro Paulo Guedes, permitindo a suspensão de contratos de trabalho e destinando 200 reais por mês aos trabalhadores informais. A suspensão dos contratos de trabalho, por aí percebe-se a dificuldade, seria aplicada aos empregados de empresas privadas, que passariam a receber seguro desemprego durante 60 dias.

Acredito ser impossível aprovar tal medida, sobretudo porque o seguro desemprego, como é natural tem um valor muito menor do que os vencimentos mensais dos trabalhadores de carteira assinada. Não quero dizer com isso que os empregados ganhem muito, mas principalmente chamar atenção para o pequeno valor do seguro desemprego.

FASE DIFICÍLIMA – Estamos atravessando um período que se apresenta cada vez mais difícil. Basta assinalar a queda nas atividades econômicas causada pela retração que a sociedade brasileira vem enfrentando refletida diretamente no consumo.

O pagamento de 200 reais mensais aos trabalhadores informais é algo muito difícil de ser colocado em prática pelos riscos que podem surgir à base de informações falsas. Dentro desse panorama a população brasileira está enfrentando uma tempestade. Será difícil livrar-se dela.

13 thoughts on “No meio da tempestade da pandemia coronavírus, Congresso não pode votar reformas

  1. Em 1974, final de março, após dias de chuvas intensas, a população da cidade de Tubarão, SC, foi levada de arrasto pelo transbordamento do rio do mesmo nome, que recebera as águas das encostas dos morros e transbordou de uma hora para outra e à noite!!!!

    Para se ter uma ideia, a cidade tinha 70 mil habitantes, e SESSENTA MIL pessoas foram desalojadas de suas casas.
    Casas, prédios, supermercados, armazéns, bares, restaurantes, oficinas, concessionárias, escritórios …. desapareceram!

    Até os dias de hoje não se sabe o número correto de vítimas.
    Oficialmente, as autoridades informam em 200 mortos, mas não há como saber ao certo porque a maioria foi levada pela enxurrada e despejada no mar!

    Com o fim da cidade, praticamente, os governos estadual e federal, DECRETARAM a extinção de débitos e créditos;
    cancelamento de nomes em cartórios;
    fim de qualquer dívida junto aos bancos;
    Uma vida que começaria do zero para todo mundo:
    ricos, classe média, pobres, miseráveis, comerciantes, industrias, lojas, farmácias …. tudo!

    Onde quero chegar:
    Considerando a devastação que o COVID-19 está fazendo na Itália, país desenvolvido, rico, penso como será conosco e demais nações sul-americanas, quando o “bichinho” chegar prá valer!
    E, o rescaldo do que sobrou quando ele for controlado!

    Ontem, um colega foi “feliz” na sua expressão, que teremos muito mais falidos que falecidos, ao final.

    Pois bem:
    Imagino que os governantes deverão adotar as mesmas medidas estendidas para Tubarão.
    Se, em dois meses, o pico do vírus ainda estiver subindo, acabou o país.
    Não mais haverá como o povo reconstruir a sua vida, e teremos pela primeira vez em nosso território, o quadro de uma legítima guerra!

    Não de lutas, combates … não, mas de destruição pelas pessoas em busca de alimentos porque sem mais qualquer recurso para obtê-los!

    Se já contabilizamos dezenas de milhões de pobres, miseráveis, desempregados, QUE SE SOMARÃO às pessoas advindas da economia informal, pois fonte de receita para mais de 40 milhões de micro empreendedores, donos de bares, restaurantes, serviços …. lamento, mas não haverá como se reerguerem dessa tragédia.

    As autoridades omitem a verdade para conosco, e não dizem a realidade tal qual deveria ser informada.
    A crise será a maior que passaremos depois da Gripe Espanhola.

    A Segunda Guerra Mundial devastou a Europa e parte da Ásia, incluindo Oceania.
    O riquíssimo continente americano restou incólume, e foi daqui que alimentamos o mundo, mediante também a ajuda econômica bilionária dos americanos, que foi o Plano Marshall.

    Desta vez, o mundo inteiro está envolvido no caos econômico e social.
    E não li qualquer providência a ser tomada com relação às projeções do vírus para daqui a cinco, seis meses!!!

    Não sei, não sei … mas, se faltava um bom motivo para o Brasil despencar em definitivo, ei-lo!
    E, salve-se quem puder!

      • Vilas,

        Afora outras que não mencionei porque deveras preocupantes, pois envolvem a nossa segurança;

        Outra mentira torpe:
        Supermercados alegam que não faltará mercadoria.
        Como?
        Pessoas em casa, sem produzir;
        as fábricas fechadas pelo vírus;
        não haverá reposição porque não podemos transitar;
        quem sairá às ruas quando o pico aumentar?
        E gasolina/etanol, gás de cozinha?

        ACONSELHO que tenham microondas, forno elétrico, panela elétrica, para quando faltar o gás tivemos meios de cozinhar.

        Para quem mora em casa, que adquira carvão ou lenha, e faça churrasco, pois estará poupando energia e gás.

        Enfim, medidas de precaução e preservação do que se tem em casa, antes que falte para todo o mundo!

        E usem sabão comum, desses de lavar roupas, pois INFINITAMENTE melhor que álcool gel!

        E NÃO SAIAM DE CASA!

  2. Realmente o Partido Comunista da China deveria ter avisado ao mundo da gravidade do coronavirus, mas preferiram prender os médicos. Aqui, tem gente que fica vibrando com a derrocada do PIB que a paralisação causará. Realmente, o país precisa ser passado a limpo.

    • Sr. Antonio, o brasileiro torce pelo desenvolvimento do País, obviamente, porque só põe fogo na casa quem tem esperança de receber a cobertura do seguro.
      O problema é que a população está percebendo que o desenvolvimento não virá com Bolsonaro e Paulo Guedes.
      Saúde!

  3. ÁS RESERVAS DE MILHÕES DE DÓLAR QUE O PT JUNTOU ESTÁ AJUDANDO O GOVERNO A CONTER O DÓLAR . MAIS PODERIA SER USADO PARA AJUDAR A POPULAÇÃO DESEMPREGADA A COMPRAR REMÉDIOS , COMIDA , ÁLCOOL GEL , PAPEL HIGIÊNICO , ETC… PARA CONTER O CORONAVÍRUS . COM ( 2 / SALÁRIOS ) . PENSE NISSO .

    • Boa marco ainda se tem nas reservas 15 tri de reais fora 1tri parado no bc somando 2.5 tri o suficiente para reindustrializar o pais,investindo em ciencia e tecnologia saneamento,construção de moradias e escolas,saída temos e finalizando auditoria das dividas ext e interna.os juros já ao longo dos anos já pagou a divida.

  4. A única prioridade do corruto Botafo-gol é livrar-se da cadeia … precisa de grana para se eleger … por isso age como lambe-botas do PCC, pedindo desculpas por falas amparadas na liberdade de expressão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *