No mundo novo normal, muitas coisas que a gente ama estão sendo tiradas de nós

Pessoa - Homem lendo um livro de clipart - Download Png (2700x2088), Download Png

Ler um livro já está se tornando uma coisa do passado

Duarte Bertolini

Se nos desligarmos um pouco das tragédias políticas, poderemos pensar um pouco, de forma leve, sobre nosso futuro e de algumas das coisas que acostumamos a ter próximo a nös e que podem desaparecer ou se tornar de pouco uso.

O fato concreto é que o mundo e nossos hábitos estão mudando numa velocidade espantosa, conforme mostra esse artigo abaixo.

###
OS QUE VÃO DESAPARECER VOS SAÚDAM
Fernando Albrecht Jornal do Comércio RS

1. OS CORREIOS – Prepare-se para imaginar um mundo sem Correios. Eles estão afundando tanto em problemas financeiros que provavelmente não há maneira de sustentá-los a longo prazo. E-mail, FedEx, DHL e UPS têm praticamente dizimado a receita mínima necessária para manter os Correios vivos. A maioria do que você recebe pelos Correios todos os dias é “lixo” e contas

2. O CHEQUE – A Grã-Bretanha já está preparando o terreno para acabar com o cheque. O processamento de cheques custa bilhões de dólares por ano ao sistema financeiro. Cartões plásticos e transações on-line vão levar à eventual extinção do cheque. Isto joga direto para a morte dos Correios. Se você nunca pagar suas contas pelo correio e nunca receber os boletos pelo correio, os Correios absolutamente estarão fora do negócio.

3. O JORNAL – A geração mais jovem simplesmente não lê jornal. Eles certamente não assinam um jornal impresso que lhes seja entregue. Isso pode acontecer como foi com o leiteiro e o tintureiro. Quanto a ler o jornal on-line, prepare-se para pagar por isso. O aumento dos dispositivos móveis de Internet e e-readers tem motivado todos os jornais e editoras de revistas para formar alianças. Eles reuniram-se com a Apple, Amazon, e as grandes empresas de telefonia celular para desenvolver um modelo de serviços de assinatura paga.

4. O LIVRO – Você diz que nunca vai desistir do livro físico que você segura em sua mão e vira as páginas. Eu disse a mesma coisa sobre o download de música do iTunes. Eu queria que meu CD tivesse cópia impressa. Mas eu rapidamente mudei de ideia quando descobri que eu poderia obter álbuns pela metade do preço sem sair de casa para conseguir a última música. A mesma coisa vai acontecer com os livros.

Você pode navegar em uma livraria on-line e até mesmo ler um capítulo pré-visualizado antes de comprar. E o preço é menos da metade de um livro real. E pensar na conveniência! Uma vez que você começar movendo os dedos na tela em vez do livro, você vai se achar perdido na história, e não pode esperar para ver o que acontece a seguir, e você se esquece de que está segurando um gadget em vez de um livro.

5. O TELEFONE FIXO – A menos que você tenha uma família grande e faça muitas chamadas locais, você não precisa mais do telefone fixo. A maioria das pessoas o mantém simplesmente porque sempre o tiveram. Mas você está pagando encargos duplos para este serviço. Todas as empresas de telefonia celular permitem chamar os clientes do mesmo provedor de celular sem nenhum custo adicional.

6. A MÚSICA – Esta é uma das partes mais tristes da história da mudança. A indústria da música está em morte lenta. Não apenas por causa de downloads ilegais. É a falta de oportunidade para a nova música inovadora chegar às pessoas que gostariam de ouvi-la. A ganância e a corrupção é o problema. As gravadoras e os conglomerados de rádio estão simplesmente se autodestruindo.

Mais de 40% das músicas compradas hoje são “Itens de Catálogos”, o que significa a música tradicional com a qual o público está familiarizado. Os mais antigos artistas consagrados. Isto também é verdade no circuito de concertos ao vivo. Para explorar este tema fascinante e perturbador ainda, confira o livro, “Appetite for Self-Destruction”, de Steve Knopper, e o documentário em vídeo, “Antes que a música morra”.

7. TELEVISÃO – As rendas das redes têm caído drasticamente. Não apenas por causa da economia. As pessoas estão assistindo TV e filmes transmitidos a partir de seus computadores. E elas estão jogando e fazendo muitas outras coisas que ocupam o tempo que costumava ser gasto assistindo TV.

Shows de horário nobre degeneraram abaixo do menor denominador comum. Taxas de TV a cabo estão subindo rapidamente e os comerciais rodam a cada 4 minutos e 30 segundos. Eu digo boa viagem para a maior parte de tudo isso. É hora das companhias de cabo serem postas para fora de nossa miséria. Deixem as pessoas escolher o que querem assistir on-line e através de Netflix.

8. AS COISAS QUE VOCÊ POSSUI – Muitos dos bens que usamos e possuímos não poderemos realmente possui-los no futuro. Eles podem simplesmente residir na “nuvem”. Hoje o seu computador tem um disco rígido e armazena suas fotos, músicas, filmes e documentos. O software está em um CD ou DVD, e você sempre pode reinstalá-lo se for necessário. Mas tudo isso está mudando. Apple, Microsoft e Google estão terminando seus últimos “serviços em nuvem”. Isso significa que quando você ligar o computador, a Internet vai ser incorporada ao sistema operacional. Assim, o Windows, o Google, e o Mac OS serão vinculados diretamente para a Internet.

Se você clicar em um ícone, ele vai abrir algo na nuvem Internet. Se você salvar alguma coisa, ela será salva para a nuvem. E você pode pagar uma taxa de assinatura mensal para o provedor de nuvem. Neste mundo virtual, você pode acessar a sua música ou os seus livros, ou qualquer coisa do gênero a partir de qualquer computador portátil ou dispositivo portátil. Essa é a boa notícia.

Mas, se você realmente possui alguma dessas “coisas” tudo será capaz de desaparecer a qualquer momento em um grande “Poof “. Será que a maioria das coisas em nossas vidas é descartável e caprichosa? Isso faz você querer correr para o armário e retirar o álbum de fotos, pegar um livro da prateleira, ou abrir uma caixa de CD e apertar a inserção.

9. PRIVACIDADE – Se já houve um conceito que podemos olhar para trás com nostalgia, seria privacidade. Isso acabou. Ele se foi há muito tempo de qualquer maneira. Há câmeras na rua, na maior parte dos edifícios, e até mesmo em seu computador e celular.

Mas você pode ter certeza que 24 horas por dia, 7 dias na semana, “Eles” sabem quem você é e onde você está, até as coordenadas GPS, e o Google Street View. Se você comprar alguma coisa, o seu hábito é colocado em um zilhão de perfis e os seus anúncios serão alterados para refletirem os hábitos. “Eles” vão tentar levá-lo a comprar algo mais. Uma e outra vez. Cada vez mais.

8 thoughts on “No mundo novo normal, muitas coisas que a gente ama estão sendo tiradas de nós

  1. 1) Eis a sabedoria de Buda, que no século 6 antes de Cristo já dizia que tudo é impermanente, inclusive os países, os regimes, os sistemas econômicos sociais…

    2) Pena que… nessa enxurrada de impermanência a boa e antiga Democracia está indo para o espaço…

    3) Estamos virando todos “nefelibatas” – viveremos nas nuvens.

  2. No Brasil, esse retrato ainda vai demorar um bocado. A maior fonte de receita dos Correios hoje são as encomendas. Contas de luz e água ainda são entregues por meio físico à maioria. Até nos EUA os Correios são uma realidade (e público, a população não quer que se privatize, pois sabe que isso aumentaria as tarifas).

    Livros em meio físico ainda é a melhor forma de ler.

    Isso de armazenar em nuvem já existe, mas é um serviço que se paga e não é barato. Prefiro o pen drive que praticamente substituiu o CD e o DVD.

    A televisão aberta ainda é muito consumida no Brasil. TV a cabo ou streaming, a grande maioria é “gato”, via set top box..

  3. As pessoas precisam aprender que a evolução, o desenvolvimento, cobram preços muito elevados para que tenhamos acesso ao que é novo, inédito ou que nos traga mais conforto e rapidez.

    A lista postada do que vamos perder está muito distante da realidade.
    Não será para nós e tampouco para nossos filhos; talvez para nossos netos e, olhe lá!

    As empresas não podem prescindir de telefones fixos;
    Livros sempre existirão, no mínimo até cada ser humano neste planeta tiver o seu micro;
    Jornal já existe online, e a venda dele impresso diminui a cada ano;

    Quanto à privacidade existem controvérsias:
    Justamente as redes sociais mais isolaram o ser humano que os aproximaram. Nunca antes o ser humano esteve tão sozinho, tão no seu mundo privado.

    A música tem decaindo de qualidade há tempos.
    Não se tem mais a musicalidade de antes, os ritmos diferentes, letras bem feitas … nada.
    Funk, Rap, as Rave, DJs … padronizaram o tal do “som”.

    Quem se lembra da Rumba?
    Calypso?
    Bolero?
    Tango?
    Samba?
    Fox Trote?
    Polca?
    Valsa?
    Música erudita?
    Ópera?
    Salsa?

    A música poderá desaparecer?
    Não.
    Sempre haverá pessoas que cultivarão boas músicas, canções maviosas, composições eruditas, pois fazem parte da vida humana há séculos!

    O cheque tende a desaparecer, concordo.

    Agora, quem substituiria os serviços de Correios?
    Que alguns documentos podem ser enviados eletronicamente, concordo, mas e as encomendas? As aquisições?

    Sobre a TV, em termos de programas admito a queda.
    No entanto, a TV tem sido muito prestigiada para os pacotes privados, futebol, corridas de automóveis, e a grande oferta de streamings (Netflix, Prime Vídeo, Telecine, HBO Max, Globoplay, Disney …) possibilitando que o aparelho de TV de tela plana e várias polegadas de tamanho tenha um futuro assegurado.

    Enfim, uma lista que evidencia o pessimismo do autor, a sua falta de visão sobre aquilo que não poderá ser retirado do nosso consumo, do nosso dia a dia.

    Muito cedo para previsões futuristas, ainda mais deste tipo:
    O fim disso e daquilo, como se o desaparecimento do que foi mencionado não fosse encontrar substitutos à altura, e até em melhores condições!

  4. Caro Chicão e amigos

    Reproduzi o texto por que apesar de provavelmente ter sido escrito nos EUA e algum tempo fiz uma reflexão sobre minha vida atual e verifiquei que já fui atingido por muitas festas mudanças, a saber:

    Correios: a anos não tenho o prazer de receber uma carta e seguramente não recebi nada na caixa de correio( NEM orações ou convites de cultos evangelucis) neste ano.

    Recebo ainda encomendas sim , mas as empresas alternativas usadas pelo mercado livre, por exemplo são mais rápidas, maus eficientes e mais baratas ( pelo menos nas cidades de grande e médio porte)

    telefone fixo : cancelei o meu quando percebi que nos últimos 5 anos do serviu para telechating. Não dá nenhuma falta

    Livros, apesar de ser um devorador impossível não constatar que as livrar8ad sum8ram, 9s livros estão caros, as mídias eletrônicas e os livros eletrônicos nos consomem tanto tempo que pouco sobra oara eles.

    Bancos/cheques: seguramente não lembro a última vez que emiti ou recebi um. A ida física só banco acho que a uns 10 anos se não contar a ida ao caixa eletrônico

    Música

    Paixão antiga. Tenho uma aparelhagem que comprei quando bancário. Era o que maus moderno existia na cidade. Paguei em muitas vezes o equivalente a 4 salários meus. Centenas de discos e cd. Sem uso a anos. Nem mais pena drive. Apenas spotfy e Ivo, práticos e viciantes

    Jornais

    Já assinei jornal nh zero hora estadao folha correio. Hoje si eletrônicos.
    Me dá um aperto no peito não sentir maus a emoção, que sentia desde criança, ao receber o jornal. Faz muita falta mas não tem mais o que mostrar ao preço que precisa cobrar.

    Privacidade:

    Faça o teste. Comente com sua esposa ou filhos, com o celular próximo: preciso comprar uma cueca.

    Em pouco tempo seu celular e provavel seu computador estará fervilhando de almas vaidosas querendo auxiliá lo a esconder suas vergonhas…..

    E por aí vai
    Acho que quase tudo já chegou

    Grande abraço a todos

    Saudoso

  5. Caro Duarte,

    Níveis sociais diferem as pessoas.
    Quanto melhor ela estiver, menos precisa do que ainda é tradicional e costumeiro, para quem é um simples mortal.

    Nada contra a lista feita, nada.
    Apenas postei a minha humilde opinião, baseando-me na realidade que me cerca.
    Aliás, Duarte, meu conterrâneo, o Grêmio pegou para si ser chamado de imortal, pois era meu!

    Conhecem-me como imortal, pelo fato singelo de eu não ter sequer onde cair morto!

    Abração.
    Saúde e paz.

    • Grande Chicão.

      Deus permitiu Bolsonaro mas em compensação tem o compromisso de manter te muito tempo conosco.

      Um verdadeiro.imortal

      Tens, também vaga assegurada na academia tribunense.

      Saudações tricolores ou nestes tempos difíceis também no futebol, minha solidariedade.

      Te cuida tchê

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *