No Museu do Flamengo, esqueceram Mario Filho

Helio Fernandes

Na construção que será para sempre a lembrança do clube e dos seus 100 anos, estão homenageando com reprodução de seus textos, os escritores José Lins do Rego (flamenguista) e Nelson Rodrigues (fluminense).

Não se lembraram do maior de todos, como escritor e apaixonado por futebol, Mário Filho (fluminense, como o irmão Nelson e todos os outros dez irmãos, eram 12, 6 homens e 6 mulheres)

Mas o estranho, esquisito e sem explicação: o segundo mais importante livro dele, se chama “Histórias do Flamengo”. É seríssimo, de pesquisa, não esqueceu nenhuma glória do Flamengo.

Só não é o mais extraordinário que já se escreveu sobre futebol, porque o próprio Mario é autor de “O Negro no Futebol Brasileiro”. Devia ser reeditado (de graça, com um patrocinador), para ser distribuído por escolas e universidades. É História, Literatura, Filosofia.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *