No Planalto, a estupidez continua correndo solta

Mudar o nome da ponte não significa mudar nada…

Francisco Vieira

Em Brasília, pude ver que a Ponte Costa e Silva, que liga o Lago Sul ao Plano Piloto, está nomeada de Ponte Honestino Guimarães. Tudo bem que queiram colocar o nome de um herói petista em uma construção, mas, se tivessem vergonha na cara, não teriam alterado o nome original da ponte, mas construído outra ao lado, pois desde a inauguração de Brasília que a ponte é de mão dupla, o que já causou diversos acidentes.
Com duas pontes, cada uma teria o fluxo de veículos em sentido contrário e seriam diminuídos os engarrafamentos e evitados os acidentes.

Você já pensou quantas reuniões, discussões, papéis, tinta e hora/trabalho/salário de intelectuais foram gastos dos nossos impostos até se chegar a um acordo sobre qual o nome da ponte seria mais cabalístico para o partido, mesmo que a tal mudança, ao invés de alterar alguma coisa de fato na cidade, sirva apenas para masturbação ideológica?

CORRUPÇÃO ANTIGA

Quanto à defesa dos petistas, que alegam existir há tempos corrupção na Petrobras, lembrei uma estória que já contei aqui.

“Um grupo de amigos decidiu ir para a “boate” e, chegando lá, se depararam com uma menor de idade fazendo programa. Como todos acreditavam piamente na impunidade e que tudo naquela casa não dava em nada, resolveram levar a menina para o quarto.
Foi o primeiro amigo… Foi o segundo… E foi o terceiro que, embora bancasse o puritano, resolveu também entrar na farra.

Só que na hora em que o terceiro estava entretido com a jovem, a polícia chegou e ele foi pego com as calças na mão.

-Teje preso! É crime fornicar com menor de idade – disse a autoridade policial!

– Peraí, doutor. Se todos aqui pecaram com a menina, porque só eu estou sendo preso? Não é normal ter menor nesta casa?

– Mas você estava na vez e foi apanhado em flagrante…

É o mesmo caso da Lava Jato. Se o juiz Sérgio Moro estivesse atuando há 20 anos atrás, os presos teriam sido outros! Mas acontece que ele não estava… Se a Justiça prender os bandidos de hoje para servir de exemplo aos ladrões do passado e do futuro, já me dou por satisfeito!!! Os corruptos do passado são como os amigos do falso puritano.

 

8 thoughts on “No Planalto, a estupidez continua correndo solta

  1. Um amontoado de bobagens. A lei prevê o prazo prescricional para que ? A mesma “lógica” do PT com sinal inverso! Os criminosos do pasado podem tornarem-se os do futuro novamente.

  2. O povo hoje só tem condições de importunar e punir is ladrões atuais com manifestações e outras ferramentas. Os ladrões do passado quem tem correr atrás é a polícia. Os ladrões do futuro, bem, temos que esperar o futuro chegar. Pode até ser que lá no futuro eles não existam mais ou pelo menos, bem menos.

    • A polícia tem de pegar os do passado , que não prescreveram e os atuais. As vezes eu penso que quando o PT assumiu ele mandou fazer um levantamento de todos os malas que existiam, para levar para o governo. Tem muito do passado no presente.

  3. A piada não faz o menor sentido já que todos os delatores disseram que a corrupção na Petrobras só foi organizada e direcionada depois do PT assumir o poder, afirmando que antes a roubalheira era restrita apenas aos funcionários da casa.

    Quem organizou a suruba foi Lula, usando a máxima de Tia Zulmira, personagem do inesquecível Sérgio Porto que, ao se deparar com um tremendo bacanal, disse: “ou todos nos locupletemos ou restaure-se a moralidade”.

    No caso, todos se locupletaram.

  4. No comentário da CORRUPÇÃO ANTIGA, observa-se sempre a mesma velha história de “vender” uma idéia que beneficia alguns, como uma questão manipulada, onde suas implicações são minimizadas (injustiça), para tentar garantir algum resultado ao processo!

    Ou seja, a eterna postura DERROTISTA, de achar que é melhor aplicar o ditado de “um pássaro na mão é melhor do que dois voando” em situações onde essa máxima é desnecessária pois as LEIS cobrem plenamente as ações necessárias, que se propõem a TENTAR JUSTIFICAR UMA INJUSTIÇA! Eitcha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *