No primeiro debate, começa a surgir a verdadeira Dilma Rousseff: autoritária e intransigente

Carlos Newton

Quem melhor retratou o debate na Band foi o marqueteiro João Santana, que comanda a campanha da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. “Puta que pariu”, disse ele, segundo os repórteres Leila Suwwan e Flávio Freire, de O Globo. Uma expressão chula, que bem define a baixaria em que Dilma está se metendo, arrastando Serra consigo.

Se a coisa continuar desse jeito, já que ainda faltam diversos debates, vamos assistir, ao vivo e a cores, o sepultamento de Dilma paz e amor e o renascimento de Dilma como ela é, autoritária e intransigente, um verdadeiro trator.

Recordo uma triste cena a que assisti, no início do governo Lula, quando Dilma era ministra de Minas e Energia e participou de uma entrevista com o então presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra. Estavam presentes cerca de 40 jornalistas (de jornais, revistas, rádios e televisões). Um deles era Dirceu Brizola, então editor da Gazeta Mercantil.

A entrevista foi um festival de falta de educação da ministra, que não deixou o presidente da Petrobras responder a nenhuma pergunta. Os jornalistas sempre dirigiam as perguntas a Dutra, até porque ninguém conhecia a ministra. O presidente da Petrobras começava a responder, mas logo era atropelado por Dilma, que lhe tomava a palavra com a maior sem-cerimônia.

Foram cenas constrangedoras, que se repetiram ao longo de toda a entrevista. Nunca vi nenhuma “autoridade” ser tão humilhada em público. Por isso, quando vejo as fotos de José Eduardo Dutra ao lado de Dilma, sorridente, como “coordenador” da campanha dela, me dá pena. Parece que nasceu para ser humilhado.

Conheça o acupunturista da Casa Civil

Muito interessante a matéria da Folha hoje, assinada por Matheus Leitão, Márcio Falcão e Andreza Matais, sobre a contratação de um acupunturista pela Casa Civil em 2009, ao tempo de Dilma Rousseff.

Gu Zhou-Ji ganha R$ 4 mil por mês para atender os servidores da pasta. Foi nomeado como “assessor técnico” em outubro de 2009. Vamos ver apenas dois trechos da entrevista:

Folha – O senhor é acupunturista da Casa Civil e da Presidência?

Gu Zhou-JiSou, mas não existe nada de errado nisso. É horrível o que estão fazendo comigo. Quando eu entrei não tinha nenhum cliente. Não fiz divulgação, mas hoje estou com muitos clientes.

Folha – O senhor foi nomeado para fazer o quê?

Essa parte você tem de perguntar no Palácio do Planalto. Eles têm uma resposta direitinha. Primeiro, era a parte administrativa. Fui contratado como assistente técnico. Como apresentei o diploma em acupuntura, passei a atender. Comecei o atendimento em abril. Não fizemos propaganda, só boca a boca e hoje eu não tenho horário. Só atendo com hora marcada e tenho só uma maca.

Muito interessante, mesmo. Mas o melhor é este trecho: “Essa parte você tem de perguntar no Palácio do Planalto. Eles têm uma resposta direitinha”. Sensacional.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *