No radicalismo fatal, Trump e Bolsonaro se encontram com Carlos Lacerda ao longo da história

O que é a UDN, partido de Carlos Lacerda e que pode ser dos Bolsonaro

Lacerda foi radical a vida toda e acabou fora da política

Pedro do Coutto

A invasão do Congresso dos EUA por fanáticos da direita transformou-se num episódio que marca o crepúsculo de um presidente que não suportou a derrota nas urnas, expressão maior da Democracia. No Brasil o presidente Bolsonaro não suporta o embate democrático e numa fase de seu governo incentivava seus seguidores a alvejar e ameaçar o Congresso e o Supremo.

Recuou dessa campanha negativa e aberta, mas não desestimulou a ação de grupos a ele ligados nas investidas nas redes sociais.

ATRÁS DA REELEIÇÃO – Bolsonaro, com sua agitação, preocupa-se hoje com a sucessão de 2022 e prega um retrocesso eleitoral que seria o retorno ao voto impresso. Chegou a dizer que com as urnas eletrônicas daqui a dois anos poderá haver uma crise ainda pior, nos moldes que marcaram o desfecho final americano. Quer dizer, se ele perder em 2022, haverá um episódio extremamente crítico no Brasil. Como Trump, ele não admite de forma alguma ser derrotado. O que isso significa? Um apelo à ditadura.

Mas eu disse que na estrada da história Trump e Bolsonaro estão se encontrando com o então governador Carlos Lacerda. Antes de governar a Guanabara, no seu jornal Tribuna da Imprensa, Lacerda combateu a candidatura de Vargas em 1950 quando disse que este não podia ser empossado.

Com o trágico desfecho de 54, Lacerda elegeu-se deputado federal e logo em 1955 foi a figura de destaque na tentativa de golpe militar para impedir a posse de JK.

JÂNIO E JANGO – Em 1960, Lacerda apoiou Jânio Quadros, mas com a renúncia de Jânio desencadeou forte campanha contra a posse de Jango Goulart. Apesar de jornalista, ele comandou no Rio de Janeiro uma operação de censura à imprensa.

O Correio da Manhã, jornal em que ele (Lacerda) trabalhou como repórter e colunista, teve sua circulação proibida por iniciativa sua, quando acionou a Polícia Militar para apreender os exemplares nas rotativas da Gomes Freire.

O tempo passou e ele não abandonou o narcisismo de julgar-se acima da Constituição e das leis. Mais um ato antidemocrático ele proporcionou, tentando alucinadamente impedir a posse de Negrão de Lima que derrotou nas urnas Flexa Ribeiro, o candidato que Lacerda havia lançado. Como se constata uma sequência de impulsos ditatoriais.

DE 54 A 64 – Quando Café Filho em 1954 assumiu a presidência da República, Lacerda lançou uma campanha para adiar as eleições de 55 sob o argumento de que eram pelo menos necessários dois anos para desintoxicar o país. Falhou. Ainda em 1955, quando o golpe contra JK falhou, exilou-se na embaixada de Cuba, na época governada por Fulgencio Batista.

Em 1964, era governador e estava na linha de frente do golpe. Depois, terminou rompendo com o movimento militar de 64. Foi preso e cassado pelo poder militar pelo qual desencadeara uma campanha golpista.

A direita, portanto, marcou encontro na névoa do tempo entre Donald Trump, Bolsonaro e Carlos Lacerda.

7 thoughts on “No radicalismo fatal, Trump e Bolsonaro se encontram com Carlos Lacerda ao longo da história

  1. O Brasil está destruído pelo corruptos, pelos ladroes, pelos políticos. Não existe instituição aqui. Tudo dominado pelos exploradores do povo, pelos artistas da lei Rouanet, pela imprensa da boquinha.
    Bolsonaro nunca pediu voltássemos até voto impresso. Essa mentira é divulgada para enganar os trouxas. O que ele quer e não só ele, é que o voto dos brasileiros possa ser auditado, já existe impressora na urna eletrônica basta apenas usá-la para imprimir e colocar o voto em uma urna sem o contado do eleitor com o voto. Só isso. Esse país não muda nunca com eleição de dois em dois anos, não muda.
    Ah país vagabundo.

  2. A direita sempre acusa a esquerda de ser virulenta. No entanto na história e sempre a direita q se utiliza de meios violentos mas de preferência anônimos ou com disfarces para culpar a esquerda.
    As mortes de Letelier, Aramburu, JK, Jango, e Lacerda foram casuais?
    Brizola foi o único q longe de qq núcleo urbano não morreu!!!

  3. O grande e experiente Jornalista Carioca
    Sr. PEDRO DO COUTTO, Jornais Correio da Manha, Tribuna da Imprensa, O Globo, Jornal do Brasil, etc, Programas de Rádio, análises Política-Econômicas Rádio Globo, Rádio Jornal do Brasil, CBN, etc, Autor dos excelentes Livros: “O Voto e o Povo” 1966; ” Brasil, o fracasso do Conservadorismo ” 1989: ” História Política do Estado do Rio de Janeiro ” 1992; e que nos honra com participação fundamental no “TRIBUNA DA INTERNET ONLINE”.

    Neste excelente Artigo, o Sr PEDRO DO COUTTO faz um paralelo entre os Radicais de Direita, Presid. TRUMP, Presid. BOLSONARO e Gov. CARLOS LACERDA.

    Há diferenças. O Presid. TRUMP é um bilionário que soube aproveitar politicamente o grande descontentamento da Classe Média Americana especialmente a de cor Branca, com o status-quo Americano. Economia crescendo e Padrão de Vida da Classe Média caindo.
    O Presid. BOLSONARO soube aproveitar o Clima Político anti -PT (Socialista-Social Democrata) expresso em vários anos de “Operação Lava-Jato” e a injustiça do Governo PT com as FFAA, especialmente no Gov. DILMA ROUSSEFF com a “Comissão da Verdade” onde só o lado das FFAA foi acusado de Crimes na “Guerra Suja”, sendo que quem começou a “Guerra Suja, especialmente Guerrilhas Urbanas e Rurais” foram os Esquerdistas Radicais, que cometeram mais Crimes ainda e nem foram citados na “Comissão da Verdade”.

    Já o Gov. CARLOS LACERDA, e não por que eu seja LACERDISTA, vem de uma Família de Oposição, ele mesmo a maior parte da Vida Política na Oposição, sendo Fugitivo, Preso, Exilado, Cassado e até Caçado mesmo, etc, várias vezes. Uma Vida difícil, por amor ao Brasil e a suas ideias.
    Inteligentíssimo, estudioso dos Problemas Brasileiros, começou na Esquerda Marxista mas com o amadurecimento viu que aquilo levava a pouca Produção e ao Totalitarismo Científico e se tornou LIBERAL NACIONALISTA INTERVENCIONISTA, DEMOCRATA, e por ser NACIONALISTA grandes Forças Políticas não o deixaram chegar a Presidência do Brasil.

    Queria porém o aperfeiçoamento de nossa DEMOCRACIA, tão imperfeita em seu tempo, como ainda é hoje.
    Vejamos que a Constituição de 1946 permitia o Vice-Presidente ser eleito independente, resultando muitas vezes em um Presidente de um Parido de Direita e o Vice de um Partido da Esquerda, o que tantos males nos causou, etc, a Cédula Única nas Eleições, etc, e por isso foi taxado de Golpista.

    Em 1960 LACERDA UDN apoiou JÃNIO ( na prática Sem Partido) em detrimento do Presidente da UDN JURACY MAGALHÃES, porque como ele explica em seu bom Livro “Depoimento” 1977, JÂNIO ganharia aquela eleição Presidencial de qualquer maneira, no que todos concordamos, e era melhor ter ele meio preso na UDN do que no PTB por exemplo. Não adiantou porque JÂNIO logo quis dar o Golpe e deu no que deu, Revolução Cívico-Militar de 64 e Ditadura Militar a parir do AI-5 (13 Dez 1968) quando até LACERDA foi preso e Cassado.
    LACERDA formou então a FRENTE AMPLA, JK, GOULART, BRIZOLA não entrou porque foi vetado pelo Presid. JOÃO GOULAT porque LACERDA não tinha medo de BRIZOLA, nem de PRESTES, etc, mas com o bom Governo MÉDICI e o “Milagre Econômico” de DELFIM NETTO ( 12 anos de crescimento Econômico acima de 10%aa) tudo ficou mais difícil.

    A nosso Juízo, LACERDA foi um Líder com a melhor visão de Desenvolvimento do Brasil, escreveu vários Artigos Jornalísticos e LIVROS sobre o Assunto, inteligentíssimo, duro sim, que cometeu excessos em seus Discursos e Escritos porque como explica em “Depoimento”: se não fosse assim, não chamava atenção, mas em seu excelente Governo do Estado da Guanabara, antigo Distrito Federal, mostrou Honestidade e Competência começando por seu Programa “Nenhuma CRIANÇA sem Escola” e instalando até 3 Turnos no início.

    Fica portanto em nível muito superior a TRUMP e a BOLSONARO.

  4. Por um lado,
    Concordo plenamente com Carlos Drummond de Andrade e Donald John Trump (…)
    No meio do caminho tinha uma pedra…
    – Uma pandemia que minou os esforços e a candidatura à reeleição…
    – Mas tinha uma pedra no meio do caminho…
    – Uma Constituição Federal.
    – Pétrea!
    – A caminho de 250 anos com 1/2 dúzia de emendas.
    Mutatis Mutandis,
    – Com a campanha eleitoral em andamento, a
    – As constituições e os legislativos estaduais não tinham legitimidade para mudar as regras do jogo.
    – A não ser em benefício de uma das candidaturas (!) e aproveitando o tsunâmi da pandemia (…)
    – Além da ‘diversidade’ de estados e condados, uns com voto em papal e outros com voto em urna eletrônica…
    – O Establishment americano avalizou mudanças de última hora: voto pelo correio, antes da eleição; voto por email, depois da eleição; e por aí foi a tal “diversidade” (sic)
    Por outro lado,
    Pelo visto,
    Me pareceu,
    Que Donald Trump pensou que poderia fazer na América (…)
    – Se eternizar no poder (!)
    – O que fizeram Hugo Chávez, Viktor Orbán, Recep Erdogan, Rodrigo Duterte, Vladimir Putin, Xi Jinping,
    – E tantas outras e tantos outros ‘iliberais’!…!?
    – Que conseguiram se impor e se perpetuar nos seus respectivos países (sic)
    Mas no meio do caminho tinha uma pedra…!?

    • Mas concordo plenamente com Gregório Abrantes de Lacerda:
      – Nestes tempos provincianos travestidos de “iliberalidades” atuais (!)
      – No Brazil / Na America / No World / (…)
      – O que mais tem e pulula!…!?
      – São artistas / Só artistas / Somente artistas / Nada mais do que artistas (…!?…)
      – Artistas da lei e da ordem (sic)
      – Das Três Poderes aos Establishments Nacionais.

Deixe uma resposta para Lionço Ramos Ferreira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *