No Senado, foram 56 votos (secretos) contra a ética na política.

Milton Corrêa da Costa

A eleição do senhor Renan Calheiros para a presidência do Senado Federal é um duro golpe contra a ética e a transparência na política, princípios basilares para o exercício do mandato parlamentar conferido pelo voto popular. Uma afronta ao estado democrático brasileiro.

Enquanto as graves denúncias que pesam contra o referido parlamentar, por crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documentos falsos, não fossem devidamente esclarecidas e e enquanto se aguarda a decisão do STF sobre o acatamento ou não da denúncia do Procurador Geral da Republica, jamais Renan Calheiros poderia, em respeito à ética na política, ter sido eleito presidente do Senado Federal. O mais alto cargo do parlamento brasileiro.

Uma decisão contra o bom senso. A votação secreta no Parlamento brasileiro continua, pois, sendo uma perigosa ameaça à democracia. Uma afronta aos princípios da moralidade e da transparência na política. Parlamentares suspeitos do cometimento de crimes devem ser afastados, em caráter imediato, do exercício do mandato, A ficha-limpa e a transparência são condições indispensáveis para o exercício do mandato popular. A democracia está de luto. Boa parte da população brasileira envergonhada. Um péssimo e lamentável exemplo ás novas gerações. O que dizer aos nossos filhos?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *