No Sindicato de Ladrões, a prisão de Geddel deixa Temer encurralado

Carlos Latuff / Brasil247

Charge do Latuff (reprodução do site 247)

Pedro do Coutto

O título do artigo reproduz o título do filme famoso de Elia Kazan com Marlon Brando no papel principal. O tema, que tem na prisão de Geddel Vieira Lima mais um capítulo, é uma teia sombria que se estende em torno do governo Michel Temer. O presidente da República encontra-se encurralado no Palácio do Planalto, lutando desesperadamente para tentar obstruir na Câmara dos Deputados o curso da denúncia formalizada contra ele por Rodrigo Janot, Procurador Geral da República.

Estranhamente, Temer, que devia ser o primeiro a querer elucidar a questão e comprovar sua inocência, ao contrário, lança-se freneticamente no empenho de barrar o curso da investigação e dos acontecimentos que a antecedem e podem sucedê-la de maneira capaz de culminar com seu afastamento do Palácio do Planalto.

GEDDEL NA PAPUDA – A prisão de Geddel Vieira Lima, acusado de corrupção, quando foi vice-presidente da Caixa Econômica no governo Dilma Rousseff, e de obstrução da Justiça, já no governo Michel Temer, tornou-se a manchete principal das edições de O Globo, Folha de São Paulo e de O Estado de São Paulo nesta terça-feira. No Globo, a reportagem é de Jailton de Carvalho; na Folha, de Camila Matoso; e no O Estado de São Paulo, de Fabio Serapião, Júlia Afonso e de Luiz Vassalo.

O abalo político, mais um capítulo da crise, evidentemente tornou o presidente da República ainda mais inseguro e mais vulnerável diante da ação movida por Rodrigo Janot, sobretudo porque o procurador deverá ser convocado a depor na Comissão de Constituição e Justiça e com isso os aliados do presidente Michel Temer preocupam-se com a repercussão do depoimento, situação agravada com a falta de explicações por parte do presidente da República capazes de rebater as suspeitas que o envolvem , inclusive no seu relacionamento com Rocha Loures.

SILENCIAR LOURES – De fato a partir do instante em que MIchel Temer recebeu favoravelmente a transferência do homem da mala da prisão comum para a prisão domiciliar, deixa evidente que seu objetivo é evitar o depoimento de seu ex-assessor. A respeito de Rocha Loures, não há motivo para festejar. Isso porque passou a aguardar em casa, com tornozeleira, a inevitável condenação pela Justiça Federal.

Na sequência de páginas negativas no capítulo que marca o início da semana, segundo reportagem de Carla Araújo, O Estado de São Paulo de terça-feira, a equipe do presidente da República foi acometida de mais um temor – a investida de Rodrigo Janot contra os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco.

É dose muito forte para o governo que já tem dois ex-ministros presos por corrupção e o senador Romero Jucá destituído do Ministério do Planejamento. O fim da estrada aproxima-se cada vez mais.

4 thoughts on “No Sindicato de Ladrões, a prisão de Geddel deixa Temer encurralado

  1. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO, analisa as pressões e contra-pressões que o Governo TEMER, especialmente o Presidente TEMER ( 75), PMDB-Base Aliada, encontra para se manter no Poder e chegar ao fim do seu Mandato 31/Dez/2018.

    Aparentemente as Forças Políticas estão divididas da seguinte forma:
    A favor do Presidente TEMER:
    1- A Burguesia (Donos dos Meios de Produção)
    Nacional) de Matriz no Brasil, representados
    pela FIESP- Demais Federações Estaduais.
    2- Boa parte das FFAA porque são
    NACIONALISTAS.
    3- Igrejas, principalmente as Protestantes.
    Resumindo: As Forças Políticas que
    representam a Economia Produtiva de Bens e
    Serviços.

    Contra o Presidente TEMER:
    1- A Burguesia Internacional que opera no Brasil,
    que logicamente tem Matriz no Exterior.
    2- A Rede Globo de Comunicações.
    3- Boa parte da Igreja Católica representada pela
    CNBB.
    4- Resumindo: As Forças Políticas que
    representam principalmente o Capital
    Financeiro.

    Aparentemente a Burguesia Financeira Internacional está descontente com o Presidente TEMER, porque esse não consegue Aprovação Rápida no Congresso, das REFORMAS.

    Qual das duas Forças Políticas prevalecerá?
    Temos que aguardar.

    • Prezado Sr. Flávio José Bortolotto … o Brasil foi o fim do Comunismo; pois o Dominó não caiu em 1964!!!
      O Brasil foi o fim do Capitalismo Monetário com a nomeação de Fraga!!!
      O Brasil está para ser o fim do Capitalismo Financeiro com a aplicação das reformas … com os gastos controlados, se voltará à Produção!!!
      Abação!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *