No TCU, um tiro pela culatra nas contas de Dilma

Percival Puggina

Em meados de junho deste ano, um parecer do Ministério Público de contas apontava uma série de irregularidades nas contas do governo referentes ao ano de 2014. Esse relatório somava-se ao que já constava para deliberação dos membros da corte de contas.

Segundo o procurador Julio Marcelo de Oliveira, a presidente, entre outras irregularidades, emitiu “decretos de contingenciamento em desacordo com o real comportamento das receitas e despesas do país, houve ainda edição de decretos para abertura de créditos orçamentários sem a prévia, adequada e necessária autorização legislativa”.

No entanto, o relatório foi afastado do processo por ter sido apresentado fora de prazo.

VALENDO DE NOVO

Pois o Estadão de hoje, informa que quando o governo passou a pressionar o TCU, com êxito, no sentido de receber mais prazo, acabou criando para si mesmo uma nova encrenca.

O relatório que ficara fora de prazo ganhava vida nova e vinha acrescentar elementos adicionais para complicar a avaliação das contas de governo. Segundo o editorial do Estadão, “Dilma não pode alegar, como tem sido comum, que não sabia de nada ou que se tratava de trabalho de terceiros, pois dizem respeito a ações de sua exclusiva competência”.

2 thoughts on “No TCU, um tiro pela culatra nas contas de Dilma

    • Estou de acordo com o articulista em questão. É coisa deliberada, é inconsequência demais para ser apenas ingerência técnica.

      É, na verdade, a intenção de deteriorar a economia, o tecido social, as instituições, institutos e leis do país que o PT quer.

      O PT quer derrubar o país no chão para formatá-lo sob o poder da ditadura do “proletário”.

      Simples assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *