Nomeação de filhas de ministros do Supremo para tribunais envergonha a Justiça

Carlos Newton

Primeiro, foi o ministro Marco Aurélio de Mello que conseguiu emplacar a nomeação de sua filha Letícia Mello para o cargo de desembargadora do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, que abrange o Rio de Janeiro e o Espírito Santo. Agora, quem pode ser nomeada para desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro é a advogada Mariana Fux, filho de outro integrante do Supremo Tribunal Federal, o ministro Luiz Fux.

A brecha que possibilita esse tipo de favorecimento de pai para filha é o chamado quinto constitucional. Pela Constituição Federal, um quinto das vagas dos tribunais deve ser preenchido por advogados, indicados pela OAB, e por representantes do Ministério Público.

A campanha de Luiz Fux para nomear a filha, através de ligações telefônicas a advogados e desembargadores responsáveis pela escolha, tem causado constrangimento no meio jurídico.

É uma situação revoltante e inaceitável, que mostra até que ponto chega a podridão em nossa Justiça. A democracia é o sistema político que se caracteriza pelo primado do mérito profissional. Quando ministros do Supremo usam sua própria influência para favorecer os próprios filhos, o que se pode esperar das demais autoridades.

SÃO 38 CANDIDATOS

Na disputa, Marianna enfrenta só uma concorrente com a mesma idade: Vanessa Palmares dos Santos, 33. Os outros 36 candidatos têm idades entre 38 e 65 anos. Dois já foram finalistas da OAB em outras seleções, e metade tem mais de 20 anos de advocacia.

Marianna não havia passado pelo crivo inicial do conselho da OAB, por não ter anexado documentos comprovando a prática jurídica. Em vez disso, apresentou uma carta assinada por Sergio Bermudes, amigo pessoal de Fux e ex-conselheiro da OAB. Marianna trabalha no escritório dele, em função subalterna, desde 2003.

Na carta, Bermudes declara que ela exerceu “continuamente, nesses mais de dez anos, a atividade de consultoria e assessoria jurídica”. Com a recusa da carta, Marianna, então, anexou uma série de petições para comprovar sua experiência, mas estão assinadas conjuntamente com outros advogados do escritório.

Na próxima análise dos currículos, um grupo de 20 advogados planeja impedir que a filha do ministro Fux siga no processo de seleção. O presidente da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz, não comenta o caso.

NÃO SENTEM VERGONHA

E o pior é que não se envergonham desses atos. Acham normal agir assim, usar de seu efémero poder para beneficiar parentes e amigos, como se fosse a atitude mais ética do mundo. Depois saem às ruas como se não estivesse acontecendo nada de errado, cumprimentam os vizinhos, os porteiros, o ascensorista, ou seja, desenvolvem uma vida paralela, como se fossem semideuses, acima do bem e do mal, quando não passam de cidadãos de segunda classe, que não têm senso de pudor e de cidadania.

23 thoughts on “Nomeação de filhas de ministros do Supremo para tribunais envergonha a Justiça

  1. É assim que a nossa dita Justiça continuará Julgando da seguinte maneira;
    Para os inimigos os rigores da lei? Se não houver referencias nas leis, cria-se.
    Para os amigos as benesse das leis? Se não houver referencias nas leis, cria se!
    Para os cidadão ordeiros e cumpridores de seus deveres, só resta pagar as contas superfaturadas.

    Palavras do Tim Maia

    “Este país não pode dar certo. Aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme, traficante se vicia e pobre é de direita.”
    Tim Maia, pseudônimo de Sebastião Rodrigues Maia (28 de setembro de 1942 – 15 de março de 1998); foi um cantor e compositor brasileiro.

    Só faltou Tim Maia incluir o item que aqui Ministro do STF nomeia filha como Desembargadora.

  2. Prezado Newton:

    Sua revolta e nojo também são meus. Claro que você “pegou leve” em subclassificá-los como ” segunda classe”. Todos sabemos que são muito piores do que isso_ ele próprios o sabem, pra começar. Então, não há como fugir do tema central: VOTAR É MANTER TUDO COMO ESTÁ, POIS TUDO ESTÁ CONECTADO NESSA TAL DEMOCRACIA, QUE VOCÊ CITOU, NEWTON. Meu amigo PLATÃO estava coberto de razão: ” Ah, a democracia, essa prazenteira forma de governo”. Que o diga o recém presenteado “chefe” do Supremo, nosso “Presidente em exercício”.
    Que vergonha!

    Saudações,

    Carlos Cazé.

  3. É o nepotismo velado, enquanto o país caminhar com apadrinhamentos políticos, sempre seremos um país de 3º mundo, de onde deveria vir o exemplo é onde mais se faz coisas erradas, esta é uma delas, imaginem o resto.

  4. Sr. Newton e demais comentaristas, podridão é o lema, uma Justiça dita suprema, cujos membros a estupram e vilipendiam, coloca o Brasil na condição de “republiqueta” e “Democradura”, isto é, para os poderosos de governo e econômicos, os favores da lei, e para os 3Ps. os rigores, é o que temos assistidos, pobre País, que tem uma suprema pequenina em moral e grandeza na “IMORALIDADE”.
    RUI BARBOSA, morre todos os dias em sua sepultura, de tanta vergonha.
    Que DEUS em sua Misericórdia nos acuda, mas… é preciso nossa “ação” de mudar o que aí está, a oportunidade pacifica de mudança é 05/10, apesar do voto obrigatório e da “urna fraudavel”, proibida para teste, pelo presidente do tse toffoli, e passada sua manipulação para os TREs.
    Por um Brasil decente e justo.

      • Ficamos discutindo daqui , dali, acolá, mas a real e verdadeira situação é que nosso Páis naõ tem mais jeito
        O Brasil é deles e o jeito eles fazem o que querem.
        Um homem público que devia dar exemplo de seriedade, honestidade, e como eles mesmo dizem “eu sempre pautei minha vida pela ………….”…., são os piores, fazem de tudo para tirar uma onda da nossa cara, debocham, desprezam o povo que os elegeu, e ainda por cima, levam vantagem em tudo sobre todos os cidadãos comuns deste País.
        Por isso que também os trato com desprezo, deboche, sarcasmo, e humor, eles são um prato cheio para minha veia cômica que herdei lá de Além Mar…….
        eh!eh!eh!eh

  5. Eu acho que não é só vergonha para ele ,ela também teria que ter vergonha de aceitar um cargo que a mesma não tem gabarito para exercer.Eu considero uma das maiores vergonhas dos nossos tribunais ,um grande nepotismo.

  6. Esse advogado figurão capixaba Sergio Bermudes pode ser competente juridicamente, não duvido pelo seu currículo universitário, atuação profissional e no magistério, mas fedia a ditadura militar no período que cursou Direito na velha UEG da rua do Catete, entre os anos 1965 e 1969, quando morava num conjugado no Largo do Machado, viajava para ” cursinho de ponta” nos EUA e se posicionava politicamente contra os opositores à ditadura no Centro Acadêmico Luiz Carpenter no tempo de seus opositores Marco Aurelio Borba e Abigail Paranhos, ambos muito torturados, respectivamente na Policia Federal e DOI-CODI na rua Barão de Mesquita, sendo que a última chegou a ser conselheira da OAB/RJ nos anos 80 e presidir a comissão de direitos humanos da entidade. Não chegou o advogado Bermudes ao Supremo porque não quis ou se empenhou. Certamente por faturar muitíssimo mais por fora com os bons relacionamentos no “sistema” e seus métodos de procedimento político. Haja grana para contratá-lo.

  7. Senhores,

    São esses doutores que dão exemplo para as massas, como o caso abaixo:

    “Após ser agredida em sala de aula, professora de 39 anos desiste da carreira.

    Não volto mais para a sala de aula. Antes que a situação piore e a minha saúde fique mais abalada eu prefiro abandonar a profissão”. O depoimento é de uma professora de 39 anos, que agredida por um aluno de 13 anos dentro da escola, afirma estar arrependida da carreira que escolheu.”

    Rreportagem completa:
    http://www.atribuna.com.br/pol%C3%ADcia/ap%C3%B3s-ser-agredida-em-sala-de-aula-professora-de-39-anos-desiste-da-carreira-1.405563

    TRISTE PAÍS.

  8. Enquanto isso, vamos pagar mais beneficios para os magistrados de baixa produtividade.

    “Ministro estende auxílio-moradia às justiças do Trabalho e Militar”
    Luiz Fux, do STF, já havia concedido benefício a todos os juízes federais.
    Ministro também determinou pagamento a magistrados de nove estados.”

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/09/ministro-estende-auxilio-moradia-justicas-do-trabalho-e-militar.html

    Todos só pensam em mordomia Bolsa Moradia, Bolsa Educação para os filhos, Bolsa Transporte, Bolsa Alimentação, etc.

    Coitadinhos recebem um salário de Empregado Doméstico.

  9. Sei não…
    Bacharel de Direito que consegue passar no processo seletivo da Ordem dos Advogados do Brasil, na sua maioria, se não acertados com uma banca já estabelecida, de boa reputação, irão tentar em massa os concursos para a área jurídica, as carreiras de estado.
    É o que se sabe e se percebe nos números da própria OAB…
    Mas, porém, contudo, todavia, alguns afortunados pela política de plantão até conseguem alcançar objetivos nunca dantes imaginados, tal qual ganhar na loteria… alçando-se à ministros da mais alta corte do poder judiciário.
    Vários chegam lá, graças aos seus patrocinadores, e com a benção do Congresso Nacional.
    Inclusive, um determinado, um Especial – com “pistolão” petista peso-pesado – em que cujos ombros estão as esperanças da eleição no próximo dia 5 de outubro…
    Poderoso, mas, na vida real, lá com ele mesmo, sabe que é mais um bacharelando que mesmo tentando, por duas vezes, não conseguiu passar num concurso para juiz…
    Mas, querendo ou não, firulas à parte, esse é o nosso Poder Judiciário.

  10. Dr Bermudes, sem dúvida milita num setor do direito que dá mais dinheiro e é uma verdadeira caixa preta, que são as recuperações judiciais .Aonde tem coisa grande esta ele de frente.

  11. Recuperação judicial é trabalho recentíssimo. Ele fatura alto desde os anos 80, quando já morava como grã-fino na Lagoa Rodrigo de Freitas, RJ, se relacionava com ministros da ditadura Figueiredo, do Sarney e já estava podre de rico, como se dizia antigamente. Aliás, sempre soube cobrar caro por qualquer serviço. Quando estudante nos anos 60, uma vez consultado por mim para fazer a tradução de algumas folhas do inglês para o português pediu um preço absurdo por folha datilografada. Descartei-o logo. Tinha clientes milionários e influentes, como o falecido José Carlos Nogueira Diniz Filho, o chamado então “dono da Barra da Tijuca”, seu próprio colega de turma e que possuia 200 imóveis e morava num de 1700 m2. O Sergio Bermudes e o Fux são velhos conhecidos e certamente amigos, lecionaram nos anos 80 Direito Processual Civil na UERJ, quando o titular da cadeira Desembargador (TJ-Rio) José Carlos Barbosa Moreira ainda não tinha se aposentado. Excluindo Figueiredo e Sarney, conheci todos os citados pessoalmente. O Bermudes advogou para o Helio na TRIBUNA DA IMPRENSA. Parece que houve algo que não deu certo. Não me lembro mais. O Carlos Newton deve saber.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *