Nosso querido amigo Francisco Bendl dirige seu caminhão até a Oficina do Conhecimento

Charge, tirinha e notícia – Cadernos VirtuaisFrancisco Bendl

Precisarei ficar ausente da TI por alguns dias. Não sei por quanto tempo. Baixarei hospital neste domingo porque o coração quer entrar em greve! Deixo um texto, de minha autoria, que escrevi tempos atrás – uma década é certo.

Espero que apreciem.

Abraços.

Cuidem-se.

###
OFICINA DO PENSAMENTO

A pequena peça onde está instalado o computador e alguns livros, eu a denominei de Oficina do Pensamento.

Entendo que meus pensamentos precisam ser consertados diariamente porque recebo informações novas, muitas pessoas pensam diferente de mim, algumas ideias são modificadas, pontos de vista são alterados, confrontações são feitas, conclusões são obtidas.

Assim como se leva um carro à oficina para reparos e revisões, a nossa mente precisa ser verificada sistematicamente, sob pena de apresentar defeitos graves no decorrer do tempo.

POR EXEMPLO – As ideias são atabalhoadas, surgem em altas velocidades e são instáveis, necessitando de amortecedores que as estabilizem; alguns pensamentos se chocam com outros e diagnostico falta de freios; quando não entendem o que eu quero realmente dizer, percebo que não sinalizei devidamente meus argumentos e os acidentes são inevitáveis.

Na defesa de minhas interpretações a respeito de temas mais polêmicos quando coloco a faca entre os dentes, constato que a correia dentada precisa ser substituída ou o motor sofrerá uma pane grave; muitas vezes eu me encontro no escuro, sem saber para onde vou, e noto a necessidade de instalar faróis mais potentes que me possibilitem enxergar melhor.

A sede pelo saber, conhecer, descobrir é tanta que o radiador é insuficiente para atender a demanda do arrefecimento, precisando ser trocado por um maior, pois o motor está sempre fervendo.

DESCONFORTÁVEL – Às vezes não me sinto confortável em discutir alguns assuntos ou porque são muito longos e requerem conhecimento de causa ou porque são enfadonhos ou porque não me interessam, mas como não podemos escolher a estrada e nem sempre ela tem uma pavimentação boa, devo procurar um estofador e melhorar o conforto dos assentos do veículo que transporta a minha imaginação.

Muitas vezes, tanto ideias quanto pensamentos derrapam diante da falta de consistência, momento determinante para que os pneus sejam trocados ou não terei dirigibilidade em dias de chuva, e o meu velho automóvel terá a sua trajetória alterada mesmo em pista seca quando eu precisar freá-lo.

Enfim, esta oficina do pensamento carece também de um ferramental mais moderno, de um torno para eu ajustar algumas peças e retificar o conjunto de ideias e pensamentos que compõem a complexidade do funcionamento de um veículo.

DENTRO DA LEI – Esse veículo também sofre a influência de outras concepções que devem ser obedecidas em formas de Leis, Estatutos, Regras, Códigos, Constituições, normalmente impedindo que se possa imprimir o ritmo que se gostaria sob pena de pesadas multas ou quando não se sofre também o cerceamento da liberdade ao se pensar e exprimir ideias que não estejam em sincronia com aquelas que movem alguns poderes, significando que se deve abrir a caixa de câmbio do carro e trocar seus sincronizados, pois as mudanças de marchas “arranham” e, assim, prejudicam o conjunto de engrenagens desta peça tão delicada.

Nem sempre conseguimos mover o carro de forma suave. Quando ele sai trepidando ou numa subida ao movimentá-lo esta trepidação é maior, a embreagem precisa ser substituída, exatamente como são nossos conhecimentos superficiais que são sacudidos quando nos defrontamos com a amplitude de fatores que verdadeiramente elaboram conceitos, concepções, filosofias e até mesmo invenções como a de um automóvel.

PELO COMPUTADOR – Os veículos modernos possuem pequenos computadores, que fornecem as informações essenciais aos sistemas de injeção, freios, caixa, tração e estabilidade.

Sujeitamo-nos a alterar nossos comportamentos – diferentemente de um carro que é corrigido pelas informações emitidas por uma central –, diante de grandes quantidades de imagens e sons e notícias recebidas.

Não temos em nossos organismos um cérebro que possa se comparar a um microcomputador e assimile o que é útil, proveitoso, adequado e necessário, mas uma caixa de ressonância, que muito bem pode expelir o correto e guardar o que não presta, pois fazemos parte de uma frota de carros e, se não andarmos em conjunto, um atrás do outro, perdemos muitas vezes a companhia do automóvel que, junto com o nosso, possibilita que não andemos sozinhos, que não estacionemos isolados, que não fiquemos sem ajuda quando se precisa.

PAGAR PEDÁGIO – Claro, devemos pagar pedágio, e muitas vezes o preço é alto demais para se usufruir da companhia que queremos ou para que pintemos o nosso veículo com as cores berrantes do momento ou neles instalemos poderosos aparelhos que emitam em alto volume nossas músicas de gosto nem sempre apurado, uma espécie de motor com folga nos casquilhos da biela, e que faz um ruído nada agradável.

O grande segredo está em ajustar este carro e fazê-lo trafegar bem em quaisquer circunstâncias, da mesma forma que devemos concatenar as nossas ideias e pensamentos para sincronizá-los com o nosso comportamento, com nossas atitudes, exatamente como o desempenho de um veículo.

NO FUNDO DA CASA – Mas, tenho uma oficina que é um simples quarto no fundo da minha casa, sem as devidas instalações e macaco hidráulico. Ela carece de ferramentas atualizadas e aparelhos eletrônicos, que fazem ajustes nos motores.

Conheço carros com carburador, platinado, lonas de freios, caixa seca, estribos laterais; meus pensamentos e ideias, conhecimentos e informações não registram que existem automóveis com tamanho avanço tecnológico, automatismos, seguranças ativa e passiva, airbags, sidebags, freios ABS, controle de tração, controle de derrapagens, centralinas, barras estabilizadoras, amortecedores a gás, direções elétricas, que podem usar vários combustíveis ao mesmo tempo.

Penso de acordo com o que me foi alcançado no passado: meus conhecimentos são empíricos; minha adaptação mental foi forjada através das dificuldades; meu intelecto apenas indica o que é útil e inútil.

MANUAL DE INSTRUÇÕES – Minha cultura apenas responde perguntas que os jornais publicam ou o que dizem os manuais de instruções; ideias e pensamentos são mecânicos e desconhecem sistemas tiptronic e eletrônicos.

Minha velocidade de raciocínio é limitada, aumentando somente em descidas e em ponto morto, aumentando igualmente os riscos de acidente, no caso eu não saber o que se está dizendo, pois as ideias são mais rápidas que as palavras, e confundir-se numa hora dessas é algo inevitável, assim como erramos um endereço e temos de manobrar em busca do caminho certo.

A mente é povoada por velhos demônios, da mesma forma que os defeitos de fabricação, mas, por ter passado o tempo, o direito ao recall prescreveu, e se deve conviver com esses fantasmas antigos e teimosos.

INTOLERÂNCIA – Desta forma, a intolerância convive com ideias e pensamentos naturalmente, como um carro que se sabe de suas limitações e, mesmo assim, chutamos os pneus, batemos no painel, fechamos as portas com violência, passamos a negligenciá-lo.

Sou um caminhão velho, antigo, que ainda suporta conduzir o seu peso, que é lento e pesado nas estradas da vida, e muitas vezes atrapalha o fluxo de veículos mais leves e rápidos, mais modernos, mais completos, mais seguros e conduzidos por motoristas que aprenderam o uso de tecnologias sofisticadas e a quantidade de eletrônica embarcada à disposição.

Minhas concepções e interpretações são parecidos.

ESCAPAR A MARCHA – Eu somente fico admirando vê-los passar enquanto seguro a palanca do câmbio de modo a não escapar a marcha, e vou bombeando o pedal do freio várias vezes para segurá-lo, simultaneamente ao braço para fora a sinalizar que vou entrar à esquerda ou à direita, conforme os caminhos se mostram, e rezando para uma divindade de plantão que impeça qualquer blasfêmia ou praga eu proferir, se o meu transporte enguiçar no meio da estrada, na exata medida que estou constatando interpretar a minha existência da forma como se ela fosse um propulsor, ou seria um mero motor estacionário?

Na verdade estou viajando em velocidade maior que esta lata velha suporta, e minhas indagações, incompreensões, teimosias, devem-se à realidade que está determinando que a estrada que o caminhão está percorrendo vai em direção a um ferro-velho, o depósito de sucatas, de veículos velhos e acidentados e que não funcionam mais.

SEM ASSIMILAR – Semelhante a nossa mente quando já não assimila a enorme complexidade de sentimentos, emoções, sensações que a vida possibilita através do ensino, aprendizagem, do trabalho, e se torna refratária às tentativas de atualização e modernização porque sua faixa etária dificulta esta compreensão e entendimento.

Ninguém, de sã consciência, reforma um carro velho, carcomido pela ferrugem, motor que não suporta mais retífica, suspensão arriada, molas fracas, bancos rasgados, painel sem os mostradores, portas sem travas, rodas tortas e a parte elétrica em pane constantemente.

Pois eu me encontro nesse estado: um caminhão caindo aos pedaços e se dirigindo para o ferro-velho. Ultrapassado, sem forças, alquebrado pelo tempo, um mero transportador do meu corpo pesado, feio e inútil, e que necessita descansar!

21 thoughts on “Nosso querido amigo Francisco Bendl dirige seu caminhão até a Oficina do Conhecimento

  1. Francisco Bendl, bem sabes o quanto gostamos de ti e de teus textos aqui na T.I..

    Tenho a certeza que todos que habitamos aqui nas linhas da T. I. desejamos tua rápida e total recuperação.

    Deus te dará muita força para seguir em frente.

    Abraço do Celso

  2. Chico, pois não é que nos caminhões velhinhos – tipo GMC – é que a confiabilidade é total? Dá só uma ajustadinha, tens alguns milhares de quilometros a percorrer.

    A TI e seus leitores te classificam como imprescindível!

  3. O excelente Escritor Sr. FRANCISCO BENDL, faz bonita analogia entre o Ser Humano e um Caminhão automóvel. Ambos sofrem desgaste ao longo do uso, e requerem manutenção/consertos. O Ser Humano na “Oficina do Conhecimento que desenvolve e aperfeiçoa o Corpo e as Ideias”, e o Caminhão na “Oficina Mecânica”.

    Para nós que somos velhos Motoristas e meio Mecânicos, pois que naquelas épocas o Motorista tinha que fazer as regulagens, limpezas de carburador, boa parte da manutenção, lubrificação, consertar uma câmara de ar de pneu, enche-lo com bomba manual, etc, etc, e que ainda nos lembramos de ligar um motor com manivela (cuidado com possível retorno), de colocar correntes em dia de chuva e de ouvir seu som cadenciado Thack Thack Thack Thack……etc, essa analogia recorda muitas coisas aprendidas com meu saudoso Pai.

    Elevamos nosso pensamento ao ETERNO para que inspire os Médicos a “instalar” potente turbo-compressor Garrett no Coração desse nosso admirado Colega de TI Sr. FRANCISCO BENDL, e que ele continue a nos brindar com excelentes Artigos, especialmente os focados na Justiça Social.

    Que o Anjo do SENHOR o ilumine e guarde nessa estadia no Hospital em Porto Alegre-RS.

  4. O sempre preciso Fávio Bortolotto já disse tudo o que havia a dizer sobre o post do Chicão. Neste momento em que o Chicão está enfrentando um pedaço de mau calçamento e muitos quebra-molas na estrada de sua vida, torcemos para que o Mecânico lá de cima inspire os do hospital cá de baixo para que façam da melhor maneira os ajustes necessários no velho caminhão que tanta carga boa já entregou aos seus leitores.

  5. Caro conterrâneo Bendl,teu “probrema”,latavelha,é no Caldeirão do Hunk…
    Kkkkkkkkkkk

    Falando sério,o amigo permite,sugiro que faças uns MANTRAS…
    1° Mantra tibetano OM AH HUNG VAJRA GURU PEMA SIDDKI HUNG da limpeza, acesse You tube por Vanessa Friggo.
    2° Mix de mantras GANESHE para saúde prosperidade em todos os sentidos,etc..
    Particularmente Eu gosto. OM GAM GANA PATA YEI NAMAHA..

    Tbem,chama pelo teu anjo de guarda,pelos bons messageiros..
    O pai do universo estara te abençoando..

    pede aos teus mandar noticias da tua recuperação..
    Estaremos orando..
    Forte abraço..

  6. Não oro porque sou herege; não peço nada a Deus por achar que ele não tem time de preferência. Mas confio na Medicina que certamente o trará de volta, em breve, para suas atividade prediletas: nos enriquecer com seus comentários. Até lá. Abraços.

  7. “Semelhante a nossa mente quando já não assimila a enorme complexidade de sentimentos, emoções, sensações que a vida possibilita através do ensino, aprendizagem, do trabalho, e se torna refratária às tentativas de atualização e modernização porque sua faixa etária dificulta esta compreensão e entendimento. Ninguém, de sã consciência, reforma um carro velho, carcomido pela ferrugem, motor que não suporta mais retífica, suspensão arriada, molas fracas, bancos rasgados, painel sem os mostradores, portas sem travas, rodas tortas e a parte elétrica em pane constantemente. Pois eu me encontro nesse estado: um caminhão caindo aos pedaços e se dirigindo para o ferro-velho. Ultrapassado, sem forças, alquebrado pelo tempo, um mero transportador do meu corpo pesado, feio e inútil, e que necessita descansar!” Peraí, peraí, peraí, Chicão, o que Vc definiu acima não me parece a sua situação não, mas isto sim a situação do sistema político que domina o Brasil que Vc tanto ama e pelo qual Vc tem estudado muito nos últimos 20 anos em busca de encontrar-lhe uma boa solução. A sua situação é muito melhor, e Vc vai sair dessa na boa, renovo, para continuarmos todos juntos pugnando por dias melhores para o nosso país e o nosso povo, com Deus na causa e contigo. Aquele abraço, irmão.

  8. Querido Francisco. Escrever é uma terapia. Escrever também cura! Escreva se você está feliz ou infeliz. Escreva. querido Francisco. Bom não só para você, mas para nós todos que te acompanha. Abraço

  9. Amei ! Amei e Amei! Linda poesia! Considerei assim….
    Filosofia de vida…..
    Estamos juntos Bendl!
    Grata CN por ter postado esta poesia!
    Foi de muita consideração e carinho com o nosso Bendl, alem de ser de grande reflexão.
    Grata!
    Abraços
    Suely

  10. Agradeço comovido, emocionado, pelas demonstrações de amizade e desejos que eu melhores de saúde!

    Faz tempo que venho afirmando a TI ser parte da minha vida diária.
    Eis os motivos, pelos quais jamais a abandonarei:
    os meus amigos, aqueles que me apoiam, que me empurram a seguir em frente por mais difícil que seja o meu caminho.

    Muito obrigado, pessoal.

    Escrevo com muita alegria por tê-los comigo; por eu saber que conto com cada um de vocês; por levar para o hospital os desejos que eu volte bem para continuarmos a trocar ideias, conclusões, interpretações, e sempre nesse blog incomparável!

    Acreditem, por favor, mas depois que li os textos acima, o meu coração, frágil, se restabeleceu, se fortaleceu, eu me animei.
    Baixo hospital na terça para várias tomografias e um cateterismo, de modo que os médicos analisem se posso ou não fazer a cirurgia tradicional, de substituir a válvula aórtica.

    Um corte do pescoço ao umbigo;
    serrar o externo;
    abrir as costelas;
    chegar no coração, fazer a troca da válvula;
    longo período de recuperação, e torcer que não existam implicações do pós-operatório;
    possíveis fístulas …

    O caminho é longo, árduo, mas eu os quero ao meu lado por muito tempo ainda.
    O calor que estão me dando, o carinho, a atenção, afirmo que estão sendo o melhor medicamento e operação que eu poderia encontrar, e os melhores especialistas que eu poderia descobrir.

    Vocês são admiráveis, maravilhosos, pessoas especiais.
    Que bela equipe que somos; que estupendo grupo de amigos que nos constituímos.

    Se eu vencer essa guerra comigo mesmo prometo que, na primeira oportunidade, desço no Rio de Janeiro para nos encontrarmos, nos conhecer, nos abraçar, e festejar essa amizade fabulosa, honesta, sincera, desinteressada e legítima.

    Para os meus amigos, os meus sentimentos de amizade fiel para sempre.
    Enquanto eu viver contem comigo.
    Afirmo que estarei sempre à disposição de todos em qualquer hora e dia.

    O meu abraço carinhoso e fraterno.
    Saúde e paz, meus caros.
    Cuidem-se, por favor,
    Até já.

  11. Caro Francisco Bendl,

    Obrigado por partilhar algumas facetas de sua “oficina”, e permitir-nos aprender com ela e consigo, através de uma prosa excelente e diferenciada!

    Melhoras!

    Saúde, Paz e Bem!

    Forte Abraço,
    Christian.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *