Nova pesquisa Ipespe confirma a polarização: Lula 44%, Bolsonaro 31% e Ciro 8%

TRIBUNA DA INTERNET | Nas eleições, os institutos de pesquisa jogam sua  imagem e seu destino

Charge do Newton Silva (Arquivo Google)

Pedro do Coutto

Na edição deste sábado, a Folha de S. Paulo publicou pesquisa realizada pelo Ipespe por encomenda do XP Investimentos, revelando que Lula da Silva mantém a dianteira nas intenções de voto para outubro com 44% contra 31% de Jair Bolsonaro, 8% de Ciro Gomes, 3% para João Doria, 2% de André Janones e 1% apenas para Simone Tebet.

Como se constata, a representante do MDB  não consegue decolar, o que significa que a terceira via não passa de um sonho. A pesquisa foi concluída no dia 4 de maio e os números praticamente convergem com os do levantamento do Datafolha de abril que apontou 41% para Lula contra 26% para Bolsonaro.

POLARIZAÇÃO – O Ipespe fez também uma pesquisa em matéria do segundo turno, onde Lula teria 54 pontos contra 31 pontos de Bolsonaro. Portanto, significa que a maioria dos votos que iriam para Ciro Gomes, João Doria, Janones e Simone Tebet seriam destinados ao ex-presidente da República. O número de votos brancos e nulos é cerca de 10% a 12%.

O quadro assim ficou confirmado e agora vamos aguardar o Datafolha e o Ipec revelaram suas novas pesquisas, mas a situação parece estar com uma tendência bastante definida quanto à polarização.

PETROBRAS –  Na tarde de quinta-feira, o Estado de S. Paulo publicou matéria sobre os ataques de Bolsonaro à Petrobras pelo novo aumento dos combustíveis e do gás de cozinha. Na tarde de sexta-feira, o novo presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, rebateu as afirmações do presidente da República, que classificou o lucro de R$ 44,5 bilhões do primeiro trimestre como um verdadeiro crime.

José Mauro Coelho afirmou que a política atual de reajuste vai continuar e que a Petrobras tem fornecido inclusive amplos recursos financeiros ao próprio governo como resultado da participação acionária da União através dos impostos que paga dividendos e royalties. O atual presidente da Petrobras, terceiro a ocupar o cargo nos três anos do governo Bolsonaro, afirmou que nesse mesmo período através de seus lucros a estatal transferiu à União R$ 447 bilhões.  

Não deixa de causar surpresa a pronta manifestação de José Mauro Coelho contra a posição do presidente Jair Bolsonaro, sobretudo porque ele assumiu o cargo  há duas semanas. “Não podemos desviar da prática de preços do mercado, condição necessária para a geração de riqueza, não só para a companhia, mas para toda sociedade brasileira. Fundamental também para atrair investimentos e assegurar o suprimento de derivados de que o Brasil precisa”, afirmou.

12 thoughts on “Nova pesquisa Ipespe confirma a polarização: Lula 44%, Bolsonaro 31% e Ciro 8%

    • Bem, se forem se juntar para o Ciro como ponta, talvez, remotamente, torcendo ainda para atrair os indecisos e quem vota em branco e nulo.

      • Eu votaria no Ciro. Se houver chance de tirar o Bolsonaro da segunda posição, ao segundo turno ou não, mas jogando um balde e água fria no Bolsonaro.

  1. Tudo mentira. Segundo a AAB -Associação dos Apaixonados pelo Bolsonaro , o que vale é o Datapovo , e aí , ele ganha disparado.E dá-lhe mentira e confusão pra tumultuar o processo. O gadão apóia e pede bis.

  2. Pesquisas com 5 meses e sem definição de uma nova chapa, sempre dará este resultado!
    Onde estão os ados de brancos, nulos e não sabe em quem votará?
    E aquela perguntinha: em quem você não votará, vale nada?
    A eleição está no forno! Muita gente ainda nem se ligou ou não abre seu voto. Poucos se expõem em debater com as seitas esquerdalha/miliciana.
    Ciro vai arregar e acredito que Simone será sua vice. Dória pode acabar não sendo nada – nem porteiro da cracolândia!

    Vamos com muita calma. O santo está nu!”

    Fallavena
    Fallavena

  3. Se as obras para exploração do pré sal se fizesse aqui no Brasil, com parte deste lucro, aí sim valeria; mas, compensar investidor e miserabilizar tecnologicamente o Brasil aí não. Se ainda não somos, estamos caminhando para ser uma Angola.

  4. Como um povo votaria em um candidato que é ex presidiário, condenado por 9 juízes, justo por ter saqueado o Brasil de forma incomparável.

    Não seria o caso de se fazer um exame de sanidade mental naqueles que votam sem considerar a história do candidato?

    Ou será que estas pesquisas estão sendo realizadas em outro planeta?

  5. Bolsonaro acha um crime o lucro de 44,5 bilhões da Petrobrás? Mentira dele, aliás, mais uma para esse rol interminável de fakenews.
    Assim que assumiu, ele e o parasita do Paulo Guedes, disseram que iriam privatizar todas as Estatais que dessem prejuízo passando- as para as empresas privadas ou até doando, por acharem que nas mãos desses virtuosos empresários brasileiros ou chineses, quiçá americanos e europeus, o lucro era mais que certo.
    Por que agora, ele diz, que dar lucro é crime?
    Ou é uma gigantesca incoerência ou acreditam nas próprias mentiras, se enrolando nelas, feito cobras acuadas.
    Mas, nós estamos aqui, atentos para lembrar das suas ações deletérias contra o povo brasileiro.
    Não é verdade, que o setor privado seja melhor do que o público. Ambos têm defeitos e qualidades.
    Inúmeras empresas privatizadas estão devolvendo as concessões, por incapacidade na gestão dos serviços. Cito as estradas, na distribuição de energia (ENRON devolveu o serviço prestado pela LIGHT) nos Aeroportos, os quais três estão sendo devolvidos, por pura incapacidade de dar lucro: 1- São Gonçalo do Amarante- Natal. Nunca deu lucro desde a inauguração.
    2- Viracopus- Campinas. Dava 600 milhões de lucro anual, administrado pela Infraero, em 2012. O consórcio que assumiu o aeroporto no governo Dilma, está entregando agora no governo Bolsonaro, por não suportar mais, os prejuízos mensais e a falta de pagamento do valor de outorga. 3- Galeão – Rio de Janeiro. Prejuízos mensais, atendimento péssimo aos passageiros, não paga o valor de outorga e abandonou o Terminal 1, inaugurado em 1972. Em 2013, um consórcio de operadoras I Chang da Cingapura e a empreiteira Odebrecht assumiram a concessão. Rotundo fracasso. A Odebrecht caiu fora deixando com a I Chang, a tarefa de gerir o enorme prejuízo. Nesse ano de 2022, a empresa de Cingapura jogou a toalha e anunciou a devolução da concessão.
    Mas, o Ministro da Infraestrutura, o carioca Tarcísio de Freitas, que largou o ministério para concorrer ao cargo de governador de São Paulo, advoga o pagamento de indenização pelos investimentos realizados e ainda não amortizados.
    Que lógica maluca: a empresa privada assume os riscos do negócio, devolve a concessão e ainda vai ser indenizada. Isso é chamado nas rodas de bar, como socialismo reverso ou Robin Woody ao contrário, quando o Estado premia o investidor privado, quando seus investimentos dão prejuízo. Podem dizer o que quiserem, mas, isso não é Capitalismo nem aqui nem na China.
    No entanto, analiso essa melodia com uma constatação trágica: As empresas do Estado, sejam elas estatais ou públicas, dando lucros ou prejuízos, não interessam mais aos políticos, aos empresários e a todo o arco da sociedade, ninguém as defende, viraram o bicho papão destinadas a serem explodidas para abrir o caminho total para a livre iniciativa.
    Eu queria ver, quando tudo for vendido, em quem esses ” patriotas” vão botar a culpa pelo sofrimento do povo, quando tiver que viajar de trem, de metrô, transitar pelos aeroportos, utilizar as estradas, e tantos outros serviços privatizados. Será que vamos ter que aguentar os aumentos absurdos e proibitivos das mensalidades dos Planos de Saúde replicados para todos os outros serviços.
    E para quem, nós vamos reclamar, se não tiver mais aqui, o Bolsonaro e o Paulo Guedes?
    Será que o Papa vai resolver essa complicada questão?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.