Novo escândalo! Lucros disparam, mas Petrobras insiste em “vender” os ativos

Imagem relacionada

Charge do Nani (nanihumor.com)

Carlos Newton

Conforme anunciamos aqui na Tribuna da Internet há duas semanas, com absoluta exclusividade, a Petrobras vive um grande momento  e registrou lucro líquido de R$ 10 bilhões no segundo trimestre deste ano, bem superior ao mesmo período do ano passado, quando o lucro líquido foi de R$ 316 milhões. Ou seja, subiu mais de 30 vezes. E apesar dos elevados prejuízos causados pela corrupção e pela derrota judicial nos Estados Unidos, este é o melhor resultado da companhia desde o lucro obtido no segundo trimestre de 2011, muito superior à previsão do mercado, que projetava ganhos entre R$ 5 bilhões e R$ 6,5 bilhões.

Prestem atenção, srs. candidatos à Presidência de República, que tanto falam na necessidade de privatização da empresa: o lucro líquido no primeiro semestre deste ano chega a R$ 17 bilhões, com aumento de 257% em relação a 2017.  Mesmo assim, o presidente Ivan Monteiro fala em nova vendas de ativos e apoia projeto para ceder às multinacionais a exploração de reservas avaliadas em US$ 1 trilhão na Bacia de Santos.

SE FOSSE PRIVADA? – Para situar a magnitude da tenebrosa transação, basta dizer que US$ 1 trilhão é exatamente o valor da fabulosa dívida pública, que está nos levando de roldão ladeira abaixo. Se a Petrobras fosse uma empresa privada e seus dirigentes estivessem empenhados em passar para empresas estrangeiras a exploração de reservas de tamanho valor, já mapeadas e em produção crescente, certamente seriam imediatamente demitidos e até condenados por crimes de lesa-pátria.

Se fosse executivos de empresas privadas, é claro que estariam dedicados a encontrar formas de financiar a exploração dessas riquezas pela própria Petrobras, que não somente as descobriu e mapeou, como também desenvolveu a avançada técnica de extração do pré-sal, conseguiu custo de extração de apenas 8 dólares o barril.

Mas aqui no Brasil, ocorre o contrário, com a glorificação desses executivos globalizados, tipo Pedro Parente ou Ivan Monteiro (um pelo outro, eu não quero troca, como se dizia antigamente).

FUTURO PROMISSOR – Prevê-se para o segundo semestre de 2018 um aumento de produção de 400 mil barris/dia, com a adição de mais 400 mil barris dia em 2019, que provocarão um enorme incremento da Geração Operacional de Caixa da companhia.

Segundo o economista Cláudio da Costa Oliveira, um dos maiores especialistas em política energética, qualquer tentativa de esconder os fatos é insustentável. A Empresa de Pesquisa Energética – EPE aponta que em 2026 a produção da Petrobras já alcançará 5,2 milhões de barris/dia. Desde total só o supergigante campo de Búzios, descoberto em 2010, responderá por 2,4 milhões de barris/dia. Isso significa que a Petrobras está se tornando uma das maiores exportadoras do mundo, o que possibilitaria vender combustíveis a preços mais baixos no Brasil, facilitando o desenvolvimento nacional.

Entre todas as grandes petroleiras do mundo, a Petrobras é de longe a de maior eficiência financeira. Sua capacidade de Geração Operacional de Caixa é inigualável, muito superior às multinacionais Chevron, Exxon, Shell e British Petroleum. Então como justificar venda de ativos e alienação de megacampos de produção?

P.S. 1 – Diante dessa situação, que a grande mídia tenta ocultar, onde estão os representantes do povo, tipo Bolsonaro, Alckmin, Ciro, Marina, Alvaro, Amoedo, Haddad, Manuela etc.? Onde estão os militares? Os generais Villas Bôas, Augusto Heleno e Hamilton Mourão, o pessoal da reserva, que tanto dá palpites na política, onde eles estão? E a Marinha, a Aeronáutica? Cadê os marinheiros do 11 de novembro e os pilotos de Aragarças? Onde está a UNE, a OAB, a ABI, a Sociedade Protetora dos Animais, onde se esconde esta gente? Vão entregar a Petrobras por 30 dinheiros, às vésperas de se tornar uma das maiores exportadoras do mundo, e a mídia criminosamente silencia. Aliás, todos silenciam. (C.N.)

P.S.2 – Quando publicamos este assunto, sempre aparecem os gênios a prever que o combustível fóssil logo será substituído pelos veículos elétricos ou movidos a hidrogênio. Mas isso vai demorar décadas e décadas, os Estados Unidos acabam de dar uma recueta em suas metas. Além disso,o petróleo é finito, vai e continua sendo insubstituível como matéria-prima de fabricação de uma infinidade de produtos. Enquanto existirem, o petróleo se o gás serão necessários à humanidade. (C.N.)

21 thoughts on “Novo escândalo! Lucros disparam, mas Petrobras insiste em “vender” os ativos

  1. Claudio da Costa Oliveira é um economista aposentado. Não é especialista em petróleo, é comentarista político. Oliveira é articulista sindical e sócio honorário da Aepet, a pelegada técnica que faz dobradinha com a FUP, o movimento braçal da Petrossauro. É o queridinho de Luis Nassif, aquele esquerdista movido a dinheiro público em seu blog outro que fala pelos cotovelos. Ele recentemente criticou pesadamente o jornalista Sardenberg.

    Segundo Sardenberg, “Vamos falar francamente: a Petrobras só não está em pedido de recuperação judicial porque é estatal. Todo mundo espera que, em algum momento, o governo imprima dinheiro para capitalizar a empresa”.

    Nassif acha que Sardenberg não sabe o que está falando. Nassif sabe!

    Eis que de súbito aparece Pedro Parente e durante um ano coloca ordem na casa, puxando o lucro da Petrobrás.

    Como? Pelo regime de paridade com o dólar no mercado internacional que rege as relações petrolíferas: o petróleo subia todos os dias na bomba. Não demorou muito e Parente pegou o beco.

    Resultado desse período de Parente, bilhões de dólares em ‘lucro’.

    Aqueles que criticavam Parente, esfolador do povo brasileiro, agora escondem Parente e batem palmas para o ‘lucro’ da Petrobrás.

  2. Se a Petrobrás não fosse a galinha dos ovos de ouro, os comunistas não teriam investido tanto nela já no tempo em que procuravam tomar o poder pelas armas. Estão procurando aparelhar a Petrobrás desde aquela época. Quando conseguiram, fizeram dela seu propinoduto. Precisa ser sim muito valorizada e protegida, principalmente dos assaltos a que vem sendo submetida desde entao. E o lucro precisa também ser dividido, uma parte para investimentos e outra com a população brasileira, aplicando por exemplo, na saúde e educação. Esse patrimônio é nosso e está sumindo.

    • A título de símile, não comparação.

      Já imaginaram se a APPLE que já alcançou a valorização atual em valor de mercado duas vezes o valor da Petrossauro, fosse protegida contra assaltantes inescrupulosos, cujo lucro fosse dividido parte a parte entre investimentos e outra em favor da população americana usados em educação e saúde?

      Alguém já ouviu falar nos EUA que APPLE, FACEBOOK, MICROSOFT e a mais rica hoje, AMAZON, com essa subjetivação que você dá? Juntas valem dois PIB e meio do Brasil.

      O problema de seu raciocínio é o mesmo dos últimos 60 anos: a Petrossauro não é pensada como empresa, mas fetiche. Ela teria um poder sobrenatural, mágico. Basta mencionar a palavra e uma multidão de adoradores se curvam diante dela.

      Enquanto se pensar assim, saúde, educação, protegida, ‘patrimônio nosso’ e outras babaquices ideológicas, ela vai continuar miúda com muito dinheiro para mistificadores ou tomarem para si a grana, ou inventarem projetos mirabolantes para secar o poço com um projeto preto, gosmento e fedido, chamado de petróleo.

      E seus defensores sempre vão tentar mamar em seus lucros. O que é uma benção continuará até ao fim como maldição.

      O dia em que ela — muitos estão tentando e fracassam — passar a ser uma empresa como essas citadas acima por mim, continuar a contribuição com a única coisa que ela pode fazer, pagar impostos legítimos, a saúde e a educação deixarão de ser fetiche e passarão a ser realidades.

      A continuar como está, as empresas acima vão dobrar de tamanho e capital a cada ano, e a Petrossauro ficará do mesmo tamanho, até o dia em que descobrirem que os poços estão secos.

      Roberto Campos era um homem de visão ao lembrar que “a burrice, no Brasil, tem um passado glorioso e um futuro promissor.”

  3. E o pior de tudo e que tudo sendo rifado por uma mega organização criminosa, em fim de mandato e até de vida, que parecem marionetes, e que em tese tem pela frente apenas duas perspectivas: cadeia ou morte.

  4. NEWTON, NEWTON!
    Por favor!

    Tenho o maior respeito por você, mas pelo amor de Deus! Que história é essa de misturar o CIRO GOMES no mesmo balaio de um entreguista como Alckmim ou de um completo vazio como Bolsonaro?

    Como famoso jornalista que você sempre foi, não viu ainda o cerco terrível da mídia contra o CIRO?
    O único que vem denunciando, há uns dois anos, no mínimo, isso que você está escancarando nos artigos, agora! Por isso ele diz que ” é um cabra marcado para morrer”.
    Por favor, não cometa uma injustiça dessas!
    Ontem mesmo, você publicou um resumo da carta dele( e eu postei a carta na íntegra), e o PRIMEIRO PONTO DAS MEDIDAS A FAVOR DA SOBERANIA NACIONAL É O PETRÓLEO!
    Ocorre que ele falou tudo isso ANTES, esbravejou para o mundo inteiro bem lá atrás!
    Poxa, já basta esse bando de idiotas/robôs que despejam tanto lixo aqui, na Tribuna da Internet, todo dia, a favor do grande imbecil /irresponsável/aventureiro que vai enterrar o Brasil definitivamente!
    Não sejamos injustos!
    Aliás, como é imensa a minha decepção com alguns comentaristas dessa Tribuna, que a mim se afiguravam ” sérios” e, agora, com o nosso destino de Nação soberana em perigo, ficam declarando voto a quem nos matará, inapelavelmente! Comentaristas que têm popularidade na Tribuna da Internet brincando com o mais sério dos assuntos, ajudando a desinformar tantos jovens leitores/eleitores, a partir da própria forma caolha com que ” enxergam ” os fatos! Ó Cícero, que tempos!

    Rogo–lhe, prezado Newton, que leia a carta do Ciro publicada ontem. Mas antes, por favor, veja esse vídeo de dois anos atrás.
    Saudações,
    Carlos Cazé.

    https://www.youtube.com/watch?v=2JcroGFEVgQ

  5. Caro Newton, assino mil vezes teu artigo e PS, a corrupção moral e ética está altaneira nestes traidores da Pátria. O Trabalhador- Cidadão está escravo da corja, viramos uma grande “senzala”. 89 anos e ver tanta podridão nos 3 poderes, é doloroso. Essas almas/espíritos estão garantidas as trevas no pós túmulo, destino do corpo material, por sua obras malignas. Acreditem se quiser, mais é Lei Cósmica, e esta pórta final nos dará a Verdade de nossas obras.

  6. As principais funções dascEstatais no Brasil são:
    – cabide de emprego para apadrinhados
    – fundos para o pagamento de propinas
    – fornecedora de obras para acordos escusos
    – sustentar funcionários preguiçosos
    – executar políticas populistas
    – produzir material para discursos ufanistas

  7. Caro Eduardo;

    Comparar indústria de transformação, da primeira revolução industrial, com empresas de tecnologia digital, da terceira revolução industrial, não tem o menor cabimento. Steve Jobs (Apple), Bill Gates (Microsoft), etc., foram caras que sentaram num computador e usaram seus conhecimentos para criar produtos. Jeff Bezos (Amazon) nem isso, faz apenas comércio eletrônico, é um mero atravessador. Trata-se de tecnologia do conhecimento, que tem a sua especificidade.

    A Petrobrás atua com matéria prima finita, extraída da natureza, implica numa intervenção no território, tem um custo social. Tem história, foi produto de uma mobilização da sociedade, representa uma escolha, dentro de um projeto sócio-economico de nação, tem um caráter estratégico, portanto. Basta ver o papel que Monteiro Lobato, que não era político nem administrador público, teve nos investimentos pioneiros em pesquisa e extração de petróleo no Brasil.

    Se assim não fosse, os EUA não estariam tão preocupados com a questão na formulação da sua geopolítica, historicamente intervindo no Oriente Médio, por exemplo.

    É pertinente a crítica que se faz aos quadros tecnicos e de direção, e causa indignação ao cidadão, por não terem reagido e denunciado, com a necessária veemência, o processo de saque e descalabro na gestão que a empresa sofreu nos últimos anos. Considero um grande equívoco político, movido, talvez, por um constrangimento ideológico, digamos assim. Mas isso não os desautoriza completamente, não se pode negar o conhecimento técnico adquirido e acumulado ao longo dos anos, que construiu a eficiência e a grandeza de que a empresa desfruta hoje. Seria jogar o bebê fora, junto com a água suja do banho.

    • Resumindo, você é a favor da estatal. Eu sou contra estais em geral e a Petrossauro em particular. Simples assim.

      Você quer melhorar a Petrobras como estatal, eu quero que a Petrossauro vire uma empresa privada. Simples assim.

  8. P. S. – É preciso levar em conta também que essas empresas de tecnologia digital usam petróleo como matéria prima em muitos dos seus produtos.

  9. Caro Eduardo, me permita uma tréplica:

    Ao reduzir a questão em simplesmente ser a favor ou contra, estatista ou pró-mercado, você comprova algo que eu ia dizer antes e não o fiz pra não me estender demais. A sua posição, como em geral a dos defensores da venda da empresa, é ideológica, enquanto eu fundamento a minha na mera observação dos fatos, na realidade objetiva.

    Não sou contra a privatização em geral, já dei o exemplo aqui: a União detém a posse de milhares de imóveis, tantos que nem possui um cadastro completo, subutilizados uns, outros apropriados e utilizados irregularmente por particulares, etc. Isso tudo teria que ser vendido, o Estado não é imobiliária. Há outros casos em que privatizar seria necessário.

    Na verdade, o problema maior que eu vejo, sobretudo no caso da Petrobrás, é a desinformação, justamente por esse véu ideológico que encobre a questão. É preciso haver maior transparência, clareza no debate público, para que a sociedade possa se posicionar sobre um patrimônio que é vital para a nossa economia, um ativo social importante, para todos nós, cidadãos e contribuintes.

    E distorcendo os fatos, propagandeando a venda da empresa, pura e simplesmente, apenas por um viés ideológico, estaremos concorrendo para o oposto disso.

    • Eu sou contra, como afirmei, e você é a favor, Levi. Ideologia a minha? Tudo bem. Ideologia a sua. Que tal?

      Eu fui de símile, e você foi de comparação. Há uma diferença sutil entre uma coisa e outra.

      Você não fundamentou, meu caro, você expressou opiniões como eu também o fiz.

      Meu argumento a favor do que eu penso a respeito da Petrossauro não é o seu a respeito da Petrobras. Se você quiser chamar isso de argumento, vá lá. Se fôssemos conversar sobre aspectos do mercado de petróleo, seria outra coisa. Petróleo no Brasil não é aquele negócio preto, mal cheiroso, sem viscosidade. Petróleo aqui é ideologia.

      Eu estou pouco me lixando para ideologia. Eu quero é que aquele negócio que está lá no poço saia de lá e vire um produto que impulsiona o mercado.

      Pessoas como você que pensa diferente de mim, quer primeiro colocar um viseira de ideologia: primeiro a Estatal. Eu estou a dizer, onde o Estado entra a negligência impera e o político domina.

      Olha, um chefão da BP alguns anos atrás foi demitido porque não conseguiu controlar aquela tragédia no Golfo do México. O cara era um gênio. Mas sua permanência significa bilhões perdidos. Foi para o olho da rua. E aqui? Aqui você sabe, não é mesmo?

      Você não é contra privatizações, relativamente falando, e eu sou contra qualquer coisa que cheira a estatização, sem relativos.

      Se você acha que imobilização estatal de bem imóveis deve ser passado a limpo, eu acho que o Estado é um péssimo administrador seja de bens imóveis, tanto quanto de instituições como cerca de 450 estatais, banco do BB, CEF, BNDES inclusive.

      Se estas instituições deveriam ser privatizadas? Há muito tempo.

      Nada, com exceção das FFAA, desde que 90% de seu orçamento não seja usado para folha de pagamento (uma vergonha, não?), deve ser privatizado.

      Não, o INSS não é um órgão estatal, é verdade que ele é administrado pelo Estado, e ele está quebrado porque o Estado é um péssimo administrador de dinheiro.

      Se eu deveria acabar com o Estado? Nunca!

      Eu quero que ele cumpra seu dever constitucional. Ele quer? Nunca! Ele não consegue ficar sem meter a mão no dinheiro alheio.

      Você observou (erradamente) sobre a questão da APPLE. Ora, só pode ter alguma coisa errada onde uma única empresa americana tem valor de mercado de um trilhão de dólares, que é mais da metade do PIB do Brasil em 2016, meu caro! Tínhamos que parar de falar de Petrobras como a joia da coroa e tratar de produzir.

      Desinformação?
      Levi, estou na área de petróleo com dois amigos, sei do que falo.

      Em Houston, não entro em maiores detalhes, se alguém falar em ideologia por lá, mandam internar. Só existe ideologia na America Latina, debocham.

      Se você disser, “mas nós temos a tecnologia” para águas profundas. Nem esperam você terminar: “quer vender!” A propósito, o Brasil não é mais o único que detém essa tecnologia.

      O que eles estão dizendo é: com toda essa tecnologia vocês continuaram a operar no vermelho. “Quer vender?”.

      O que se ouve lá com frequência é, “vocês brasileiros estão montado em uma montanha de petróleo mas não sabem fazer conta”. E concordo.

      Não se comenta sobre transparência, eles morrem de rir. “Conversa de Latino” dizem. Pior é que é verdade.

      Você acha que Exxon, BP, Shell e outras ficam falando de política, ideologia, transparência, estatal, e outros bichos cabeludos? Nunca. Nem quando os EUA mandam a ARAMCO aumentar em 1,5 a 2 milhões de barris de petróleo, isso é política. Mas aqui não, aqui o fetiche da Petrossauro pensa em política primeiro.

      Se a Petrobrás está ou esteve tão bem, e vende um trilhão como diz o artigo do jornalista Carlos Newton, será que ninguém percebe que um valor desses causaria desequilíbrio no mercado, seja financeiro ou de petróleo? Nós no Brasil não sabemos fazer conta, Levi. O que o CN escreveu não é verdade nem aqui nem no Nepal.

      Hoje para formar um especialista em engenharia de petróleo ou criar um administrador como Pedro Parente (acho que errou feio em alguns importantes pontos) demora-se duas décadas e meia, e você acha que debate vai resolver?

      Quando um executivo entra na sala em Houston, ninguém usa a palavra debater, isso é coisa de ‘Latin America’, como eles dizem.

      Petróleo é para gente que não faz política sobre barris de petróleo e produção no golfo do México. O sujeito amanhece e antes de qualquer coisa quer saber o preço no Brent e não se a Petrobrás existe ou não.

      Deveríamos sim, acabar com esse papo de Petrossauro como a peça mais importante da coroa, acabar com os sindicatos, ou reduzi-los ao papel que merecem dentro de sua razão de ser, e para para sempre com essa conversa de que a Petrobrás tem que ser preservada.

      Se o ‘seu’ Manoel tem uma fábrica de prego, ele não vai estabelecer critérios de crescimento, produção e venda pensando na questão do prego no horizonte da cruz de Cristo!

      Tire prego e coloque petróleo, e você vai ver o que é dinheiro sobrando nas burras do Estado.

      Aí sim, teremos outro problema: o que é que esse monstro faria com uma montanha dessas. Tenho medo é disso. Estados não quebram nem são encarcerados, mas agentes do petróleo, sim. E eles morrem de medo. O Estado é mestre do deboche.

  10. P. S. – A Petrobrás, a rigor, não é totalmente estatal, é uma empresa de economia mista, muitas atividades na sua cadeia produtiva são exercidas por capitais privados.

    • O sócio majoritário, o ‘dono’ efetivo da Petrossauro é o governo brasileiro que detém, ao que se sabe, 51% da empresa. O restante está nas mãos de acionistas brasileiros e estrangeiros, sempre em minoria nas decisões, como, por exemplo, a escolha de seu presidente.

      O poder decisório quem manda é o Estado brasileiro, não é nem o ‘povo’ brasileiro, que não apita nada. Agita, sim, e muito. Especialidade da esquerda.

      Por ocasião da troca da presidência da Petrossauro, a ordem vem de Brasília. Caso, por exemplo, de Pedro Parente. O presidente na Petrossauro é um semi-deus.

      Quando Lula determinou que as sondas, que normalmente são feitas no exterior, fossem construídas aqui, não se levou em conta os interesses da empresa, mas de uma ideologia (e malversação de dinheiro público também) que determinava que poderia tais ajudar o empresariado nacional. Pura balela: socializou-se um enorme prejuízo. A mesma coisa para os navios da Petrobrás. Refiro-me aqueles no período de Lula e Dilma.

  11. É até desnecessário se privatizar a Petrobrás e está ficando também cada vez mais desnecessário se vender ativos da Petroleira.
    O que pode e deve ser feito, principalmente com a melhora cada vez mais continua dos resultados que deverá acontecer trimestre a trimestre é uma nova chamada de capital com uma diluição de controle acionário por parte da União, algo assim como diminuição de 55% para uns 49%(isso é só um exemplo), o importante mesmo será uma nova chamada de capital que poderá ser feita no governo do próximo presidente(quem sabe daqui a um ano).

  12. Não sou nenhum gênio e acho que o petróleo tem uma grande importância para até 20 anos além. Só que lá embaixo da terra ou do mar ele de nada nos vale. Ele tem sido responsável por manter as imensas benesses apenas dos funcionários da BR e dos políticos corruptos que sempre se serviram dela. O POVO, ou seja, NÓS nunca nos beneficiamos dele (petroleo) ou dela (BR). “O petróleo é nosso” ? NÂO; é só DELES !

  13. Caro Eduardo;

    Quando eu falo de desinformação não me refiro a você, falo em geral, sobretudo daqueles que deviam informar a sociedade (transparência, sacou?), e me incluo nisso. Eu sou leigo, mas não sou alienado, e me interesso pelo assunto, como cidadão e ligado a uma área correlata ao tema.

    Quanto a você, deu pra ver que é bem informado, justamente o que me permite deduzir que, se reduz a questão entre ser pró e contra, só pode ser por ideologia.

    Por outro lado, no curso da conversa você recorre a várias falácias, no sentido próprio de figuras da Retórica, de Lógica, o que a torna cansativa.

    Há coisas que você diz que até reforçam o que estou querendo dizer. E às vezes dá a impressão que não leu atentamente nem o texto do CN nem o meu comentário, não questiona nenhum dos pontos essenciais do seu conteúdo (Falácia do Espantalho).

    De qualquer forma, você foi elegante no trato, acredite que foi um prazer interagir com você, mas, respeitosamente, paro por aqui, senão a nossa discussão vai ficar interminável.

    Um abraço.

    • Você é leal e cordato, Levi.
      Fiquei animado em poder trocar algumas ideias, e agradecido pela cordialidade.

      ________

      PS. Pequena informação pedagógica. O Brent abriu hoje a mais de $73 o barril. O mercado está adorando. De $50 para cima é lucro em estado puro. A Petrossauro ‘morde’ em uns 35-40% nisso aí sem fazer muita força. Mas ela vai ‘exportar’ também uma enormidade de sua produção interna, vai perder um bocado, mas vai abarrotar o caixa mesmo assim. Como nosso petróleo é ‘pesado’, ele vai sofrer (‘perder’ $) para refina-lo. Como é o petróleo venezuelano. Só a China que adora: compra quase de graça da Venezuela e não paga em ‘hard cash’ e refina. A Venezuela quebrou e ninguém quer aquela porcaria de petróleo. A Venezuela importa petróleo! Pode?? O preço de $8 o barril é verdadeiro SE… SE… E SOMENTE SE… você extrair todos os outros custos. Se acrescentar, vai para uns $40.

      Segue um chute meu: se a Petrossauro fosse privatizada, da prospecção à bomba, passando pela distribuição (uma mamata escandalosa para duas empresas particulares), meu chute seria de que a gasolina cairia uns 30% na bomba, o etanol na gasolina (uma roubada!) deixaria de existir. Finalmente, um re-arranjo nos impostos que incidem sobre a gasolina (diesel não é minha área), melhoraria em muito.

  14. BOLSONARO CITOU A QUESTÃO DO “TRIPLO A” NA GLOBO NEWS.
    O silêncio da grande Imprensa sobre a entrega da Amazônia aos interesses estrangeiros é ensurdecedor!
    O projeto é conhecido como “Triplo A”, um grande plano internacional para criar…
    SAIBA MAIS: https://www.google.com.br/amp/s/www.noticiasagricolas.com.br/noticias/politica-economia/205363-governo-brasileiro-vende-3-milhoes-de-hectares-da-amazonia-por-us-60-milhoes-aos-ambientalistas.amp.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *