Ncleo do governo admite que relao entre Paulo Guedes e Rogrio Marinho azedou de vez e ficou ‘irreconcilivel’

Nos bastidores, um critica o outro em conversas reservadas

Gerson Camarotti
G1

Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro ouvidos pelo Blog j reconhecem que ficou irreconcilivel a relao entre os ministros Paulo Guedes (Economia) e Rogrio Marinho (Desenvolvimento Regional).

A grande preocupao no ncleo do governo com o sinal de desestabilizao na conduo econmica e com o debate pblico sobre a possibilidade de se furar o teto de gastos (regra que limita a despesa pblica) para criar o Renda Cidad.

CREDIBILIDADE – Um ministro chegou a alertar que esse debate pblico s tira a credibilidade da poltica econmica e explicita a fragilidade da linha liberal do ministro Guedes. Ser preciso um freio de arrumao, avaliou esse auxiliar de Bolsonaro.

Nesta sexta-feira, dia 2, o ministro Paulo Guedes, da Economia, disse no acreditar que o colega Rogrio Marinho (Desenvolvimento Regional) tenha falado mal dele. Mas, segundo Guedes, se falou, “despreparado”, “desleal” e “fura-teto”.

Guedes se referia a reportagem do servio Broadcast, do jornal “O Estado de S. Paulo”, segundo a qual, em um encontro fechado com investidores, Marinho teria afirmado que o ministro da Economia foi o autor da proposta rechaada pelo prprio Guedes de usar recursos de precatrios (dvidas do governo j reconhecidas pela Justia) para financiar o programa Renda Cidad.

ALERTA - O primeiro alerta de que a relao estava em rota de coliso aconteceu na famosa reunio ministerial de 22 de abril, quando Guedes criticou publicamente o plano de investimento em infraestrutura, o Pr-Brasil de at R$ 30 bilhes.

Na ocasio, Marinho chegou a defender que, na crise emergencial do coronavrus, ningum poderia ficar preso a dogmas. Os dois expuseram as divergncias quanto s diretrizes de polticas de investimento em infraestrutura para diminuir os efeitos da crise econmica causada pela pandemia de coronavrus.

Mais recentemente, em 11 de agosto, Guedes afirmou que os auxiliares que aconselham o presidente Jair Bolsonaro a “furar” a regra do teto de gastos esto levando o presidente para uma zona de impeachment. J era uma referncia indireta ao ministro Marinho.

CRTICAS – Nos bastidores, um costuma criticar o outro em conversas reservadas. Nesta quinta-feira, vspera dessa fala ao mercado, Marinho viajou com o presidente Bolsonaro para o serto de Pernambuco.

Nesses ltimos meses, o ministro do Desenvolvimento Regional ganhou a confiana do presidente e se aproximou dele com a agenda de inaugurao de obras pelo pas.

9 thoughts on “Ncleo do governo admite que relao entre Paulo Guedes e Rogrio Marinho azedou de vez e ficou ‘irreconcilivel’

  1. Realmente j faz um bom tempo que nenhum ministro chutado! E no ser o P Guedes. Este s vai desembarcar no segundo semestre de 2021 qdo no tiver mais como liquidar com estatais para seus amigos banqueiros.

  2. No sei como este Marinho est onde est.
    um canalha, fraqussimo ex- deputado pelo Rio Grande do Norte.
    Era homem do preso ex- presidente da cmara, Eduardo Cunha.
    Defendeu os planos de sade, sobretudo contra os idosos.
    Remeti e-mail para este bandido, dizendo estas verdades para este crpula.

  3. O Governo BOLSONARO/MOURO foi eleito por Foras Polticas Conservadoras/Liberais que representavam o anti-Petismo, especialmente as Religies Protestantes de 2 Gerao, a Burguesia e Classe Mdia que estavam apavoradas com o crescente avano sobre os Direitos de Propriedade Privada, as FFAA que so em maioria Conservadoras no campo Social e NACIONAL-DESENVOLVIMENTISTAS no campo Econmico, e que foram muito atacadas principalmente no Gov. DILMA/TEMER com a “Comisso da Verdade”, quando se tentou imputar a responsabilidade total sobre atos ilegais da “Guerra Suja” sobre as FFAA, “Guerra Suja” essa que comeou por exclusiva iniciativa das Esquerdas Radicais, e onde foram cometidos atos ilegais dos dois lados, com iniciativa dos Radicais Esquerdistas, e que j se tinha colocado “uma pedra em cima” com a “Lei da Anistia” do Gov. FIGUEIREDO/AURELIANO CHAVES, e o MERCADO (Investidores Institucionais e Outros) que queriam a Reduo do tamanho do Estado (Neo-Liberalismo) onde o Custo do Estado tendo chegado a +- 46% do PIB ( R$ 7.250 Bi), Endividamento de +- 85% do PIB, “ necessrio mesmo”, representado pelo Min. da Fazenda PAULO GUEDES indicado um ano antes da Eleio Presidencial.

    Essas duas Foras Polticas, as FFAA de maioria NACIONAL-DESENVOLVIMENTISTA que concordam com a necessidade da Reduo do tamanho do Estado mas que querem preferncia ao CAPITAL NACIONAL (Empresa Privada NACIONAL) e fazer as coisas com moderao com alguma tolerncia na Disciplina Fiscal, e o Min da Fazenda PAULO GUEDES ( Neo-Liberal Clssico Laissez-Faire que no diferencia entre CAPITAL NACIONAL e CAPITAL INTERNACIONAL agindo no Brasil, o que um grande erro, e que quer rigorosa Disciplina Fiscal, o que em Condies Normais de Temperatura e Presso o certo.

    Isso tudo se exacerbou com a Pandemia Covid-19 que custar a UNIO +- R$ 600 Bi em 2020 e +- R$ 300 Bi em 2021.

    Ambos os Grupos que apoiam o Gov. BOLSONARO/MOURO, as FFAA NACIONAL-DESENVOLVIMENTISTAS e seus Aliados Polticos, que advogam no momento Programas de Auxlio aos Milhes de “INVISVEIS” que se tornaram VISVEIS na Crise da Pandemia, e Programa Pr-Brasil ( Investimentos iniciais Pblicos e Privados de R$ 130 Bi para terminar Obras paradas), etc, e assim “afrouxar na DISCIPLINA FISCAL, este Grupo representado pelo Min. do Desenvolvimento Regional ROGRIO MARINHO (57), e o Ministrio da Fazenda advogando rgida DISCIPLINA FISCAL, representado pelo Min. PAULO GUEDES (71).

    Ambos os Grupos que apoiam o Gov. BOLSONARO/MOURO tem bons Argumentos e devem ser mantidos, inclusive seus Lderes, Min. PAULO GUEDES e Min. ROGRIO MARINHO, agindo um como contra-peso ao outro.

    evidente que na emergncia da Recesso Induzida pela Pandemia Covid-19 o Grupo NACIONAL-DESENVOLVIMENTISTA (FFAA e seus Aliados) deva ser privilegiado, mas com o contra-peso do Grupo Neo-Liberal para no haver exageros de nenhum lado.

    Portanto no vemos como “Irreconcilivel” os dois Grupos apoiadores do Gov. BOLSONARO/MOURO.

  4. Acho que o Guedes no serve para conduzir a economia de um pas to desigual como o Brasil. Sua viso bastante limitada.

    Precisaramos ir na direo de um crescimento sustentvel, com a revitalizao da nossa indstria e com tecnologias prprias, caso contrrio, o nosso desenvolvimento s ficar na esperana. O consumo na base do crdito e em doaes no algo perene.

    Um governo no pode ser perdulrio (gerando sempre mais despesas, p.ex. concedendo aumentos salariais a certas categorias, gerando mais empregos diretos), mas deve ser um facilitador para a economia do pas.

    Nenhum pas conseguiu se desenvolver sem que o Estado atuasse em polticas que facilitassem sua economia nacional.

  5. Um posto sem combustvel para vender serve para o qu? Ento a hora do Posto Ipiranga deixar de funcionar chegou, enfim os novos tempos chegaram, no possvel em tempos como os de hoje esperar racionalidade, Renda Cidad j e o futuro que espere.

  6. Julgo desnecessrio, diante do Curriculum Vitae de ambos, a tentativa de teorizar o que no existe e de querer explicar o inexplicvel.

    Basta que se diga:

    “- Estamos assistindo dois garons disputando a gorjeta da exuberante Mesa do restaurante Brasil ”

    Nada mais…

  7. Prezado Bortolotto;
    Ns j vimos este filme, s que com outros artistas.
    De um lado, Simonsen segurando os gastos. Do outro lado, Delfin querendo gastar e tocar obras.
    Deu no que deu.

  8. Prezado Colega Sr. VICTOR MARINS,

    A nosso ver, num BRASIL com alto percentual de Pobres ( +- 33% da Populao, muito concentrada nos grande Centros Populacionais) sendo que +- metade dos Pobres, +- 16,5% so Miserveis, se seguimos uma Poltica muito seguradora de Gastos ( SIMONSEN) terminamos em aguda Recesso e aumento gigantesco de Pobres/Miserveis pelo menos at o mdio Prazo, +- 12 Anos, o que Ningum aguenta. D Convulso Social.

    Se seguimos uma Poltica mais expansiva de Gastos Deficits Fiscais/Endividamento ( DELFIM NETTO) terminamos em alta Inflao tendendo para Hiper-Inflao com perda da Moeda com tudo o que vem atrs.

    Lgico que tudo levado ao limite superior, nem SIMONSEN e nem DELFIM NETTO, ambos grandes Economistas/Administradores Pblicos, chegariam perto do limite superior.

    Tenho grande admirao pelo Econ. DELFIM NETTO pela defesa da INDSTRIA NACIONAL que sempre fez, e pela sua excelente Administrao tanto quando pegou o navio bem equipado e reparado pelo Gov. CASTELLO BRANCO/JOS MARIA ALKMIN e gerou 11 anos de crescimento Econmico de 2 dgitos ( hoje diramos crescimento Chins), como quando pegou o navio semi-submerso, todo arrombado no Gov. GEISEL/ADALBERTO PEREIRA DOS SANTOS que foi torpedeado por duas Crises do petrleo que passou de US$1/Barril para US$ 30/Barril quando a Petrobras SA importava 80% do petrleo, e Juros Bsicos dos EUA que passaram de 2%aa para incrveis 22%aa ( Tx do FED) e mesmo assim manteve o navio andando, melhorando paulatinamente at que no Governo SARNEI o Ministro da Fazenda FUNARO perdeu o sangue frio e decretou DEFAULT com a perda do Crdito do Pas e tudo o que vem atrs.

    O que nos parece certo ficar num meio termo, com a mxima DISCIPLINA FISCAL POSSVEL.
    Agora na Pandemia devemos sacrificar um tanto a Disciplina Fiscal.

    Abrao.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.