O amor da juventude não pode se perder com a velhice, diz o poeta J.G. de Araújo Jorte

Paulo Peres
Poemas & Canções
O advogado, político e poeta acreano José Guilherme de Araújo Jorge (1914-1987) ou, simplesmente, J. G. de Araújo Jorge, tornou-se conhecido como o Poeta do Povo e da Mocidade, pela sua mensagem social e política e por sua obra como no poema “Romance” que trata do mais velho e o mais belo dos temas, renovado sempre na poesia e no sonho de um poeta, segundo o próprio J. G. de Araújo Jorge, em seu livro “No Mundo da Poesia”.


ROMANCE
J. G. de Araújo Jorge

“Venha me ver sem falta… Estou velhinha.
Iremos recordar nosso passado;
a sua mão quero apertar na minha
quero sonhar ternuras ao seu lado…”

Respondi, pressuroso, numa linha:
“? Perdoe-me não ir… ando ocupado”.
Amei-a tanto quanto foi mocinha
e de tal modo também fui amado.

Passou a mocidade num relance…
Hoje estou velho, velha está… Suponho
que perdeu da beleza os vivos traços.
Não quero ver morrer nosso romance…
– Prefiro tê-la, jovem no meu sonho,
do que, velha, apertá-la, nos meus braços!

One thought on “O amor da juventude não pode se perder com a velhice, diz o poeta J.G. de Araújo Jorte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *