O amor, Deus e a natureza se misturando na obra poética de Pedro Kilkerry

Resultado de imagem para pedro kilkerryPaulo Peres
Site Poemas & Canções

O advogado e poeta baiano Pedro Militão Kilkerry (1885-1917), no soneto “Ritmo Eterno”, faz uma apologia à natureza.

RITMO ETERNO
Pedro Kilkerry

Abro as asas da Vida à Vida que há lá fora.
Olha… Um sorriso da alma! — Um sorriso da aurora!
E Deus — ou Bem! ou Mal — é Deus cantando em mim,
Que Deus és tu, sou eu — a Natureza assim.

Árvore! boa ou má, os frutos que darás
Sinto-os sabendo em nós, em mim, árvore, estás.
E o Sol, de cujo olhar meu pensamento inundo,
Casa multiplicando as asas deste mundo…

Oh, braços para a Vida! Oh, vida para amar!
Sendo uma onda do mar, dou-me ilusões de um mar…
Alvor, turquesa, ondula a matéria… É veludo,

É minh’alma, é teu seio, e um firmamento mudo.
Mas, aos ritmos da Terra, és um ritmo do Amor?
Homem! ouve a teus pés a Natureza em flor!

One thought on “O amor, Deus e a natureza se misturando na obra poética de Pedro Kilkerry

  1. 1) Grande poeta o kilkerry.

    2) Por falar em Deus, hoje, 13/05/19 é o Dia de Nossa Senhora de Fátima (Portugal), Nossa Senhora de Bonate, uma cidade da Itália.

    3) e das almas dos Pretos Velhas e Pretas Velhas,na Umbanda.

    4) TI = Teologias Interrreligiosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *