“O amor não é o vinho embebedando lençóis”, avisa o poeta carioca Tanussi Cardoso

TRIBUNA DA INTERNET | “O amor não é o vinho embebedando lençóis”, avisa o poeta Tanussi Cardoso

Tanussi Cardoso, um poeta de bem com a vida

Paulo Peres
Poemas & Canções 

O advogado, jornalista, crítico literário, contista, letrista, poeta e carioca Tanussi Cardoso expõe a sua visão sobre o amor no poema “Cilada”. Aparentemente trágico, o poema exibe um humor latente e a ironia final fulmina toda a esperança de que um dia saibamos o que é essa coisa louca e bela chamada “amor”, segundo Tanussi Cardoso.


CILADA

Tanussi Cardoso

O amor não é a lua
iluminando o arco-íris
nem a estrela-guia
mirando o oceano

O amor não é o vinho
embebedando lençóis
nem o beijo louco
na boca úmida do dia

O amor não é a angústia
de se encontrar o sorriso
nem o vermelho
do coração dos pombos

O amor não é a vitória
dos navios e dos barcos
nem a paz cavalgando
cavalos alados

O amor é, sobretudo
a faca no laço do laçador
O amor é, exatamente
o tiro no peito do matador

3 thoughts on ““O amor não é o vinho embebedando lençóis”, avisa o poeta carioca Tanussi Cardoso

  1. In Vino Veritas (no vinho está a verdade, em latim). Já os gregos recorriam a uma bebida de origem vegetal, para esquecerem ou aguentaram os solavancos da tristeza e paixão, cujo nome era NEPENTE (literalmente, Sem Dor)..

  2. “O amor é, sobretudo
    a faca no laço do laçador
    O amor é, exatamente
    o tiro no peito do matador”

    -Esta última estrofe, além de ser o fecho, traz consigo um simbolismo sempre presente na história da civilização humana.
    Quem nunca ouviu um conto áulico, cuja moral da história se passa, num romance extraconjugal ou até mesmo a troca do Sr. Rei por um escravo? Quando Sua Majestade, a rainha, empurrada pelo fogo ardente da libido, desejou algo mais viril e superexcitante!
    -Antes, muitos pais, quando a filha emprenhava precocemente e/ou de um cabra ordinário, alguns até cometiam assassinatos (muito comum no nordeste). Mesmo os avós sendo furiosos, mas basta nascer o netinho para a ira se dissipar, e converter-se em chamegos.
    “O amor é uma flor roxa, só nasce no coração do trouxa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *